Impedido de fazer shows, Luan Santana dispensa colaboradores e equipe técnica

Matéria de G1

Devido a crise gerada pelo coronavírus, o cantor sertanejo Luan Santana precisou demitir 20 funcionários, entre eles equipe técnica e de produção.

Nesta terça-feira , o cantor sertanejo Luan Santana anunciou, por meio de sua assessoria, que devido a crise do coronavírus teve que dispensar sua equipe técnica e de músicos.

Segundo a nota, foram 20 colaboradores dispensados, entre eles, músicos, produção e equipe técnica:

“Em razão da pandemia decorrente do novo coronavírus e da paralisação dos shows por tempo indeterminado, os departamentos jurídico e administrativo de Luan Santana concluíram pela necessidade de encerrar os contratos com sua equipe de estrada, que envolve banda, técnicos e produção.”, “, informou a nota.

“Foram dispensados cerca de 20 colaboradores, que eram devidamente registrados e recebiam de acordo com a CLT”.

“Foram garantidas todas as remunerações da equipe até 05 de agosto de 2020 e os acertos rescisórios compreendem todos os direitos previstos em lei, tais como férias, 13º salário, multa de 40% sobre o FGTS e entrega da documentação necessária para habilitação dos colaboradores no programa do seguro desemprego.”

De acordo com o G1,  a assessoria do cantor informou que o cantor tem o intuito de recontratar todos os colaboradores quando as apresentações em locais com público forem retomadas.

 

Foto: Reprodução/Canal oficial do artista

Leia na origem

Roberto Carlos consegue recuperar direitos sobre obras produzidas de 1960 a 1990

Matéria de F5

Os compositores Erasmo e Roberto Carlos conseguiram recuperar os direitos autorais de suas obras. A dupla alegava que a Universal Music havia abandonado a gestão contratual, além de pagar remunerações baixas pelas execuções em plataformas de streaming.

O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro declarou, em nota ao F5, que Roberto Carlos e Erasmo Carlos conseguiram recuperar os direitos sobre suas obras produzidas nas décadas de 1960 a 1990.

De acordo com o F5, os compositores alegavam que a editora Universal Music havia abandonado a gestão contratual, além de pagar remunerações baixas por execuções de suas músicas em plataformas de streaming.

A decisão da 2ª Vara Empresarial é retroativa à notificação extrajudicial da editora, realizada em julho de 2018, onde a juíza Maria Cristina de Brito Lima havia favorecido à Universal Music, reconhecendo uma inexistência de direitos autorais da empresa sobre as obras da dupla.

 

Foto: YouTube/reprodução

Leia na origem

Limite de Crédito do Pronampe se estende para R$4,24 bilhões

Após limite de créditos do programa de crédito para micro e pequenas empresas se esgotar nesta semana, o Ministério da Economia ampliou o valor para R$4,24 bilhões. Saiba como se beneficiar do crédito.

Nesta quinta-feira a Caixa anunciou que bateu a marca de R$3,18 bilhões em créditos contratados por meio do Programa de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), esgotando seu limite inicialmente liberado. Por isso, o Ministério da Economia passou o limite de crédito para R$4,24 bilhões (Via G1).

Com a decisão, o Pronampe vai poder ajudar ainda mais as micro e pequenas empresas, que poderão adquirir recursos de até 30% de sua receita bruta anual em 2019 para realizar vários investimentos e capital de giro, como adquirir máquinas e equipamentos até realizar pagamento de contas e funcionários.

Esta é mais uma oportunidade para empresas, principalmente, do mercado musical poderem continuar neste momento tão difícil de crise sanitária/política/cultural/econômica. Os interessados devem seguir as instruções do PortaldoMicrooempreendedor/Pronampe.

Foto: Divulgação

Leia na origem

Marisa Monte assina com a Universal Music Publishing

Matéria de Billboard

Acordo global com Universal Publishing inclui todo o seu catálogo com sucessos como “Depois,” “Beija Eu,” “Amor I Love You,” “Não Vá Embora,”. Cantora destacou liderança feminina na empresa.

A cantora brasileira Marisa Monte assinou com a Universal Music Publishing. O acordo global inclui todo o catálogo da artista, incluindo seus maiores sucessos.

Segundo a Billboard.com, Marisa Monte fez questão de enaltecer a liderança feminina na empresa:

“Estou muito feliz por essa parceria entre meu catálogo como compositora e uma empresa com alma feminina. A Universal Music Publishing é presidida globalmente por uma mulher. A UMPG Latin é liderada por uma presidente forte e feminina, cercada por uma equipe capaz e talentosa”, afirmou Monte em comunicado. “Cuidado, delicadeza, empatia e toda a inteligência feminina ao serviço da música. Viva o equilíbrio e a união de forças!”

Alexandra Lioutikoff, presidente da UMPG América Latina retribuiu o discurso da artista: “Marisa Monte é […] uma compositora, artista e produtora cujas músicas são celebradas por fãs de todas as idades, fazendo dela um verdadeiro ícone na arte e na cultura. Temos muito orgulho em recebê-la em nossa família e nossa equipe está ansiosa por oferecer oportunidades criativas para divulgar sua música em todo o mundo, como ela merece. ”

 

 

Foto: reprodução

Leia na origem

Compositores se adaptam para agradar usuários do TikTok

Matéria de G1

Matéria explica como nasceram os hits do TikTok e se a nova fórmula de músicas virais está valendo a pena.

Nesta terça-feira saiu uma matéria muito bacana no G1, sobre como o TikTok está começando a influenciar até no jeito de ser fazer música no Brasil.

Como uma plataforma que possibilita aos usuários criarem vídeos, é comum na plataforma ver vários conteúdos envolvendo música, desde dublagem até danças de músicas.

Basicamente, se a música tiver uma batida empolgante com um trecho bem grudento, combinado com coreografias, desafios e influenciadores, temos a fórmula de um “viral” no TikTok –  vídeo que se espalha pela plataforma facilmente.

Não faltam exemplos de vídeos virais que se tornaram grandes hits graças ao TikTok. Quem lembra do Hit do Carnaval, “Tudo ok”? A parceria de Thiaguinho MT, Mila e JS O Mão de Ouro redeu vários vídeos de dublagem de maquiagens com a música.

Nos EUA, o maior exemplo é do viral “Old town road”, sucesso do rapper americano Lil Nas X. O game “Red Dead Redemption II” foi a inspiração para o clipe que logo ganhou um desafio no app, onde jovens faziam dancinhas como caubóis ou cowgirls.

“Old town road” se tornou recordista em número de semanas seguidas em primeiro lugar no ranking de músicas mais tocadas no Estados Unidos, da revista “Billboard”.

Casos de sucesso como esses tem inspirado muitos compositores a criarem músicas pensando no TikTok. A estratégia ganhou ainda mais força neste momento da pandemia do coronavírus, onde a plataforma se tornou uma grande forma de entretenimento dos jovens.

“Com certeza essa onda acabou mexendo na forma de fazer música aqui no Brasil”, revelou MC Zaac ao portal. O MC está lançando um hit com todos os elementos para viralizar na plataforma, embora ele e seu produtor musical neguem isso. “Desce pro play” é uma colaboração entre o artista com Anitta e o rapper americano Tyga.

Para o produtor musical Pablo Bispo, autor de vários hits de grandes artistas como Anitta, Pabllo Vittar, Iza, e inclusive, a nova música de MC Zaac,  a estratégia pode dar certo, mas não deve algo “forçado”:

“As plataformas tem particularidades. No YouTube, por exemplo, o visual é importante. O TikTok é mais dinâmico porque convida as pessoas a entrarem na música”, explicou o produtor musical ao portal.

Ele completa que o TikTok “não tem que ser prioridade”, mas “fazer parte do planejamento” dos músicos.

Sua afirmativa faz todo o sentido, visto que manter uma carreira após um hit viral requer muito mais trabalho. Tanto que após o sucesso de “Old town road”, Lil Nas conseguiu emplacar apenas outras duas músicas no ranking da “Billboard” até julho do ano passado, que segundo o G1, não tiveram o mesmo desempenho de Old Town.

“Fazer uma música estourar é difícil, mas possível. Muito mais complicado é sustentar esse sucesso”, conclui Bispo.

 

Foto: Reprodução / Tik Tok

Leia na origem

Governo Britânico anuncia pacote de US$2 bilhões para ajudar setor cultural durante a pandemia

Pacote emergencial inclui financiamentos para resgatar locais culturais impedidos de funcionar por conta da pandemia.

Na noite de domingo (5), o governo do Reino Unido anunciou um pacote emergencial de 1,57 bilhão de libras (1,96 bilhão de dólares) para beneficiar o setor de artes, música e cultura na Grã-Bretanha.

O pacote inclui financiamentos destinados à resgatar museus, galerias, teatros, cinemas independentes, locais históricos e de música da Grã-Bretanha.

De acordo com o Music Business Worldwide, a decisão veio em resposta à várias campanhas como a #saveourlives do Music Venues Trust (MVT), que vem pedindo ao primeiro-ministro britânico, Boris Johnson e seu governo, garantias para que locais culturais que estão fechados por conta da pandemia possam sobreviver durante a crise.

Anteriormente, na quinta-feira (2 de julho), o movimento ganhou ainda mais força com o apoio de vários artistas como Sir Paul McCartney, Rolling Stones, Ed Sheeran, Dua Lipa e Liam Gallagher. Eles se juntaram a mais de 1.500 artistas para divulgar a petição #LetTheMusicPlay  e cobrar incentivos do governo para o mercado musical.

Conforme divulgado pelo The Guardian, o pacote emergencial de apoio à cultura no Reino Unido inclui:

– 1,15 bilhão de libras para organizações culturais na Inglaterra, consistindo em 270 milhões de libras em empréstimos e 880 milhões de libras em doações.

– 100 milhões de libras em apoio direcionado às instituições culturais nacionais da Inglaterra e ao patrimônio inglês.

– Investimentos de capital de £120 milhões para reiniciar a construção de infraestrutura cultural e para projetos de construção de patrimônio na Inglaterra que foram interrompidos por causa da pandemia.

Geoff Taylor, diretor executivo da BPI – British Phonographic Industry– entidade que representa a indústria fonográfica britânica disse: “Estamos muito satisfeitos que o governo tenha reconhecido a importância especial das artes e da criatividade – incluindo música – para a nossa vida nacional. Saudamos calorosamente a menção específica de nossos queridos locais de música e o apoio às artes, que também devem ajudar nosso setor de música clássica”.

Leia na origem

Edital Natura Musical confirma abertura para segundo semestre de 2020

Matéria de VEJA RIO

Considerado um dos principais projetos de fomento à musica brasileira, edital terá inscrições abertas em breve, com adaptação em seu processo por conta da pandemia do coronavírus.

O Edital Natura Musical 2020 confirmou que em breve abrirá inscrições, mesmo com a pandemia do novo coronavírus. A notícia veio através da coluna da incrível jornalista Fabiane Pereira para o portal Veja Rio.

Com data prevista para o segundo semestre, o processo atenderá novas demandas para se adequar ao novo contexto da COVID-19:

“São curadores, produtores musicais e gestores com bastante vivência no mercado. Queremos ter a garantia que o processo deste ano vai ressoar uma série de demandas específicas do contexto atual e, claro, expandir e multiplicar os recursos que vamos colocar dentro dessa rede”, explicou a Head of Global Cultural Branding Natura Musical, Fernanda Paiva.

Segundo Fernanda, o programa que completa 15 anos, já investiu R$159 milhões no patrocínio de 467 projetos, impactando diretamente 1,8 milhão de pessoas. O valor de investimento de 2019, para projetos com atuação em 2020, é de R$14 milhões. Não foi revelado o valor para o novo edital.

Considerado um dos principais editais de fomento voltado para a cena musical brasileira, o Natura Musical já beneficiou grandes artistas como Lenine, Elza Soares e Ney Matogrosso. Além de apoiar nomes como O Terno, Saulo Duarte e a Unidade, Xênia França, Letrux, Emicida e Rubel.

“Muito do que vi emergir, eu conheci através de uma proposta de patrocínio ou uma intenção de apoio. Eu digo isso porque acredito que quando a gente tem uma ambição de mudar o mundo, de tornar o mundo mais bonito, temos que saber que essa mudança não vai acontecer do dia pra noite. Essa mudança vai acontecer numa perspectiva de médio e longo prazo. Então ao olhar a trajetória do Natura Musical é um motivo de orgulho porque materializa o que foi definido há 15 anos”, relembra Fernanda.

Foto: Divulgação

Leia na origem

Brazil Music Conference promove série de lives para debater o futuro da música eletrônica

Por conta da pandemia do novo coronavírus o Brazil Music Conference acontece neste ano através de lives. Com participação de Marcelo Castello Branco, CEO da União Brasileira de Compositores e Coy Freitas, diretor da Twitch no Brasil, evento terá como principal assunto o futuro da música eletrônica.

A partir desta semana acontece uma nova edição do Brazil Music Conference. Neste ano, o evento será realizado através de lives com participações de nomes como Marcelo Castello Branco, CEO da União Brasileira de Compositores e  Coy Freitas, diretor da Twitch no Brasil.

Segundo coluna de Lauro Jardim no O Globo, os rumos do mercado de música eletrônica em tempos de Covid-19 será o principal assunto dos debates. Serão abordados ainda outros temas como o cenário da música eletrônica, tendências para o futuro e inclusão social dos trabalhadores do setor.

A live completa do Brazil Music Conference com Marcelo Castello Branco já está disponível no Canal do evento no YouTube.

 

Foto: Reprodução

Leia na origem

Spotify disponibiliza letras de música em tempo real para seus usuários

O novo recurso só foi possível graças a parceria com a Musixmatch, maior plataforma de letras de música do mundo.

A partir de hoje (30), usuários do Spotify poderão ouvir músicas e acompanhar as letras em tempo real na plataforma.

O recurso só foi possível graças à parceria entre o serviço de streaming e a Musixmatch, considerada a maior plataforma de letras de músicas do mundo.

Segundo o Olhar Digital, países como o Brasil, Argentina, Colombia,Chile,México, Peru, Bolívia, Costa Rica, República Dominicana, Equador, Guatemala, Honduras, Índia, Nicarágua, Panamá, e Hong Kong já estavam há algum tempo em fase de testes.

Para nossa fundadora, Guta Braga, a parceria representa um impacto positivo nas receitas para autores e editores.

Foto: Divulgação

Leia na origem

©2020 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?