Vivendi diz que nos últimos três meses a Universal Music gerou US$1 milhão por hora

[ANÁLISE] Balanço financeiro da Vivendi mostra que a Universal Music faturou US$24,5 milhões por dia nos últimos três meses. Ou seja, um pouco mais de US$1 milhão por hora, mesmo com a pandemia do coronavírus impactando o mercado música. Saiba como tem sido o o desempenho da gravadora até aqui.

A Universal Music bateu a marca de €1,81 bilhão (US$2,20 bilhões) em receitas (música gravada e editora), no primeiro trimestre de 2021, um aumento de 9,4% ano a ano. Os dados foram apresentados na última semana pela Vivendi, sua empresa-proprietária.

Conforme o Music Business Worldwide, isso significa que a gravadora ganhou nos últimos três meses US$24,5 milhões por dia, ou um pouco mais de US$1 milhão por hora, mesmo com a pandemia do coronavírus impactando o mercado música.

Do total de receitas, €1,48 bilhão (US$1,80 bilhão) vieram da música gravada, um aumento de 10,8%. Entretanto, as receitas de streaming foram as mais rentáveis, gerando €1,01 bilhão (US$1,23 bilhão), um aumento de 19,6% ano a ano.

Ou seja, por dia a Universal Music faturou com o streaming nos último trimestre aproximadamente $13,6 milhões por dia, ou $568.000 por hora. Não é a toa que hoje streaming representa 68% das receitas de música da gravadora.

As vendas físicas também apresentaram bom desempenho para a gravadora, com um aumento de 14,8% no trimestre, gerando €213 milhões ($259 milhões). Para a Vivendi, esses resultados foram conquistados por “melhores lançamentos e vendas de catálogo”.

Com relação às receitas de publicação de música na editora aumentaram 6,9% em uma base orgânica, mas as vendas de mercadorias caíram 10% no comparativo anual.

Os Artistas Best-Sellers da Universal Music:

Ente os artistas que mais se destacaram na gravadora no primeiro trimestre deste ano foi ao grupo japonês King & Prince e o cantor Justin Bieber, seguido de The Weeknd, Ariana Grande e Pop Smoke. Será que neste ano a gravadora irá bater sua marca de US$8,4 bilhões em receitas de 2020? Vamos ficar de olho!

 

Foto: a banda de J-pop King & Prince/ reprodução

Leia na origem

Universal Music Will Be Spun Off With An IPO “At The Right Moment,” says Vivendi CEO

Matéria de hypebot

Vincent Bolloré, CEO da Vivendi afirmou que há interesse de lançar a Universal Music como capital aberto.

Após meses de especulações, Bolloré confirmou que a Vivendi deseja lançar um IPO da Univesal Music. Para ele é algo “inevitável”.

Ele disse que o valor da maior gravadora do mundo aumenta a cada dia e um IPO seria interessante. Mas a questão-chave é saber quando é o melhor momento para realizar o processo.  Atualmente a Universal Music está avaliada em US $ 22 bilhões.

Leia na origem

Vivendi CEO appointed Telecom Italia chairman

O CEO da Vivendi, Arnaud de Puyfontaine foi nomeado presidente da Telecom Italia, mas os acionistas ficaram insatisfeitos.

A nomeação de Arnaud Puyfontaine foi amplamente divulgada, dias após a Comissão Européia (CE) impedir que a Vivendi assumisse o controle da Telecom Italia. A Vivendi é o maior acionista da Telecom Italia com uma participação de 24% e tem exercido crescente controle sobre o operador italiano nos últimos 18 meses.

As mudanças causaram insatisfação entre seus acionistas do conselho, o “Institutional Shareholder Services”, que “imploraram” para que os acionistas da Telecom Italia não aprovarem as nomeações da diretoria antes do voto de maio.

Leia na origem

Could Part Of Universal Music Be Up For Sale?

Matéria de hypebot

Boatos dizem que a Vivend deseja vender parte da Universal Music.

Recentemente a Vivendi, “empresa-mãe” da Universal, avaliou a gravadora em 22 bilhões de dólares, indicando uma possibilidade de sua venda. Essa é a primeira vez que a Universal é avaliada e com isso vários rumores de sua venda ou parte dela estariam surgindo.

Um dos boatos diz que a Vivendi está disposta a vender até 15% da Universal Music. Alguns possíveis compradores já estariam sendo apontados, como as grandes empresas chinesas Alibaba e Tencent e empresas de tecnologia como Google, Apple e Amazon.

Leia na origem

VIVENDI SPLASHES $2.5BN ON HAVAS BID – AND SAYS IT WILL HELP ‘STRENGTHEN’ UNIVERSAL

A compra de grande parte das ações da agência Havas permitirá que a Vivendi reforce seus negócios, incluindo a Universal Music.

A Vivendi confirmou a proposta na aquisição de 60% de participação da agência Havas, que atua no marketing, design, comunicações digitais e corporativas. O valor da oferta foi de 2,3 bilhões de euros (US$ 2,5 bilhões).

A Havas irá impactar outra empresa pertencente ao grupo Vivendi, a Universal Music. Assim como todas as outras empresas da Vivendi, a Universal ganhará um “reforço”.

Em carta divulgada pela Vivendi, o investimento permitirá um conhecimento mais aprofundado do consumidor e sólidas capacidades de análise de dados, para ganhar vantagem competitiva no mercado num mercado de grandes transformações e desenvolvimento.

Leia na origem

UNIVERSAL POSTS RECORD REVENUES FOR 2016 – AS STREAMING OVERTAKES PHYSICAL SALES

Foi divulgado relatório sobre o desempenho da Universal Music em 2016. Apesar da queda de downloads a empresa obteve um pequeno aumento nas receitas totais.

No relatório de receitas divulgado, pela primeira vez na história, as vendas físicas de música foram superadas por streaming (incluindo anúncios e subscrição) na empresa. Além disso, os artistas mais vendidos da Universal Music no ano (em termos de receita) foram: Drake, Justin Bieber, Rihanna, Ariana Grande e The Rolling Stones. A análise completa do desempenho da Universal pode ser lida no site da Music Business World Wide. A Universal Music Group passou a ser detida em 100% pela Vivendi em Fevereiro de 2006.

Leia na origem

©2022 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?