Em Festival Literário, rapper brasileiro inovou ao inserir suas poesias em tubos de drogas para incentivar a leitura entre os mais jovens.

Durante o Festival Literário de Votuporanga (Fliv), o rapper Renan Inquérito inovou ao distribuir poesia em tubos de drogas para despertar o ‘vício em leitura’.

A partir da frase “traficar informação”, usada popularmente no rap, Inquérito resolveu inserir suas poesias em tubos que normalmente são usados pelos traficantes para embalar drogas. Os chamados de “Pinos Poéticos” foram distribuídos em seu sarau no Fliv, que rolou no início de Janeiro.

A ideia dos “Pinos Poéticos” pode parecer polêmica, mas foi a maneira em que o artista encontrou para incentivar a leitura e divulgar seu trabalho, principalmente entre o público mais jovem.

“Eu sempre começo o sarau anunciando no megafone: Vendo pó, vendo pó…esia! Por isso, a relação com os pinos, que também são usados para vender cocaína, conhecida como “pó”, contou Inquérito ao G1.

A ideia funciona com o público de todas as idades, inclusive crianças: “Muitas infelizmente já tiveram contato com drogas, mas passam a associar o objeto com algo positivo, com poesia dentro, e não necessariamente como invólucro para drogas. Não vejo problemas em dá-los às crianças, muitas vezes distribuímos para bem pequenas e elas não fazem conexão”, comentou o rapper.

As poesias das cápsulas fazem parte do livro #PoucasPalavras, lançado pelo Inquérito em 2011, de maneira independente e que já está em sua 5ª edição:

“O conteúdo traz fragmentos das minhas composições, porém exploradas de forma diferente do CD. No papel pude abusar dos recursos visuais e do concretismo, fazendo link com a internet e com o twitter, por exemplo”, conta Renan.

“Me sinto honrado em poder disseminar a poesia em um país onde a maioria das pessoas infelizmente não tem o hábito da leitura, creio que o fato de ser cantor de rap ajudou bastante, sobretudo na aproximação do público mais jovem, que já conhecia minhas músicas”, continuou o rapper.

Foto: Marcio Salata

Tags:

Leia na origem

©2020 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?