Warner confirma que já faturou 400 milhões de dólares nas ações do Spotify.

Warner confirma que já arrecadou 400 milhões de dólares nas ações do Spotify.

A Warner Music confirmou que vendeu 75% das ações que conseguiu através de acordos de licenciamento com o Spotify.

Com o acordo de licenciamento outras grandes gravadoras conseguiram ações no Spotify. Agora que o serviço de streaming está na Bolsa de Valores de Nova York chegou a hora de tentar conseguir algum lucro com isso.

A Sony Music logo no primeiro dia de negociação vendeu algumas de suas ações e agora está só com a metade. No total foram cerca de US$750 milhões arrecadados. Enquanto isso, a Warner arrecadou cerca de US$400 milhões, vendendo quase três quartos de sua participação.

Essa corrida para vender ações não significa pessimismo por parte das gravadoras. Stephen Cooper, CEO da Warner, explicou que a gravadora está planejando no curto prazo e as vendas das ações não tem nada a ver com a visão do futuro do Spotify.

“Estamos otimistas em relação ao crescimento de assinaturas. Sabemos que ele acaba de começar a cumprir seu potencial em escala global. Esperamos que o Spotify continue a desempenhar um papel importante nesse crescimento”, disse ele.

Cooper também falou sobre o compromisso da Warner de dividir os lucros com os artistas.

Leia na origem

COM A PALAVRA, AS GRAVADORAS

Presidentes da Warner Music Brasil, Universal Music Brasil e Sony Music Brasil se encontraram em um debate na Rio2c.

No dia 05/4, durante a Rio2c – Rio Creative Conference – houve um debate entre os presidentes das principais gravadoras brasileiras.

Estavam presentes Sergio Affonso, presidente da Warner Music Brasil, Paulo Junqueiro, presidente da Sony Music Brasil, e Paulo Lima, presidente da Universal Music Brasil.

No debate mediado pelo diretor da UBC, Marcelo Castello Branco, os presidentes responderam à perguntas como os desafios que as gravadoras têm enfrentado perante a insatisfação dos artistas sobre as métricas de pagamento, o atual papel do A&R, os critérios utilizados para contratar ou descartar um artista, o papel que a música brasileira pode ocupar no mundo com a globalização e a diferença entre as distribuidoras e os agregadores. O debate completo encontra-se na página da União Brasileira de Compositores.

Leia na origem

Enquanto projeto pretende criminalizar o funk, artistas do gênero fecham mega-acordo com grande gravadora

Matéria de @portalr7

Warner Music realiza projeto que contribuirá para o crescimento do funk.

Warner Music e a RW se reuniram nesta semana para que os MC’s Lan, Fioti e Mirella firmassem o projeto que contribuirá para o crescimento do funk.

No entanto, o empresário Marcelo Alonso criou uma proposta para criminalizar o gênero. O pedido já possui mais de 20 mil assinaturas e foi encaminhado para a relatoria do senador Cidinho Santos (PR) na CDH (Comissão dos Direitos Humanos e Legislação Participativa).

Leia na origem

Universal Gets To Peek at Warner’s Contract With Prince

Matéria de Billboard

Universal Music ganha ação judicial para ter acesso ao contrato de Prince com a Warner Music.

Após realizar um acordo sobre os direitos de músicas do cantor Prince, a Universal Music tem pressionado um reembolso de 31 milhões de dólares, pois a Warner Music já possui acordos sobre o catálogo do artista e isso causaria um grande conflito entre as partes.

Em uma ordem judicial na sexta-feira (16 de junho), um juiz concedeu o acesso da Universal Music ao contrato realizado em 2014 entre a Warner Music e a estrela pop. Segundo a Billboard, este documento é confidencial e a Universal Music não teve acesso antes de fechar o acordo.

O documento deve permitir que a Universal Music determine a validade de seu próprio contrato de licenciamento, um dos três que assinou com a propriedade de Prince, que morreu em abril por overdose.

Leia na origem

WARNER CLAIMS MAJORITY SHARE OF 2016’S BIGGEST-SELLING ALBUMS TOP 50

Warner Music comemora posto de primeiro lugar ao lançar os álbuns mais vendidos do mundo em 2016.

A análise foi realizada pelo site MBW segundo os dados do relatório da IFPI, o “Global Music Report”. Foram avaliados quais LP’s venderam mais unidades físicas e downloads (não incluindo streaming) em todo o mundo em 2016.

O maior vendedor foi o “Lemonade” de Beyoncé (Columbia), foram 2,5 milhões de cópias. Em seguida vem  Adele, com o album “25”, rendendo 2,4 milhões. Drake ficou em terceiro lugar, com vendas de 2.3m.

A Warner lançou álbuns de artistas consagrados como David Bowie e Prince (Prince’s Very Best Of ). Bowie ficou em 14º lugar e Prince em 32º. No entanto, os maiores lançamentos no Top 50 encontraram-se artistas mais novos como Bruno Mars (24k Magic, 7º), Twenty one Pilots, (Blurryface, em 8º) e Coldplay (A Head Full of Dreams, em 9º).

Mesmo os rivais da Warner não poderiam negar que foi um desempenho impressionante da terceira maior gravadora do mercado global.

Leia na origem

Warner Music Sells Digital Distributor Zebralution

Matéria de Billboard

Distribuidora digital europeia, Zebralution, se torna independente novamente ao deixar Warner Music Group.

Nesta segunda foi anunciado que os fundadores da distribuidora digital europeia Zebralution conseguiram a recompra da empresa. Com isso a empresa deixa de oferecer seus serviços a Warner Music Group e se tornará novamente independente após 10 anos. Não foram divulgados valores.

Bernd Dopp, presidente da Warner Music Central Europe  disse estar satisfeito com a Zebralution e pretende continuar trabalhando com a empresa futuramente.

Fundada em 2003, a Zebralution distribui seu catálogo de mais de 500.000 faixas, álbuns e vídeos para centenas de serviços digitais em todo o mundo. Ela foi vendida à Warner em 2007.

Leia na origem

©2018 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?