Para conquistar novos fãs, Madonna aposta no mercado latino

Matéria de EL PAÍS

Seguindo tendência de crescimento do mercado latino, Madonna realiza parceria com Maluma e Anitta para conquistar novos públicos.

Nesta quarta-feira, Madonna lançou o primeiro single de seu novo álbum, Madame X. Em parceria com o artista colombiano Maluma, Medellín é uma aposta para conquistar o mercado latino que cresceu 16,8%, em 2018.

Madonna é uma artista que sempre se reinventa e busca estar atualizada com o que é tendência no mercado da música. Nos últimos anos, tem realizado parcerias com artistas como Justin Timberlake (em 4 Minutes) e Nicki Minaj (em Give Me All Your Luvin’ e Bitch I’m Madonna).

Desta vez, a maior artista pop do mundo quer conquistar novos fãs apostando no mercado latino de música que em 2018 foi líder em expansão, graças aos serviços de streaming, de acordo com o último relatório da Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI, sigla em inglês).

Para chegar ao novo público das redes sociais, Madonna escolheu Maluma. Afinal, o colombiano possui 40,7 milhões de seguidores no Instagram. Além do artista, está confirmado que a cantora brasileira Anitta está marcando presença no álbum com um funk. De acordo com o El País, sua contagem no Instagram é de 37 milhões de seguidores.

Madame X será o 14º disco de estúdio da carreira de Madonna e será lançado em junho deste ano.

 

Que tal concorrer ao livro DIREITO AUTORAL NO BRASIL,  de José Carlos Costa Netto? Clique AQUI e veja nosso post oficial! O sorteio vai rolar neste sábado (20/04) em nosso Instagram! Não perca!

Leia na origem

IFPI Global Music Report: Os números da música em 2018

O tão esperado relatório “Global Music” da IFPI – Federação Internacional da Indústria Fonográfica foi publicado. Em 2018, as receitas de música no mundo foram de US$19,1 bilhões, com crescimento de 34% nas receitas de streaming e America Latina, especialmente o Brasil, apresentando maior crescimento regional pelo quarto ano consecutivo.

Foi publicado hoje (02/4), o novo relatório “Global Music” da IFPI – Federação Internacional da Indústria Fonográfica – sobre os números da música em 2018. De acordo com o relatório, o mercado global de música gravada cresceu 9,7%, o quarto ano de crescimento consecutivo. As receitas chegaram ao total de US$19,1 bilhões.

A receita de streaming cresceu 34% e foi responsável por quase metade (47%) da receita global, impulsionada por um aumento de 32,9% de assinaturas pagas. Foram registrados 255 milhões de usuários pagos nos serviços de streaming, representando 37% do total de receita de música gravada. No entanto, houve queda de 10,1% na receita de formatos físicos e um declínio de 21,2% na receita de downloads.

Pelo quarto ano consecutivo, a América Latina foi a região que mais cresceu (+16,8%), com destaque de crescimento para o Brasil (+15,4%) e o México (+14,7%). A região da Ásia e Australásia (+11,7%) cresceu e se tornou a segunda maior região de receita física e digital combinada, especialmente na Coréia do Sul (+17,9%).

O presidente-executivo da IFPI, Frances Moore,  comentou o resultado:  “As gravadoras continuam investindo em artistas, pessoas e inovação, tanto em mercados estabelecidos quanto em regiões em desenvolvimento, que estão cada vez mais se beneficiando de fazer parte do panorama global da música atual”.

“À medida que os mercados de música continuam a se desenvolver e evoluir, é imperativo que a infra-estrutura legal e comercial apropriada esteja presente para garantir que a música seja valorizada e que as receitas sejam devolvidas aos detentores dos direitos para apoiar o próximo ciclo de desenvolvimento”, afirmou Moore.

Moore também comentou sobre a importância do reconhecimento dos direitos autorais na música: “Continuamos a trabalhar pelo respeito e reconhecimento dos direitos autorais de música em todo o mundo e pela resolução da lacuna de valor [value gap], estabelecendo condições equitativas para negociar um acordo justo para quem cria música. Acima de tudo, estamos trabalhando para garantir que a música continue sua emocionante jornada global.”

Principais números de 2018:

– Crescimento de receita global: + 9,7%

– Receita de streaming é de 46,8% do total global

– Crescimento nas receitas de streaming pago: + 32,9%

– Receitas físicas: -10,1%

– Receita de download: -21,2%

 

Foto: MaxPixel

Leia na origem

RIAA: Streaming gera 93% das receitas de música latina

Matéria de Billboard

Em novo relatório da RIAA, Recording Industry Association of America, o streaming agora representa 93% da receita total de música latina nos EUA.

Em novo relatório da RIAA, da Recording Industry Association of America, o streaming agora representa 93% da receita total de música latina nos EUA.

Segundo o novo relatório, as receitas de música latina nos Estados Unidos cresceram 18% em 2018, representando US$413 milhões. É o segundo ano consecutivo de crescimento de dois dígitos no mercado latino-americano de música.

No relatório, a RIAA informa que está havendo uma transformação da música latina impulsionada pelo streaming. As assinaturas latinas nos EUA representam 58% do total.

As assinaturas pagas para serviços como a Apple Music e Spotify Premium cresceram 48% ano a ano (US$239 milhões). As receitas de serviços suportados por anúncios sob demanda (YouTube, Vevo ) cresceram 34% (US$91 milhões).

O relatório informou que artistas como J Balvin, Daddy Yankee, Karol G e Ozuna estão contribuindo para o crescimento digital da música latina.

A música latina agora representa 4,2% do total de US$9,8 bilhões nos negócios de música dos EUA. Vale lembrar que a RIAA adicionou estimativas de gravadoras e distribuídas latinas indies.

As vendas de downloads digitais caíram 23% (US$20 milhões). A receitas de formatos físicos totalizaram US$6 milhões, uma queda de 63% em relação a 2017. Combinadas, elas representavam apenas 6% das receitas de música latina dos EUA, seu nível mais baixo até hoje.

“No geral, o mercado de música latina está mostrando sinais de força novamente”, concluiu o relatório”.

Leia na origem

Com Bieber, ‘Despacito’ é 1ª música latina a liderar Spotify

Matéria de VEJA.com

O remix da música “Despacito”, dos artistas porto-riquenhos Luis Fonsi e Daddy Yankee, “se tornou nesta quinta-feira a primeira canção latina a liderar a parada global de execuções do Spotify, o serviço de streaming de música”.

A música que agora conta com participação de Justin Bieber, saltou de “2 milhões de ouvintes mensais para 22 milhões, o que fez dele um dos 30 artistas mais ouvidos na plataforma”.

“Despacito também é líder entre os usuários do Spotify no Brasil, um dos países que mais têm seguidores de Luis Fonsi no Spotify. A versão original da música, sem a participação de Justin Bieber, é outra a ir bem nos rankings do site. Ela é a 5ª colocada no país e a 12ª no mundo, na mesma parada que lidera com seu remix — a das 50 faixas mais tocadas. Mais executada em lugares como Alemanha e Dinamarca, Despacito – Remix está no top 20 de pelo menos 14 países que não falam na língua espanhola”.

Leia na origem

After a Decade of Loss, the Latin Music Market Finally Experiences Growth

Matéria de Digital Music News

Depois de uma década de queda, vendas latinas estão crescendo nos EUA. Nova pesquisa da RIAA afirma que graças ao streaming de música, a música latina cresceu 3%, ou seja, US$ 176 milhões em 2016.

Esta é a primeira vez em mais de uma década que o mercado de música latina cresceu. De acordo com relatório assinaturas cresceram 89% ano-a-ano, ou seja, US$ 52 milhões. Isso inclui 30% do mercado global de música. Em 2015, o streaming de assinatura pago para o mercado latino gerou apenas US$ 28 milhões.

No entanto, após a decisão da SiriusXM de encerrar várias estações latinas, as receitas da distribuição SoundExchange caíram 25% ano a ano. Os artistas latinos só receberam US$ 44,2 milhões em relação aos US $ 58,9 milhões do ano anterior.

Continuando as mesmas tendências do mercado geral da música, as vendas de CDs e downloads digitais cairam. Os downloads de álbuns digitais viram um declínio de 39%. As faixas digitais caíram 22%. O total de downloads digitais caiu 28% para US $ 21 milhões. As receitas de remessas físicas caíram 26%, US $ 22 milhões. No ano passado, os downloads digitais e os embarques físicos representaram 12% do mercado latino. Análise completa na notícia.

Leia na origem

Deezer to Launch Reggaetón Channel

Matéria de Billboard

Deezer lançou novo canal chamado Reggaetón em sua plataforma para atender público latino.

A estação se junta a uma lista de outros canais dedicados a música latina, incluindo Música Mexicana (Mexicana regional), Salsa e Brasileña.

Para Jorge Rincón, Vice-presidente da Deezer na América do Norte, a Deezer ao observar os dados percebeu o crescimento dos gêneros latinos e o Reggaetón está conquistando a todos os usuários, tanto que ganhou um espaço diferenciado, ao invés de ser incluso nas listas de músicas latinas.

A Deezer está procurando apoiar os artistas emergentes. É uma prioridade para a Deezer, que recentemente se uniu à Univision para promover e exibir artistas latinos em ascensão.

O canal Reggaetón de Deezer está agora disponível na América do Norte e América Latina.

Leia na origem

©2019 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?