Mais uma vez, o cantor Tiago Iorc entra em conflito com seu ex-empresário, que agora o processa por danos morais e quebra de contrato. Empresário pede ainda, retratação por difamação de sua carreira.

Parece que Tiago Iorc está longe de chegar a um acordo com seu ex-empresário Felipe Simas. Desta vez, o empresário está processando o cantor, pedindo mais de R$670 mil de indenização por danos morais e uma retratação por difamação de sua carreira.

De acordo com as informações exclusivas do portal O Dia, Felipe Simas está acusando Tiago Iorc de romper um contrato de gerenciamento de carreira por 10 anos, sem justificações e aviso prévio. Além disso, o empresário acusa o cantor de difamar seu trabalho como empresário, através de vídeos “ofensivos” a ele nas redes sociais.

Uma das grandes questões da ação é que o acordo entre o artista e Simas foi realizado apenas de maneira verbal. Mesmo assim, o empresário alega que ele foi o grande responsável pelo sucesso de Tiago e que sempre confiou no artista:

“Felipe nunca havia exigido um contrato formal de agenciamento artístico, tendo pactuado sua remuneração e demais condições de trabalho de forma verbal, e essa modalidade funcionou muito bem durante 9 anos, até o momento em que o Tiago resolveu descartar o Felipe como seu agente artístico, sem aviso prévio, sem maiores explicações e sem pagar pelos valores legalmente devidos”, relata a  defesa de Simas na ação.

No processo, a defesa do empresário relata ainda que um dos principais motivos que levaram o rompimento entre os dois, foi a interferência de Edson Iorczeski, pai do cantor. Apesar de não fazer parte da ação, Simas afirma que Edson retirou seu nome de um importante contrato entre o artista com a Universal Music. No caso, a parceria foi assinada por uma nova empresa criada por pai e filho.

 “Tiago seguiu em frente e ignorou seu parceiro de 9 anos e seu sócio, e assinou o Contrato de Parceria (com a Universal Music) através da empresa da qual é sócio com seu pai, Edson. Edson fez uso abusivo dos poderes que recebeu, para beneficiar seu filho no encerramento abrupto e não formalizado apropriadamente da relação de 10 anos que manteve com o Felipe. Tiago seguiu em frente e ignorou seu parceiro de 9 anos e seu sócio”, alega o empresário.

Com relação a parte em que Simas acusa Tiago Iorc por difamação, vale notar o caso que ganhou grande repercussão na internet, quando a dupla AnaVitória ficou impedida de lançar uma regravação de seus maiores sucessos, pois Tiago, como compositor, não autorizou o seu uso. Na época, o artista alegou em suas redes sociais que Simas, mesmo empresário das meninas, estaria prejudicando sua carreira e agindo de má fé. E por isso, não poderia liberar as músicas.

Agora, a defesa de Felipe Simas está solicitando que Tiago remova os vídeos sobre o assunto  nas redes sociais, sob multa diária de R$ 5.000,00, em caso de desobediência. Além de uma indenização de R$ 671.558,41 por ressarcimentos.

Tiago Iorc se defende…

Conforme noticiado pelo portal, a defesa de Tiago Iorc se posicionou a respeito das acusações realizadas por Felipe Simas, argumentando que o sucesso do artista se deu graças à descoberta pela Som livre, negando a existência de um contrato de agenciamento e de rescisão “imotivada” com o empresário.

O cantor afirma que por diversas vezes foi “sabotado” por Simas, que o procurou inicialmente para representá-lo no exterior, com o intuito de se autopromover à suas custas. Iorc diz que sua parceria com Simas envolve apenas a sociedade da Empresa Forasteiro, “inexistindo contrato paralelo a ser reconhecido, como pretende Felipe”.

Em suma, o contrato previa uma multa de R$10.000,00 por show que o Tiago não realizasse para a som livre. Durante a vigência do contrato, Tiago deixou de realizar 13 shows por orientação de Felipe Simas, baseado na estratégia de que seria mais viável e lucrativo para a sociedade eles pagarem a multa e fazerem os próprios shows. Ocorre que, após o encerramento do contrato, a multa no valor de R$130.000,00 foi paga exclusivamente pelo Tiago, resultando em benefício para o autor, tendo em vista que não foi a Forasteiro que arcou com o pagamento da multa, quando deveria ter sido” .

Tiago relatou outro fato em que saiu prejudicado pelo empresário, quando o mesmo rejeitou uma grande proposta pela Renner, por haver conflito com um outro contrato com a Gucci, porém o artista afirmou que acordo sequer existiu.

 

Foto: Reprodução

Tags:

Leia na origem

©2020 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?