Spotify anuncia que seus funcionários poderão trabalhar em casa até 2021 se quiserem.

O Spotify está adotando uma série de medidas para continuar suas operações no mundo todo e de forma segura para seus funcionários durante a pandemia. Uma das medidas é a flexibilização da jornada de trabalho até 2021.

Nesta terça-feira (21), o Spotify anunciou que seus funcionários poderão trabalhar em casa até o ano que vem.

O Spotify enviou um memorando a todos os seus funcionários hoje para explicar que está seguindo todas as diretrizes locais de prevenção ao novo coronavírus e está adotando uma série de medidas para continuar suas operações durante a pandemia (Via Music Business Worldwide).

Como parte dessa estratégia, a empresa informou aos seus funcionários que a decisão de trabalhar em “home-office” até 2021 será realizada por eles mesmos, individualmente e com “total discrição”.

Um porta-voz da empresa confirmou a notícia: “Hoje, anunciamos a extensão do nosso acordo de trabalho em casa para todos os funcionários do Spotify em todo o mundo. Continuaremos a acompanhar as diretrizes do governo local de acordo com cada cidade e adotaremos uma abordagem em fases para abrir nossos escritórios quando acharmos seguro fazê-lo. A saúde e a segurança de nossos funcionários são nossa principal prioridade. Nenhum funcionário precisará entrar no escritório e pode optar por trabalhar em casa até o final do ano. ”

Desde seu último relatório financeiro divulgado em 2019, com 79 escritórios ao redor do mundo, o serviço de streaming empregava mais de 4 mil pessoas em período integral. Destes, 2.121 nos Estados Unidos e 1.437 na Suécia.

Além disso, o relatório também informava que a empresa teve um custo de €1.007 bilhões (US$1,13 bilhão) com leasings de escritórios em 2019.

Vale notar que só nas últimas 48 horas, o valor de mercado do Spotify disparou após um acordo de licenciamento exclusivo com o podcast ‘The Joe Rogan Experience’, passando de US$31,50 bilhões para US$35,29 bilhões. Ou seja, atualmente o Spotify vale mais do que há dois anos.

O ‘Joe Rogan Experience’, foi o podcast mais popular nas plataformas da Apple no ano passado, superando o The Daily Times, do New York Times. Segundo o comediante e apresentador, Joe Rogan, seu podcast foi baixado 190 milhões de vezes ao mês no ano passado.

Foto: Reprodução

Leia na origem

Spotify for Artists ganha atualização integrada ao Label Analytics

Matéria de Billboard

Tudo em um só lugar! Em nova atualização, Spotify for Artists será unificada ao Label Analytics para que gravadoras, distribuidoras e artistas possam ter acesso em tempo real à estatísticas na plataforma.

Nesta semana, o Spotify anunciou que atualizará sua plataforma de gestão voltada para artistas  a fim de unificar Spotify for Artists e Analytics.

De acordo com a Billboard, com a nova versão da plataforma, selos, distribuidoras e artistas terão acesso a um só local, à estatísticas de seus dados, edição de playlists e gerenciamento de telas. Tudo em tempo real.

Anteriormente, era possível ter acesso aos dados em ambas as plataformas. Porém, haviam diferenças nas perspectivas de fornecimento de dados. Por exemplo, o Spotify For Artists focou no que o Spotify considerou mais impactante para os artistas, como estatísticas em tempo real, enquanto o Spotify Analytics atendeu às necessidades de gravadoras e distribuidoras, fornecendo uma visão mais ampla de seus catálogos na plataforma. Agora, todos essas informações estarão disponíveis no mesmo local.

“Com o tempo, ao ouvir os comentários e ver como as pessoas usam o Spotify for Artists e o Spotify Analytics, ficou claro como os artistas e suas equipes estão analisando dados e planejando estratégias promocionais (em conjunto)”, escreveu o serviço de streaming em seu blog.

“Agora, com acesso ao mesmo conjunto de dados e insights, e a capacidade de participar da gestão da presença de um artista no Spotify, estamos ansiosos para promover uma melhor colaboração entre as equipes – especialmente para artistas assinados com uma selo”.

Foto: Spotify

Leia na origem

Fãs podem fazer doações para artistas com novo recurso do Spotify

O Spotify lançou um novo recurso que permite a artistas receberem doações de fãs na plataforma, com direito a um bônus nas doações para o COVID-19 Music Relief.

O Spotify anunciou nesta quarta-feira (22) um novo recurso que permite a fãs doarem dinheiro para os artistas na plataforma.

Com o ‘Artist Fundraising Pick’ (Angariação de Fundos para Artistas, em livre tradução) artistas poderão fixar um destaque em seu perfil para receber doações para eles mesmos, ou ainda destinar recursos para instituições apoiadas pelo Spotify COVID-19 Music Relief.

De acordo com o Music Business Worldwide, o novo recurso só foi possível graças a parceria do Spotify com o PayPal e o Cash App, empresa que ainda dará um bônus para os artistas que fizerem doações ao Music Relief:

“Os usuários do [app] Spotify for Artists que enviarem seu nome de usuário junto com a tag ‘$cashtag’ como sua Escolha de Angariação de Fundos para Artistas – e que já tenham recebido pelo menos uma contribuição de qualquer valor através do Spotify – receberão um extra de US$100 em sua conta do Cash App, até um total coletivo de US$1 milhão contribuído”, anunciou a plataforma.

O Spotify postou hoje em seu blog que esta é uma iniciativa que pode sofrer alterações, já que foi lançada emergencialmente como uma maneira de ajudar os artistas neste momento de pandemia. Não foi informado se o serviço de streaming pretende estender o período de disponibilidade do recurso para após a quarentena:

“Dada a urgência e o impacto da crise do COVID-19, estamos trabalhando o mais rápido possível para desenvolver esse novo produto e divulgá-lo ao maior número possível de artistas. No entanto, nunca criamos um recurso de captação de recursos como esse antes. Consideramos essa uma primeira versão que evoluirá à medida que aprendermos a torná-la o mais útil possível para a comunidade musical”.

Leia na origem

Spotify continua sendo o maior serviço de streaming de músicas do mundo

Matéria de TudoCelular.com

Atualmente o Spotify possui 35% da participação de mercado e se mantém como líder entre os serviços de streaming de músicas.

Um estudo apontou a participação de mercado entre os serviços de streaming de músicas mais populares do mundo.

De acordo com o resultado da pesquisa da Counterpoint Research, o Spotify continua mantendo a sua liderança com 35% de participação, enquanto a Apple Music fica em segundo lugar com 19% de marketshare.

O Amazon Music conquistou a terceira posição com 15% de participação, seguido pelo Tencent Music e YouTube Music.

O portal TudoCelular destacou o desempenho da maçã que alcançou a marca de 60 milhões de assinaturas pagas em junho do ano passado. De acordo com o portal, a Counterpoint Research acredita que esse número deve ser ainda maior em 2020, já a previsão é de que o número global de assinantes de streaming de música ultrapasse 450 milhões.

O crescimento anual dos serviços globais de streaming aumentou em 32% ano-após-ano, com o total de assinaturas batendo a marca dos 358 milhões.

Uma coisa é certa, com milhões de pessoas em isolamento social devido a pandemia do coronavírus, muita coisa vai mudar, principalmente com relação ao consumo do streaming de músicas.

Leia na origem

Spotify anuncia ajuda de US$10M para amenizar impacto do Covid-19 na música

Além da generosa doação, o Spotify lançará um novo recurso no Spotify for Artists para que artistas possam arrecadar fundos diretamente de seus fãs.

Nesta terça-feira (24) publicamos uma notícia sobre uma petição para pedir que o Spotify aumentasse a porcentagem de royalties pagos à artistas, já que os mesmos estão sem renda e impedidos de fazer shows devido a pandemia do coronavírus.

Pois bem, acontece que hoje (25) o Spotify anunciou que fará uma contribuição financeira de US$10 milhões para ajudar artistas e outros membros do mercado musical durante a pandemia.

De acordo com o Music Business Worldwide, parte da ajuda será dividida a três importantes entidades nos EUA e no Reino Unido: MusiCares (EUA), PRS Foundation (Reino Unido) e Help Musicians (Reino Unido).

O serviço de streaming criou um site exclusivo para incentivar seus usuários a também contribuírem com doações para estes fundos. Sempre que uma doação for recebida, o serviço fará outra (equivalente a um dólar por dólar), até atingir o valor total de US$10 milhões, como prometido.

Além disso, um novo recurso será adicionado ao Spotify for Artists que permitirá aos artistas arrecadar fundos diretamente de seus fãs.

“Combater o impacto dessa pandemia na indústria da música exigirá um enorme esforço global, e estamos trabalhando para montar e otimizar esses novos recursos”, informou o serviço.

Leia na origem

Covid-19: Para cobrir receita, músicos pedem ao Spotify aumento dos pagamentos de royalties

Matéria de the Guardian

Uma petição online foi criada para pedir que o Spotify triplique a remuneração de artistas e compositores na plataforma. A ideia é compensar artistas que estão sem renda e impedidos de fazer shows por conta da pandemia do coronavírus.

Impedidos de fazer shows devido a pandemia do coronavírus, artistas estão pedido ao Spotify para aumentar suas taxas de royalties em uma petição.

Postada pelo músico Evan Greer na semana passada, a petição pede ao Spotify para triplicar as taxas de royalties e uma doação de US$500.000 ao fundo Covid-19 da Sweet Relief, uma instituição da Califórnia que dá assistência financeira à músicos e trabalhadores da indústria.

Em resposta ao pedido, um porta-voz do serviço de streaming disse ao The Guardian: “Não há dúvida de que este é um momento desafiador para a nossa comunidade de criadores e estamos trabalhando para ajudá-los através do fundo de ajuda Covid-19 do MusiCares para fornecer a assistência necessária”.

Foi informado ainda que o serviço deixou a disposição dos governos e instituições um espaço na plataforma para anúncios sobre segurança durante a pandemia.

A petição de Greer surgiu após o Bandcamp anunciar que a partir do dia 20 de março não iria cobrar sua parte na taxa de participação nos lucros por 24 horas.

Fundada em 2008, a Bandcamp é uma plataforma de streaming digital, compras e merchandising para artistas independentes. Sua proposta é oferecer maior transparência do que as tradicionais plataformas de streaming.

Vale lembrar que os serviços de streaming também estão sofrendo um pouco do impacto  causado pela pandemia. Analistas da Quartz descobriram que na Itália, um dos países mais atingidos pelo Covid-19, as 200 principais músicas mais ouvidas no Spotify apresentaram uma queda de 23% nas transmissões. De 18,3 milhões de transmissões por dia em fevereiro de 2019 para 14,4m em 9 de março, data do bloqueio de circulação no país.

Resultados semelhantes foram apresentados em outros países que também foram afetados pelo vírus como EUA, Reino Unido, França e Espanha.

Foto: Dado Ruvić/Reuters

Leia na origem

Spotify Kids é lançado no Reino Unido com previsão de expansão pelo mundo

Matéria de @MusicWeek

No Dia da Internet Segura, Spotify lança o novo aplicativo com conteúdo especial e seguro para crianças no Reino Unido.

O Spotify lançou hoje (11) o aplicativo Spotify Kids para assinantes Premium. Novo app garante música e conteúdo seguro para crianças.

Disponível em iOS e Android, sem anúncios, o novo app do Spotify é voltado para o público infantil a partir dos três anos, inclui canções, trilhas sonoras e histórias infantis.

Segundo o Music Week, todo o conteúdo foi escolhido a dedo por editores do serviço de streaming para garantir qualidade e segurança para as crianças.

Alex Norstrom, diretor executivo de negócios Premium do Spotify, disse: “O Spotify está comprometido em dar a bilhões de fãs a oportunidade de curtir e se inspirar em músicas e histórias e estamos orgulhosos de que esse compromisso agora inclua a próxima geração de ouvintes de áudio. Estamos animados para expandir a experiência da família Premium Spotify com um aplicativo dedicado apenas para nossos fãs mais jovens. O Spotify Kids é um mundo personalizado repleto de som, forma e cor, onde nossos jovens ouvintes podem começar um amor ao longo da vida por música e histórias.”

A data não poderia ser outra, já que hoje é comemorado o Dia da Internet Segura. Uma data criada pela Childnet International – uma instituição de caridade registrada no Reino Unido que visa tornar a Internet um local seguro para crianças e jovens.

Will Gardner, diretor do Safer Internet Centre do Reino Unido, disse: “É brilhante ter o apoio do Spotify para tornar a Internet um lugar seguro e encorajador para os jovens aprenderem, encontrarem sua voz e explorarem suas identidades. Para muitos, a música é uma parte essencial da autodescoberta; portanto, é muito bem-vindo ter um espaço seguro para as crianças começarem essa jornada. O Dia da Internet Segura, organizado pelo Centro de Internet Mais Segura do Reino Unido, tem como objetivo apoiar os jovens a aproveitar a Internet para sempre e incentivamos novas tecnologias que nos ajudem a conseguir isso.”

Por enquanto, o app foi lançado apenas na Irlanda e Reino Unidos, mas já foi confirmado que em breve outros países terão acesso.

Foto: Reprodução

Leia na origem

SPOTIFY ENCERRA 2019 COM 124M DE ASSINANTES PREMIUM NO MUNDO

Divulgado hoje (5), o relatório fiscal do Spotify revelou que o serviço de streaming conseguiu a marca de 124 milhões de assinantes pagos. É o surgimento de um “Novo Spotify” que passa a focar em três pilares: Podcasts, Ferramentas de marketing e Criadores. Confira a análise feita pela MIDiA Research.

O Spotify divulgou hoje (5) seus resultados financeiros para o último trimestre (Q4) de 2019. Com 124 milhões de assinantes pagos, o serviço de streaming fechou o ano com bom desempenho e expectativas otimistas para o futuro.

De acordo com análise do Music Industry Blog, da Midia Research, como previsto, o Spotify alcançou 124 milhões de assinantes no Q4 de 2019.

A contagem global de usuários ativos no quarto trimestre atingiu a marca de 271 milhões, um reflexo sobre seu crescimento em novos mercados, como a Índia.

Houve queda na rotatividade de assinantes, de 5,2% em 2018 para 4,8% em 2019. Além disso, a receita média de assinantes (ARPU, sigla em inglês) foi de €4,65, uma queda de 5% em relação ao quarto trimestre de 2018. O Spotify justificou que esta queda está relacionada a “extensão do período de teste gratuito em todo o conjunto de produtos no trimestre”.

Sua receita total ficou em €6,8 bilhões, um aumento de 29% em relação a 2018. Sendo que destes, 10% são de receitas de anúncios suportados.

O Spotify registrou uma perda operacional €77 milhões no trimestre e €73 milhões para todo o ano civil.

Segundo a análise do blog, a partir desses números podemos ver o surgimento de um “novo Spotify” que terá toda a sua atenção voltada para três pilares: podcasts, ferramentas de marketing e criadores.

Podcasts: No fim de 2019, publicamos a análise da MIDiA Research sobre o resultado de todos os investimentos realizados pela plataforma em podcasts. Apesar de 44,8 milhões de usuários ouvirem o formato, o retorno foi de apenas 1% da receita total. Mesmo com resultados baixos, o Spotify já confirmou que 2020 haverá mais investimentos. Para a MIDiA, o motivo para tanto otimismo é que a plataforma está procurando reduzir sua margem bruta, através de diluição de royalties:

“Mesmo nos acordos atuais, o Spotify poderia cortar até sete pontos de pagamento de royalties de música”, analisou o portal.

Ferramentas de Marketing: Gravadoras podem estar frustradas em ter que pagar para ter acesso à nova plataforma de gerenciamento de anúncios, lançada no fim do ano passado. Entretanto, a estratégia é semelhante ao que o Facebook e o YouTube costumam fazer. Afinal, é fato que as gravadoras gastam cerca de um terço do que ganham com publicidade no YouTube. “O impacto desse tipo de troca de receita no modelo comercial do Spotify não pode ser subestimado”, observa a MIDiA Research.

Criadores: O portal prevê que 2020 será um ano voltado para criadores e artistas. Principalmente com relação ao desenvolvimento e aquisições de ferramentas voltadas para desenvolver esta área. As últimas aquisições em plataformas como Soundtrap (um mix de rede social voltada para a criação de músicas de forma colaborativa ) e SoundBetter (uma comunidade de produção de música e áudio) confirmam a estratégia.

O portal analisa ainda que o Spotify esteja construindo bases para criar um novo modelo de gravadora: “O Spotify pode estar apenas competindo com os negócios futuros das gravadoras antes que eles percebam”, diz a análise.

Foto: Reprodução MIDiA Research

Leia na origem

Spotify cria playlists que acalmam pets

Matéria de CNN

O Spotify criou uma série de playlists e até um podcast para ajudar os animais que ficam muito tempo sozinhos em casa a ficarem menos estressados.

Já se tornou comum nos serviços de streaming certas playlists para tornar a rotina do usuário melhor. São inúmeras playlists que ajudam a manter o foco, a malhar, a relaxar. Afinal, as plataformas querem manter o usuário o máximo de tempo nelas. Mas desta vez chegou a hora dos pets terem o seu momento.

O Spotify criou uma série de playlists e um novo podcast que ajudam o seu animalzinho de estimação a ficar menos estressado por ficar em casa sozinho.

De acordo com a CNN Business, as playlists são baseadas nos gostos musicais e no tipo de espécie de animais dos usuários, enquanto o “My Dog’s Favourite Podcast” (O Podcast favorito do Meu Cachorro” – em livre tradução) foi criado por especialistas em animais para “ajudar a aliviar o estresse”, afirmou o Spotify.

O podcast é executado em dois trechos de cinco horas e contém vozes humanas, música relaxante e sons ambientais, como som de chuva.

Para dublar o podcast foram escolhidos os atores britânicos Ralph Ineson (“Game of Trones”) e Jessica Raine (da série da BBC “Call The Midwife”).

Neil Evans, fisiologista animal e professor da Universidade de Glasgow, que trabalhou junto com o Spotify para desenvolver o podcast, disse que fornecer aos cães “enriquecimento auditivo” pode ajudá-los a alcançar um “estado mais relaxado”.

Alex Benjamin, psicólogo da Universidade de York, que também trabalhou nos estudos, disse que tocar o podcasts para animais de estimação pode ajudar a acalmá-los, mascarando os “sons do mundo exterior, como tráfego, batidas de portas de carros ou latas sendo esvaziadas.”

A Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals, maior instituição de caridade e bem-estar animal do Reino Unido, apoiou a ideia do podcast, mas alertou que nada pode substituir a presença do dono de um cachorro.

Há leis de proteção animal, como na Austrália, onde donos que deixam de passear com cães estão sujeitos a pagar multa de US$2.700. No Brasil, as legislações não são tão rigorosas. Entretanto, não custa nada levar o doguinho pra passear após um longo dia sozinho.

 

Foto: Divulgação/Spotify

Leia na origem

Spotify lança plataforma de anúncios para podcasts

Spotify criou o Spotify Podcasts Ads, uma tecnologia específica para inserção de anúncios em Podcasts, capaz de fornecer aos anunciantes dados valiosos sobre o seu público alvo. A novidade foi testada e aprovada pela PUMA.

O Spotify lançou nesta quarta-feira (8) uma plataforma de anúncios específica para podcasts. Através de uma nova tecnologia chamada de “Streaming Ad Insertion (SAI)”, é possível aproveitar o streaming para fornecer o conjunto digital completo de recursos de planejamento, relatórios e medição em podcasts originais e exclusivos do serviço de streaming.

A plataforma poderá fornecer aos anunciantes dados valiosos sobre o seu público alvo, como impressão real do anúncio, frequência, alcance e informações anônimas (idade, sexo, tipo de dispositivo).

Segundo o Spotify, é a primeira vez que esse tipo de dados é disponibilizado para anunciantes e criadores de podcast.

A marca de calçados Puma foi uma das primeiras a testar a novidade e garantiu que conseguiu um recall de 180% ao exibir um anúncio durante o podcast Jemele Hill Is Unbothered, original da plataforma.

Segundo a análise do Music Business Wordwilde, o Spotify espera em um futuro próximo, gerar receitas através dos podcasts.

Em 2018, o mercado de podcasts teve um aumento na receita de anúncios de 53%, cerca de US$479,1 milhões, de acordo com um relatório recente do Interactive Advertising Bureau (IAB) e da PwC. Estima-se que esse número ultrapasse US$678 milhões até o final de 2019 e US$1 bilhão até 2021.

Com a receita de publicidade em podcasts subindo e o Spotify investindo em aquisições e tecnologias como esta, está claro que a empresa espera receber retorno lucrativo.

Foto: Reprodução

Leia na origem

©2020 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?