Edital Natura Musical confirma abertura para segundo semestre de 2020

Matéria de VEJA RIO

Considerado um dos principais projetos de fomento à musica brasileira, edital terá inscrições abertas em breve, com adaptação em seu processo por conta da pandemia do coronavírus.

O Edital Natura Musical 2020 confirmou que em breve abrirá inscrições, mesmo com a pandemia do novo coronavírus. A notícia veio através da coluna da incrível jornalista Fabiane Pereira para o portal Veja Rio.

Com data prevista para o segundo semestre, o processo atenderá novas demandas para se adequar ao novo contexto da COVID-19:

“São curadores, produtores musicais e gestores com bastante vivência no mercado. Queremos ter a garantia que o processo deste ano vai ressoar uma série de demandas específicas do contexto atual e, claro, expandir e multiplicar os recursos que vamos colocar dentro dessa rede”, explicou a Head of Global Cultural Branding Natura Musical, Fernanda Paiva.

Segundo Fernanda, o programa que completa 15 anos, já investiu R$159 milhões no patrocínio de 467 projetos, impactando diretamente 1,8 milhão de pessoas. O valor de investimento de 2019, para projetos com atuação em 2020, é de R$14 milhões. Não foi revelado o valor para o novo edital.

Considerado um dos principais editais de fomento voltado para a cena musical brasileira, o Natura Musical já beneficiou grandes artistas como Lenine, Elza Soares e Ney Matogrosso. Além de apoiar nomes como O Terno, Saulo Duarte e a Unidade, Xênia França, Letrux, Emicida e Rubel.

“Muito do que vi emergir, eu conheci através de uma proposta de patrocínio ou uma intenção de apoio. Eu digo isso porque acredito que quando a gente tem uma ambição de mudar o mundo, de tornar o mundo mais bonito, temos que saber que essa mudança não vai acontecer do dia pra noite. Essa mudança vai acontecer numa perspectiva de médio e longo prazo. Então ao olhar a trajetória do Natura Musical é um motivo de orgulho porque materializa o que foi definido há 15 anos”, relembra Fernanda.

Foto: Divulgação

Leia na origem

Brazil Music Conference promove série de lives para debater o futuro da música eletrônica

Por conta da pandemia do novo coronavírus o Brazil Music Conference acontece neste ano através de lives. Com participação de Marcelo Castello Branco, CEO da União Brasileira de Compositores e Coy Freitas, diretor da Twitch no Brasil, evento terá como principal assunto o futuro da música eletrônica.

A partir desta semana acontece uma nova edição do Brazil Music Conference. Neste ano, o evento será realizado através de lives com participações de nomes como Marcelo Castello Branco, CEO da União Brasileira de Compositores e  Coy Freitas, diretor da Twitch no Brasil.

Segundo coluna de Lauro Jardim no O Globo, os rumos do mercado de música eletrônica em tempos de Covid-19 será o principal assunto dos debates. Serão abordados ainda outros temas como o cenário da música eletrônica, tendências para o futuro e inclusão social dos trabalhadores do setor.

A live completa do Brazil Music Conference com Marcelo Castello Branco já está disponível no Canal do evento no YouTube.

 

Foto: Reprodução

Leia na origem

Spotify disponibiliza letras de música em tempo real para seus usuários

O novo recurso só foi possível graças a parceria com a Musixmatch, maior plataforma de letras de música do mundo.

A partir de hoje (30), usuários do Spotify poderão ouvir músicas e acompanhar as letras em tempo real na plataforma.

O recurso só foi possível graças à parceria entre o serviço de streaming e a Musixmatch, considerada a maior plataforma de letras de músicas do mundo.

Segundo o Olhar Digital, países como o Brasil, Argentina, Colombia,Chile,México, Peru, Bolívia, Costa Rica, República Dominicana, Equador, Guatemala, Honduras, Índia, Nicarágua, Panamá, e Hong Kong já estavam há algum tempo em fase de testes.

Para nossa fundadora, Guta Braga, a parceria representa um impacto positivo nas receitas para autores e editores.

Foto: Divulgação

Leia na origem

JOTA QUEST FAZ SHOW EM DRIVE-IN PARA 250 CARROS

Matéria de uolgeek @UOL

Neste sábado aconteceu o primeiro show drive-in, no Allianz Parque, com a banda Jota Quest. Evento reuniu 250 carros com ingressos a 550 reais

Durante o sábado (27) aconteceu o primeiro show do projeto drive-in, no Allianz Parque, com a banda Jota Quest.

Segundo o Uol, o evento reuniu 250 carros com ingressos na faixa de R$450 a R$550.

“Esta é a primeira vez que fazemos um show assim e, sem dúvida nenhuma, vocês são a melhor platéia de drive-in que já tocamos na vida”, disse o vocalista do Jota Quest, Rogério Flausino.

Ao invés de barulho de palmas, a comoção do público foi percebida por buzinaços e acende e apaga dos faróis (via Veja.com).

Desde o início da quarentena, foi a primeira vez em 90 dias que o estádio do Palmeiras voltou a abrir suas portas para um show.

Ainda segundo o portal, todos os carros foram acomodados em apenas 15 minutos no estádio. As vagas eram separadas por grades com caixas de som acopladas na altura da janela de cada veículo, com no máximo quatro pessoas em seu interior (todas deveriam usar máscaras). Além disso, o palco não tinha teto, para uma melhor visualização do palco.

Vale lembrar que na semana passada, o Memorial da América Latina também abriu suas portas, para exibir filmes clássico no formato drive-in.

Leia na origem

Graças à pandemia, empresa especializada em lives cresce 500% em receita

Matéria de Terra

Conheça a empresa que está crescendo cada vez mais pela alta demanda de transmissão de lives.

A pandemia do novo coronavírus, sem dúvidas, está impactando todo o mercado musical e tem muita gente criando novas oportunidades neste momento. É o caso da ‘Clap Me’, empresa de tecnologia especializada em transmissões ao vivo pela internet.

O Terra.com publicou uma matéria sobre como a empresa conseguiu crescer 500% em receita durante a pandemia.

De acordo com o portal, a empresa conseguiu o feito graças a reestruturação de seu modelo de negócios, oferecendo dois tipos de pacotes: Um para o fornecimento de equipamentos e infraestrutura para lives; e outro através da criação de uma plataforma específica para conteúdo originais de bandas, artistas e corporações.

Criada em 2013 pelos empreendedores Celso Forster, Diego Yamaguti, Felipe Imperio e Filipe Callil, a ClapMe levou pelo menos três anos para começar a alavancar seus negócios. Isso porque, era muito difícil convencer artistas e produtores sobre como as lives poderiam beneficiar seu trabalho e impactar suas carreiras.

“Nós tínhamos que provar o valor de fazer uma live e que isso não faria os fãs desistirem de ir a um show.”, contou Callil ao portal.

Com a pandemia o cenário mudou completamente, para muitos artistas as lives se tornaram a única maneira de entrar em contato com o fã. Com tanta procura pelos serviços,  a empresa tem uma demanda média de produção de 8 e 15 transmissões por dia e sua receita cresceu cinco vezes. Parece que o jogo virou não é mesmo?

 

Foto: Divulgação

Leia na origem

Ecad passa a cobrar taxas por direitos autorais em lives e produtores se irritam

Matéria de G1

Com nova regra, Ecad e Ubem passarão a cobrar 10% por direitos autorais em lives patrocinadas no YouTube. Notícia desagradou produtores de artistas sertanejos e pagodeiros.

Como já era de se esperar, o Ecad começou a regulamentar as taxas de direito autoral em lives. A notícia agradou compositores, mas nem tanto os produtores, segundo matéria publicada pelo G1.

Mediante a crise provocada pela pandemia do coronavírus, o mercado musical se voltou para a internet. Impedidos de fazer shows e festivais, artistas começaram a se apresentar em lives.

Com grande audiência, as lives ganharam patrocínio de marcas. Assim, o Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) e a Ubem (União Brasileira de Editoras de Música) procuraram o YouTube para entender como funciona o processo remuneração neste formato de transmissão, principalmente para os compositores.

O YouTube alegou que já paga ao Ecad os direitos autorais devidos e que todos os patrocínios das lives são pagos diretamente aos produtores dos artistas, sem passar pela plataforma.

Desta maneira, as entidades chegaram a decisão de uma cobrança de taxas que somam 10% por direitos autorais das músicas tocadas nas lives patrocinadas no YouTube (5% para o Ecad e 5% para a Ubem). A cobrança se estende para as transmissões que também já aconteceram.

Ainda como parte da regra, não haverá cobrança em lives sem patrocínio ou renda. Além de um desconto de 50% em lives beneficentes para o mercado da música ou com verba que cubra só montagem e cachê.

A superintendente do Ecad, Isabel Amorim, conversou com o portal sobre as mudanças: “Nesse mundo novo das lives, se a gente não fosse em frente com essa cobrança, os compositores não receberiam nada, só os intérpretes”.

Isabel disse que a cobrança não será o bastante para recuperar a crise no mercado: “O Ecad recebe direitos por quase 6 mil shows por mês. Não tem tudo isso de live. A execução pública perdeu 50% de faturamento nos últimos meses. As lives não vão cobrir nem um pequeno percentual disso”, diz Isabel.

Diante das mudanças, alguns produtores de artistas do sertanejo e pagode, responsáveis pelas maiores lives no país, declararam ao portal que as medidas podem prejudicá-los:

“Achamos uma cobrança indevida, pois é nosso canal de divulgação. É injusto ele cobrar muitas vezes do próprio autor da música”, afirmou um produtor que não revelou sua identidade.

“A gente que corre atrás do patrocínio e eles querem uma fatia”, disse outro produtor de pagode sem identidade revelada.

Apesar da reação negativa por parte dos produtores, muitos compositores comemoraram a cobrança. Como a associação Procure Saber, representante de diversos autores da MPB como Caetano Veloso, Gilberto Gil e Erasmo Carlos.

A presidente da associação e empresária de Caetano Veloso, Paula Lavigne, defendeu a nova norma: “É normal que esse tipo de novidade desperte algumas dúvidas, mas na verdade o pagamento ao Ecad dos direitos de execução pública pelas lives é devido”.

“O Ecad está cumprindo a sua obrigação de arrecadar em nome dos autores das músicas que são apresentadas nesses espetáculos ao vivo, que em muitos casos não foram compostas pelos artistas que estão se apresentando na plataforma”, afirmou Paula.

 

Foto: Reprodução

DicaMCT: FastForward Podcast: Produção Musical e processo criativo com Adriana Calcanhoto. OUÇA AQUI!

 

Leia na origem

Spotify, Warner Bros e DC Comics anunciam parceria para a produção de podcasts originais

Parceria entre Spotify e Warner trará podcasts com narrativas dos clássicos da DC Comics como Superman, Coringa e Mulher Maravilha, além de conteúdo inédito para assinantes Premium.

Nesta semana o Spotify anunciou que fez uma grande parceria com a Warner Bros e DC Comics para o lançamento de uma série de podcasts narrativos.

De acordo com o Indian Television, o objetivo do Spotify é oferecer aos assinantes Premium, podcasts originais e inéditos a partir dos clássicos do mundo da DC Comics (Superman, Batman, Mulher Maravilha, Arlequina, Coringa entre outros), com produção da Warner Bros.

Vale lembrar que ainda em janeiro deste ano a Warner Bros também realizou um acordo com a Rainy Day Podcasts – empresa formada por Mick Jagger & Victoria Pearman (“Shine a Light”,“Get on Up”,“Vinyl”,“Enigma”), o produtor Steve Bing (“The Polar Express”,“Marley”,“Neil Young: Heart of Gold”,“Shine a Light”) e o escritor Josh Olson (“A History of Violence”) – para produzir uma série de podcasts narrativos originais.

#DicaMCT: FastForward Podcast: Produção Musical e processo criativo com Adriana Calcanhoto. OUÇA AQUI!

 

Leia na origem

Warner Records EUA assina com Anitta

Warner Music EUA anunciou que assinou com Anitta para um lançamento de um novo álbum no país.

Nesta segunda-feira a Warner Music EUA anunciou que assinou com a artista brasileira Anitta para o lançamento de seu primeiro álbum no país confirmado para ainda este ano (Via Complete Music Update).

Em um comunicado os diretores da Warner Records EUA – Aaron Bay-Schuck e Tom Corson – declararam:

“Anitta é diferente de qualquer artista que já experimentamos. Ela não é apenas um talento musical extraordinário, mas é uma força criativa em chamas, uma artista eletrizante e um verdadeiro fenômeno cultural”, afirmaram os diretores.

Sobre a conquista a cantora também se pronunciou: “Estou muito animada por fazer parte da equipe da Warner Records dos EUA. É o momento mais importante da minha carreira. Agora, posso mostrar mais sobre minha arte e cultura ao mundo internacionalmente. Mal posso esperar para que todos ouçam todas as novas músicas em que estou trabalhando, que serão uma nova mistura de espanhol e inglês”.

A cantora assinou com a major no Brasil em 2013. O movimento vai em contramão de todos os rumores de que a cantora estaria interessada em deixar a gravadora.

#DicaMCT: FastForward Podcast: Produção Musical e processo criativo com Adriana Calcanhoto. OUÇA AQUI!

Leia na origem

The Flaming Lips se apresenta com platéia dentro de bolhas gigantes

Não apenas cada integrante do Flaming Lips se apresentou dentro de uma bolha, mas o público também curtiu o show dentro de uma! Assista!

A banda americana The Flaming Lips mostrou que está preparada para continuar tocando, mesmo em tempos de pandemia! Durante o programa Late Show, a banda se apresentou dentro de bolhas gigantes.

Não apenas os integrantes tiveram sua própria bolha, como também o público para assistir à apresentação de “Race For the Prize”.

Segundo o Entertainment News, o vocalista Wayne Coyne, já havia se apresentado dentro de uma bolha gigante muito antes da pandemia.

“Race For the Prize” aparece no album The Soft Bulletin, dos The Flaming Lips, que comemorou seu 20o aniversário no ano passado.

Assista a apresentação AQUI!

 

#DicaMCT: Concorra a bolsas para o EAD Música e Negócios Puc-Rio em nosso Instagram! 

 

Leia na origem

PROTAGONISTA: TikTok supera Facebook e fica entre os apps mais baixados do mundo

Matéria de Forbes Brasil

Com de 1,65 bilhão de downloads na App Store e na Google Play Store, o TikTok é um dos apps mais baixados do mundo superando os aplicativos de Mark Zuckerberg.

O Tik Tok é o aplicativo do momento sendo o terceiro mais baixado na categoria “não jogos”. O aplicativo foi mais baixado que o Whatsapp e Messenger (Via Forbes Brasil).

Segundo o relatório da Sensor Tower Analytics, o TikTok alcançou a marca de 1,65 bilhão de downloads na App Store e na Google Play Store.

De acordo com matéria publicada na Forbes, este é o surgimento de um novo protagonista, pois além de ser a primeira plataforma chinesa a atingir tal nível de relevância global, também é o único aplicativo que está entre os mais baixados sem pertencer ao conglomerado de Mark Zuckerberg.

A propósito, para não ficar atrás, o Facebook está trazendo alguns recursos parecidos com o aplicativo. Um exemplo é o Cenas do Instagram, que permite a criação e edição de vídeos curtos ao modo do TikTok.

Vale lembrar que a ByteDance, empresa-mãe do TikTok está avaliada em US$75 bilhões pela CB Insights, sendo a startup mais valiosa do mundo.

 

Foto: reprodução

#DicaMCT: Concorra a bolsas para o EAD Música e Negócios Puc-Rio em nosso Instagram! 

 

Leia na origem

©2020 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?