SoundCloud passa a adotar modelo de remuneração baseado no consumo do usuário

Matéria de @MusicWeek

Novo modelo de remuneração com base na audiência vai beneficiar mais de 100 mil artistas independentes no SoundCloud.

Recentemente, publicamos por aqui uma matéria para explicar os benefícios e o impacto do modelo de pagamento em serviços de streaming centrado no consumidor. Pois bem, o Soudcloud acabou de anunciar que passará a adotar o modelo para beneficiar mais de 100.000 artistas independentes que monetizam diretamente na plataforma.

De acordo com o Music Week, com a mudança no modelo de pagamentos à artistas na plataforma, a receita vinda de assinatura ou publicidade de cada usuário do SoundCloud será repassada para os artistas que eles realmente ouvem. Diferentemente do modelo atual onde a maior parte de todo o dinheiro arrecadado dos assinantes é agrupado e, em seguida, repassado de acordo com os plays de cada artista.

Mas nem tudo são flores, pois o anúncio informou que apenas artistas independentes e emergentes na plataforma serão beneficiados, uma vez que suas licenças com as majors e Merlin permanecerão inalteradas.

Mesmo assim, para o CEO do Souncloud, Michael Weissman, este já é considerado um passo ousado para o mercado:

“Muitos na indústria desejam isso há anos”, disse ele. “Estamos entusiasmados por sermos os únicos a trazer isso ao mercado para melhor apoiar os artistas independentes. O SoundCloud está posicionado de forma única para oferecer este novo modelo transformador devido à poderosa conexão entre artistas e fãs que ocorre em nossa plataforma.

Ao todo serão beneficiados quase 100.000 artistas independentes que monetizam diretamente no SoundCloud por meio do SoundCloud Premier, Repost by SoundCloud ou Repost Select a partir de 1º de abril de 2021.

A plataforma também criou uma campanha para explicar melhor os detalhes sobre o novo modelo de pagamentos e orientar os artistas independentes e parceiros.

 

Foto: reprodução

Leia na origem

SOUNDCLOUD É AGORA UMA DISTRIBUIDORA: PLATAFORMA LANÇA FERRAMENTA PARA CRIADORES ENVIAREM MUSICA PARA SPOTIFY, APPLE MUSIC ETC.

Nova atualização do SoundCloud permite a criadores lançarem suas músicas em outras plataformas como Spotify e Instagram.

A nova atualização do Soundcloud permitirá que criadores possam publicar suas músicas para outros serviços como Amazon Music, Apple Music, Instagram e Spotify direto pela plataforma.

De acordo com o Music Business Worldwide, para ter acesso a atualização basta ser assinante dos planos de assinatura do Soundcloud (SoundCloud Pro e Pro Unlimited). Além disso, será preciso atender alguns requisitos como ter 18 anos de idade, ser dono de todos os direitos sobre suas músicas e ter pelo menos 1000 reproduções no último mês pelo SoundCloud.

O Soundcloud afirmou que nenhuma porcentagem adicional das receitas obtidas pelas reproduções serão cobradas e que repassará todos os valores aos artistas.

“Os criadores agora podem gastar menos tempo e dinheiro pulando entre diferentes ferramentas e mais tempo fazendo música, conectando-se com os fãs e aumentando suas carreiras primeiro no SoundCloud.”

Vale lembrar que o concorrente, Spotify, também tem realizado movimentos para se tornar uma distribuidora multi-plataforma. A empresa de Daniel Ek adquiriu uma participação minoritária da Distrokid, serviço independente de distribuição de música digital, em outubro do ano passado, antes de lançar uma ferramenta beta que possibilitou aos usuários enviarem faixas para outros serviços através do painel do Spotify For Artists.

Leia na origem

Soundclound se renova em 2017 e arrecada US$102 milhões.

Parece que o Soundcloud ressurgiu das cinzas. A plataforma passou por uma rodada de financiamentos, teve que reduzir sua mão de obra em 40%, e finalmente conseguiu dobrar em quase 90% seus assinantes pagos. O resultado? Receitas de US$102 milhões, um aumento de 80%. Confira a análise completa realizada pelo portal Music Business Worlwide

As receitas globais do SoundCloud, em 2017, atingiram 90,7 milhões de euros (US$102 milhões), aumentando 80% em relação aos 50,3 milhões de euros em 2016. Dentro desse valor, as receitas de assinaturas quase dobraram para €72,6m, um amento de 89% com relação a 2016, €38,4m em 2016.

O Soundcloud conseguiu reduzir o prejuízo em suas contas em 27%, um total de €51,4 milhões (US$58 milhões). No mesmo período, em 2016, o tamanho do prejuízo chegou a €70,5 milhões.

Segundo o MBW, esses números refletem um ano de transformação na empresa. No verão de 2017, o SoundCloud recebeu US$170 milhões em uma rodada de financiamento por duas empresas, a Temasek, de Cingapura, e a The Raine Group, dos EUA.

2017 também foi o ano em que Kerry trainor, ex-executivo do Vimeo foi escolhido como novo CEO da plataforma. A empresa teve que fechar escritórios em Londres e São Francisco e eliminar 40% de sua mão de obra.

“Desde o financiamento de agosto de 2017 e ao longo de 2018, o SoundCloud tomou medidas significativas para melhorar sua saúde financeira, incluindo a retirada de todas as dívidas pendentes, reduzindo certas despesas operacionais fixas e fluxo de caixa, melhorando seus processos de recebimento e renegociação, contratos de titulares de direitos”, informou o relatório.

Essas mudanças melhoram a situação financeira da empresa que agora possui novas estratégias como continuar crescendo, criando novas ferramentas para que os criadores possam compartilhar e promover seu conteúdo e criar melhores experiências para os usuários.

A SoundCloud terminou o ano de 2017 com 214 funcionários e já informou que bateu a meta de seu plano de crescimento em 2018. Além disso, já foram divulgadas parcerias importantes com o Pandora nos EUA e a Global Radio/DAX, no Reino Unido.  

Leia na origem

O SoundCloud anunciou novo recurso de compartilhamento de músicas no Stories do Instagram.

Matéria de Mobile Marketer

O SoundCloud anunciou que está integrado ao Instagram. A parceria beneficiará artistas, que poderão promover suas músicas através do Instagram Stories, permitindo que os ouvintes compartilhem suas músicas com maior praticidade.

O SoundCloud anunciou que está integrado ao Instagram. A parceria beneficiará artistas, que poderão promover suas músicas através do Instagram Stories, permitindo que os ouvintes compartilhem suas músicas com maior praticidade.

O SoundCloud, serviço de streaming de música que atualmente possui 175 milhões de usuários em todo o mundo, anunciou uma parceria com o Instagram para permitir que os usuários compartilhem links de músicas no Stories do Instagram.

A integração entre os dois aplicativos beneficiará artistas, principalmente os independentes, ajudando na promoção de suas músicas através de um compartilhamento muito mais prático com amigos, além de incentivar os downloads no aplicativo do SoundCloud.

A noticia já havia sido anunciada em maio pelo Facebook, empresa-mãe do Instagram, durante sua conferência de desenvolvedores, quando a rede social também disse que aplicativos de terceiros como o Spotify e o GoPro teriam recursos de compartilhamento adicionais.

Segundo o Mobile Marketer, a parceria pode ajudar o SoundCloud a alcançar um novo público, especialmente porque o Instagram é um dos aplicativos mais populares entre os adolescentes dos EUA.

Ao integrar sua biblioteca de músicas ao Instagram Stories, o SoundCloud tem potencial para alcançar os 400 milhões de usuários ativos diários do Stories.

Os anunciantes também podem ser beneficiados, já que de acordo com o Instagram, metade dos consumidores compram um produto on-line após assistir a um Stories, e 31% compram na loja após ver um produto na plataforma. Ou seja, um stories com conteúdo musical, aumenta ainda mais o engajamento de um conteúdo promocional.

Desde que começou a focar nos criadores de conteúdo, o SoundCloud conseguiu aumentar o número de faixas disponíveis em seu aplicativo para mais de 177 milhões, em comparação aos 40 milhões no Spotify, de acordo com o portal Digital Music News.

Pensando nos criadores como estratégia para ganhar mais espaço entre os serviços de streaming, no início deste mês, o SoudCloud abriu suas ferramentas de monetização para todos os artistas em um plano Premier com valores mensais de US$8 a US$16.

Após o anúncio do Spotify, em setembro, sobre o recurso de upload direto para artistas independentes, o SoundCloud foi atrás e também anunciou parcerias com vários desenvolvedores de softwares de música como o Native Instruments, Serato e DJ Virtual para permitir que DJs transmitam em tempo real seus  catálogos de músicas na plataforma.

Leia na origem

SPOTIFY: ARTISTAS PODEM ATUALIZAR AS MÚSICAS DIRETAMENTE NA PLATAFORMA GRATUITAMENTE

O Spotify lançou um novo recurso que permite que artistas independentes façam upload de músicas diretamente na plataforma, sem a necessidade de um agregador ou gravadora, tudo de forma gratuita.

Mais uma grande oportunidade para os artistas: o Spotify lançou um novo recurso que permite que artistas independentes façam upload de faixas diretamente na plataforma, sem a necessidade de um agregador ou gravadora.

O Spotify confirmou que o objetivo é ter cada vez mais novos artistas, selos e equipes na plataforma. De acordo com o portal Music Business WorldWide (MBW), o recurso está acessível pelo Spotify For Artists, em fase de testes, e é exclusivo para convidados. Além disso, os próprios artistas podem programar uma data de lançamento a sua escolha. Tudo isso gratuitamente!

A plataforma não cobrará taxas iniciais para os uploads e nenhuma comissão adicional sobre os royalties gerados pela música, não importa quantas faixas forem enviadas.

Esta nova abordagem, livre de custos, bate de frente com os serviços oferecidos pelos agregadores/distribuidores, tais como CD Baby, TuneCore, Distrokid e Ditto – todos requerem uma taxa de upload “one-off” ou um pagamento de assinatura anual dos artistas.

Isso representa uma grande mudança no conteúdo de áudio enviado pelo usuário para o Spotify. Tradicionalmente, esse é o domínio do SoundCloud, que oferece um “Plano Pro”, de 15 dólares mensais,  onde artistas podem fazer upload de faixas ilimitadas e dá acesso a ferramentas de “insight”. No SoundCloud também há uma opção gratuita, porém limitada.

Não se sabe se a gratuidade do novo recurso será perpétua, porém o próprio CFO, Barry McCarthy, já mencionou que para empresa ser bem sucedida deve-se construir um “mercado de dois lados” visando a melhoria das margens brutas.

O Spotify esclareceu para o portal MBW que sua nova ferramenta de upload só será aberta para as partes que detêm os direitos autorais de suas gravações – e que os sistemas de filtro foram “colocados em prática para impedir que conteúdos potencialmente infratores entrem no serviço”.

Leia na origem

SOUNDCLOUD SLASHES 40% OF STAFF AS FINANCIAL REALITY HITS HARD

Mais uma notícia ruim sobre o Soundcloud. Após quatro de seus executivos deixarem a empresa de streaming alemã nesse ano, agora 40% de seus colabores foram demitidos.

O SoundCloud está fechando seus escritórios em Londres e São Francisco para reduzir custos. São 173 funcionários cortados de um total de 420. O negócio continuará em operação emseus escritórios de Nova York e Berlim.

A empresa anunciou grandes perdas em receitas e o CEO e co-fundador, Alexander Ljung, observou que a empresa pode “ficar sem dinheiro” antes do final de 2017 se não conseguir novos financiamentos. Além disso, há rumores de que Deezer poderia adquirir o SoundCloud em breve.

Leia na origem

Vinyl, the salvation of the music industry in the digital age—in charts, audio and some cats

Matéria de Quartz

Uma análise sobre os hábitos de consumo de música entre os americanos e a volta do vinil. Confira!

Neste mês vimos duas notícias importantes para a indústria da música: A demissão de 40% dos funcionários do SoundCloud e a volta da produção de vinil pela Sony Music. Essas notícias devem ser avaliadas como o reflexo das mudanças do consumo de música.

O site Quartz publicou uma pequena análise sobre essas notícias, destacando a volta do vinil e a relação de consumo dos americanos.

Leia na origem

‘THE VALUE OF CREATIVE ASSETS IS SYSTEMATICALLY BEING TAKEN AWAY FROM ARTISTS AND MUSIC COMPANIES’

Darius Van Arman é fundador de uma gravadora independente chamada “Jagjaguwar”, ele comenta sobre a “Safe Harbor”, lei que favorece serviços como o YouTube .

A gravadora Jagjaguwar, de Darius, conta com artistas parceiros como Bon Iver, Angel Olsen, Jamila Woods, Dinosaur Jr., Sharon Van Etten e Unknown Mortal Orchestra. lém disso, Van Arman também é fundador e co-proprietário do Secretly Group, um grupo independente de gravadoras como a Dead Oceans, The Numero Group e Secretly Canadian –

No blog do site MBW ele fala sobre as chamadas leis de Safe Harbors, ou “portos seguros” onde favorecem os serviços de internet, como YouTube e SoundCloud, mas precisam ser revisadas.

Leia na origem

SoundCloud ganha função que facilita a descoberta de músicas novas

Matéria de Tudocelular.com

O Soundcloud anunciou um novidade para seus usuários. O “The Upload” usará a “inteligência artificial na criação de uma playlist com base no gosto de cada usuário”.

“Por meio do aprendizado de máquina, o app agora é capaz de estudar as faixas reproduzidas pelo perfil para montar uma lista de títulos só com os possíveis gostos de cada um. Quem ouve rock, por exemplo, receberá uma lista com sons mais pesados”.

Outros serviços de streaming já possuem essa opção, porém será algo muio bom para os usurários  descobrirem novas músicas.

Leia na origem

NAPSTER FINANCIALS SHOW ITS NET LOSSES MORE THAN HALVED IN 2016

Matéria de Gizmodo

De Spotify a SoundClound, com a dificuldade de construir um negócio rentável de streaming de músicas, descubra quais os serviços apresentam maior rentabilidade e quais estão mais propensos a deixarem de existir.

Apesar de se tornarem o novo jeito de se ouvir música, os serviços de streaming não conseguem ser rentáveis e possuem muito problemas financeiros.

O modelo para assinantes faz com que seja ainda mais difícil para essas empresas ganharem dinheiro, pois ainda há vários custos como infraestrutura, folha de pagamento e marketing. As altas taxas de licenciamento de música pagas às gravadoras somadas às assinaturas tornam as margens de lucro muitas vezes negativas. Lucratividade, mesmo para os maiores players, ainda é em grande parte um sonho. Como resultado, é um jogo onde apenas os serviços com um monte de financiamento e muitos usuários (Spotify), ou um grande apoio por uma “empresa-mãe” e um monte de usuários (Apple Music), são relativamente seguros. Pelo menos por agora.

Nessa briga para alcançar o sucesso como uma plataforma de streaming de músicas, veja uma lista interessante sobre os desafios financeiros que cada serviço de streaming está enfrentando.

Leia na origem

©2022 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?