TUM FESTIVAL ABRE INSCRIÇÕES PARA RODADA DE NEGÓCIOS DO MERCADO MUSICAL

Artistas selecionados poderão apresentar seus trabalhos para os principais nomes do mercado musical, para discutir oportunidades e projetos, e ainda fechar negócios como turnês, agendas para shows e convites para festivais.

[OPORTUNIDADE] Estão abertas as inscrições para a rodada de negócios do TUM Festival, um projeto catarinense que reúne conferência de música, negócios, economia criativa e sustentabilidade.

Esta é uma grande oportunidade para que artistas possam apresentar seus trabalhos para os principais nomes do mercado musical. Para a rodada de negócios serão selecionados 21 empreendedores musicais de todo o país, que irão se apresentar para 20 profissionais representantes de festivais, casas de shows, produtoras, feiras e fundações de músicas. Esses profissionais vão discutir oportunidades, projetos e fechar negócios como turnês, agendas para shows e convites para festivais.

Fique atento: artistas e bandas interessados em participar da rodada de negócios devem ter 70% de presença na programação e capacitações da Conferência TUM, podendo ser um representante por artista ou banda, informou a organização ao nsctotal.com.br.

Além disso, artista ou banda que tiver 100% de presença concorrerá a uma bolsa de estudos integral da próxima edição do Curso de Música e-Negócios da PUC/RJ.

A 5ª edição do TUM Festival  acontece entre os dias 10 a 15 de novembro em Florianópolis, com shows confirmados da banda Patu Fu, João Bosco, Mart’nália junto com a Camerata Florianópolis, da cantora francesa Camille Bertaut, do músico britânico Zalon Thompson.

Foto: reprodução/instagram

Leia na origem

PROJETO DE LEI QUER IMPEDIR QUE RIMAS SEJAM USADAS COMO PROVAS EM JULGAMENTOS DE RAPPERS NOS EUA

Matéria de @vice

Se aprovada a Act Rap limitaria os promotores de usar as letras de alguém contra eles no tribunal, uma tática que já colocou vários rappers atrás das grades como Young Thug e Gunna.

Letras de músicas podem servir como provas para acusar artistas em um julgamento? Bom, pelo menos nos Estados Unidos a prática é mais comum do que imaginávamos, e por isso, está rolando por lá um projeto de Lei para impedir que artistas, especialmente rappers, sejam julgados pelo conteúdo de suas letras em músicas.

Conforme o Vice.com durante décadas, promotores tem adotado a prática de usar as letras dos rappers contra eles mesmos em tribunais, convencendo juízes e júris de que suas músicas deveriam ser consideradas evidências, e não arte.

“Não estamos vendo letras de outros gêneros sendo usadas contra artistas. Realmente é quase exclusivamente focado em música rap e músicos de rap. E eu acho que é problemático em vários níveis. Por um lado, nega ao rap o status de arte que voluntariamente damos a outros gêneros ficcionais”, disse Erik Nielson, professor da Universidade de Richmond e co-autor de Rap on Trial, um livro sobre o que acontece quando as letras dos rappers são usadas contra eles no tribunal.

Ao longo dos anos diversos rappers foram julgados pelo conteúdo de suas músicas, e o mais recente caso é o de Young Thug e Gunna. Há três meses os artistas foram indiciados em uma lista de 56 acusações, incluindo crimes de assassinatos, atividade de gangues de rua e muito mais. Ambos serão julgados até 2023.

Para Nielson, as letras não são indícios de confissões, e geralmente os promotores as usam por falta de melhores evidências nos casos: “Eu trabalhei em tantos casos [em que letras de rap são usadas como prova], e eu ainda não vi um caso em que eu acreditasse que o que eu estava lendo era a confissão de alguém de um crime que aconteceu, ou seu plano de cometer o crime de que foram acusados”.

Além disso, a prática impede que rappers expressem sua arte de forma plena, por conta do medo de serem acusados: “Mas uma coisa eu tenho certeza é que quanto mais essa prática existir e quanto mais ela crescer, mais você verá uma forma de arte vibrante sendo silenciada”, complementou o professor.

Photo: os rappers Young Thug e Gunna – Prince Williams/Filmmagic/Matt Winkelmeyer/Getty Images for MRC

Leia na origem

COMPOSITORES E EDITORAS NOS EUA CHEGAM A UM NOVO ACORDO PARA AUMENTO DE PAGAMENTO DE ROYALTIES NO STREAMING

Matéria de Hypebot

Compositores e editoras verão aumento de até 15,35% no pagamento de royalties feito pelas plataformas de streaming nos EUA. Aumento pode impactar outros países.

Compositores e editoras verão aumento de até 15,35% no pagamento de royalties feito pelas plataformas de streaming nos EUA. Aumento pode impactar outros países.

A taxa de pagamentos de royalties no streaming mecânico aumentará de 15,1% para 15,35%, em cinco anos, de 2023 a 2027. A mudança foi aprovada pelas entidades reguladoras National Music Publishers’ Association (NMPA) e Nashville Songwriters Association Int’l (NSAI), em conjunto com a Digital Media Association (DiMA)representando os serviços de streaming  Amazon, Apple, Google, Pandora e Spotify.

De acordo com o Hypebot, haverá mudanças em outros componentes da tarifa, incluindo aumentos nos cálculos das tarifas pagas às gravadoras, bem os “pacotes” de produtos ou serviços que incluem streaming de música, e atualizará também a forma como os serviços poderão criar incentivos para atrair novos assinantes.

Coletivamente, as novas taxas e o melhor sistema de pagamento beneficiarão os compositores duramente atingidos pela mudança para o streaming. Além disso, decisões como estas podem abrir precedentes para que o mesmo ocorra em outros países, incluindo o Brasil.

Vale notar que em julho deste ano, a taxa de royalties pagas a compositores e editores havia sido aumentada de 10,5% para 15,1% para os anos 2018- 2022, uma decisão que saiu tardiamente devido a recursos movidos pelas plataformas. A decisão foi tomada pelo Copyright Royalty Board (CRB), um colegiado responsável por avaliar e determinar questões a cerca dos Direito Autorais nos Estados Unidos.

O diretor executivo da NSAI, Bart Herbison disse que a mudança deve contribuir para que a taxa de royalites chegue ao valor esperado de 43,8%.

“Esse processo colaborativo levará a um aumento na remuneração dos compositores das empresas de streaming digital e travará nosso aumento histórico de 43,8% em relação ao processo anterior do CRB”, disse o diretor em um comunicado.

 

 

Leia na origem

NATURA MUSICAL IRÁ INVESTIR R$6 MILHÕES EM EDITAL PARA IMPULSIONAR MÚSICA NACIONAL

Natura Musical está com inscrições abertas para edital de fomento à musica brasileira. Investimento em projetos deve ser de R$6 milhões em 2022.

Estão abertas as inscrições para o edital Natura Musical, um dos maiores projetos de incentivo à musical no brasil.

Conforme as redes sociais do programa, em 2022 o investimento será de R$6 milhões por verba própria, para seleção de projetos pelo edital nacional, e os editais do Pará, Bahia, Minas Gerais e rio Grande do Sul, através das leis estaduais de incentivo à cultura.

Além de lançamentos de novos trabalhos e música ao vivo, a novidade no edital é uma categoria especial para iniciativas em conexão com a América Latina.

Artistas, bandas, coletivos e projetos interessados podem acessar o edital se inscrever até o dia 9 de setembro através do portal edital2022.naturamusical.art.br.

Foto: Reprodução Instagram @naturamusical

Leia na origem

PESSOAS ESTÃO OUVINDO MAIS MÚSICA ANTIGA DO QUE ATUAL, APONTA ESTUDO

Novo estudo descobriu que consumo de lançamentos nos últimos 18 meses é menor do que o consumo de músicas mais antigas.

Os americanos estão preferindo ouvir músicas antigas a lançamentos. É o que diz um recente relatório publicado pela Luminate, antiga (Nielsen).

De acordo com a notícia publicada pelo Music Business Worldwide, nos EUA, o consumo de músicas atuais, ou seja, as músicas que foram lançadas nos últimos 18 meses, tiveram uma redução no consumo de 1,4% em comparação a 2021.

Pode parecer pouco, mas se observarmos a tendência de mercado, o consumo de música em geral cresceu 9,3% no mesmo período do ano passado. Além disso, as músicas antigas, as chamadas músicas de catálogo, tiveram um aumento de 14% no consumo (considerando streaming e vendas físicas).

Por sua vez, a participação de mercado das músicas de catálogo foi de 72,4% no primeiro semestre deste ano, e continua superando o consumo de lançamentos, que viu sua participação cair 3%, chegando a 27,6%.

Uma das razões que poderia explicar a redução na popularidade dos lançamentos musicais seria a pandemia, que impediu apresentações ao vivo devido ao isolamento social, bem como as oportunidades de promoção de música nova.

Enquanto isso, estamos vendo uma nova onda de músicas de artistas que fizeram sucesso no passaram voltando com tudo, após se tornarem trilhas de filmes e séries do momento, como foi o caso de Kate Bush e Metallica em “Stranger Things”.

(Foto: Reprodução/Twitter)

 

Leia na origem

Esses documentários vão enriquecer o seu conhecimento sobre o mercado musical

Matéria de Apple TV

Este post é para você que adora documentários musicais. Veja aqui dois que assistimos e aprovamos!

Hoje nosso post é especial, pois separamos dois documentários sensacionais que vão enriquecer o seu conhecimento sobre o mercado musical.

A nossa primeira indicação é o documentário “Watch the Sound with Mark Ronson”. Disponível na Apple TV Plus, o produtor musical Mark Ronson se une a criadores e músicos como T-Pain, Charli XCX, Dave Grohl e Paul McCartney, para analisar as inovações no cenário de produção musical, incluindo temas como sintetizadores, distorção, ajuste automático e muito mais.

[ ASSISTA AQUI VIA APPLE TV]

 

A nossa segunda indicação é o documentário, de apenas 16 minutos, ‘The Way Music Died’. Um curta-metragem gratuito disponível em inglês, no YouTube, sobre o lado sombrio das plataformas de streaming de música.

No documentário polêmico, os cineastas se reuniram com profissionais da indústria da música para discutir como plataformas de streaming estão afetando os artistas e a qualidade da música moderna. Assista na íntegra abaixo!

 

Leia na origem

INSCRIÇÕES ABERTAS PARA O PROGRAMA DE ACELERAÇÃO MUSICAL Labsonica 2.0

Matéria de

Programa de Aceleração Labsonica 2.:.0 Toca do Bandido abre inscrições para impulsionar carreiras de artistas e músicos. Saiba como se inscrever.

Estão abertas as inscrições para o programa de aceleração Labsonica 2.:.0 Toca do Bandido, que visa impulsionar carreiras de artistas solo, bandas e coletivos com trabalho autoral e composições próprias.

No programa, os selecionados farão uma imersão onde receberão orientação sobre suas carreiras e participarão de workshops e mentorias orientados por profissionais especializados da área. Além disso, haverá um songcamp exclusivo para criação de um EP com músicas autorais, que serão produzidas com a orientação e condução de Constança Scofield e Felipe Rodarte.

Por fim, o Selo Toca Discos vai lançar os EPs em todas as plataformas digitais, com apoio de divulgação das bandas nas redes sociais.

As inscrições podem ser realizadas até o dia 31 de Julho por meio do formulário disponível no site oficial do edital.

Foto: Instagram @estudiotocadobandido

Leia na origem

TAXA DE ROYALTIES DE STREAMING PAGOS A EDITORES E COMPOSITORES É AUMENTADA NOS EUA

Matéria de Variety

Copyright Royalty Board confirma aumento para 15.1% nos royalties de streaming para editores e compositores nos EUA.

VITÓRIA. Compositores e editores passarão a receber 15,1% sobre o ganho de royalties por músicas tocadas nas plataformas de streaming nos EUA.

A decisão foi tomada na última semana pelo Copyright Royalty Board (CRB), um colegiado responsável por avaliar e determinar questões a cerca dos Direito Autorais nos Estados Unidos.

De acordo com a Variety, o CRB já havia determinado em 2018 o aumento de 10,5% para 15,1% em uma ação movida pela Associação Nacional dos Editores de Música (NMPA, sigla em inglês). Entretanto na época, os principais serviços de streaming (Spotify, Amazon Music, YouTube/Google e Pandora) recorreram , com a justificativa de que o aumento tornaria seus modelos de negócios insustentáveis ​​diante dos bilhões de dólares que já pagam em royalties. Como relatamos anteriormente, a Apple Music foi a única em que não se envolveu no recurso.

Desta vez, conforme explicado pela UBC (União Brasileira de Compositores), a decisão é definitiva e inapelável. Além disso, todas as plataformas deverão pagar, com correção monetária, todos os valores que foram deixados de depositar aos compositores e editores nestes últimos quatro anos.

Agora, a NMPA busca um novo reajuste dos pagamentos de royalties para o período 2023-27, que pode chegar a 20%. É sempre bom lembrar que decisões como estas podem abrir precedentes para que o mesmo ocorra em outros países, incluindo o Brasil.

Leia na origem

ARTISTA RECEBERÁ INDENIZAÇÃO DO FACEBOOK APÓS TER SUA CONTA BLOQUEADA SEM EXPLICAÇÃO

Juíza entendeu que artista foi impedido de exercer sua profissão por ter sua conta suspensa no Instagram.

Recentemente, o Facebook foi condenado a indenizar em R$3.000,00 reais a um artista em Salvador, Bahia, após o mesmo ter sua conta no Instagram bloqueada sem motivos.

De acordo com o Conjur.com.br, o autor que não teve seu nome revelado, alegou que foi prejudicado ao ser impedido de realizar uma live no Instagram por causa da suspensão de sua conta por alguns dias.

Em contrapartida, o Facebook argumentou que suspendeu temporariamente a conta do artista para verificar uma possível violação das políticas da plataforma, relacionada a spam, mas em seguida liberou o acesso do usuário, pois não foi encontrado nada irregular.

A justificativa não foi aceita pela juíza Maria Virginia Andrade de Freitas Cruz, da 4ª Turma Recursal dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais da Bahia, como mencionado no processo:

“A parte ré não esclareceu por qual razão seria preciso suspender a conta da parte autora durante a averiguação de atividade suspeita, haja vista que, como foi confirmado, não foi constatada violação”.

A juíza entendeu que o autor da ação foi prejudicado, uma vez que ficou impossibilitado de desempenhar sua profissão:

“No caso em apreço, a atitude arbitrária da parte ré causou frustração de expectativas da parte autora, impedindo o regular desempenho de sua atividade artística, o que, a meu ver, implica em ofensa extrapatrimonial passível de indenização”, explicou Maria Virginia.

Desta forma a juíza relatora fixou a indenização em R$ 3 mil, incidindo juros e correção monetária, por considerar a quantia adequada “à luz dos princípios da proporcionalidade e da razoabilidade, bem como tendo em mente a jurisprudência desta turma recursal”.

Leia na origem

SAIBA COMO FAZER SUA INCRIÇÃO PARA O FUNDO VOZES NEGRAS, DO YOUTUBE

Matéria de

Iniciativa do Youtube busca ajudar criadores de conteúdo e artistas que desejam crescer na plataforma. Jápassaram pelo programas nomes como Péricles e Rael.

Estão abertas as inscrições no Brasil para o Fundo Vozes Negras, uma iniciativa global promovida pelo YouTube para ajudar a alavancar canais de criadores e artistas negros pelo mundo.

Os criadores e artistas selecionados receberão todo um suporte, inclusive financeiro do próprio Youtube, e terão a oportunidade de participar de uma imersão virtual de três semanas onde poderão aprender a profissionalizar o seu conteúdo e a administrar o seu negócio.

“Desde 2020, nós tivemos mais de 300 participantes dos Estados Unidos, Quênia, Reino Unido, Brasil, Austrália, África do Sul e Nigéria. Neste grupo incrível temos músicos, empresários do ramo da beleza, comediantes, ativistas, poetas, personal trainers, pais e mães, fotógrafos, gamers, entre outros”, informou a plataforma.

 

Vale notar que já passaram pelo Fundo Vozes Negras criadores como Spartakus, Dois por Cento TV, Nátaly Neri, e artistas como Péricles, Urias e Rael.

Os interessados poderão se inscrever por meio deste link.

Leia na origem

©2022 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?