A MONTH AFTER POSTING HEAVY LOSSES, SOUNDCLOUD LOSES TWO TOP EXECS

Após a divulgação de seu Balanço Patrimonial apresentando queda nas receitas, dois executivos deixam a SoundClound.

Foi noticiado que o COO – Diretor de Operações – Marc Strigel e o Diretor de Finanças Markus Harder da SoundClound, deixaram a empresa.

A notícia veio cinco semanas após a divulgação de seu Balanço Patrimonial, onde as perdas foram de 31%. O co-fundador da SoundCloud, Alexander Ljung, afirmou que a empresa pode ficar sem dinheiro,  antes do final de 2017 se não conseguir mais financiamentos.

Em resposta à partida de Strigel e Harder, um porta-voz da SoundCloud disse ao Financial Times que depois  de cinco anos ou mais, eles sentiram que seria a hora de novas aventuras em suas carreiras.

Leia na origem

FEBRUARY 7, 2017:DEEZER TALKS ARTIST MARKETING, METALLICA AND GOING ‘BEYOND THE PLAYLIST’

Sulinna Ong, Vice-Presidente de Marketing da Deezer, fala sobre parcerias e o novo jeito de trabalhar com o Marketing voltado para a Indústria da Música.

Com a ascensão do streaming de música, todo o mercado está em constante mudança. A promoção de artistas também está evoluindo. Há um novo jeito de se fazer Marketing voltado para o mercado da música. Com cada vez mais assinantes, a Deezer está preocupada em promover novos artistas e os que já estão no mercado através de parcerias com a indústria da música.

A recém-nomeada Vice-Presidente de Marketing Sulinna Ong, fala quais as estratégias e expectativas da Deezer para garantir parcerias que ajudarão a promover tanto a Deezer quanto artistas. Ela já foi executiva na Sony BMG, Live Nation e WholeWorldBand.

Leia na origem

On the Heels of Cartier Case, Australia Hands Down Landmark ISP Ruling of its Own

Tribunal Federal da Austrália atende pedido de grandes empresas para bloqueio de sites que vendiam produtos falsificados, alegando violação de Direitos Autorais.

Após o Tribunal de Recurso do Reino Unido determinar o bloqueio de sites de venda de produtos falsificados, sem ordem judicial pré-emitida. Agora é a vez da Austrália. O país determinou o bloqueio de vários provedores conhecidos do país por violação de direitos autorais. Alguns sites ofereciam versões da popular série da HBO, Game of Thrones.

No final do ano passado, detentores de direitos autorais em vários filmes e programas de televisão, como Disney, Twentieth Century Fox, Paramount, Columbia, Universal e Warner Bros aplicaram pedidos ao Tribunal Federal da Austrália para bloquear vários sites. Alguns sites populares de compartilhamento de arquivos como The Pirate Bay, Torrentz, TorrentHound e IsoHunt também foram bloqueados no país, após a decisão.

Leia na origem

Instead of buying exclusives, Spotify lures artists with promises of bigger audiences

Matéria de The Verge

O Spotify está divulgando o novo álbum da Katy Perry, porém não está cobrando nada por isso. Confira!

O Spotify está promovendo o novo álbum da cantora Paty Perry, através de anúncios na interface do Spotify, e-mails para assinantes, links para ingressos de shows, outdoors em Los Angeles e Londres. O mais interessante é que a plataforma está fazendo isso de forma gratuita.

A ação promocional tem o intuito de mostrar ao mercado e artistas que o Spotify é uma plataforma capaz de influenciar a indústria apoiado pela sua enorme quantidade de assinantes.

Leia na origem

Serviços de streaming deverão pagar direitos de execução pública ao ECAD

Serviços de streaming, podcasts, rádios online e plataformas que tenham música na internet devem pagar direitos autorais de execução pública ao ECAD.

Foi decidido na quarta-feira, dia oito, pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) “que serviços de streaming, podcasts, rádios online e quaisquer plataformas que tenham música na internet devem pagar direitos autorais ao Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), entidade responsável por administrar direitos de músicos”.

Para o STJ, “qualquer reprodução de música feita pela internet é uma execução pública, e por isso se enquadra nas regras do Ecad”.

“A decisão foi tomada em um caso que opunha a entidade de direitos autorais à Oi FM, rádio ligada à operadora de telecomunicações que também tinha reprodução pela internet. “O acesso à plataforma musical é franqueado a qualquer pessoa (…) que terá acesso ao mesmo acervo musical. Esse fato por si só configura a execução como pública”, disse o ministro Ricardo Cueva, relator do caso”.

“Para o ministro, determinar que serviços de streaming são parte de execução pública é um ato de proteção aos autores – segundo ele, decisões similares já foram tomadas na União Europeia.”

Leia na origem

Google pretende unificar Play Music e YouTube Music em uma única aplicação.

Matéria de Canaltech

Google Play e Youtube Music serão integrados de forma a se tornarem uma única aplicação.

Segundo fontes, os serviços de streaming de música do Google Play Music e YouTube Music se tornarão uma única aplicação. As equipes de produtos que trabalham em ambos os serviços já estão sendo combinadas em uma única unidade.

“Não se sabe ainda qual produto irá sobreviver após esta fusão. Por enquanto, nada vai mudar para os usuários, e ambos os aplicativos continuarão a existir de forma independente. As equipes de desenvolvimento de negócios por trás desses dois aplicativos já haviam sido combinadas no ano passado, o que facilitou ao Google negociar acordos com rótulos e artistas”.

Leia na origem

Why fast-growing but money-losing Spotify should get on with its IPO

Enquanto Spotify cresce, a oferta pública é adiada, o que indica que a plataforma está enfrentando problemas de licenciamento com gravadoras.

O site Techcrunch informou que a oportunidade para o Spotify de entrar na bolsa de valores aconteceria em até 2018, dando mais tempo para o serviço de streaming se estruturar e melhorar suas margens. Porém, isso não será bom para a plataforma, conforme afirma a notícia.

Atualmente, o Spotify tem pressa em abrir seu capital, uma vez que possui uma dívida grande, de US $ 1 bilhão (US) com empresas de capital de Fundos de Investimento, porém tudo indica que o atraso da oferta pública está sendo influenciado pela conclusão de acordos de licenciamento com gravadoras. Universal Music, Vivendi, Warner Music e Sony controlam 80% do fornecimento de conteúdo.

Para a autora da notícia, Leila Abboud, o Spotify possui um grande potencial e será rentável um dia, talvez isso demore anos. Por isso a oferta pública é necessária para a empresa seguir em frente.

Leia na origem

Netflix e Spotify não terão bloqueio de geolocalização

Acesso a serviços online como Netflix e Spotify agora são permitidos para quem deseja viajar para outros países do bloco europeu.

Ao viajar para o exterior, os assinantes europeus de serviços de streaming de vídeo e músicas não tinham acesso ao conteúdo, devido a uma técnica chamada de bloqueio por geolocalização, criada para proteger os direitos autorais.

Após a UE ter aceitado abolir as cobranças pelo serviço de roaming no uso de aparelhos móveis, o Parlamento Europeu, os Estados-Membros e a Comissão Europeia, decidiram permitir o acesso a assinaturas de serviços online em outros países do bloco.

Com essa medida, o cidadão vai poder assistir filmes, jogos, programas de entretenimento, ouvir música e até jogar games.O acordo significa mais um passo nos esforços da União Europeia para derrubar as barreiras no mercado único digital.

Leia na origem

Músicos da nova cena paulistana têm de atuar como empresários da canção

Uma resenha do livro “Cena Musical Paulistana dos Anos 2010″, que surgiu como uma dissertação de mestrado em sociologia.

“A quantas anda a música brasileira depois que a grande indústria fonográfica perdeu a prerrogativa de orientar, direta ou indiretamente, as formas de produção e difusão, sobretudo de música gravada?”

Leia resenha do livro de Thiago Galletta, “Cena Musical Paulistana dos Anos 2010”, que explora uma das faces desse grande tema, trazendo para o foco o circuito independente. Um livro concebido como dissertação de mestrado em sociologia.

Leia na origem

ECAD ganha ação de cobrança de direitos autorais por músicas via streaming

Matéria de Ancelmo - O Globo

Vitória do ECAD no julgamento do processo da Oi

STJ julga decisão favorável ao ECAD na ação da rádio OI, reconhecendo haver execução pública nos modelos webcasting e simulcasting.

Na ação, o Ecad alega haver direitos de execução pública sempre que uma empresa usar músicas na modalidade de transmissão pela Internet.

 

Leia na origem

©2019 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?