GLOBOPLAY E LAB FANTASMA SE UNEM PARA PRODUÇÃO DE POSCASTS ORIGINAIS

Primeiro projeto da parceria entre Lab fantasma e Globo inclui Podcast apresentado pela rapper Drik Barbosa.

Na última semana, a Globo anunciou uma parceria com a Lab Fantasma para a produção de Podcasts Originais da Globoplay, incluindo Drik Barbosa e Fióti como apresentadores.

Conforme noticiado pelo Popline.com, o primeiro projeto da parceria será o podcast ‘Sobre Nóiz’, com a rapper Drik Barbosa, que promete envolver o ouvinte com conversas sobre o coletivo:

“O intuito é de ‘desatar nós’ e comprovar que não existe coletivo forte se o indivíduo não estiver fortalecido internamente. A cada episódio, iremos refletir sobre questões importantes da nossa relação com nós mesmos, abordando tudo o que nos atravessa no dia a dia, desde o cotidiano até as profissões. Além de trazer um olhar especial para pautas importantes da sociedade, como movimentos sociais e autocuidado”, contou Drik Barbosa, ao portal.

Evandro Fióti, artista, empresário e sócio na Lab Fantasma comentou sobre a relevância da parceria:

“O Brasil vem liderando o ranking de países com maior crescimento em produção de podcasts e acredito que essa parceria entre nós, da LAB Fantasma, com a Globo vem para consolidar algo importante, com o intuito de criar diversidade de conteúdo que represente a maioria da população brasileira”, destacou o artista.

A data de estreia do podcast será nesta quarta-feira (23/11)!

 

Foto: Divulgação

Leia na origem

APOSTANDO EM ANÚNCIOS DE AUDIO YOUTUBE QUER DOMINAR O NEGÓCIO DE PODCASTS

Matéria de Tubefilter

Novo recurso do YouTube permite que anunciantes possam fazer anúncios em áudio, para serem reproduzidos durante episódios de podcasts.

Na última semana, o YouTube revelou que está lançando anúncios no formato de áudio, para permitir que anunciantes possam alcançar ouvintes de podcasts.

De acordo com o tubefilter.com, anunciantes parceiros do YouTube poderão fazer suas campanhas na plataforma no formato de áudio, e redirecionar o conteúdo promocional para categorias específicas de podcasts, como comédia, notícias e esportes.

Essas campanhas direcionadas se assemelham a alguns dos outros produtos de anúncios do Google. O YouTube Select, por exemplo, conecta marcas a uma seleção de canais com curadoria.

Vale notar que desde a contratação de Kai Chuk como seu primeiro Head of Podcasts, o YouTube tem ganhado terreno sobre seus rivais, e fez um grande progresso em seus negócios de áudio, como o lançamento de um hub apenas para episódios de podcasts. Além disso, um recente estudo publicado em maio revelou que o YouTube é a plataforma mais usada para ouvir podcasts nos EUA.

 

Foto: Os meninos do Podpah, o maior podcast no Brasil/Instagram/Reprodução

Leia na origem

São Paulo lança estúdio aberto ao público com equipamentos profissionais para criação de podcasts

Matéria de Meio & Mensagem

Estúdio em São Paulo é aberto ao público. Saiba como agendar um horário.

A Prefeitura de São Paulo e Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho inauguraram recentemente um estúdio aberto ao público, para incentivar a criação de podcasts.

Conforme explicou o Meio & Mensagem, o Sampacast é uma espaço gratuito, com profissionais e todos os equipamentos necessários para incentivar e fomentar projetos voltados para podcasts, vídeo conteúdo, web séries, entrevistas, lives e outros formatos a serem disseminados nos canais digitais, além do desenvolvimento roteiros, edição de materiais e possibilidade de monetização dos canais.

Quem tiver interesse em usar o espaço, basta agendar previamente um horário entre 10hrs as 18hrs no portal adesampa.com.br/sampacast. O espaço está localizado o Centro de Inovação Verde Bruno Covas – no andar do Hub Green Sampa, localizado na Rua Sumidouro, 580, dentro da Praça Victor Civita, em Pinheiros.

Foto: Alex from the Rock/shutterstock

Leia na origem

RELATÓRIO DA DEEZER DESCOBRE QUE NÚMERO DE OUVINTES DE PODCAST CRESCEU 24 EM 2021

Consumo de podcast na Deezer apresentou aumento em 2021. No ranking dos mais ouvidos da plataforma estão os podcasts Nerdcast, Podpah, O Assunto, Flow e A República das Milícias.

A Deezer publicou recentemente um relatório sobre o consumo de podcasts na plataforma, e anunciou que o consumo deste tipo de áudio cresceu 24% ao longo deste ano.

Conforme o Canaltech, até agora o número de transmissões de podcasts cresceu 32% no Deezer. Além disso, a plataforma de streaming informou que o horário preferido dos ouvintes de podcast é às 8h da manhã, principalmente em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Recife.

A plataforma revelou ainda que há muitos gêneros podcasts, mas os que abordam discussões sobre a sociedade são os preferidos dos ouvintes, em seguida vem os de comédia, espiritualidade e religião.

Com relação ao ranking de podcasts mais ouvidos encontramos o Nerdcast, Podpah, O Assunto, Flow e A República das Milícias.

 

Foto: Reprodução/Deezer

Leia na origem

Rita Lee ganha podcast com entrevistas inéditas sobre sua carreira e impacto na música

A cantora Rita Lee ganhou um podcast com entrevistas inéditas sobre sua carreira e impacto na música. Novidade conta com participações de Xuxa, Tom Zé, Nelson Motta e Marisa Monte.

Nesta terça-feira (27) a Universal Music está voltando com o podcast “Identidade Musical” para contar a trajetória da cantora Rita Lee e seu impacto na música.

Além de depoimentos inéditos da própria cantora e Roberto de Carvalho, ao longo dos quatro episódios o podcast conta com participações de nomes como Xuxa, Tom Zé, Nelson Motta, Marisa Monte, Beto e João Lee.

“Na ditadura, eu era perseguida, nem sabia que eu era. Mas era uma mulher ousada, fazendo rock. Na época eu ia e fazia, ‘Mulher não toca guitarra’, mas por que não? Não entendia, e eu metia as caras. Aí, agora sei que isso é feminismo.”, revelou a cantora durante um episódio.

Vale notar que o “Identidade Musical” também já contou a história do cantor Zeca Pagodinho. Para conferir o resultado, CLIQUE AQUI!

foto: reprodução/Rita Lee

Leia na origem

Warner Music e Spotify firmam acordo para criar podcasts originais do catálogo da gravadora

Com o acordo, Spotify e Warner vão produzir em parceria podcasts para contar histórias por trás dos maiores sucessos da gravadora, permitindo que o ouvinte tenha uma visão sobre o trabalho nos bastidores de artistas e compositores.

Na última sexta-feira (16) a Warner Music anunciou que firmou parceria com o Spotify para criar podcats originais com conteúdo baseado em seu catálogo de artistas e compositores.

De acordo com o Music Business Worldwide, com o acordo as empresas pretendem produzir em parceria podcasts para contar histórias por trás dos maiores sucessos da gravadora, permitindo que o ouvinte tenha uma visão sobre o trabalho de artistas e compositores nos bastidores.

O novo acordo vem um ano após as duas empresas terem atualizado seu acordo de licenciamento global. Além disso, é a primeira vez em que o serviço de streaming anunciou xum acordo envolvendo podcast com uma major (umas das três maiores gravadoras).

Vale lembrar que a Universal Music já tem uma parceria deste tipo desde 2019 com a editora de podcast Wondery, recentemente adquirida pela Amazon Music.

A Warner Music já produz uma série de podcasts, como o ‘WHOOOSH!’, curado e apresentado por Simon Le Bom, e o podcast oficial do Prince, feito em colaboração com os administradores de sua propriedade.

A gravadora também produz outros podcasts como o ‘Digging Deep’, de Robert Plant; o ‘Good Ol Grateful Deadcast’, apresentado pelo músico Rich Mahan, e o ‘The Rhino Podcasts’, que conta histórias de lendas como Aretha Franklin, Todd Rundgren e John Densmore do The Doors.

Recentemente, a Warner Music lançou o podcast ‘BLK In America da Topsify’, que mostra artistas negros como Nasty, Chaka Khan e Keedron Bryant discutindo o que significa ser negro na América.

Para Oana Ruxandra, EVP, Diretora de Desenvolvimento de Negócios e Diretora Digital da Warner Music “os podcasts oferecem uma oportunidade de agregar valor para artistas e compositores, oferecendo histórias novas e exclusivas para fãs de todo o mundo”.

Leia na origem

SPOTIFY ADQUIRE O LOCKER ROOM, APP CONCORRENTE DO CLUBHOUSE

Com a aquisição, Spotify pretende usar a nova ferramenta para criar uma experiência de áudio, com recursos interativos que permitirá a conexão de músicos, compositores, podcasters e vários criadores de conteúdo ao seu público em tempo real.

Nesta segunda-feira, o Spotify anunciou que adquiriu o Betty Labs, dona do Locker Room – aplicativo de áudio concorrente do ClubHouse. De acordo com o Music Business Worldwide, recentemente o CEO Daniel Ek já havia mencionado seu interesse em adicionar recursos de rede social à sua plataforma de streaming e que estava atento a tudo o que acontece ao redor do mundo com relação, principalmente, às tecnologias que envolvem áudio.

Desde outubro de 2020, o Locker Room se destacava por ser semelhante ao Clubhouse, mas o foco era apenas oferecer salas de bate-papo com temas relacionadas ao esporte. Com a aquisição, o Spotify deseja usar a nova ferramenta para criar uma experiência de áudio ao vivo, com recursos interativos que permitirão aos criadores se conectarem com o público em tempo real.

“Daremos a atletas profissionais, escritores, músicos, compositores, podcasters e outras vozes globais oportunidades para hospedar discussões em tempo real, debates, sessões de pergunte-me qualquer coisa e muito mais”, afirmou o serviço de streaming .

Olhando para o futuro, o Spotify diz que vai aproveitar os “dados, insights e força incomparáveis ​​da empresa na experiência do usuário para construir um complemento completo de ofertas ao vivo e sob demanda para usuários e criadores em todo o mundo”.

O fundador e CEO da Betty Labs, Howard Akumiah, disse que está animado com a nova jornada e vai contribuir para melhorar a experiência dos usuários no Spotify: “Estamos entusiasmados em unir forças com o Spotify e contribuir para a construção do futuro do áudio – vamos investir mais em nosso produto, abrir a experiência para o público do Spotify, diversificar nossas ofertas de conteúdo e continuar expandindo a comunidade que construímos”.

“Com o Spotify, continuaremos a oferecer o melhor lar para os fãs de esportes e usar as lições que aprendemos ao longo do caminho para criar o destino final para conversas ao vivo sobre música e cultura.”, complementou o executivo.

 

Foto: sdx15 / Shutterstock

Leia na origem

Clubhouse: Nova rede social quer gerar monetização para criadores de conteúdos independentes.

Matéria de Época Negócios

Conheça o Clubhouse, nova rede social baseada em audio é a queridinha das celebridades como Oprah Winfrey, Drake, Chris Rock, Ashton Kutcher e Elon Musk.

Nesta semana o Clubhouse foi destaque em vários portais sobre tecnologia. Isto porque a nova rede social queridinha das celebridades anunciou que deseja monetizar o seu conteúdo.

Lançada em março de 2020, o Clubhouse conta com 2 milhões de usuários. Na rede social,o  o usuário pode ouvir chats de áudios com palestras, músicas, papos sobre tecnologia e muito mais, dependendo dos filtros de assuntos pesquisados. O que lembra muitas vez aos podcasts.

Há ainda, uma possibilidade de chats privados, quando o usuário quer usar a plataforma apenas para interagir com seus amigos.

Para entrar no Clubhouse o usuário precisa de um convite, o que torna a experiência exclusiva. Tanto que várias celebridades como Oprah Winfrey, Drake, Chris Rock e Ashton Kutcher são alguns dos famosos que já estão usando a plataforma.  Recentemente, Elon Musk, fundador da Tesla e da SpaceX, participou pela primeira vez de uma sala de chat na rede social para falar sobre Tecnologia, Biticoin, Marte e GameStop.

Segundo o CEO Paul Davison, a rede social avaliada em US$1 bilhão está procurando maneiras de monetizar o conteúdo criado por seus usuários. Conforme a Época Negócios, a ideia é permitir que criadores independentes recebam fundos diretamente de seu público. Não se sabe se o Clubhouse ficaria com alguma porcentagem desta renda.

“Há tantas pessoas incríveis que são inteligentes, engraçadas, têm experiência no tema, e são realmente excelentes em reunir as pessoas”, contou  Davison à CNBC. “E o que queremos é permitir que elas ganhem a vida diretamente no Clubhouse, por meio de coisas como assinaturas e eventos com ingressos, e recebendo dicas de ouvintes que ficarão felizes em pagá-los diretamente pelas experiências que estão criando para eles.”

Atualmente a rede social está disponível gratuitamente apenas para iPhone, sem monetização para produção de conteúdo, ou plano premium. Entretanto, o CEO já confirmou que novidades neste sentido devem vir em breve.

 

(Foto: Thomas Trutschel/Photothek via Getty Images)

Leia na origem

FINANCIAMENTO COLETIVO DO NERDCAST SE TORNA O MAIOR DA AMERICA LATINA

Com coleção ‘Nerdcast RPG: Cthulhu’, que inclui livros, quadrinhos e colecionáveis, Nerdcast já arrecadou mais de R$6,6 milhões, quebrando recorde no Cartase.

Nesta semana, o Nerdcast, um dos podcasts mais famosos no Brasil sobre cultura pop, cotidiano e curiosidades, anunciou que sua campanha de financiamento coletivo alcançou a marca de R$6.666.666,66, se tornando o financiamento de maior valor arrecadado do país e da America Latina, além de quebrar recorde no Cartase.

De acordo com o Super Literário, o Grupo Jovem Nerd anunciou uma campanha de financiamento coletivo para lançar uma coleção completa de livros, quadrinhos e colecionáveis de sua série ‘Call of Cthulhu’.

A iniciada que se iniciou em dezembro de 2020, terminou o ano com 5 milhões de reais arrecadados. Agora em Janeiro de 2021, o valor arrecadado bateu a marca de R$6.666.666,66, sendo que a cada conquista, novas metas serão dadas, assim como o anúncio de recompensas ainda melhores para os fãs. A maior recompensa esperada pelo grupo passa dos 8 milhões financiados. Será que eles vão conseguir?

Vale lembrar, que recentemente o Nerdcast entrou para o catálogo exclusivo de podcasts do Globoplay.

 

Imagem: As próximas metas do crowdfunding do Nerdcast/Divulgação

Leia na origem

Spotify permitirá incluir músicas inteiras em podcasts

Matéria de The Verge

O Spotify anunciou que está liberando a inclusão de músicas inteiras em podcasts. Os ouvintes poderão também salvar as músicas para ouvir mais tarde.

Nesta quarta-feira, o Spotify anunciou que finalmente está liberando o uso de músicas em podcasts. Com o auxílio da Anchor, uma plataforma para criação de podcasts, criadores poderão inserir músicas inteiras durante um episódio.

Segundo o The Verge, com a novidade, os criadores poderão apresentar programas parecidos como os da programação de rádio, sem ter que se preocupar com questões de direitos autorais.

Por enquanto apenas criadores exclusivos do Spotify nos EUA, Reino Unido, Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Irlanda terão acesso a este novo formato. Não foi informado quando a novidade será liberada no Brasil.

Vale notar que este é um grande passo do Spotify à frente da concorrência. Uma vez que apenas podcasts exclusivos da plataforma poderão usar o recurso. Outros criadores terão que editar episódios para não inserir músicas em plataformas que ainda precisam fazer acordos de licenciamento com gravadoras. Ou até mesmo ficarão impedidos de lançar estes conteúdos em outras plataformas.

Com relação à remuneração de artistas e compositores, ficou estabelecido que os músicos continuarão a ser pagos de acordo com a quantidade de plays.

Para ouvir as músicas inteiras em podcast será necessário ser assinante Premium. Os usuários gratuitos poderão ouvir apenas uma amostra de 30 segundos de cada faixa, sendo que eles não poderão dar o play nas músicas diretamente; eles só poderão reproduzi-las aleatoriamente.

Além da novidade, o serviço de streaming está lançando sete séries originais e exclusivas que vão aproveitar o formato e fazer da música um foco central. Os ouvintes desses programas poderão interagir com a playslist de cada episódio, salvar as músicas para ouvir mais tarde e pular para diferentes segmentos.

 

Foto: reprodução

Leia na origem

©2022 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?