Spotify Kids é lançado no Reino Unido com previsão de expansão pelo mundo

Matéria de @MusicWeek

No Dia da Internet Segura, Spotify lança o novo aplicativo com conteúdo especial e seguro para crianças no Reino Unido.

O Spotify lançou hoje (11) o aplicativo Spotify Kids para assinantes Premium. Novo app garante música e conteúdo seguro para crianças.

Disponível em iOS e Android, sem anúncios, o novo app do Spotify é voltado para o público infantil a partir dos três anos, inclui canções, trilhas sonoras e histórias infantis.

Segundo o Music Week, todo o conteúdo foi escolhido a dedo por editores do serviço de streaming para garantir qualidade e segurança para as crianças.

Alex Norstrom, diretor executivo de negócios Premium do Spotify, disse: “O Spotify está comprometido em dar a bilhões de fãs a oportunidade de curtir e se inspirar em músicas e histórias e estamos orgulhosos de que esse compromisso agora inclua a próxima geração de ouvintes de áudio. Estamos animados para expandir a experiência da família Premium Spotify com um aplicativo dedicado apenas para nossos fãs mais jovens. O Spotify Kids é um mundo personalizado repleto de som, forma e cor, onde nossos jovens ouvintes podem começar um amor ao longo da vida por música e histórias.”

A data não poderia ser outra, já que hoje é comemorado o Dia da Internet Segura. Uma data criada pela Childnet International – uma instituição de caridade registrada no Reino Unido que visa tornar a Internet um local seguro para crianças e jovens.

Will Gardner, diretor do Safer Internet Centre do Reino Unido, disse: “É brilhante ter o apoio do Spotify para tornar a Internet um lugar seguro e encorajador para os jovens aprenderem, encontrarem sua voz e explorarem suas identidades. Para muitos, a música é uma parte essencial da autodescoberta; portanto, é muito bem-vindo ter um espaço seguro para as crianças começarem essa jornada. O Dia da Internet Segura, organizado pelo Centro de Internet Mais Segura do Reino Unido, tem como objetivo apoiar os jovens a aproveitar a Internet para sempre e incentivamos novas tecnologias que nos ajudem a conseguir isso.”

Por enquanto, o app foi lançado apenas na Irlanda e Reino Unidos, mas já foi confirmado que em breve outros países terão acesso.

Foto: Reprodução

Leia na origem

SPOTIFY ENCERRA 2019 COM 124M DE ASSINANTES PREMIUM NO MUNDO

Divulgado hoje (5), o relatório fiscal do Spotify revelou que o serviço de streaming conseguiu a marca de 124 milhões de assinantes pagos. É o surgimento de um “Novo Spotify” que passa a focar em três pilares: Podcasts, Ferramentas de marketing e Criadores. Confira a análise feita pela MIDiA Research.

O Spotify divulgou hoje (5) seus resultados financeiros para o último trimestre (Q4) de 2019. Com 124 milhões de assinantes pagos, o serviço de streaming fechou o ano com bom desempenho e expectativas otimistas para o futuro.

De acordo com análise do Music Industry Blog, da Midia Research, como previsto, o Spotify alcançou 124 milhões de assinantes no Q4 de 2019.

A contagem global de usuários ativos no quarto trimestre atingiu a marca de 271 milhões, um reflexo sobre seu crescimento em novos mercados, como a Índia.

Houve queda na rotatividade de assinantes, de 5,2% em 2018 para 4,8% em 2019. Além disso, a receita média de assinantes (ARPU, sigla em inglês) foi de €4,65, uma queda de 5% em relação ao quarto trimestre de 2018. O Spotify justificou que esta queda está relacionada a “extensão do período de teste gratuito em todo o conjunto de produtos no trimestre”.

Sua receita total ficou em €6,8 bilhões, um aumento de 29% em relação a 2018. Sendo que destes, 10% são de receitas de anúncios suportados.

O Spotify registrou uma perda operacional €77 milhões no trimestre e €73 milhões para todo o ano civil.

Segundo a análise do blog, a partir desses números podemos ver o surgimento de um “novo Spotify” que terá toda a sua atenção voltada para três pilares: podcasts, ferramentas de marketing e criadores.

Podcasts: No fim de 2019, publicamos a análise da MIDiA Research sobre o resultado de todos os investimentos realizados pela plataforma em podcasts. Apesar de 44,8 milhões de usuários ouvirem o formato, o retorno foi de apenas 1% da receita total. Mesmo com resultados baixos, o Spotify já confirmou que 2020 haverá mais investimentos. Para a MIDiA, o motivo para tanto otimismo é que a plataforma está procurando reduzir sua margem bruta, através de diluição de royalties:

“Mesmo nos acordos atuais, o Spotify poderia cortar até sete pontos de pagamento de royalties de música”, analisou o portal.

Ferramentas de Marketing: Gravadoras podem estar frustradas em ter que pagar para ter acesso à nova plataforma de gerenciamento de anúncios, lançada no fim do ano passado. Entretanto, a estratégia é semelhante ao que o Facebook e o YouTube costumam fazer. Afinal, é fato que as gravadoras gastam cerca de um terço do que ganham com publicidade no YouTube. “O impacto desse tipo de troca de receita no modelo comercial do Spotify não pode ser subestimado”, observa a MIDiA Research.

Criadores: O portal prevê que 2020 será um ano voltado para criadores e artistas. Principalmente com relação ao desenvolvimento e aquisições de ferramentas voltadas para desenvolver esta área. As últimas aquisições em plataformas como Soundtrap (um mix de rede social voltada para a criação de músicas de forma colaborativa ) e SoundBetter (uma comunidade de produção de música e áudio) confirmam a estratégia.

O portal analisa ainda que o Spotify esteja construindo bases para criar um novo modelo de gravadora: “O Spotify pode estar apenas competindo com os negócios futuros das gravadoras antes que eles percebam”, diz a análise.

Foto: Reprodução MIDiA Research

Leia na origem

Spotify cria playlists que acalmam pets

Matéria de CNN

O Spotify criou uma série de playlists e até um podcast para ajudar os animais que ficam muito tempo sozinhos em casa a ficarem menos estressados.

Já se tornou comum nos serviços de streaming certas playlists para tornar a rotina do usuário melhor. São inúmeras playlists que ajudam a manter o foco, a malhar, a relaxar. Afinal, as plataformas querem manter o usuário o máximo de tempo nelas. Mas desta vez chegou a hora dos pets terem o seu momento.

O Spotify criou uma série de playlists e um novo podcast que ajudam o seu animalzinho de estimação a ficar menos estressado por ficar em casa sozinho.

De acordo com a CNN Business, as playlists são baseadas nos gostos musicais e no tipo de espécie de animais dos usuários, enquanto o “My Dog’s Favourite Podcast” (O Podcast favorito do Meu Cachorro” – em livre tradução) foi criado por especialistas em animais para “ajudar a aliviar o estresse”, afirmou o Spotify.

O podcast é executado em dois trechos de cinco horas e contém vozes humanas, música relaxante e sons ambientais, como som de chuva.

Para dublar o podcast foram escolhidos os atores britânicos Ralph Ineson (“Game of Trones”) e Jessica Raine (da série da BBC “Call The Midwife”).

Neil Evans, fisiologista animal e professor da Universidade de Glasgow, que trabalhou junto com o Spotify para desenvolver o podcast, disse que fornecer aos cães “enriquecimento auditivo” pode ajudá-los a alcançar um “estado mais relaxado”.

Alex Benjamin, psicólogo da Universidade de York, que também trabalhou nos estudos, disse que tocar o podcasts para animais de estimação pode ajudar a acalmá-los, mascarando os “sons do mundo exterior, como tráfego, batidas de portas de carros ou latas sendo esvaziadas.”

A Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals, maior instituição de caridade e bem-estar animal do Reino Unido, apoiou a ideia do podcast, mas alertou que nada pode substituir a presença do dono de um cachorro.

Há leis de proteção animal, como na Austrália, onde donos que deixam de passear com cães estão sujeitos a pagar multa de US$2.700. No Brasil, as legislações não são tão rigorosas. Entretanto, não custa nada levar o doguinho pra passear após um longo dia sozinho.

 

Foto: Divulgação/Spotify

Leia na origem

Spotify lança plataforma de anúncios para podcasts

Spotify criou o Spotify Podcasts Ads, uma tecnologia específica para inserção de anúncios em Podcasts, capaz de fornecer aos anunciantes dados valiosos sobre o seu público alvo. A novidade foi testada e aprovada pela PUMA.

O Spotify lançou nesta quarta-feira (8) uma plataforma de anúncios específica para podcasts. Através de uma nova tecnologia chamada de “Streaming Ad Insertion (SAI)”, é possível aproveitar o streaming para fornecer o conjunto digital completo de recursos de planejamento, relatórios e medição em podcasts originais e exclusivos do serviço de streaming.

A plataforma poderá fornecer aos anunciantes dados valiosos sobre o seu público alvo, como impressão real do anúncio, frequência, alcance e informações anônimas (idade, sexo, tipo de dispositivo).

Segundo o Spotify, é a primeira vez que esse tipo de dados é disponibilizado para anunciantes e criadores de podcast.

A marca de calçados Puma foi uma das primeiras a testar a novidade e garantiu que conseguiu um recall de 180% ao exibir um anúncio durante o podcast Jemele Hill Is Unbothered, original da plataforma.

Segundo a análise do Music Business Wordwilde, o Spotify espera em um futuro próximo, gerar receitas através dos podcasts.

Em 2018, o mercado de podcasts teve um aumento na receita de anúncios de 53%, cerca de US$479,1 milhões, de acordo com um relatório recente do Interactive Advertising Bureau (IAB) e da PwC. Estima-se que esse número ultrapasse US$678 milhões até o final de 2019 e US$1 bilhão até 2021.

Com a receita de publicidade em podcasts subindo e o Spotify investindo em aquisições e tecnologias como esta, está claro que a empresa espera receber retorno lucrativo.

Foto: Reprodução

Leia na origem

Usuários do Spotify reclamam sobre artistas que não ouviram em ‘retrospectiva pessoal’

Matéria de G1

Usuários foram reclamar no Twitter após se depararem com artistas dos quais não ouviram em suas retrospectivas do Spotify. As duplas Diego e Arnaldo e João Neto e Frederico foram os artistas em que mais apareceram aleatoriamente nas listas.

Na quinta-feira (5) o usuários do Spotify puderam visualizar sua retrospectiva com as músicas mais ouvidas através do Spotify Wrapped. Entretanto, muitos usuários ficaram surpresos ao se depararem com artistas dos quais nunca ouviram falar em suas listas.

De acordo com o G1, vários internautas relataram no Twitter que não ouviram nomes como Diego e Arnaldo, Luan Santana, João Neto e Frederico e Gusttavo Lima, mas que eles estavam presentes em suas retrospectivas.

“Gente, deu um ‘bug’ nas minhas estatísticas do Spotify… Simplesmente jamais ouvi a música q consta na sexta posição. Será que mais alguém passou por isso?”, disse a usuária Natália de Moura no twitter.

Segundo o portal, as maiores reclamações nas postagens eram de erros que poderiam estar relacionados a “bugs” na contagem da plataforma, invasões de hacker em suas contas e números de artistas inflados.

A quantidade de plays de um artista em serviços de streaming pode indicar o tamanho de seu sucesso, por isso há vários rumores sobre compras de números nas plataformas. Entretanto, ter uma conta no serviço hackeada é pouco provável.

O especialista em segurança digital Altieres Rohr tentou solucionar algumas dessas questões e afirmou que nunca viu “‘phishing’ de Spotify”, “- um golpe em que se joga uma isca (geralmente um e-mail fraudulento) para invadir uma conta de serviço digital”, explicou o portal.

“Em tese, não parece impossível que uma conta seja hackeada pra dar play em certas músicas”, afirmou Altieres ao portal. “E claro, pode ter algum bug no Spotify que permita atribuir plays a outros usuários.”

“Tem a possibilidade de ‘credential stuffing’, que é quando usam uma senha vazada de outro serviço. Se a pessoa usou a senha no Spotify em outro lugar e rolou um vazamento, podem entrar na conta.”, continuou.

Altieries também sugeriu que a invasão poderia acontecer ao vincular a conta do Spotify ao Facebook: “Existe bastante ‘phishing’ de Facebook. Então se você perder o Facebook, perde tudo atrelado a ele”.

A assessoria de Diego e Arnaldo, uma das duplas mais citadas nas reclamações, negou a compra de plays no Spotify: “O sucesso da dupla se dá como resultado de um trabalho de divulgação feito por sua equipe ao longo dos anos.” O Spotify não se pronunciou sobre as reclamações.

Foto: Twitter/@arianalopes320

Leia na origem

Spotify Awards vai eleger os mais ouvidos de 2019 com base em dados

O Spotify Awards será transmitido apenas para a America Latina e México e terá com base os dados da plataforma para eleger os mais ouvidos do ano.

A Billboard anunciou que o Spotify terá sua própria premiação, o Spotify Awards, para eleger o artistas mais ouvidos em 2019 na America Latina e México.

Segundo o portal, a cerimônia do Spotify Awards está marcada para o dia 5 de março de 2020 e será a “primeira cerimônia de premiação 100% baseada em dados gerados pelos usuários”, informou o serviço de streamig.

O Spotify assinou uma parceria com a Turner Latin America, que transmitirá a cerimônia ao vivo via TNT para o México e toda a América Latina de língua espanhola.

“Graças ao streaming e ao tamanho real da audiência do México, os usuários estão no banco da frente como nunca antes”, disse Mia Nygren, diretora administrativa do Spotify para a América Latina. “Decidimos celebrar isso reconhecendo o que os usuários amam com base inteiramente na audição deles. O Spotify Awards é tudo sobre isso, dando a todos a oportunidade de fazer parte do show”.

 

Foto: reprodução/Billboard

Leia na origem

Podcasts geraram US$15,9 milhões para o Spotify no Q3

Matéria de MIDiA Research

Na semana do Spotify for Podcasters no Brasil, o Spotify lançou os resultados financeiros para o terceiro período de 2019 + Entenda porque o formato está movimentando tantos investimentos pelo serviço de streaming + Veja análise dos números dos Podcasts para o Spotify + Link para audios do Spotify for Podcasters Summit.

Ao publicar seus balanços financeiros para o terceiro trimestre de 2019, o Spotify informou que alcançou a marca de 113 milhões de assinantes pagos em seu serviço. Entretanto, todos os olhos estão voltados para a grande aposta do ano: o Podcast!

Em seu blog da Midia Research, Mark Mulligan realizou uma análise detalhada sobre os números dos podcasts para o Spotify no Q3.

5 motivos que levaram o Spotify a investir em Podcasts

Antes de entender os números é preciso entender um pouco sobre as razões que levaram o Spotify a inserir podcasts como uma estratégia de crescimento. Para o Mulligan, há cinco motivos:

1- Criação de conteúdo original em grande escala a médio prazo;

2- Criação de receitas para além da música a longo prazo;

3- Podcasts permitirão ao Spotify cumprir sua ambição: permitir que um milhão de criadores ganhem a vida de sua arte;

4- Diversificação de oferta de conteúdo;

5 – Oportunidade de crescimento de margens.

Além desses motivos, Mulligan apontou o rádio como um novo mercado a ser explorado pelo serviço: “O mercado de rádio comercial é um lago maior para se pescar do que o mercado de música gravada e representa uma oportunidade para impulsionar o crescimento contínuo dos investidores, de modo que anseiam que o crescimento de assinantes diminua”, analisou o executivo.

Analisando os números

Segundo os números do Spotify para o terceiro trimestre de 2019, 33,7 milhões de usuários geraram uma receita de US$15,9 milhões para o serviço. Durante o período, 14% dos usuários médios mensais (MAUs, sigla em inglês) transmitiram podcasts na plataforma.

Apesar do serviço de streaming ter conseguido se estabelecer como um player significativo no mercado global de podcasts, ainda está longe de se tornar o principal. Isso porque, segundo Mulligan, o Spotify terá apenas 5,5% da participação no mercado global de podcasts ao fim de 2019. Todavia, os movimentos da plataforma fazem parte de uma “estratégia defensiva” para despertar o interesse dos usuários.

Ainda há um longo caminho a ser explorado no mundo dos podcasts, e nós do MCT, temos certeza que muitas novidades surgirão. O Blog da MIDia Research informou que em breve será lançado um novo relatório ainda mais específico sobre o assunto.

Vale lembrar que nesta semana, o Spotify está realizando o Spotify for Podcasters Summit no Brasil, um evento com workshops e painéis para criadores de podcasts. Fábio Silveira, esteve presente e representou o Fast Forward Podcast no painel Música e Podcasts – SALA PRINCIPAL. E para quem não conseguiu comparecer, todos os painéis estão disponíveis no podcast do evento. Para conferir clique aqui.

Imagem: Canva

Leia na origem

USUÁRIOS CRIAM PODCASTS DE MÚSICAS NÃO AUTORIZADAS E ENTRAM NAS PARADAS DO SPOTIFY

Matéria de G1

DJ’s e fãs encontraram uma brecha nos podcasts para liberar versões de músicas que não foram lançadas oficialmente por artistas. Há podcasts muito populares com músicas em versões de brega-funk de Billie Eilish, Lana Del Rey, Ariana Grande e até Pabllo Vittar.

O G1 publicou uma denúncia sobre uma nova prática de violação de direitos autorais que está acontecendo no Spotify. DJ’s e fãs têm usado Podcasts para liberar versões de músicas que não foram lançadas oficialmente por grandes artistas como Lana Del Rey, Ariana Grande e Pabllo Vittar.

Quem segue nosso blog, com certeza percebeu o quanto falamos sobre Podcasts, e como esse novo formato tem sido uma grande aposta para tornar os serviços de streaming de música mais rentáveis.

Os podcasts funcionam como programas em que as pessoas podem falar sobre vários assuntos. Entretanto, alguns usuários descobriram uma brecha para inserir músicas raras e em versões que não foram lançadas oficialmente por artistas nas plataformas.

Parece que a coisa está fora de controle. Tanto que há podcasts com músicas em versões de brega-funk de músicas de Billie Eilish, Pabllo Vittar, Selena Gomes, Ariana Grande. Todas entraram no top 200 do Brasil. Os fãs fazem até montagens de capas, com as cantoras usando óculos “Juliet”, muito popular nos bailes.

De acordo com o portal, a “desculpa” para a prática está apenas na intenção de compartilhar as músicas com outros fãs. Só para se ter uma ideia, existe um podcast em que o conteúdo é apenas uma música, “Chapadinha”, versão criada pela cantora brasileira Duda Beat, de uma música da Lana Del Rey. A mesma não foi lançada, pois não foi autorizada por Lana, mas nesta quarta-feira (24) alcançou a posição 122º entre os podcasts mais ouvidos no país.

Não são só os fãs que andam espalhando músicas ilegalmente em podcasts. A prática também é feita por muitos Dj’s que usam o formato para divulgar seu trabalho. Este é o caso do DJ paulista Léo Alves. Ele contou ao G1 que usa seu podcast, “Só toca Funk”, para inserir músicas de funk-rave – uma mistura de batidas e vocais de funk com bases eletrônicas de Alok e Liu.

Apesar de saber que seu Podcast pode ser removido pelo Spotify, ele afirma que não se importa: “Estou divulgando as músicas, e nem fui eu que fiz. No YouTube você acha cada faixa dessa em uns 50 canais.” Nesta semana, o  “Só toca funk” chegou a 6a posição no Spotify Brasil.

Nessa história, os prejudicados são o compositores e artistas, que criam as músicas, mas não recebem os royalties.

A pedido do portal, o Spotify emitiu um comunicado explicando que tomará medidas para remover o conteúdo ilegal de sua plataforma: “O Spotify tem uma política de tolerância zero para conteúdo que viola direitos autorais em podcasts e, a partir do momento que tomamos conhecimento de um conteúdo potencialmente infrator, removemos do serviço. Isso inclui qualquer uso não autorizado de músicas protegidas por direitos autorais em podcasts.”

Foto: Divulgação/Billie Eilish

Leia na origem

Vem aí o Spotify for Podcasters Summit

O Spotify está promovendo um evento com palestras e workshops sobre podcasts. Saiba como participar.

Na sexta-feira (4) rolou uma live especial para os membros do grupo do Música, Copyright e Tecnologia no Facebook. Pedro Bontorim, da Clav Music, falou sobre o mercado de podcasts e como este novo formato de conteúdo pode gerar grandes oportunidades.

Durante a live ficamos sabendo sobre um evento super bacana que o Spotify está promovendo, o Spotify for Podcasters Summit. Evento gratuito entre os dias 1 e 2 de novembro com palestras e workshops na Cinemateca Brasileira, em São Paulo.

Os interessados em participar devem confirmar presença no evento no Facebook. Maiores informações ainda serão divulgadas!

Leia na origem

Spotify passa a permitir adicionar podcasts em playlists

Matéria de Business Insider

A novidade poderá ajuda o serviço de streaming a ganhar maior força no mundo dos podcasts

Nesta semana, o spotify anunciou que os usuários já podem adicionar podcasts à playlists na plataforma.

Segundo o Business Insider, há três tipos de opções para usar o recurso: uma lista apenas de música, uma lista com curadoria de podcasts ou uma mistura de podcasts e músicas.

Em uma declaração, o Spotify enfatizou sua história com playlists como um recurso definidor do serviço:

“Se você não ouviu, as playlists são uma coisa do Spotify – é como construímos nossa plataforma personalizada em 2006 e como continuamos a ajudar os ouvintes a descobrir novos conteúdos hoje. Não poderíamos estar mais animados em trazer essa experiência para o mundo dos podcasts”.

Vale lembrar que em fevereiro, o Spotify adquiriu a empresa de produção de podcasts Gimlet, que está por trás de programas populares nos EUA, e continua expandindo negócios voltados para produção de conteúdo original.

 

Foto: Michael Loccisano/Getty Images for Spotify

Leia na origem

©2020 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?