Matuê explica porque não dá créditos de produção em seus projetos

Matéria de Rap Mais

Rapper brasileiro, Matuê, afirma que não dá créditos, por artistas que colaboram em seus trabalhos, pois os mesmos são “muito bem pagos”: “É uma coisa ou outra”.

Na última semana, o rapper brasileiro Matuê chamou a atenção após dizer em uma live que não dá créditos a artistas envolvidos em seus projetos, pois eles são “muito bem pagos”.

Segundo o RapMais, a questão foi levantada pelos fãs durante a live, que perceberam a falta de créditos em vídeos no YouTube e artes de singles.

Para Matuê, é melhor pagar devidamente suas parcerias do que ficar marcando os artistas em suas produções: “É uma coisa ou outra”.

Durante o vídeo, não fica claro se o artista se refere aos royalties ou apenas as marcações pela internet.

Lançado em setembro deste ano, ‘Máquina do Tempo’, o álbum do artista, quebrou o recorde de melhor estreia no Spotify Brasil, registrando 4,6 milhões de reproduções na plataforma nas primeiras 24 horas.

 

Foto: Reprodução Instagram

Leia na origem

Globo anuncia que irá vender a Som Livre

Matéria de Valor Econômico

A decisão de vender a Som Livre faz parte do novo planejamento estratégico do grupo Globo.

Nesta quarta feira (18), o grupo Globo anunciou que irá vender a gravadora Som livre. A decisão faz parte de seu novo planejamento estratégico.

Segundo o portal Valor, a Globo tem adotado o modelo D2C como estratégia de mercado, onde a empresa controla todos os processos de produção e distribuição. Baseado nesse modelo, o grupo decidiu colocar a gravadora à venda, mesmo sendo um negócio rentável.

“A música continua muito importante no portfólio da Globo, mas acreditamos que é um bom momento para sairmos do negócio tradicional de gravadora e nos concentrarmos na estratégia D2C”, afirmou em nota o presidente executivo da Globo, Jorge Nóbrega.

Desde a sua criação, em 1969, a Som Livre lançava trilhas sonoras de novelas e minisséries da Globo. Entretanto, com a chegada da música digital, a partir dos anos 2000, seu modelo de negócios vem sofrendo alterações de acordo com as novas exigências do mercado musical. Atualmente, a empresa foca na gestão de talentos.

“Com esse entendimento de que compilação não seria mais um negócio sustentável, a gente precisou entrar num negócio de realmente contratar artistas, desenvolver artistas e trabalhar diretamente com o elenco, o talento. E a nossa aposta foi essa: de gerir conteúdo, ter propriedade de conteúdo”, declarou Soares.

“O Brasil é um mercado onde a música local representa quase 70% do consumo total. A Som Livre, com foco integral na música brasileira, cresceu por mais de dez anos seguidos numa velocidade maior que a do mercado”, acrescentou o executivo.

A gravadora é considerada a terceira maior do Brasil, ficando atrás da Sony e Universal Music.

 

Foto: Divulgação

Leia na origem

CÉU QUER CRIAR CONEXÕES PARA ALÉM DA MÚSICA COMO APRESENTADORA DA LAB FANTASMA TV

Em seu programa na Laboratório Fantasma TV, a cantora e compositora Céu pretende abrir espaço para conversa, escuta e aprendizado, na busca de se conectar com os universos de outras pessoas.

Nesta semana um dos assuntos mais comentados em nosso grupo do Facebook foi sobre o Conexão LAB, programa da cantora Céu no canal do Twitch do Laboratório Fantasma.

Apesar da notícia não ser tão fresquinha, achamos válido publicar por aqui, já que muita gente ainda não sabe que o Laboratório Fantasma – o hub de entretenimento criado pelos irmãos rappers Emicida e Fióti – possui o seu próprio canal, que leva arte, cultura, música e entretenimento para mais de 30 mil seguidores.

A proposta do Conexão LAB é a criação de vínculos para além da música, entre as pessoas e  apresentadora:

“Eu pretendo abrir um espaço de conversa, escuta, aprendizado, erros e acertos. Aproximar um pouco mais do meu universo com outros, o do meu compadre DJ Marco, que dividirá um quadro comigo, o universo dos covidades, de pessoas que estão fazendo a diferença nesse mundo e nos contarão mais”, diz Céu ao portal RG.

Com discotecagem do DJ Marco, o programa conta com entrevistas e indicações de novos artistas e produtores de conteúdo. Além disso, a cantora faz um momento acapella, compartilhando suas músicas ou coisas que a inspira.

Para finalizar, Céu revelou porque aceitou o convite da Lab Fantasma: “Esse momento que vivemos ficará para história, marcado especialmente pelo luto e pela tristeza. A LAB se prontificou em ser um antídoto para as pessoas. Isso fala muito sobre o que é a LAB Fantasma em sua essência e também sobre o que eu busco, como artista e cidadã, através da minha arte”, ela avalia.

“Viver parece não ser suficiente, é preciso da arte para nos conectar, pra divertir, pra amolecer, pra tudo. To feliz em estar nesse time!”, concluiu a cantora.

 

Foto: Divulgação

Leia na origem

Seguindo normas da OMS, Festival Quadradinho mostra que retorno de shows é possível

Matéria de tabuol @UOL

Festival ‘Quadradinho’ acontece até o fim de novembro seguindo normas da OMS para eventos presenciais no Rio de Janeiro.

De 6 a 27 de novembro acontece no Núcleo de Ativação Urbana, Rio de Janeiro, o festival ‘Quadradinho’. Evento quer mostrar que é possível voltar a curtir shows, desde que todos os protocolos de segurança sejam seguidos.

No primeiro dia do festival, o line-up contou com apresentações de Rebecca, Karol Conka, Tati Quebra-Barraco, Pocah e Lexa, além da participação de Dj’s.

Uma estrutura formada por 188 cercadinhos foi montada para atender os protocolos de segurança estabelecidos de acordo com a fase 6B, do plano de retomada de atividades econômicas do Rio de Janeiro. Os cercadinhos, ou quadradinhos, são divididos em três formatos: 4m² – 6m² e 8m², o último com capacidade de até 8 pessoas.

“Brincando com o termo do funk, o festival se chama Quadradinho. Enxergamos que muitas pessoas querem voltar a assistir aos shows mas entendemos, como plataforma, precisávamos fazer com que tudo fosse o mais seguro para esse retorno. Por isso montamos o formato de uma arena toda preparada pra distanciamento social”, explicou Flavio Saturnino um dos idealizadores do projeto ao portal Metrópoles.

Segundo relato do Uol, a saída dos quadradinhos só é permitida para idas ao banheiro, que é higienizado por diversas vezes ao longo da noite. Além disso, o consumo de bebidas e comidas é realizado através de um menu acessado por QR Code, colado nas mesas. Tudo é  servido por garçons devidamente protegidos por máscaras.

Os valores dos ingressos variam entre R$200 e R$600 e já estão disponíveis para venda na plataforma Sympla.

A compra dos ingressos só pode ser realizada por meio de um aplicativo próprio do festival. Assim como no cinema, o público pode escolher em que quadradinho deseja ver o show. O público geral será de 750 pessoas, menos de ⅓ da capacidade total do espaço que tem 4.500 m². A entrada claro, só é permitida com uso de máscaras e higienização de mãos com álcool em gel e medição de temperatura.

Imagem: Ana Wander Bastos/Divulgação

Leia na origem

Shutterstok adquire empresa especializada em criação de músicas por Inteligência Artificial

A Shutterstock acabou de adquirir a Amper Music, empresa especializada em oferecer a seus usuários personalização e criação de músicas inéditas através de IA.

A Shutterstock, aquele site americano que é um grande banco de dados de imagens, ilustrações e vídeos, anunciou que adquiriu uma empresa especializada em criação de músicas através da Inteligência Artificial, a Amper Music.

Segundo o Music Business Wordwide, a Amper Music possui uma tecnologia capaz de permitir que seus usuários criem e personalizem músicas, a partir de mais de 1 milhão de amostras individuais de áudio gravadas por músicos em milhares de instrumentos. A empresa garante que possui o maior banco de algoritmos de composição musical do mundo.

Com a aquisição, a Shutterstock vai ampliar suas ferramentas de edição e facilitar a busca de conteúdo e descoberta de faixas compostas pelos seus usuários.

Oferecer músicas, livres de direitos autorais, tem se tornado uma grande tendência para plataformas como a Shutterstock. No início deste ano, a rival Adobe fechou um acordo com a Epidemic Sound e Jamendo, especializadas em músicas livres de direitos autorais.

A Guetty Images também hospeda músicas e efeitos de sons, que muitas vezes são livres de licenças, graças a um acordo que realizou também com a Epidemic Sound.

Vale notar que a Shutterstock é um dos fornecedores mais importantes do mundo de fotografias, vetores, ilustrações, vídeos e música licenciadas para empresas, agências de marketing e organizações de mídia.

Atualmente, a Shutterstock possui uma biblioteca com 314 milhões de imagens, além de 17 milhões de videoclipes.  No ano passou chegou a faturar US$650,5 milhões.

 

Foto: Reprodução

Leia na origem

Milton Nascimento irá processar candidata por uso indevido de sua música em campanha eleitoral

Matéria de @PortalMigalhas

Mesmo tentando resolver questão de maneira amigável, Milton Nascimento afirma que irá processar candidata por uso indevido de sua canção em campanha eleitoral.

Na última semana, o cantor e compositor Milton Nascimento anunciou que vai processar uma candidata a prefeitura por violação de direitos autorais ao usar sua música sem a prévia autorização.

De acordo com portal Migalhas, em sua publicação, o compositor alega que a candidata a prefeitura de Pitangui/MG, Maria Lúcia Cardoso (MDB), se negou a resolver a questão de forma amigável, e por isso vai tomar medidas legais.

No caso, a música usada pela candidata foi a clássica “Maria, Maria”, de 1978, escrita por Milton e Fernando Brant.

Na publicação de Milton, intitulada de ‘NOTA DE REPÚDIO’, o compositor diz que a candidata “já infringiu gravemente uma lei Federal”, antes mesmo de ser eleita:

“Com a chegada das eleições municipais de 2020, mais uma vez somos obrigados a ver candidatos usurpando os direitos do autor e usando a obra intelectual alheia em suas próprias campanhas.”

A defesa da candidata afirmou que a música foi usada poucas vezes na campanha, e suspensa perante a notificação por uso indevido.

 

 

(Imagem: Facebook/Folhapress)

Leia na origem

Novidade da Netflix exibe programação no estilo de emissoras de TV

Matéria de TechTudo

Novo recurso, em fase de testes, permite assistir programação da Netflix, igual a um canal de TV. Sem precisar ficar escolhendo entre a vasta opção de conteúdos da plataforma.

Na semana passada a Netflix lançou na França o “Netflix Direct”, um novo recurso que funciona como um canal de TV, com programação contínua de suas séries e filmes do mundo todo.

Para acessar ao Netflix Direct, basta o usuário fazer login no site, que é similar ao navegador da plataforma, e começar a assistir ao conteúdo pré-programado da Netflix, sem precisar ficar passar um tempo escolhendo entre as opções de conteúdo disponíveis no catálogo do serviço de streaming.

De acordo com a TechTudo, por enquanto, o recurso está em fase de testes e foi liberado apenas para algumas regiões da França, mas já há previsão para que mais cidades do país recebam a transmissão.

Com a novidade, a Netflix quer reter os usuários que estão mais acostumados a ver TV, e que se tornaram assinantes, principalmente durante o auge da pandemia, época em houve um grande aumento do número de novos usuários pagos.

Segundo a Variety, a França foi escolhida para ser a primeira a receber o canal, pois por lá, o consumo da TV tradicional ainda é a escolha preferida de entretenimento pela população:

“Muitos espectadores gostam de uma programação que não os obrigue a escolher o que assistir. Você pode se deixar guiar sem ter que escolher um título específico e se surpreender com a diversidade da biblioteca da Netflix”, afirmou a empresa em um comunicado.

 

Foto: Divulgação

Leia na origem

KondZilla e Spotify fecham parceria para promover o funk no serviço de streaming

Matéria de F5

Em nova parceria com o Spotify, KondZilla lançará novos conteúdos envolvendo músicas, vídeos e podcast para promover o funk na plataforma.

Na última semana, o KondZilla anunciou uma grande parceria com o Spotify, para promover conteúdo original e exclusivo envolvendo a divulgação do funk brasileiro na plataforma.

De acordo com o F5, uma das novidades é o lançamento da playlist Baile Novo. Com co-curadoria da KondZilla, a nova playlist, já disponível, pretende apresentar os trabalhos dos novos nomes do funk.

‘Estes feats vem ao encontro do nosso objetivo que é produzir conteúdos que promovam a importância do funk, possibilitando a inclusão dos jovens de favela no cenário da cultura mundial e o Spotify é o parceiro perfeito para isso”, afirmou Konrad Dantas, Fundador e CEO da KondZilla ao portal.

Além da playlist, o podcast “No Passinho do Funk”, convidados como Rennan da Penha e Dennis DJ irão falar sobre história e detalhes importantes sobre o gênero no formato áudio-série.

Outra novidade é o lançamento de três produções em vídeos verticais com artistas como Mc Kekel, Pocah e Lexa.

“Estamos muito felizes em poder anunciar esta parceria (…) O funk é um dos poucos ritmos que consegue atingir todas as audiências”, afirma Roberta Pate, atual diretora de relacionamento com artistas e gravadoras do Spotify na América Latina.

 

Foto: Divulgação

Leia na origem

Tencent anuncia investimento de U$25 milhões na criadora do Avakin Life

Matéria de VentureBeat

Jogo que já abriu portas para apresentações de artistas brasileiros como Rael e Giulia Be, recebeu investimento da Tencent, dona de League of Legends, CyberHunter e Call of Duty.

Nesta semana, a Tencent, considerada como a maior empresa de games do planeta, investiu US$25 milhões na Lockwood Publishing, criadora do game Avakin Life.

Segundo a Venture Beat, o financiamento, resultado de um ano de negociações, é um reconhecimento de que o Avakin Life tem conquistado cada vez mais pessoas do mundo todo e gerado monetização.

Disponível para Android, iOS e PC, o Avakin Life é um game virtual 3D, que promete ser como uma rede social, onde jogadores do mundo todo podem criar e personalizar seus próprios avatares. Além de participar de eventos interativos.

Com mais de 200 milhões de usuários, e mais de um milhão de usuários ativos por dia, o game tem realizado parcerias com gravadoras para levar música e conteúdo aos usuários, abrindo portas para que artistas brasileiros como Rael, Haikass e Giulia Be se apresentassem ao vivo.

 

Foto: Avakin Life/Reprodução

Leia na origem

Com 7 Bilhões de reproduções, ‘Baby Shark’ se torna vídeo mais assistido do YouTube

Matéria de G1

Baby Shark conseguiu superar ‘Despacito’, hit da dupla Luis Fonsi e Daddy Yankee. Com sete bilhões de reproduções no YouTube, vídeo infantil é o vídeo mais assistido no YouTube.

Nesta segunda-feira, o vídeo da canção infantil americana “Baby Shark”, se tornou o mais assistido do YouTube, com sete bilhões de reproduções no YouTube, superando “Despacito”, hit da dupla Luis Fonsi e Daddy Yankee (Via G1).

Desde que foi lançada no YouTube, em 2016, a canção que foi produzida na Coréia do Sul, tem conquistado cada vez mais crianças do mundo todo, com sua melodia que não desgruda da cabeça, combinada com um vídeo super atrativo e colorido.

Para quem não sabe, Baby Shark é uma versão de uma clássica música de acampamento americana. O hit chegou a conquistar a 32ª posição da Billboard Hot 100 em janeiro de 2019.

Vale notar que duas das quatro músicas mais visualizadas no YouTube vieram da Coreia do Sul. Uma delas é “Gangnam Style”, do rapper Psy, que ficou em primeiro lugar por três anos, sendo superado por “See You Again”, musica de Wiz Khalifa para a trilha sonora do filme Velozes e Furiosos.

Foto: reprodução

Leia na origem

©2020 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?