Cobrança de direitos autorais no audiovisual é removida

Matéria de Folha de S.Paulo

Entidades que representam autores, diretores e atores não poderão mais recolher taxa sobre direitos autorais.

A Secretaria Especial de Cultura, subpasta do Ministério da Cidadania, suspendeu o recolhimento de três taxas referentes a direitos autorais no audiovisual.

Com a decisão, as entidades Gedar (Gestão de Direitos de Autores Roteiristas), DBCA (Diretores Brasileiros de Cinema e do Audiovisual) e InterArtis (intérpretes), não poderão cobrar valores por uma exibição de obra audiovisual em TV e cinema.

De acordo com a Folha de São Paulo, os maiores beneficiados pela decisão serão as entidades que representam as salas de cinema e canais de TV, que anteriormente, já havia entrado com recurso para reverter a autorização concedida pelo extinto Ministério da Cultura. A decisão também entrará em recurso pelas entidades que representam autores, diretores e atores, que podem à Justiça caso não sejam atendidas.

 

Foto: Glória Pires, atriz e presidente da associação de atores InterArtis – Divulgação

Leia na origem

Globosat e Som Livre passarão a se chamar apenas Globo em 2020 –

Matéria de Telepadi

Os nomes Globosat e Som Livre, assim como seus CNPJs, vão sair de linha a partir de 1º de janeiro de 2020. O Grupo Globo caminha a passos largos para o pla

A Globosat e Som Livre terão seus nomes e CNPJ’s alterados para Globo. Segundo a coluna TelePadi do portal do jornal Folha de São Paulo, a unificação veio após uma consultoria internacional realizada no ano passado.

A mudança deve ocorrer a partir do início de 2020, com duração de três anos. A unificação das empresas não incluirá o InfoGlobo, responsável pela publicação dos veículos impressos do grupo e o Sistema Globo de Rádio.

O anúncio foi realizado durante uma entrevista com Jorge Nóbrega, presidente do Grupo Globo a João Luiz Rosa, do jornal “Valor Econômico”.

“Daqui a algum tempo não teremos mais empresas separadas… Vamos ter uma só Globo. E a Globo será uma empresa de muitos serviços”, disse Nóbrega explicando que tanto a TV aberta e fechada “já não têm fronteiras entre si porque o conteúdo, independentemente da origem, tornou-se passível de ser oferecido diretamente ao consumidor”. “Tudo o que separávamos antes agora é uma coisa só. Então, não faz sentido ter empresas separadas”.

De acordo com a reportagem, a unificação vai ocorrer entre as companhias da Globo Comunicação e Participações, reunindo a Rede Globo, Globosat, Som Livre, Globo.com e Globoplay.  

Com relação às receitas da empresa, o “Valor” informou que o conglomerado encerrou 2018 com receita líquida de R$14,7 bilhões e um adicional de R$10 bilhões em caixa. Sua dívida bruta ficou em R$ 3,37 bilhões. O resultado não incluiu a Editora Globo e o Sistema Globo de Rádio.

As mudanças no grupo Globo vem de encontro ao advento dos serviços de streaming, como a Netflix e Amazon Go. Entre elas, está a mudança nos pacotes de compra de canais. Um espectador que possui interesse em assinar canais de futebol e filmes, poderá adquirir apenas os dois pacotes sem ter que adicionar canais extras.  

Nóbrega disse que a Globo se destaca por ser a única a oferecer canais em diversos segmentos. Atualmente o grupo oferece a GloboPlay, canais pagos como GNT, Multishow, Off, Gloob, SporTV e a Rede Telecine, em sociedade com os maiores estúdios de cinema.

Durante a entrevista, Nóbrega falou sobre outras novidades que fazem parte da estratégia da empresa. Uma delas é a construção de um grande banco de dados que deve fornecer a empresa maior conhecimento sobre seu público.

A Globo também está focando em simplificar sua estrutura, demitindo funcionários, para ganhar uma sinergia maior e aproveitar suas competências. A decisão veio após a consultoria internacional.

“Não podemos ter três ou quatro centros de realidade aumentada. Vou ter um só, mas extremamente competente nessa tecnologia.”, afirmou Nóbrega.

Leia na origem

Como o Apple TV+ pode destruir a Netflix

Matéria de CCN

Embora tenha chegado um pouco tarde, o Apple TV+, novo serviço de streaming de video e TV da Apple tem tudo para desbancar a Netflix. O portal CCN contou como a Apple conseguiu reinventar produtos e serviços de forma inovadora, mostrando que o mesmo pode acontecer com o novo serviço de streaming de TV. Melhor a Netflix ficar bem atenta com a novidade.

Para competir com a Netflix, Apple lançou um novo serviço de streaming de filmes e TV, o Apple TV+ recheado de novidades e produções próprias. Em resposta, os executivos da Netflix riram da ameaça, brincando que a Apple está “muito atrasada para o jogo”. Mas olhando seu histórico é melhor a Netflix tomar cuidado.

Já é uma prática comum da Apple entrar no jogo tardiamente, mas sempre que faz consegue, em questão de tempo, destruir a concorrência. O portal CCN contou como a Apple conseguiu reinventar produtos e serviços de forma inovadora, mostrando  que o mesmo pode acontecer com o o Apple TV+.

  1. Smartphones: Fato que a Apple não deu origem a novas tecnologias, como o o iPhone, o iPad, o MacBook e o iPod. O iPhone não foi o primeiro smartphone no mercado. A IBM lançou um smartphone em 1992, quinze anos antes de um iPhone ser colocado à venda. O Blackberry venceu a Apple no mercado por cinco anos, apenas.
  2. Computador, tablet e MP3: A Apple não inventou o primeiro computador, smartphone ou smartwatch, mas mudou essas tecnologias para sempre. A Microsoft introduziu o computador pessoal anos antes da Apple, comandando 90% do mercado. Dez anos antes do lançamento do iPad, a Microsoft também lançou um tablet . O primeiro MP3 player chegou às bancas em 1997, quatro anos antes do iPod.
  3. Streaming : O serviço de streaming de música Apple Music foi lançado em 2015. O portal de tecnologia, The Verge, chegou a declarar uma análise: “a Apple esperou muito para entrar no streaming de música”. Entretanto, bastaram apenas três anos para que a Apple Music ultrapassasse os números de assinaturas do Spotify nos EUA.

Com relação ao o Apple TV+, para chegar ao mesmo número de assinantes da Netflix, basta que 10% dos dispositivos da Apple, assinem o serviço.

  1. Dinheiro: Além da tecnologia, a Apple tem US$257 bilhões em reservas de caixa (o suficiente para comprar a Netflix). Em comparação com o saldo negativo da Netflix de US$1,3 bilhão em fluxo de caixa.

Enquanto a Apple está começando com o investimento de US$2 bilhões em conteúdo original em seu novo serviço de streaming, a Netflix já gastou US$15 bilhões. Se os investimentos em conteúdo original da Apple crescerem, é bom a Netflix ficar atenta.

Outra variável que a Netflix não pode deixar de acompanhar é o preço pelo serviço. Afinal, o foco da Apple está sendo direcionado para os serviços, que podem ter preços reduzidos. Ultimamente  a Netflix tem aumentado os valores de assinatura.

  1. Segundo o portal, quem olha a Apple chegando agora nos serviços de streaming, mal sabe que antes mesmo de Steve Jobs morrer já havia planos para a TV. Em 2012, Tim Cook chegou a dizer que essa era uma área de grande interesse pela empresa. Agora Tim está apostando tudo no streaming. “Os executivos da Netflix não devem ser complacentes. Eles devem estar aterrorizados”, afirmou o CCN.

Leia na origem

Net e Claro passam a oferecer conteúdo da Netflix

Matéria de @meioemensagem

As operadoras Net e Claro anunciaram que a Netflix fará parte de seu pacote de conteúdo. Saiba como acessar.

De acordo com o Meio & Mensagem, os assinantes da Netflix que também possuem pacotes Net 4K e smartphones da Claro poderão ter acesso ao conteúdo da plataforma de streaming,  através do próprio decodificador, no canal 680 ou na área de aplicativos.

A parceria também facilitará uma integração na fatura. O usuário poderá assinar a Netflix pelo ambiente da Net e pagar a mensalidade na mesma fatura de TV por assinatura.

Para smartphones da Claro, o conteúdo da Netflix pode ser encontrado pelo serviço ExtraPlay, que permite dobrar a franquia de dados para o consumo de streaming de vídeo.

Vale lembrar que a Netflix também possui parceria com a Vivo, que desde outubro do ano passado disponibiliza conteúdo da plataforma em seu menu de aplicativos e janela de canal.

Leia na origem

Após acordo com Samsung, Apple passa a concorrer com Netflix e Amazon Prime

Matéria de O Globo

Quem diria que as concorrentes Apple e Samsung estariam trabalhando juntas! A parceria garantirá que sua nova plataforma de conteúdo da Apple esteja nos televisores da Samsung.

Em breve, o iTunes da Apple estará em aparelhos de TV da Samsung. Segundo a notícia, publicada no portal do O Globo, esta será mais uma parceria das empresas que já trabalham juntas há algum tempo. Apesar de ser rival no mercado de tablets, smatphones e computadores, a Samsung também fornece alguns componentes para a maçã.

“Não se trata de uma competição da Apple com a Samsung no mercado de televisores, mas a união do conteúdo da Apple com o hardware da Samsung”, analisou Celso Fortes, diretor executivo da agência digital Novos Elementos. “O usuário às vezes imagina a disputa entre as duas no mercado de smartphones, mas a verdade é que as empresas precisam gerar lucro e buscam oferecer a melhor experiência para o consumidor”, explicou.

Com previsão abaixo do faturamento, a empresa fundada por Steve Jobs, parece está mudando sua abordagem com foco em hardware e está começando a trabalhar com terceiros:

“Em vez de criar softwares para tornar seu hardware mais atraente, como tem sido o status quo, a Apple agora está permitindo seus serviços de software em hardwares de competidores”, afirmou Gene Munster, da Loop Ventures, um dos principais analistas da companhia de Cupertino. “Outros exemplos recentes disso incluem o Apple Music na loja de aplicativos Google Play, anunciado em novembro de 2015, e o suporte do Amazon Echo ao Apple Music, de dezembro de 2018”.

De acordo com o Globo, haverá novas parcerias. Uma delas já está confirmada, como o suporte ao AirPlay em televisores da LG, permitindo a transmissão de vídeos, músicas e jogos de aparelhos Apple para a TV.

Jorge Banda, especialista em efeitos especiais e estudante de pós-graduação em Gestão de Entretenimento na ESPM, disse ao portal que a decisão da Apple de trabalhar com terceiros está relacionada ao streaming de vídeo: “A Apple se viu obrigada a abrir, todos os concorrentes já estão com aplicativos nativos nos televisores. O serviço da Apple precisava de um acessório extra para funcionar, enquanto os outros [Netflix, Amazon Prime] já estavam dentro das TVs […] Agora que abriu, ela deve explorar o lado on-demand em todos os televisores. Talvez com o sistema da Google seja mais difícil, mas podem liberar o Apple Music, por exemplo”.

 

Sabia que o MCT também está no Instagram? Siga-nos : @mct.mus.

Foto: Thomas Peter/Reuters

Leia na origem

Deezer faz primeira campanha para TV nacional

A Deezer lançou nova campanha para ser exibida no horário nobre da TV aberta com participações de Ferrero, Ludmilla, Silva, Projota e outros para mostrar que a música está em todas as rotinas da vida.

A Deezer lançou na quarta-feira passada, 28, um novo comercial que será exibido no horário nobre da Tv aberta e canais sobre arte e entretenimento.

segundo o portal Meio & Mensagem, a nova campanha, nomeada “Home of Music”, é composta por quatro versões e mostra artistas como  Di Ferrero, Ludmilla, Silva, Projota e outros realizando tarefas cotidianas, para mostrar que a música e a plataforma estão em todos os momentos da rotina.

“Ter um filme em horário nobre na TV aberta e em canais que falam diretamente sobre arte e entretenimento faz com que um maior número de pessoas tome conhecimento dessa possibilidade de ouvir música via streaming. É facilitar o acesso à música a quem tinha outros hábitos, além de fortalecer a nossa marca em território nacional”, afirmou Bruno Vieira, diretor geral da Deezer no Brasil.

 

Foto: Youtube

Leia na origem

MinC habilita entidades que farão arrecadação no cinema

O Diário Oficial da União anunciou as entidades que serão responsáveis para arrecadar e distribuir os direitos autorais relativos ao setor do audiovisual no Brasil. Entretanto, as entidades ainda não sabem como serão realizados todos os processos.

De acordo com a publicação do Diário Oficial da União, as entidades responsáveis para arrecadar e distribuir os direitos autorais referentes ao setor do audiovisual no Brasil já foram habilitadas pelo MinC.

“As três entidades habilitadas são a Gedar (Gestão de Direitos de Autores Roteiristas), a Interartis (Associação de Gestão Coletiva de Artistas Intérpretes do Audiovisual do Brasil) e a DBCA (que representa os Diretores Brasileiros do Cinema e Audiovisual). Esses direitos pagos são divididos entre os filiados das entidades e as próprias empresas, que ficam com uma porcentagem pelo trabalho”, informou o Estadão no portal do Ecad.

As três associações habilitadas pelo MinC para gerir os direitos autorais de roteiristas, diretores e atores do País ainda não sabem como farão o trabalho de fiscalização, arrecadação e distribuição da verba que será arrecadada referentes às exibições de filmes de cinema e TVs.

Após a estruturação dos processos de arrecadação e distribuição, será exigido o pagamento de direitos autorais perante qualquer exibição de filme, tanto em cinema, quanto em TV aberta ou fechada.

“Vivemos um momento histórico. Agora, vamos estabelecer as regras de arrecadação e distribuição, mais complexas do que é na música.”, afirmou Ricardo Pinto Silva, do DBCA.

 

 

Foto: Istock

Leia na origem

Netflix ultrapassa TV paga nos Estados Unidos

A Netflix passou a frente da TV a cabo nos estados Unidos.

Segundo dados da Statista and Leichtman Research Group, a Netflix passou a frente da TV a cabo nos estados Unidos.

O serviço de streaming passou a TV fechada em março, quando ela registrou 48,6 milhões de assinantes nos Estados Unidos. O estudo em questão avaliou os dados de todas os maiores players do setor de TV a cabo americano.

De acordo com o portal Quartz, a distância entre a TV por assinatura e os serviços de streaming pode ser ainda maior, caso computados os números de outras empresas deste setor: somente o Hulu, registrou 12 milhões de assinantes pagantes em maio deste ano.

Leia na origem

Android será o sistema padrão das TVs, diz Sony

Matéria de Exame

Lei entrevista com Hiroki Chino, presidente da Sony Brasil que falou sobre o futuro da TV e da própria empresa diante do novo cenário do consumo de conteúdo televisivo. Confira os melhores trechos da entrevista.

Estamos presenciando um novo jeito de assistir TV. Segundo pesquisa divulgada pela RBC Capital Markets, no Brasil “mais de 80% dos internautas usaram o YouTube para ver programas de TV ou filmes em agosto de 2016”, sendo a Netflix usada por 71% desse público.

As fabricantes de TV já estão atentas as mudanças e estão se preparando para atender aos novos gostos da população, mantendo relacionamento com provedores de aplicativos e oferecendo sistemas em seus aparelhos que sejam favoráveis para a criação de apps que podem ajudar a vendê-los.

Confira entrevista com Hiroki Chino, presidente da Sony Brasil, que foi entrevistado pela Exame.com e falou um pouco sobre o novo cenário do consumo de conteúdo televisivo.

Leia na origem

MusicAds, solución al reparto de derechos musicales en publicidad

Matéria de Industria Musical

A empresa espanhola BMAT está lançando o MusicAds, plataforma que ajuda compositores no registro e identificação de músicas feitas para anúncios de TV.

A distribuição de royalties de música gerados pela televisão é um dos maiores desafios enfrentados por empresas de gestão de direitos, por isso a BMAT está lançando uma nova ferramenta para auxiliar na identificação de músicas feitas para anúncios, o “MusicAds”.

A BMAT identificou que músicos e produtores que compõem melodias destinadas a anúncios de TV tem dificuldade para proteger seus direitos. A nova plataforma dá acesso a todos os anúncios espanhóis, sendo possível o registro de autores das músicas ou melodias presentes em cada.

Embora o MusicAds seja destinado para o mercado espanhol, a intenção é expandir para o nível global, favorecendo o fluxo internacional de royalties de direitos de autor.

Leia na origem

©2019 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?