A RIAA publicou seu relatório sobre faturamento da industria de música gravada nos EUA para o primeiro semestre de 2019. Os negócios da música continuam seguindo tendência de crescimento desde 2016 impulsionados pelo crescimento de assinaturas pagas dos serviços de streaming. Confira análise completa realizada pela Billboard.

A Associação Americana da Indústria de Gravação (RIAA, sigla em inglês) publicou nesta quinta-feira (5) o relatório sobre os negócios da música gravada nos EUA para o primeiro semestre de 2019. Até agora, a indústria de música gravada faturou US$5,4 bilhões, um aumento de 18% em relação ao período anterior.

Segundo a publicação da Billboard, o crescimento no faturamento é uma tendência de mercado que se iniciou em 2016 e está relacionada ao aumento das assinaturas dos serviços de streaming.

Com 61,1 milhões de assinaturas pagas e uma média de 1 milhão de novas assinaturas a cada mês, as receitas de streaming foram de US$4,3 bilhões (+26%).

Contrariando as tendências, houve uma alta de 5% na receita líquida de produtos físicos, um total de US$485 milhões – representando 9% do total da indústria no período.

As vendas de álbuns de vinil continuam melhorando. Um aumento de 13% para US$224 milhões, representando 46% da receita física total, mas apenas 4% da receita total no primeiro semestre de 2019.

Enquanto isso, as vendas digitais continuaram em declínio, uma queda de 18% para US$462 milhões, representando apenas 8,6% da receita total da indústria. As receitas de vendas de faixas individuais diminuíram 16% em relação ao ano anterior e as receitas de álbuns digitais caíram 23%.

Detalhando as receitas de streaming

As assinaturas pagas em serviços como Spotify e Apple Music cresceram 31% a.a., um total de US$3,3 bilhões – 77% da receita total de streaming e 62% da receita geral do setor.

Nesse total, estão incluídas assinaturas pagas de “camada limitada” de serviços como Amazon Prime e Pandora Plus, que faturaram juntas 482 milhões de dólares.

As receitas de streaming sob demanda suportadas por publicidade também cresceram 25% ano a ano, um alcance de US$427 milhões. Entretanto, o relatório mencionou que essa receita vinda dos serviços como YouTube, Vevo e o plano gratuito do Spotify representou apenas 10% da receita geral de streaming, mesmo sendo ouvidos centenas de bilhões de streams de músicas neste período.

As receitas de rádio digital e personalizada de serviços como SiriusXM e estações de rádio na Internet, bem como pagamentos pagos diretamente por outros serviços suportados por anúncios, foram de US $ 552 milhões nesse período – um aumento de 5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Foto: Guetty Images

 

Tags:

Leia na origem

©2019 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?