MC CAROL DIZ QUE NUNCA RECEBEU CRÉDITOS POR SUA VOZ NO HIT ‘TUBARÃO TE AMO’

Matéria de Folha de S.Paulo

Em publicação no Twitter, MC Carol disse que não recebeu créditos em hit viral ‘Tubarão Te Amo’, de Dj Lk.

Nesta manhã, a funkeira Mc Carol disse em suas redes sociais que está com problemas com outros artistas que usam a sua voz sem autorização.

Em uma declaração, Mc Carol disse que está procurando um acordo com o Dj Lk da Escócia, pelo uso de sua voz no hit viral “Tubarão Te Amo’. A canção entrou no TOP 3 do Spotify americano, mas a cantora alegou que não recebeu participação nos lucros da música, além de não conseguir falar com o DJ e sua equipe.

Em contrapartida, o DJ Lk se manifestou logo após a publicação da funkeira, afirmando que apenas hoje a equipe de MC Carol realizou o contato sobre a participação na música:

“Por que não me chamou antes? A música tem quatro meses, nunca me chamou. Falou que está me chamando, nunca me chamou, me chamou hoje, no mesmo horário que fez a postagem. Agora todo mundo quer o dinheiro, né? Final de ano, todo mundo quer o 13º”, ironizou o DJ.

Conforme explicado pela Folha de São Paulo, na legislação brasileira há pouca especificação sobre o uso de samples e trechos que são retirados de uma composição e inclusos em outras:

“Na legislação do Brasil, por exemplo, não existe uma definição sobre a partir de quantas notas compartilhadas entre duas músicas configura plágio”, explicou a notícia.

 

Foto: Reprodução/Instagram – MC Carol

Leia na origem

PL QUE GARANTE A COMPOSITORES O DIREITO DE SE OPOR A PARÓDIAS EM CAMPANHAS ELEITORAIS É APROVADA

Se aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, PL 1468/2022 vai ajudar compositores a se opor quando suas músicas são usadas para fins políticos.

Foi aprovada nesta quarta-feira, 30, pela Comissão de Cultura a PL 1468/2022, na qual garante ao autor o direito de se opor a qualquer modificação de sua obra para fim político-partidário seja como paródias ou qualquer outra modalidade.

A PL precisa ainda ser analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania para ser aprovada.

Cada vez mais políticos tem usado músicas como paródias em suas campanhas eleitorais, a contragosto dos compositores. Um precedente aberto, após o cantor e compositor Roberto Carlos perder na Justiça um processo contra o humorista e Deputado Federal Tiririca, que fez uma paródia de sua música em todas as suas últimas campanhas eleitorais.

Se aprovada, a PL pode ajudar compositores em casos em que suas músicas forem usadas em campanhas eleitorais sem o seu consentimento.

 

Leia na origem

UNIVERSAL MUSIC ADQUIRE QUASE METADE DA PARTICIPAÇÃO DE GRANDE GRAVADORA INDEPENDENTE BRITÂNICA

Universal Music adquiriu 49% da participação minoritária da gravadora britânca independente Pias Group.

Nesta quarta-feira, 30, a Universal Music anunciou a aquisição de quase metade da participação minoritária, da gravadora independente americana Pias Group.

De acordo com o Music Business Worldwide, o anúncio informou que a participação da Universal Music será de 49% na PIAS, e o controle majoritário da empresa continuará com seus fundadores Kenny Gates e Michel (foto). Além disso, a UMG não terá assentos no conselho da empresa.

Sir Lucian Grainge, presidente e CEO do Universal Music Group, disse que no passado havia grande competição entre gravadoras indie e majors, mas nos tempos atuais, o ecossistema da música precisa reconhecer as empresas que estão comprometidas com o desenvolvimento sustentável de carreiras artísticas, prezando qualidade ao invés de quantidade:

“Embora grande parte do passado tenha sido focada em ‘majors versus indies’, está claro que hoje, a divisão importante em nossa indústria é sobre aqueles comprometidos com o desenvolvimento do artista versus aqueles comprometidos com a quantidade em detrimento da qualidade”, disse o CEO.

Grainge reconheceu ainda a importância do trabalho da Pias para o mercado musical: “Compartilhamos a paixão de Kenny e Michel por desenvolver artistas e movimentar a cultura, e reconhecemos que um ecossistema musical saudável precisa de empresas como [PIAS], que estão comprometidas em amplificar as melhores vozes da música independente”, concluiu.

Vale notar que a Universal Music estava impedida por 10 anos de fazer qualquer investimento em ativos na Europa ou assinar com artistas, por conta da aquisição da EMI. O investimento de hoje marca o término da restrição.

 

Foto: reprodução

Leia na origem

VYBBE MUSIC: PRODUTORA NORDESTINA QUE SE TORNAR UMAS DAS PRINCIPAIS EMPRESAS DE ENTRETENIMENTO NO PAÍS

Produtora independente nordestina por trás de nomes como Xand Avião e NATTAN, fala sobre mercado musical brasileiro.

Na última semana a produtora independente nordestina Vybbe Music ganhou destaque em uma coluna do portal Music Business Worldwide, dedicada à profissionais que estão fazendo sucesso em seus mercados locais, e que têm potencial para se tornarem grandes players globais.

Na entrevista, o empresário e fundador Carlos Aristides, falou sobre o mercado e como a produtora que surgiu durante a pandemia da Covid-19, tem ajudado a impulsionar carreiras dos maiores nomes do forró e piseiro atualmente, incluindo Mari Fernandez, NATTAN, Felipe Amorim e Xand Avião

“Estamos conseguindo manter nossos artistas no topo das paradas nas plataformas brasileiras. Este ano, tivemos dois No.1s [com] No Ouvidinho (de Felipe Amorim) e Balanço da Rede (de Xand Avião e Matheus Fernandes)”, disse Aristides ao portal.

“Além disso, Mari Fernandez, NATTAN, Felipe Amorim e Xand Avião sempre figuram entre os 50 artistas mais ouvidos no Spotify Brasil, mostrando o quanto o gênero cresceu desde 2018 e como o gênero se fortaleceu em todo o Brasil”, acrescentou o empresário.

Aristides também falou sobre os principais desafios do mercado brasileiro independente. Para ele há duas grandes questões que impedem que a música alcance seu maior potencial: Pirataria e escassez de internet.

“O Brasil é um país de dimensões continentais, extraordinariamente diverso e culturalmente rico. Mesmo assim, na grande maioria do país, ainda não há acesso à internet banda larga; portanto, temos uma taxa ínfima de penetração do streaming de vídeo e áudio”, afirmou.

“Longe das grandes capitais, ainda é muito difundido o consumo de música por meio de CDs, pen-drives, o que também favorece dramaticamente a pirataria. Acredito que nosso maior desafio ainda é democratizar o acesso à Internet em alta velocidade e educar a população em massa para usar aplicativos como Spotify, Apple Music, Deezer, YouTube e outros.”, concluiu.

Com relação ao futuro, Aristides contou que a Vybbe quer continuar abrindo caminhos no mercado de música independente no Brasil, principalmente para o forró:

“Espero que o Vybbe se torne um celeiro de novos talentos na indústria da música, desde o estágio embrionário até a profissionalização, lançando e incentivando o desenvolvimento de novos talentos. Essa premissa vai além de um desejo. Nosso sonho é que a Vybbe se torne uma das principais empresas de entretenimento do Brasil, gerando novas oportunidades, criando novos selos, novos produtos, tudo isso somado ao nosso gênero original, que é o forró”.

 

Foto: Nara Fassi

Leia na origem

CHICO BUARQUE RECORREU DE DECISÃO, APÓS JUÍZA QUESTIONAR AUTORIA DE CANÇÃO EM CASO CONTRA EDUARDO BOLSONARO

Matéria de G1

Chico Buarque está buscando remoção de vídeo publicado por Eduardo Bolsonaro contendo uma de suas maiores canções. Juíza indeferiu processo por falta de provas sobre autoria da música. Entenda.

Recentemente, Chico Buarque precisou recorrer de uma decisão em um processo contra Eduardo Bolsonaro, após uma juíza questionar sua autoria em uma de suas músicas mais famosas.

Conforme noticiado pelo G1, Chico Buarque entrou na justiça contra Eduardo Bolsonaro, que usou a canção ‘Roda Viva’ como trilha de um vídeo em uma publicação nas redes sociais. O cantor não concordou com o uso da música de sua autoria sem autorização, e pediu para remover o conteúdo que continha a seguinte legenda: “O Brasil está sob censura. Numa ditadura a 1º a morrer é a liberdade de expressão/imprensa”.

Apesar do uso indevido pelo Deputado Federal, o que mais chamou a atenção no caso foi a decisão da juíza Monica Ribeiro Teixeira, que indeferiu o pedido alegando falta de comprovação sobre a autoria da música.

Diante da decisão, o advogado João Tancredo, responsável pela defesa do cantor e compositor, recorreu alegando que nos autos hábeis há documentos que comprovam a autoria da música, mesmo não sendo necessária tal comprovação:

“Em se tratando de direitos autorais, não há que se falar na necessidade de apresentação de registro para que se pleiteie a sua proteção em qualquer esfera”, explicou o advogado no recurso.

O advogado também explicou que a comprovação da autoria da música é bastante evidente, por ser uma das mais importantes para a história do país:

“Trata-se de uma das músicas mais marcantes da cultura popular brasileira e da história das canções de protesto. A verdade é que não há como não saber que Chico Buarque é o autor de Roda Viva”, concluiu João Tancredo.

 

Foto: Francisco Proner / Divulgação

Leia na origem

Governo de transição de Lula quer ‘desobstruir’ recursos da Lei Rouanet

Matéria de Época NEGÓCIOS

Apesar de poucos recursos para todos os setores do país, equipe de transição de Lula declarou que vai sugerir melhorias na Lei Rouanet e destravar processos que estão parados.

Nesta quinta-feira, 24, o ex-ministro da Cultura Juca Ferreira, que faz parte da equipe de transição do governo Lula, fez uma série de declarações a respeito do que será esperado do novo governo com relação à Cultura.

Conforme noticiado na Epocanegocios.com.br, o maior interesse para o novo governo é atualizar e desobstruir a Lei Rouanet, principal de Lei de incentivo à cultura no país. Ferreira informou que atualmente há muitos processos, principalmente que já foram aprovados, mas estão parados:

“A Lei Rouanet está emperrada, houve uma regulação dos itens absolutamente imprópria e está sendo feito levantamento, mas já é certo que vamos desobstruir tanto a Lei Rouanet como o fundo setorial do audiovisual. Uma das funções dessa comissão é justamente apontar o que está travado e precisa ser desobstruído”, disse Ferreira.

O ex-ministro informou que apesar da cultura ser um setor de prioridade para o novo governo, a falta de recursos será um grande impasse grandes investimentos:

“Vamos sugerir. Houve uma redução do orçamento. A situação não é boa, todo mundo sabe, não é nenhuma novidade. Propositalmente, o atual governo declarou guerra à cultura, extinguiu ministério, tentando recriar um sistema de censura e obstruindo as fontes de financiamento dos artistas e para a área cultura em geral. Tudo isso vai ser restabelecido rapidamente.”, informou o ex-ministro.

Foto: Guetty Images

 

Leia na origem

QUADRINISTA BRASILEIRA DIZ QUE SÉRIE ‘1899’, DA NETFLIX, É PLÁGIO DE SUA HQ

Matéria de splash_uol @UOL

Uma ilustradora e quadrinista brasileira acusou produtores da nova série da Netflix, ‘1899’, de plagiar sua HQ.

A artista Mary Cagnin denunciou a série “1899”, que estreou na Netflix na última quinta-feira, de plagiar sua HQ. No Twitter, Cagnin fez uma comparação usando trechos e imagens da série e sua HQ “Black Silence”. Na publicação ela desabafou:

“Já chorei horrores. Meu sonho sempre foi ser reconhecida pelo meu trabalho nacionalmente e internacionalmente. E ver uma coisa dessas acontecendo realmente parte meu coração. Sabemos que no Brasil temos poucas oportunidades para mostrar nosso trabalho e ser reconhecido por ele”.

De acordo com o Uol, a artista acredita que alguém possa ter levando sua ideia até os produtores da série, após ter participado da Feira do Livro de Gotemburgo, na Suécia, onde distribuiu sua HQ para vários editores e profissionais do ramo.

A quadrinista deixou o link de seu trabalho na íntegra e pediu ajuda de seus seguidores para encontrar outras similaridades entre a obra e a série.

Diante da repercussão da denúncia, e indignação do público, os produtores de ‘1899’, Baran bo Odar e Jantje Friese, negaram as acusações em suas redes sociais, e disseram que estavam trabalhando há anos na criação da série:

“Oh, internet! Não posto nada há anos porque, francamente, acho que as redes sociais se tornaram tóxicas. As últimas 24 horas provaram isso novamente. Para contextualizar: uma artista brasileira alegou que roubamos sua história em quadrinhos. Para deixar claro: nós não [roubamos]! Até ontem nem sabíamos da existência dessa história em quadrinhos. Ao longo de dois anos, colocamos dor, suor e exaustão na criação de 1899. Esta é uma ideia original e não baseada em nenhum material de origem”, disse Firese.

Baran bo Odar acrescentou que entrou em contato com a artista brasileira, e que espera que ela retire todas as acusações:

“Infelizmente não conhecemos a artista, nem sua obra ou quadrinho. Nunca roubaríamos de outros artistas, já que nos sentimos como artistas. Também entramos em contato com ela, então esperamos que ela retire essas acusações. A internet se tornou um lugar estranho. Por favor, mais amor em vez de ódio”, escreveu.

 

Foto: Twitter

Leia na origem

NOVO PROJETO DE LEI BUSCA ISENÇÃO DE PAGAMENTO DE DIREITOS AUTORAIS PELO USO DE OBRAS MUSICAIS EM EVENTOS PÚBLICOS

Matéria de O Globo

Cerca de 30 entidades, incluindo o Ecad, emitiram uma carta para mostrar descontentamento sobre o projeto de lei que, se aprovado, poderá afetar a classe artística.

[ALERTA À CLASSE ARTÍSTICA] Mais uma tentativa de alteração da Lei de Direito Autoral (9.610/98) está sendo votada na Câmara dos Deputados. Desta vez, o ex-deputado Serafim Venzon, está propondo o Projeto de Lei 3968/97, que se aprovado, irá proporcionar uma isenção do pagamento de direitos autorais pelo uso de obras musicais e em eventos promovidos por órgãos públicos e entidades filantrópicas.

Conforme a coluna de Ancelmo Góes, para O Globo, diante da solicitação em caráter de urgência da PL, mais de 30 entidades representantes dos setores musical, audiovisual e editorial decidiram divulgar uma carta aos deputados federais para demonstrar indignação e preocupação sobre a aprovação da Lei, que pode afetar drásticamente a classe artística.

Na carta, as entidades demonstraram preocupação sobre a falta de uma análise aprofundada da proposta:

“Alterações da legislação de Direitos Autorais não devem ser analisadas de afogadilho, em especial, alterações que tenham por finalidade modificar o Capítulo IV – Das Limitações aos Direitos Autorais, da Lei 9.610/98, sem que todas as entidades que dependem da regulação de direitos autorais sejam devidamente ouvidas, e sem que lhes seja franqueada a oportunidade de análise detida da proposta legislativa”.

Além disso, a carta cobrou maior seriedade sobre os assuntos relacionados aos direitos de compositores:

“Conclamamos os parlamentares da Câmara dos Deputados a retirarem o PL 3968/1997 da pauta de votação do Plenário e, por consequência, tratarem o tema dos Direitos Autorais com a seriedade que esse merece, promovendo os debates necessários à sua análise técnica, e respeitando o rito de debate dos processos legislativo e da Administração Federal”.

Confira a carta na íntegra:

 

Leia na origem

GLOBOPLAY E LAB FANTASMA SE UNEM PARA PRODUÇÃO DE POSCASTS ORIGINAIS

Primeiro projeto da parceria entre Lab fantasma e Globo inclui Podcast apresentado pela rapper Drik Barbosa.

Na última semana, a Globo anunciou uma parceria com a Lab Fantasma para a produção de Podcasts Originais da Globoplay, incluindo Drik Barbosa e Fióti como apresentadores.

Conforme noticiado pelo Popline.com, o primeiro projeto da parceria será o podcast ‘Sobre Nóiz’, com a rapper Drik Barbosa, que promete envolver o ouvinte com conversas sobre o coletivo:

“O intuito é de ‘desatar nós’ e comprovar que não existe coletivo forte se o indivíduo não estiver fortalecido internamente. A cada episódio, iremos refletir sobre questões importantes da nossa relação com nós mesmos, abordando tudo o que nos atravessa no dia a dia, desde o cotidiano até as profissões. Além de trazer um olhar especial para pautas importantes da sociedade, como movimentos sociais e autocuidado”, contou Drik Barbosa, ao portal.

Evandro Fióti, artista, empresário e sócio na Lab Fantasma comentou sobre a relevância da parceria:

“O Brasil vem liderando o ranking de países com maior crescimento em produção de podcasts e acredito que essa parceria entre nós, da LAB Fantasma, com a Globo vem para consolidar algo importante, com o intuito de criar diversidade de conteúdo que represente a maioria da população brasileira”, destacou o artista.

A data de estreia do podcast será nesta quarta-feira (23/11)!

 

Foto: Divulgação

Leia na origem

TRILHA SONORA DE GAMES GANHA CATEGORIA INÉDITA NO GRAMMY 2023

Matéria de The Enemy

A lista de indicados para Trilha Sonora de Videogames estreia com disputa entre os melhores jogos como Assassin’s Creed, Call Of Duty e Guardiões da Galáxia.

[Músic e games] Nesta semana foram revelados os indicados ao Grammy 2023, e entre as novidades está uma nova categoria para eleger a melhor Trilha Sonora de Videogames!

Conforme explicou o theenemy.com.br, anteriormente as trilhas de jogos entravam na categoria Melhor Trilha Sonora para Mídia Visual, mas como a união entre música e games tem sido cada vez maior nos últimos anos, nada melhor do que os jogos terem sua própria categoria.

A lista de indicados ficou bem concorrida, com trilhas dos melhores jogos atuais, como Assassin’s Creed, Call Of Duty e Guardiões da Galáxia. Veja abaixo a lista completa:

Aliens: Fireteam Elite (Austin Wintory)

Assassin’s Creed Valhalla: Dawn Of Ragnarok (Stephanie Economou)

Call Of Duty: Vanguard (Bear McCreary)

Marvel’s Guardians Of The Galaxy (Richard Jacques)

Old World (Christopher Tin)

Foto: O game Guardiões das Galáxias – Divulgação

Leia na origem

©2022 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?