BEGGARS GROUP: AO REPASSAR PARTICIPAÇÃO DO SPOTIFY, GRAVADORA INDEPENDENTE PRIORIZA ARTISTAS.

O Beggars Group priorizou os artistas ao repassar os valores das ações vindas da abertura de capital do Spotify, no ano passado.

Uma das gravadoras independentes mais bem-sucedidas do mundo, o  Beggars Group, revelou que reembolsou a seus artistas 44% de sua porcentagem das vendas das ações vindas da abertura de capital do Spotify.

“Durante o ano, recebemos o resultado da venda de nossas ações no Spotify. Acreditamos que nossos artistas devem compartilhar igualmente nesse ganho inesperado. Então, contabilizamos 50% dessas receitas para todos os nossos artistas, passados ​​e presentes. Depois de permitir o reembolso, 44% foram pagos em dinheiro”, informou a gravadora em nota.

Essa é uma iniciativa diferente em comparação às outras gravadoras, que preferiram repassar os valores com base na taxa de royalties do artista, o que resulta em um valor bem menor. A Sony Music foi a única em optar por não repassar nenhum valor.

“Algumas outras empresas aparentemente distribuíram essas receitas com base na taxa de royalties do artista, o que significa que teriam pago uma porcentagem muito menor, independentemente de recuperação”, continuou o Beggars.

O Beggars conseguiu sua participação das vendas das ações do Spotify, por ser um dos membros fundadores da Merlin, agência comercial independente, ano passado. Na época, a entidade arrecadou US$130 milhões.

Segundo o Music Business Worldwide, o Beggars movimentou £74,16 milhões (aproximadamente US$100 milhões) em 2018.

Em nota sobre seus balanços financeiros, o Beggars informou que deseja investir em infraestrutura e tecnologia para acompanhar mercado cada vez mais exigente:  “O negócio continua investindo em infraestrutura de TI para lidar com a complexidade de formatos, canais e territórios. Levamos a sério nosso compromisso de prestar contas de forma transparente e precisa aos nossos artistas, sem depender de terceiros. Nós construímos nossos próprios dados e nossa plataforma todo mês processa mais de 1 bilhão de transações digitais. São 200 Provedores de Serviços Digitais cobrindo 241 países, com uma taxa de comparação de metadados de 99,9%”.

Leia na origem

Merlin Strikes Deals With Chinese Streaming Services, Bringing Independent Music to 500 Million Users

Matéria de Billboard

A Merlin realizou cinco parcerias com serviços de música digital para alcançar 90% de todos os usuários de música na China.

O destaque do dia é o setor de música independente Chinês. A Merlin, agência global de direitos digitais para o setor de selos independentes, anunciou que realizou parcerias na China com cinco serviços de música digital: NetEase Cloud Music, da Ali Music Group; Xiami; QQ Music; Kugou e Kuwo. Sendo que os três últimos serviços são operados pela Tencent.

De acordo com a Merlin, esses acordos criarão uma nova oportunidade para os serviços de músicas independentes que desejam entrar no mercado chinês. As parcerias alcançarão um público de 500 milhões de pessoas, o que representa 90% de todos os usuários de música digital naquele país.

Charles Caldas, CEO da Merlin, comunicou que os membros da agência se beneficiarão com esse conjunto de parcerias transformadoras que poderão acelerar o crescimento em um dos mercados mais empolgantes do mundo.

A agência também revelou que cada parceria é feita de forma estruturada com o propósito de promover para seus membros o crescimento futuro, através de relatórios e oportunidades de marketing.

Leia na origem

MERLIN DEALS PAYING OUT THE EQUIVALENT OF NEARLY $1M A DAY TO INDEPENDENT LABELS

A Merlin, agência de direitos digitais, divulgou seu relatório anual, anunciando que pagou a seus membros cerca de $353 milhões nos 12 meses até o final de março deste ano – o equivalente a quase US$ 1 milhão por dia.

Ao todo, foi um aumento de 52%, ou US $ 121 milhões. A Merlin realiza negócios digitais para mais de 700 membros independentes em todo o mundo, comandando cerca de 12% de participação no mercado.

A Merlin ainda prevê que se esse aumento se repetir, daqui há um ano, serão pagos mais de US$ 500 milhões (cerca de US$ 536 milhões) a seus membros, ou seja, 13 vezes mais do que se arrecadou em 2012/2013.

Vale lembrar que a organização recentemente assinou um novo acordo de licenciamento o Spotify.

Leia na origem

Indie Labels Say Spotify Is Paying 3X Better Than YouTube

Matéria de Digital Music News

Em relatório, a Merlin afirma que o YouTube não paga artistas como o Spotify.

“O YouTube tem sido considerado a perdição da indústria da música”. Graças, em parte, à lei Safe Harbor, a plataforma de vídeo pode pagar o mínimo necessário para as principais gravadoras e artistas.

Enquanto isso, a história é outra para o Spotify, que está avançando com seus planos de ir à IPO, resolveu grandes processos judiciais e tentou pagar mais. Por isso, a confirmação de que o paga muito mais do que o YouTube.

No relatório realizado pela A2IM, a Merlin Network apresentou os resultados de uma pesquisa com os membros da organização, enquanto os serviços de streaming de música, como o Spotify, fornecem grandes receitas para os membros do Merlin, o mesmo não acontece com o streaming de vídeo, o desempenho é inferior.

A agência mundial de direitos digitais confirmou que o streaming de músicas ultrapassou os serviços de transmissão de vídeo, como o YouTube. No relatório, em comparação ao mês de março de 2017 com o ano anterior, o crescimento da receita do streaming de áudio supera o streaming de vídeo a uma taxa de mais de 3 para 1. Além disso, 42% de seus membros disseram que “o YouTube representa menos de 5% de suas receitas digitais”, provando a existência do “Value Gap”.

Leia na origem

The Orchard expands European reach with double acquisition

Matéria de @MusicWeek

Charles Caldas, CEO da Merlin, não está contente com as aquisições realizadas pela gravadora “The Orchard”, que pertence a Sony.

A gravadora “The Orchard”, que pertence a Sony, anunciou a aquisição de dois novos distribuidores independentes, o Finetunes e o Phonofile AS. O acordo permitirá que ambas as empresas se tornem subsidiárias integrais da The Orchard, ampliando sua presença em toda a Europa.

No entanto, o CEO da Merlin, Charles Caldas, se pronunciou sobre aquisições dizendo que elas terão um impacto negativo sobre o mercado indie, uma vez que esse tipo de ação reforça as quotas de mercado das grandes gravadores que usam o valor de artistas indie para extrair um valor desproporcional do mercado em suas negociações com serviços digitais. Esse valor flui apenas de uma maneira, e não é distribuído para as gravadoras indie e seus artistas que realmente criam esse valor.

Leia na origem

Merlin Reduces Fees For Indies 25%, Royalty Distributions Soar

Matéria de hypebot

A Merlin, agência global independente de direitos digitais anunciou uma redução em suas taxas administrativas. Ação vem após acordo de licenciamento com Spotify.

Desde 2012, esta é a sexta vez que a Merlin reduz suas taxas, uma queda de quase 80%. Esse período (2012-2017) também registrou um aumento de oito vezes nas distribuições de royalties da Merlin para os membros, de US $ 36 milhões em 2012 para US $ 300 milhões nos últimos 12 meses.

Charles Caldas, CEO da Merlin se pronunciou dizendo que está orgulhoso por anunciar primeiro o acordo com o Spotify, e agora anunciar também outra redução na taxa administrativa da empresa. Isso significa que além de oferecer o máximo do valor de negócios digitais aos membros, a Merlin se destaca pelo compromisso de proporcionar eficiências cada vez maiores.

Leia na origem

What is “Music Windowing?” And What Should You Care? Here’s Why.

Você sabe o que é “Music Windowing”? A música está seguindo os passos do cinema. Entenda.

Os novos contratos do Spotify com a Universal e Merlin indicam mudanças no serviço de streaming. Nos acordos estabelecidos, assinantes do plano Premium terão exclusividade para ouvir os novos hits. Só após duas semanas do lançamento os ouvintes gratuitos terão acesso às músicas. Esse processo é chamado “Windowing”, ou “Janela”.

O “Windowing” já acontece com a indústria do cinema. Quando um filme é lançado, ele fica nos cinemas por um determinado período de tempo e a partir daí, ele é entregue para a demanda, sistemas de entretenimento aéreo e quartos de hotel. Depois disso, ele é lançado em DVD e mostrado em canais de TV a cabo Premium e Netflix. Por último, segue para as redes de TV e a cabo básico. Cada uma dessas etapas é chamada de “Janela”.

O objetivo desse processo é conseguir que mais pessoas paguem por streaming, garantindo assim melhores desembolsos para os artistas e um possível entendimento de que música deve ser paga e assim, o Spotify poderá conseguir sobreviver financeiramente.

Leia na origem

Merlin signs new windowing deal with Spotify

Matéria de @MusicWeek

Merlin e Spotify firmam acordo para oferecer maior flexibilidade para novos lançamentos e colaborar em campanhas de marketing inovadoras em toda a plataforma Spotify.

O novo acordo permitirá que os membros da Merlin participem da política de “lançamento flexível” recentemente anunciada pelo Spotify, no qual permite que os artistas lancem suas músicas antecipadamente para assinantes Premium do serviço.

O novo acordo também fornecerá à UMG um acesso sem precedentes aos dados, criando a base para novas ferramentas para artistas e gravadoras para expandir, engajar e construir conexões mais profundas com seus fãs.

Leia na origem

©2021 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?