Trace Brazuca chega ao Brasil com programação focada na cultura afro e feita por profissionais negros

Matéria de G1

O Trace Brazuca chegou neste sábado no Brasil com uma programação de filmes, shows, músicas e documentários sobre a cultura afro.

No último sábado (25), a TV brasileira ganhou um novo canal, o Trace Brazuca – focado em cultura afro e feito por profissionais negros.

A data escolhida para o lançamento do canal no Brasil, não poderia ser outra, já que no dia 25 de Julho é celebrado o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha.

Segundo o G1, a Trace Tv é uma marca já reconhecida em países como Estados Unidos, França, Reino unido, África e Caribe.

Por aqui, a programação conta com documentários, música, shows e filmes. O destaque vai para o especial de filmes da cineasta Sabrina Fidalgo: “Rainha”, “Personal Vivator” e “Rio encantado”.

Vale notar que estamos vivendo uma mudança na cultura pop mundial, graças ao movimento ‘Black Lives Matter’, provocado pela onda de protestos antirracistas nos Estados Unidos.

 

Foto: Reprodução/Trace Brasil

Leia na origem

Associação diz que prejuízo na indústria do entretenimento deve chegar a R$70 bi no Brasil

Matéria de G1

Pelo menos 450 mil pessoas do setor do entretenimento estão desempregadas no Brasil.

A Apresenta Rio – associação representante de diversas empresas da indústria do entretenimento –  está prevendo que cerca de 1,5 milhão de pessoas estão desempregadas desde o início da pandemia no Brasil. Pelo menos 30% (450) mil estão no estado do Rio. (Via G1)

O diretor-presidente da associação, Pedro Augusto Guimarães, avalia que o prejuízo deve chegar na casa dos bilhões:

“Sendo bem conservador nos cálculos, se as coisas continuarem como estão, até o fim do ano o prejuízo na área de shows e eventos no Rio deverá estar próximo dos R$70 bilhões”, avalia o diretor.

Segundo o G1, São Paulo e Rio de janeiro são os estados em que mais se concentram eventos e shows de grande porte no país. Neste ano, apenas o Carnaval gerou mais de R$4 bilhões.

“O setor que agrega shows, espetáculos, eventos e turismo representa 5% do Produto Interno Bruto fluminense, fica atrás apenas da indústria de óleo e gás. Mais de 80% da cadeia de trabalho nessa área é temporária – quando não há eventos e shows, essas pessoas ficam desempregadas e impossibilitadas de pagarem suas contas. Só que nunca vivemos uma situação na qual a paralisação das nossas atividades se prolongasse de forma tão extensa”, afirma Pedro Augusto.

Para a associação, alguns eventos já poderiam estar acontecendo mediante as medidas de segurança necessárias, e por isso, se reuniu com a prefeitura e o Governo do Estado.

“É claro que ninguém espera fazer um show gigantesco na praia com milhares de pessoas aglomeradas na areia. Mas acreditamos que um cinema ou teatro, que cumpra as exigências de higiene e segurança, com um público reduzido, poderia funcionar.”, sugeriu Pedro Augusto.

O diretor ainda ressaltou dois pontos:

“Temos que pensar desde já na realização de dois eventos: o réveillon de 2020 e o carnaval de 2021. Essas festas são cruciais para a economia da cidade e não podemos esperar muito mais para começar o planejamento de nenhuma das duas. Além disso, os projetos que dependem de leis públicas de incentivo não podem perder esse financiamento de jeito nenhum”, concluiu.

 

#DicaMCT: Concorra a bolsas para o EAD Música e Negócios Puc-Rio em nosso Instagram! 

Leia na origem

SESC LANÇA EDITAL DE INCENTIVO A PRODUÇÃO CULTURAL EM TEMPOS DE PANDEMIA

Serão selecionados mais de 400 projetos culturais e educativos, incluindo podcasts, que serão transmitidos na plataforma do Sesc e redes sociais. Saiba como inscrever o seu projeto.

O Sesc lançou um edital de R$587 mil para incentivar a produção artística durante a pandemia. Segundo o Sesc Cultura ConVIDA, serão selecionadas mais de 400 propostas culturais nas áreas da arte educação, artes cênicas, artes visuais, audiovisual, biblioteca/literatura, música e patrimônio cultural que serão transmitidas através de sua plataforma online e redes sociais da instituição.

As inscrições estão abertas até o dia 7 de junho. Para se inscrever, o candidato deve seguir as normas do EDITAL e preencher o formulário online.

A iniciativa pretende criar oportunidade à classe artística, afetada pelos cancelamentos de eventos perante a pandemia do novo coronavírus.

 

Foto: Divulgação

#DicaMCT: FastForward Podcast: O Streaming na Pandemia e Projeções Para o Futuro . OUÇA AQUI!

Leia na origem

Câmara aprova projeto para repassar R$3 Bi ao setor cultural durante a crise do coronavírus

Matéria de G1

O dinheiro será repassado ao setor cultural através de medidas como o pagamento emergencial de três parcelas de RS600 aos profissionais informais, atividades artísticas e culturais que possam ser transmitidas pela internet e ainda linhas de crédito.

Nesta terça-feira (26) a Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei para beneficiar o setor cultural perante a crise do coronavírus.

O projeto deve repassar R$3 bilhões ao setor através de medidas como o pagamento emergencial de três parcelas de RS600 aos profissionais informais, atividades artísticas e culturais que possam ser transmitidas pela internet e ainda linhas de crédito (Via G1).

Aprovado pela Câmara, o texto deverá ser aprovado pelo Senado. O dinheiro do projeto será repassado aos estados, Distrito federal e municípios, que deverão implementar várias políticas como:

– O pagamento de três parcelas de R$ 600 aos trabalhadores do setor ( artistas, produtores, técnicos, curadores, oficineiros e professores de escolas de arte);

-destinação de subsídios mensais (no valor mínimo de R$3 mil e máximo de R$ 10 mil) para manutenção de espaços artísticos e culturais e de micro e pequenas empresas culturais que tiveram as suas atividades interrompidas em razão das medidas de distanciamento social;

– realização de atividades artísticas e culturais que possam ser transmitidas pela internet ou por redes sociais.

Como parte do projeto, bancos federais podem disponibilizar linhas de crédito e condições de renegociação de débitos para trabalhadores do setor cultural ou a micro e pequenas empresas que visam fomentar atividades e aquisição de equipamentos.

A deputada e relatora do projeto Jandira Feghali (PCdoB-RJ), propôs que a lei fosse batizada de “Lei Aldir Blanc”, em homenagem ao compositor, que morreu vítima do novo coronavírus.

“Esta lei foi apelidada por todo o Brasil de Lei de Emergência Cultural. Muitos artistas faleceram neste período da pandemia como Dona Neném da Portela, Rubem Fonseca, Flávio Migliaccio, Moraes Moreira, mas um deles deve dar nome a esta lei pela obra que deixa ao Brasil e por ter sido vitimado pela covid-19, e tenho certeza honrará muito a todas e todos nós. Por isto, quero propor ao Parlamento e à sociedade que chamemos esta lei de Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc”, disse Jandira.

 

#DicaMCT: FastForward Podcast: As Novas Fronteiras Para Games e Música. OUÇA AQUI!

Leia na origem

Regina Duarte deixa Secretaria de Cultura para assumir Cinemateca em SP

Matéria de G1

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta quarta-feira (20) que a atriz Regina Duarte está deixando o cargo de Secretária especial de Cultura e assumirá a Cinemateca Brasileira. O ator Mário Frias está cotado como sucessor da atriz.

Nesta quarta-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro anunciou que a atriz Regina Duarte está deixando o cargo de Secretária Especial de Cultura.

De acordo com o G1, após sair da Secretaria de Cultura, Regina Duarte vai assumir a Cinemateca Brasileira, instituição também vinculada à pasta, responsável pela preservação da produção audiovisual no Brasil.

Em suas redes sociais, Bolsonaro explicou como será o processo de transição da ex-secretária:

“Regina Duarte relatou que sente falta de sua família, mas para que ela possa continuar contribuindo com o Governo e a Cultura Brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em SP. Nos próximos dias, durante a transição, será mostrado o trabalho já realizado nos últimos 60 dias”, afirmou o presidente.

Junto com a publicação foi postado um vídeo gravado no Palácio da Alvorada, no qual Regina e o presidente comentaram sobre a decisão.

No vídeo, Regina contou que o convite para comandar a Cinemateca foi um presente: “Acabo de ganhar um presente que é um sonho de qualquer pessoa de comunicação, de audiovisual, de cinema, de teatro: um convite para fazer cinemateca, que é um braço da cultura que funciona lá em São Paulo, e é um museu de toda a filmografia brasileiro, ficar ali, secretariando o governo dentro da cultura na cinemateca. Pode ter presente melhor do que esse? Obrigado, presidente”

Além disso, a ex-secretária também revelou que se sente ainda mais grata por estar em São Paulo, perto da família:

“A minha família, que é uma coisa a qual eu sempre fui muito ligada. Então, é um presente duplo: é a cinemateca e é também eu estar próxima da minha família, que é uma coisa que eu estou desejando muito”, completou a atriz.

Regina Duarte assumiu a pasta março, quando recebeu a missão de “pacificar” o embate entre a classe artística e a indústria da cultura com o governo federal.

Ainda durante esta quarta-feira, O Globo noticiou que o ator Mário Frias foi convidado para assumir o cargo da Secretaria de Cultura. Até o fechamento da notícia, nada foi confirmado.

Foto: Reprodução/R7

Leia na origem

Moda dos cinemas drive-in no Brasil está voltando com pandemia

Matéria de Exame

Com a pandemia do coronavírus se estendendo, novas formas de entretenimento estão começando a ganhar espaço e outras tendências voltando, é o caso dos cinemas drive-in.

A moda do drive-in – onde o público vê filmes em um espaço aberto, porém dentro de seus carros – está voltando. A alternativa evita a proximidade e contato entre pessoas desconhecidas.

Segundo a Exame, até agora, dois cinemas neste formato já estão em andamento para inauguração. Um deles é o Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, que estará aberto ao público em maio, na Barra da Tijuca.

Com curadoria de Ricardo Cota, da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio, o espaço terá lanchonete com vendas online e terá capacidade para 150 carros. Será permitido apenas 2 pessoas por veículo.

Só falta a liberação de licença para o Allianz Parque, estádio do Palmeiras em São Paulo, passe a oferecer o seu projeto de cinema drive-in. O “Arena Sessions”, terá filmes, shows e até palestras. O serviço de alimentos e bebidas, serão entregues pela janela do carro, evitando contato entre funcionários e espectadores.

Foto: Facebook/Reprodução

#DicaMCT: Nesta quinta-feira (14/05) às 19h, participaremos da live no @musicaemredeoficial. Vamos falar sobre um tema bem comentando por aqui: os ‘Impactos e perspectivas do mercado da música em 2020’. Fique ligado em nosso INSTAGRAM!

Leia na origem

CNC afirma que corte em verbas do Sistema S pode fechar 256 unidades do Sesc e Senac

Matéria de Valor Econômico

Em resposta ao corte de 50% em verbas do Sistema S como medida do Governo para conter a crise do coronavírus, CNC alega que ação pode levar a demissão de mais de 10 mil funcionários que atuam nas unidades do Sesc e Senac.

Na semana passada (27), a CNC – Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo – anunciou em nota que o corte, por três meses, de 50% nas verbas destinadas ao Sistema S pode fechar mais de 250 unidades do Sesc e Senac, além causar a demissão de 10 mil funcionários.

De acordo com o Valor Econômico, a nota foi uma resposta ao pacote de R$2 bilhões criado pelo governo para dar apoio a empresas perante a crise do coronavírus.

Em documento enviado a todos os governadores, a CNC alegou que o corte da verba poderia reduzir cerca de 36 milhões de atendimentos, em sua maioria em áreas carentes.

A entidade afirmou ainda que enviou ao presidente Jair Bolsonaro, aos ministros Paulo Guedes (Economia) e Luiz Mandetta (Saúde), e aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, David Alcolumbre, um plano de R$1 bilhão com ações nas unidades para combater o coronavírus.

Segundo o portal, a CNC deseja com o plano, ampliar e interiorizar ações de atenção primária à saúde, tais como vacinação, coleta de sangue, ações gerais de prevenção, distribuição de alimentos e compra e disponibilização de respiradores e outros equipamentos necessários para o tratamento de infectados.

 

Foto: Comércio de São Paulo vazio por causa da pandemia de coronavírus — Rovena Rosa/Agência Brasil

Leia na origem

Presidente da Funarte afirma que rock leva ao aborto e ao satanismo

Matéria de G1

A declaração do novo presidente da Fundação Nacional de Artes, em seu canal do Youtube, ganhou grande repercussão na mídia nesta semana. Entenda.

Nesta semana, um vídeo do novo presidente da Funarte ganhou grande repercussão pelo país. Isso porque Dante Mantovani afirmou que o rock leva ao aborto e ao satanismo!

Dante Mantovani foi nomeado como novo presidente da Funarte nesta segunda-feira (2). Mantovani possui um canal no Youtube onde discute temas relativos à cultura. Segundo o G1, seu canal possui apenas 6,88 mil inscritos.

No vídeo, o presidente da Funarte fala sobre o surgimento de Elvis Presley: “Na década de 50 apareceu um tal de Elvis Presley com o rock lá que fazia todo mundo sacolejar, balançar o quadril. Todo mundo ama esses caras e começam a ser introduzidos certos comportamentos. O Elvis Presley, por exemplo, morreu de overdose”, afirmou.

O festival de Woodstock, famoso símbolo da contracultura, também foi citado: “Woodstock aquele festival da década de 60 que juntou um monte de gente, os hippies fazendo uso de drogas, LSD. Inclusive existem certos indícios que a distribuição em larga escala de drogas, LSD, foi feita pela própria CIA.”

e continuou: “O rock ativa a droga que ativa o sexo que ativa a indústria do aborto”.

“A indústria do aborto por sua vez alimenta uma coisa muito mais pesada que é o satanismo. O próprio John Lennon disse abertamente, mais de uma vez, que ele fez um pacto com o diabo, com o satanás para ter fama, sucesso”, concluiu.

A Fundação Nacional de Artes é responsável pelo desenvolvimento de políticas ligadas a artes visuais, música, circo, dança e teatro. Atualmente, a instituição está subordinada à Secretaria da Cultura, vinculada ao Ministério do Turismo.

De acordo com o portal, Mantovani assumiu o cargo depois de Miguel Proença, que foi exonerado da presidência da instituição em novembro.

 

Foto: Reprodução/Youtube

Leia na origem

Após negociações, Doria deixa TV Cultura e Netflix em saia justa

Matéria de Folha de S.Paulo

Durante sua visita à California, Tucano continuou afirmando que a Netflix teria fechado parceria para a realização de 30 produções brasileiras, mesmo após o serviço de streaming ter negado tudo. Entenda a situação.

Na semana passada, o governo de São Paulo envolveu a Netflix e a TV Cultura em um grande climão. Isso porque, após uma visita à sede da Netflix, o governador João Doria (PSDB) anunciou que a TV Cultura havia feito uma parceria com o serviço de streaming, a fim de viabilizar estúdios para que a meta de 30 produções brasileiras fossem realizadas em 2020.

Segundo a Folha de São Paulo, em seguida,  a Netflix divulgou uma nota na quinta-feira (21), afirmando apenas que a reunião foi realizada, mas nada foi fechado, pois não possui interesse em realizar acordos no momento.

Não satisfeitos com a repercussão, Doria e seu secretário de Cultura, Sérgio Sá Leitão, realizaram nova entrevista para reafirmar que as negociações ainda estavam de pé. Para o Tucano, a Netflix não confirmou a parceria, pois está em um momento cauteloso já que em será listada na Bolsa de Valores.

A Netflix, não quis mais se pronunciar sobre o assunto. Vale lembrar que o serviço anunciou que investirá cerca de R$350 milhões em conteúdo nacional brasileiro em 2020.

Ainda de acordo com o portal, durante a coletiva posterior à reunião, Doria e Leitão, chegaram a detalhar a oferta, incluindo aluguel de equipamentos e mão de obra.

Doria e a diretoria da Confederação Nacional da Indústria estiveram na Califórnia para visitar empresas de audiovisual e tecnologia.

 

Foto: Mike Blake/Reuters

Leia na origem

Bolsonaro passa conselho audiovisual para Casa Civil e cogita fim da Ancine

Matéria de Folha de S.Paulo

O presidente está insatisfeito com a atual política de fomento ao cinema e fará alterações em sua estrutura, a fim de ter mais influência sobre ela.

Nesta quarta-feira (18), o presidente Jair Bolsonaro transferiu o Conselho Superior do Cinema do Ministério da Cidadania para a Casa Civil, que engloba a antiga pasta da Cultura.

Para o governo, a mudança visa “fortalecer a articulação e fomentar políticas públicas” na área. O decreto foi um dos atos assinados durante cerimônia comemorativa dos 200 dias do governo.

Segundo a Folha, o presidente está insatisfeito com a atual política de fomento ao cinema e fará alterações em sua estrutura, a fim de ter mais influência sobre ela. Além disso, o presidente está planejando extinguir a Ancine (Agência Nacional do Cinema), atualmente em crise.

Segundo o ministro da casa Civil, Onyx Lorenzoni, a atual política pública de incentivo ao cinema precisa ser mudada, pois não mede o sucesso das produções: “Política de cultura, política de cinema precisa ter apoio, sim, mas precisa ter cobrança de resultado”, disse Onyx.

“Quer produzir um filme x, y ou z, quer ir para o mercado e captar sozinho, ok. Agora, para levar recurso público tem que ter retorno, tem que ter qualidade. E uma das coisas que não faz parte da métrica hoje é se tem ou não sucesso, se tem ou não espectador dentro da sala de cinema”, continuou. Durante a cerimônia,  o ministro ainda frisou que a Ancine será transferida para Brasília.

O Conselho Superior do Cinema é de extrema importância para a política nacional de cinema, uma vez que é responsável por formular e aprovar diretrizes para o desenvolvimento da indústria audiovisual, e também tem o dever de estimular a presença do conteúdo brasileiro no mercado.

Foto: Ancine

Leia na origem

©2020 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?