Gilberto Gil entra no TikTok para incentivar recuperação de florestas brasileiras

Matéria de propmark

Em iniciativa do Instituto Terra, Gilberto Gil entra no TikTok para lançar desafio de recuperação das florestas com a ajuda de usuários.

Nesta semana o TikTok ganhou mais um criador de conteúdo, Gilberto Gil entrou no app para lançar o desafio #ReflorestaComGil, campanha de incentivo a recuperação das florestas no Brasil.

No desafio, para cada vídeo criado com a música ‘REFLORESTA’, uma arvore será plantada no Instituto Terra. A iniciativa faz parte da campanha “Refloresta”, criada pela agência Ampfy para o Instituto Terra. Segundo o Propmark, além da música de Gil com o mesmo nome da campanha, haverá um clipe, várias peças para serem publicadas em diferentes meios, a criação de um filtro especial no Instagram, com grafismos que remetem ao clipe da canção e uma parceria com o TikTok.

Assim como Gil, outras personalidades famosas como Chico Buarque, Marcos Palmeira, Fernando Moraes, Lilian Pacce, Dudu Bertholini, Izabella Teixeira, Patricia Pillar, Bruna Lombardi e Luciano Huck darão apoio à campanha.

“É muito mais do que uma campanha, é um chamado urgente para a recuperação das nossas florestas, do nosso planeta. Não basta mais frear o desmatamento, é preciso replantar e recuperar as áreas degradadas. Reflorestar é trazer à vida aquilo que parecia morto”, afirmou Juliano Ribeiro Salgado, Vice Presidente do Instituto Terra.

O Instituto Terra é referência em reflorestamento no Brasil desde a sua criação em 1998, tendo como principal objetivo disseminar valores ecológicos, através de ações educativas e intervenções de restauração e recuperação em propriedades rurais no Vale do Rio Doce.

“A música é a grande celebração da criatividade brasileira e propusemos o tema para que Gil falasse a favor da preservação da nossa fauna e flora. Além disso, o apoio de celebridades nos ajuda a levar essa mensagem, tão urgente na nossa atualidade, para o mundo inteiro”, comentou Fred Siqueira, CCO da Ampfy.

“A canção criada pelo Gil é um hino de amor às florestas tropicais, um hino de luta para ser entoado por aqueles que assim como o Instituto Terra, acreditam no poder da transformação e batalham pela preservação ecológica”, complementou Juliano Salgado.

 

Reprodução / Vídeo

Leia na origem

Mark Ronson explica porque onda disco voltou durante a pandemia

Matéria de G1

Fazendo dupla ao lado de Diplo no Silk City, produtor musical fala que mesmo impedido de ir às baladas, público quer se divertir em casa e fazer muitos vídeos no TikTok com músicas dançantes.

O produtor Mark Ronson (45) é um dos grandes responsáveis por trazer de volta sons com uma pegada mais antiga, afinal ele está por traz da produção de artistas como Amy Winehouse, Bruno Mars, Dua Lipa e Miley Cirus.

Agora chegou a vez do produtor lançar seu próprio som, repleto de mistura de disco music e house dos anos 90. Ao lado de Diplo, Mark Ronson criou a dupla Silk City, que já tem o novo single ‘New Love’ com voz da cantora pop Ellie Goulding.

Em entrevista ao G1, a dupla falou sobre esse resgate do disco music em seus trabalhos, sobretudo na produção de ‘Eletricity’, sucesso de Dua Lipa que influenciou seu álbum ‘Future Nostalgia’, um dos melhores álbuns pop de 2020:

“Eu não sei, o que é doido é que agora que sou velho o suficiente, lançando discos desde os meus vinte e poucos, eu vi a disco ir e voltar várias vezes. Quando comecei era o Puff Daddy sampleando todos os singles. Teve Daft Punk, vi tantos ciclos. Mas disco para mim é uma dance music para cima, generosa para a alma, quando você ouve te levanta. Quando é bem feito, nunca fica velho”, disse Mark Ronson.

Diante do sucesso nas paradas musicais com ‘Eletricity’, a cantora repetiu a pegada disco em seu novo álbum, e desde então tem se destacado no mercado musical:

“Essa música a gente tentou fazer uma canção dance clássica e acho que conseguimos”, disse Diplo. “Quando eu e Mark entregamos uma faixa de dance music para um cantor, a gente fica esperando eles tocarem ao vivo. Porque pode não ser o maior hit deles, mas quando eles levam para um festival, um show grande, eles percebem uma coisa: é fácil fazer singles pop. O público curte, acende as luzinhas”.

“Mas quando você vê eles dançarem de verdade, 20 mil pessoas dançando na sua frente, a energia é insana, isso te vicia. Aí eles falam: agora só quero lançar singles de dance music. Eu acho que foi isso que aconteceu com a Dua. Ela provavelmente viu isso. Ela não tinha músicas desse tipo”, completou o Dj.

Vale notar que apesar da matéria não mencionar, outros produtores como Ian Kirkpatrick e Stuart Price (que produziu ‘Confessions on a Dancefloor’ de Madonna) também participaram da produção de Future Nostalgia e merecem o mérito da volta da era disco.

O que mais impressiona, é o sucesso de singles dançantes mesmo na pandemia, quando as pessoas continuam impedidas de ir às baladas e em shows presenciais. Para isto, Mark lembrou que as pessoas querem dançar em casa e se divertir com aplicativos como o TikTok. Um movimento que produtores brasileiros também fazem:

‘Mesmo que clubes, festivais, todos esses lugares estejam parados, por várias razões as pessoas ainda precisam dançar, precisam liberar energia mais do que nunca. O Tik Tok mostrou que é óbvio que as pessoas estão dançando nas suas salas de casa, nos seus quartos, coreografando as músicas”, contou Ronson.

“Músicas tipo “Dancing on my own”, da Robyn, estão tendo essa incrível audiência de pessoas nas suas camas ou sei lá onde. O Silk City, claro, ama a ideia de poder tocar em grandes festivais. E vamos fazer isso quando der. Mas isso não muda o fato de que as pessoas precisam uma alegria, e dançar ajuda, seja na cozinha ou em qualquer lugar”, finalizou o produtor.

 

Mark Ronson, Diplo e Dua Lipa na gravação de ‘Electricity’ — Foto: Reprodução / Instagram

Leia na origem

TIKTOK E UNIVERSAL MUSIC ASSINAM ACORDO DE LICENCIAMENTO GLOBAL

Agora o TikTok possui acordos de licenciamentos com as três maiores gravadoras do mundo. Acordo com a Universal trará novos recursos para os usuários, além de beneficiar artistas do seu catálogo.

Começamos a semana com o anúncio do novo acordo de licenciamento entre o TikTok e a Universal Music.

Conforme relata o Music Business Worldwide, o novo acordo global beneficiará uma compensação equitativa para artistas e compositores da gravadora, expandindo significativamente o relacionamento entre as duas empresas.

Além de poder adicionar vídeos do catálogo da Universal em sua plataforma, o TikTok confirmou que a parceria trará novos recursos para os usuários.

Em novembro do ano passado, o TikTok já havia fechado um acordo com a Sony Music, bem como com a Warner Music em dezembro, e só faltava a Universal para concluir os licenciamentos com as maiores gravadoras do mundo.

Vale notar que a novidade chega poucos dias após a Universal Music  retirar seu catálogo do maior rival do TikTok, o Triller. A gravadora acusava o aplicativo de reter pagamentos à seus artistas.

Em um comunicado, Michael Nash, vice-presidente executivo de estratégia digital da Univesal Music disse que a parceria irá trazer muitas novidades: “UMG e TikTok agora trabalharão mais próximos do que nunca para promover experimentação, inovação e colaboração ambiciosas – com o objetivo comum de desenvolver novas experiências musicais e recursos.

“Impulsionando conexões novas e mais profundas com os fãs, este acordo oferece uma compensação equitativa para nossos artistas e compositores, bem como um compromisso de desenvolver ferramentas líderes da indústria, ideias de A&R e modelos necessários para avançar em suas carreiras.”, continuou.

Marc Cimino, COO da UMPG, disse: “Esta aliança é um exemplo de toda a indústria de empresas de mídia social que reconhecem, respeitam e recompensam os criadores de música cujas músicas são fundamentais para suas plataformas. Agradecemos a parceria de Tik Tok e esperamos trabalhar juntos para fornecer suporte e oportunidades para nossos compositores”.

 

Leia na origem

Gravadoras veem mídias sociais como oportunidade de novos negócios

Acordo entre Warner Music e TikTok é o mais recente de uma série de pactos entre gravadoras e plataformas sociais para atrair novos negócios milionários.

A Warner Music anunciou, na última semana de 2020, que firmou um acordo com o TikTok para licenciar músicas em troca de taxas de royalties maiores. Após anos de luta contra gigantes da tecnologia, chegou a vez das gravadoras se unirem às redes sociais para atrair novos negócios milionários.

Segundo o CEO da Warner Music, Steve Cooper, com a parceria a gravadora espera gerar centenas de milhões de dólares por ano. Os termos do pacto não foram divulgados.

De acordo com matéria da Bloomberg, no ano passado, grandes empresas do mercado musical também assinaram acordos de licenciamento com as três das maiores plataformas de mídia social, Facebook, TikTok e Snapchat.

A pandemia foi um dos principais fatores que contribuiu para os acordos entre gravadoras e mídias sociais. Afinal, foi através dessas plataformas que elas conseguiram equilibrar um pouco as perdas das vendas durante a pandemia, que continua fechando lojas e impedindo as turnês de shows no mundo todo.

“Parece que vimos anos de mudança e evolução no decorrer de alguns meses”, disse Oana Ruxandra, diretora digital da Warner Music (foto). “Queremos garantir que haja valor para nossos artistas em todas as áreas, e o objetivo é garantir que eles ganhem dinheiro para viver suas vidas.”

Ruxandra ingressou na Warner Music há dois anos e está mudando a forma como a empresa lida com as novas tecnologias. Anteriormente, as gravadoras costumavam culpar a internet e empresas de tecnologia como Google e Apple pelo seu declínio, à medida que a pirataria e a audição online dizimaram as vendas de CDs, que antes eram a principal fonte de renda da indústria.

Com o surgimento de outros participantes, incluindo Spotify e Pandora, as empresas do mercado musical continuaram a ver a tecnologia como um grade vilão, uma vez que esses serviços, muitas vezes enriqueciam às custas de seu trabalho. Inicialmente, a mídia social era ainda pior. YouTube, Facebook, Snapchat e TikTok do Google, todos hospedaram vídeos de usuários com música sem pagar nada.

Esta dança continuou se repetindo por um bom tempo. No entanto, à medida que as empresas de mídia social foram se desenvolvendo e criavam novos recursos para conquistar cada vez mais, foi necessário traçar laços mais estreitos com a indústria musical.

O TikTok, de propriedade da empresa chinesa ByteDance, licenciou músicas que datam da época em que era conhecido como Musical.ly. Entretanto, gravadoras, artistas e compositores sentiram que estavam sendo enganados, visto que o TikTok era um dos aplicativos mais populares do mundo, ostentando mais de 600 milhões de usuários. Os novos acordos devem amenizar várias questões, pois o impacto da mídia social nos negócios é imenso, tanto em termos de receita quanto de promoção, de acordo com Ole Obermann, chefe global de música da TikTok.

Agora que as redes sociais estão começando a remunerar pelo uso de música, o próximo passo das gravadoras é explorar novas indústrias, como games e mundo fitness.

Para o portal, ainda não está claro se esses esforços decolarão ou serão pontuais, mas as gravadoras estão cada vez mais abertas a novas ideias: “Estamos experimentando porque vemos negócios reais lá”, disse Ruxandra.

 

Imagem: divulgação

Leia na origem

POR QUE OUVIMOS FALAR TANTO SOBRE O TIKTOK EM 2020?

Matéria de @nytimes

Matéria do NY Times explica porque negócios, entretenimento, notícias, ativismo e conexão social nunca mais serão os mesmos, após o grande destaque do TikTok durante o ano de 2020.

O New York Times publicou uma matéria sobre o Tiktok, especificando como o aplicativo se tornou tão popular, principalmente em 2020, ano marcado pelo início da pandemia do coronavírus.

Apesar de ter chegado nos Estados Unidos apenas em 2018, foi em abril de 2020, auge da primeira alta de casos na pandemia, em que o TikTok alcançou a marca de 2 bilhões  de downloads, e desde então vem cada vez conquistado jovens e adultos do mundo todo. Mas o que contribuiu para que o app se tornasse tão famoso no ano passado? O NY Times mencionou alguns motivos bem interessantes:

 

Virou o entretenimento de ponta-cabeça:

A indústria do entretenimento foi a mais impactada pela ascensão do TikTok. Isso porque seus recursos favorecem o surgimento de novas pessoas influentes. Só para ter uma noção, no “Para Você”, um feed é programado por algoritmos para recomendar conteúdo de acordo com o gosto do usuário, sem precisar estar seguindo o criador de conteúdo.

O aplicativo também revigorou a indústria musical e se tornou um lugar para descobrir talentos, divulgar e produzir novas músicas de forma colaborativa. Foram várias as canções que se tornaram virais na plataforma, como “Dreams” de Fleetwood Mac que voltou aos holofotes graças a um vídeo compartilhado por um influencer (foto) da plataforma.

 

Moldou o comportamento de compra

Assim como o entretenimento, a moda e varejo foram impactados positivamente pelo aplicativo, uma vez que ao longo de 2020 vários TikTokers apareceram em campanhas para grandes marcas como Louis Vuitton e Prada.

Enquanto várias cidades entraram em lockdown, o comércio do mundo todo viu o TikTok como uma nova vitrine e aproximação de clientes. Durante a pandemia, grande marcas e pequenos empreendedores correram para o TikTok para promover vídeos de seus produtos e aumentar os pedidos online.

 

Ofereceu uma visão das linhas de frente

O TikTok também desempenhou um papel fundamental na saúde pública mundial. Enfermeiros, médicos e outros profissionais de saúde da linha de frente usaram o aplicativo para falar sobre os riscos de contrair Covid-19, explicar a importância do uso de máscara e quebrar a desinformação sobre vacinas.

Pacientes com coronavírus e também outras doenças, compartilharam vídeos sobre suas jornadas e experiências enquanto estavam hospitalizados, e puderam se conectar com o mundo exterior.

 

Ajudou as pessoas a se organizar e se manifestar

À medida que o movimento Black Lives Matter ganhou apoio de todos, o TikTok se tornou um espaço onde jovens ativistas podiam falar sobre a brutalidade policial, o que significa ser um aliado para a reforma da justiça criminal, bem como a própria relação do aplicativo com os criadores negros.

 

Ajudou as pessoas a permanecerem conectadas

Com escolas fechadas, professores e alunos se conectaram no TikTok. Os alunos puderam participar de aulas transmitidas ao vivo, ajudando uns aos outros compartilhando tarefas e hacks de aprendizagem online. Em junho, o TikTok lançou uma iniciativa e disse que trabalhará em parceria com centenas de especialistas e instituições para produzir conteúdo educacional na plataforma.

 

Foto: Mega/Getty Images

Leia na origem

TikTok renova acordo a Sony Music

Acordo com o Tiktok trará maior remuneração e destaque para artistas da gravadora nos EUA.

Nesta segunda-feira, a Bloomberg publicou que a TikTok renovou seu acordo de licenciamento com a Sony Music. De acordo com o portal, o novo acordo prevê o uso de músicas, maiores valores de remuneração, e maior destaque para os artistas da gravadora no aplicativo que é o favorito da galera jovem.

O acordo tem sido negociado há meses, um período marcado principalmente pela ameaça do presidente Donald Trump de banir o aplicativo nos EUA. Na sexta-feira, um juiz federal da Pensilvânia bloqueou uma ação do governo americano que fazia uma série de restrições sobre o uso do TikTok no país.

Mesmo durante as tensões, o acordo com a Sony Music, só mostra que o mercado musical confia no aplicativo, que se tornou vital para os negócios da música.

Recentemente, o TikTok tem impulsionado a popularidade de artistas da Sony Music, como “Break My Stride” de Matthew Wilder,  “Say So” de Doja Cat e “Mood” de 24kGoldn.

“Se você pensar sobre o número de artistas que explodiram no TikTok nos últimos 12 meses para a Sony, é uma lista muito grande”, disse Obermann, chefe de música global da TikTok, que tem se destacado muito por realizar novas parcerias com gravadoras e artistas.

 

Foto: Reprodução

Leia na origem

TikTok instala painel para jogadores comemorarem gol durante a Copa do Brasil

Matéria de MKT Esportivo

Painel instalado pela TikTok durante a Copa do Brasil, permite que jogadores façam vídeos com dancinhas pra comemorar gol e compartilhar momento com os torcedores.

De olho no futebol brasileiro, a TikTok como patrocinadora oficial da Copa do Brasil, instalou um painel para que jogadores possam comemorar seu gol.

A ideia é chamar atenção do  público, ausentes nos jogos por conta da pandemia. Assim, a cada gol, o jogador pode ir até o painel, fazer uma dança e celebrar a vitória para que o vídeo seja compartilhado pelos torcedores no TikTok.

Segundo o MKT Esportivo, o painel ficará até o fim do torneio, sendo que a melhor comemoração receberá um prêmio em dinheiro para ser doado a um projeto social.

“Mesmo nesse momento, que pede o distanciamento social, o TikTok tem sido uma ferramenta que aproxima as pessoas daquilo que elas mais amam e com o futebol não seria diferente. Por isso, fizemos essa parceria com a Copa do Brasil para encurtar essa distância e tentar levar ao fã do esporte um pouco daquela emoção do estádio. Tudo isso, claro, esbanjando criatividade e bom humor. A ação ainda irá ajudar a quem precisa”, disse em Kim Farrell, diretora de marketing do TikTok para a América Latina, em um comunicado.

Foto: divulgação

Leia na origem

Vídeo de skatista leva música de Feetwood Mac de volta às paradas

Saiba como o vídeo do influencer DoggFace fez uma faixa da banda Fleetwood Mac chegar a milhões de plays.

Após postar vídeo, influencer leva música de Fleetwood Mac a alcançar milhões de streams em uma semana.

Quem diria que um vídeo, simples, apenas mostrando o influencer Doggface bem ‘vibes”, andando de skate por uma rodovia, e tomando um suco no gargalo ao som de “Dreams”, poderia render tanto para a banda Fleetwood Mac (ASSISTA AQUI).

Com mais de 5 milhões de views no Instagram, o vídeo se tornou viral pelas redes sociais do influencer, que chegou a 1 milhão de seguidores. E claro, o resultado acabou impactando nas vendas da banda de rock.

De acordo com o Tenho Mais Discos Que Amigos, entre 25 e 27 de Setembro, “Dreams” acumulou 2,9 milhões de streams só nos EUA e 3 mil vendas digitais de download, o que representa aumentos de respectivamente 88,7% e 374% em relação a períodos anteriores.

Não existe um motivo para que o vídeo tenha se tornado viral, afinal ele é apenas um vídeo que transparece a ideia de ficar “de boas”. Entretanto, mais do que comprova a teoria de que não existe receita para fazer sucesso e se tornar viral na internet.

 

Foto: reprodução

Leia na origem

TIKTOK SERÁ BANIDO DOS ESTADOS UNIDOS A PARTIR DESTE DOMINGO

Os aplicativos WeChat e TikTok receberão medidas restritivas nos Estados Unidos. Medida do governo americano pretende proteger segurança nacional.

Nesta sexta-feira (18) o Departamento de Comércio dos EUA divulgou, através de um comunicado, que a partir deste domingo (20) bloqueará os downloads dos aplicativos chineses WeChat e TikTok (Via Music Business Worldwide).

Para o Governo, a medida visa proteger a segurança nacional do Estados Unidos de ameaças do Partido Comunista da China.

Nos últimos meses, o governo americano tem declarado que os aplicativos We Chat e TikTok são suspeitos de espionagem: “O Partido Comunista Chinês (PCC) demonstrou os meios e motivos para usar esses aplicativos para ameaçar a segurança nacional, a política externa e a economia dos EUA”, informou o comunicado do departamento.

Com a medida, além de banir os aplicativos do país, atualizações e funções financeiras também serão proibidas. A declaração afirma ainda que os aplicativos terão até o dia 12 de novembro para resolver as questões de segurança.

“Embora as ameaças apresentadas pelo WeChat e TikTok não sejam idênticas, são semelhantes. Cada um coleta vastas faixas de dados de usuários, incluindo atividade de rede, dados de localização e históricos de navegação e pesquisa. Cada um é um participante ativo na fusão civil-militar da China e está sujeito à cooperação obrigatória com os serviços de inteligência do PCCh. Essa combinação resulta no uso de WeChat e TikTok, criando riscos inaceitáveis ​​para nossa segurança nacional.”, acrescenta o comunicado.

Um porta-voz da TikTok emitiu a seguinte declaração em resposta a esta notícia:

“Discordamos da decisão do Departamento de Comércio e estamos desapontados por ele bloquear os downloads de novos aplicativo”.

“Nossa comunidade de 100 milhões de usuários nos Estados Unidos ama o TikTok porque é um lar para entretenimento, autoexpressão e conexão, e estamos comprometidos em proteger sua privacidade e segurança enquanto continuamos trabalhando para levar alegria às famílias”.

“Continuaremos a desafiar a ordem executiva injusta, que foi promulgada sem o devido processo legal e ameaça privar o povo americano e as pequenas empresas em todos os EUA de uma plataforma significativa para voz e meios de subsistência.”

 

foto: reprodução

Leia na origem

TikTok fecha parceria para distribuir músicas diretamente em serviços de streaming

Matéria de VEJA

A parceria permitirá à artistas que viralizaram no TikTok, inserir suas músicas nas plataformas de streaming com mais agilidade e menos custos pela UnitedMasters.

No meio de tantas notícias sobre a venda do TikTok e uma grande campanha de Donald Trump contra o aplicativo, a ByteDance anunciou na última semana um novo acordo com a United Masters para distribuir músicas do TikTok em serviços de streaming.

De acordo com o TechCruch, com o acordo, artistas independentes poderão enviar seus hits virais no TikTok direto para os serviços de streaming, como o Spotify e Apple Music, usando o plano da United Masters de U$5 por mês, ou optarem pelo desconto sobre os royalties.

Segundo a Veja, a novidade facilitará que artistas que viralizaram no aplicativo de vídeos possam inserir suas músicas de forma mais rápida nos serviços de streaming, sem precisar assinar com uma gravadora. Não foi revelado se a novidade deve rolar no Brasil.

A UnitedMasters é uma empresa de distribuição fundada pelo ex-presidente da Interscope Records, Steve Stoute. A empresa permite que músicos (especialmente os iniciantes) disponibilizem suas músicas em serviços de streaming pagando taxas melhores pelo serviçõ de distribuição . Além disso, o selo disponibiliza aos artistas ferramentas analíticas, CRM e parcerias com a ESPN e NBA.

Vale notar que este pode se um dos últimos acordos negociados pela ByteDance nos Estados Unidos, já que o presidente Donad Trump determinou que o TikTok seja vendido por violar leis de segurança e privacidade dos usuários.

 

Foto: reprodução

Leia na origem

©2021 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?