Novo recurso do Spotify permitirá ouvir música junto com amigxs

Matéria de B9

Spotify tenta atualizar aquele antigo jeito de compartilhar o fone de ouvido entre amigos com novo recurso em fase de testes.

O Spotify está testando um novo recurso que permitirá vários usuários ouvirem a mesma música juntos, mas em dispositivos diferentes.

O Social Listening está em fase de testes, mas promete inovar aquele antigo jeito de compartilhar o fone de ouvido com outra pessoa, já que para ouvir a mesma música simultaneamente, basta enviar um convite através de um QR Code.

De acordo com o portal B9, o Spotify espera que os convites para a audição simultânea atraiam novos usuários para a plataforma.

Além do Social Listening, o serviço de streaming também anunciou que os usuários do Spotify Stations poderão ouvir músicas personalizadas na rádio deixando a execução mais compatível ao gosto musical de cada usuário. Será uma versão parecida com a proposta do Pandora, outro serviço de streaming.

Lançado em 2018, o Spotify Stations é uma versão mais simples do Spotify, que funciona quase como uma rádio. A rádio vai melhorando conforme o gosto do usuário. Com esta atualização, os usuários não precisarão seguir a ordem imposta pelo aplicativo.

Apesar da possibilidade de ouvir músicas de forma gratuita, o Spotify Stations ainda não é muito popular ao redor do mundo.

 

Leia na origem

Em 2018, Spotify conquista maior market share dos serviços de streaming

Matéria de MIDiA Research

Novo relatório da Midia Research mostra o market share dos serviços de streaming de música no primeiro semestre de 2018.

Nesta quinta-feira, Mark Mulligan, um dos maiores analistas sobre a indústria da música, publicou em seu blog o novo relatório da Midia Research, sobre o market share dos serviços de streaming durante o primeiro semestre de 2018.

No que diz respeito ao número de assinantes nos serviços de streaming, houve um crescimento de 16% ( 229,5 milhões). Em comparação com o ano anterior, a base global de assinantes aumentou 38% (62,8 milhões de usuários). “Isso representa um crescimento forte e sustentado, em vez de fortemente acelerado”, afirmou Mulligan.

O número de assinantes no mundo deve permanecer no ponto médio de crescimento até 2019, onde serão explorados mercados desenvolvidos. Posteriormente, o crescimento será impulsionado por mercados de streaming de médio porte, como Japão, Alemanha, Brasil, México e Rússia.

De acordo com Mulligan, esses mercados têm o potencial de gerar um forte crescimento no número de assinantes, mas no caso dos três últimos, deve haver uma busca agressiva por produtos de nível intermediário, como pacotes de preços reduzidos. Caso contrário, o mercado será restringido às elites urbanas que possuem acesso a cartões de crédito e por consequência a Receita média por usuário (ARPU) será menor.

A receita deve crescer de forma mais lenta que a quantidade de assinantes em meados de 2019. A seguir, os serviços de streaming com maior participação de mercado no início de 2018.

Os serviços de streaming com maior market share no mercado:

Spotify: o serviço manteve uma participação de mercado global de 36%, o mesmo que no quarto trimestre de 2017, com 83 milhões de assinantes. Além disso, conquistou mais assinantes do que qualquer outro serviço no primeiro semestre de 2018.

Apple Music: A Apple adicionou dois pontos de participação de mercado, 19%, e aumentou três pontos ano a ano, com 43,5 milhões de assinantes. A Apple Music acrescentou o segundo maior número de assinantes – 9,2 milhões, sendo os EUA o principal mercado em crescimento.

Amazon: A Amazon adicionou pouco menos de meio ponto de participação de mercado, estável em 12%, devido ao seu plano Unlimited. Foram 3,3 milhões de usuários novos pagantes, atingindo 9,5 milhões no segundo semestre de 2018. No total, a Amazon tinha 27,9 milhões de assinantes no final do período.

Enquanto isso, no Japão, o Line Music atingiu mais de um milhão de assinantes. Na Coréia do Sul, o MelOn teve uma queda no primeiro trimestre, mas se recuperou no segundo trimestre. Em outros lugares, o Pandora teve um sólido período de seis meses, adicionando 0,5 milhão de assinantes, enquanto o Google se destacou globalmente.

Gostou da dica? Não deixe de acompanhar o nosso blog também pelo Instagram. Siga a nossa página @mct.mus 

Leia na origem

OFFICIAL: PANDORA CEO TIM WESTERGREN IS OUT AS PRESIDENT AND CMO ALSO EXIT

O CEO do Pandora ,Tim Westergren, está deixando a empresa. O serviço de streaming perdeu pelo menos seis executivos superiores nos últimos 18 meses.

O serviço de streaming Pandora anunciou a saída de seu CEO, Tim Westergren. Com ele estão saindo também outros membros como o presidente (e ex-CFO) Mike Herring e Nick Bartle, que estava na empresa por apenas nove meses. A empresa está a procura de um substituto, enquanto isso não acontece quem assumirá o comando será o CFO Naveen Chopra.

O membro do conselho da empresa, Tim Leiweke, agradeceu em nome de todo o conselho a Westergren por sua visão e seus muitos anos de liderança que criaram uma das marcas mais reconhecidas em streaming de música. Ele disse que Westergren entrou para ser CEO em um momento crítico para a empresa e foi capaz de redefinir as relações com as principais gravadoras, lançando o serviço on-demand, reconstituindo a equipe de gerenciamento e fortificando o balanço ao conseguir um investimento da Sirius XM.

Westergren disse estar orgulhoso da empresa que ajudou a inventar uma nova maneira de apreciar e descobrir música, mudando a experiência para milhões de pessoas. Ele disse que realizou mais do que esperava. “Acredito que o Pandora está perfeitamente preparada para o próximo capítulo”.

Leia na origem

What Pandora’s $200M Ticketfly Sale and $480M SiriusXM Investment Means

Matéria de Billboard

O que os negócios entre Pandora, Sirius XM e Evenbrite significam para essas empresas e a indústria da música? Leia análise da Billboard.

O Pandora realizou dois grandes negócios recentemente. O primeiro foi com a SiriusXM, e outro com a Evenbrite, no qual vendeu a Ticketfly por 200 milhões de dólares. Mas o que esses investimentos significam para cada uma dessas empresas e a indústria da música? O site da Billboard faz uma análise detalhada sobre isso.

Leia na origem

Eventbrite compra empresa líder no mercado da música na América do Norte

Eventbrite compra empresa líder no mercado da música na América do Norte

A Eventbrite, “maior plataforma global de tecnologia para eventos e emissão de ingressos e inscrições”, anunciou a aquisição da Ticketfly, por US$ 200 milhões.

Com o objetivo de ser referência para experiências ao vivo, a Eventbrite pretende alcançar em 180 países cerca de 200 milhões de ingressos e US$ 3 bilhões em vendas brutas. A aquisição da Ticketfly poderá ajudar a atingir essa meta: “Com mais de 175 mil concertos e festivais de música e vendeu mais de US$ 1 bilhão em ingressos desde 2006; a Ticketfly atualmente trabalha com mais de 1.800 dos principais promotores e casas de shows em toda a América do Norte, com 100 mil eventos por ano que geram US$ 600 milhões em vendas brutas de ingresso”.

A Ticketfly pertencia à Pandora e atualmente é líder de emissão de tickets, focada no mercado de música. A aquisição impulsiona a Eventbrite no mercado de música, para oferecer melhores serviços de tecnologia, emissão de tickets e marketing para o mercado de música ao vivo.

Hugo Bernardo, country manager da Evenbrite Brasil, a experiência das duas empresas, agora unidas, poderá fornecer um produto ainda mais robusto e poderoso para organizadores de eventos de todos os tipos e tamanhos, e para o participante, ainda mais experiências ao vivo para descobrirem e adquirirem seus ingressos e inscrições.

Leia na origem

Does Pandora Have A “Fake Listener” Problem?

Matéria de hypebot

Pandora enfrenta um problema com “ouvintes falsos”. Será que a música está ligada, mas ninguém está lá para ouvi-la?

Após o analista de mercado Anthony DiClemente escrever sobre os planos do Pandora em controlar como os usuários estão usando para sua otimização, uma questão sobre o tempo de uso do serviço foi levantada.

Acontece que o Pandora pode ter “ouvintes falsos” executando o serviço. Enquanto o aplicativo está ligado, pode ser que ninguém esteja escutando, pois foi constatado que mais de dois terços dos ouvintes do Pandora estão em casa ou no escritório, em outras palavras, “a música está ligada, mas ninguém está lá para ouvi-la”.

Para verificar se o aplicativo está em uso, o Pandora enviará mensagens ao usuário perguntando se ele ainda está ouvindo. Atualmente, enquanto Spotify e outros estão crescendo, o Pandora está caindo. Portanto, a verdadeira questão pode não ser se o Pandora tem “ouvintes falsos”, mas sim se sua queda é maior do que pensamos.

Leia na origem

PANDORA SUED BY PAYPAL FOR ALLEGED ‘HARMFUL’ LOGO INFRINGEMENT

O gigante do comércio eletrônico online, PayPal, entrou com uma ação judicial contra o Pandora por plágio na logotipo.

O PayPal alega que o novo logotipo do Pandora, o “P”, é muito semelhante à sua identidade corporativa. O PayPal chega a acusar o Pandora de copiar deliberadamente elementos de seu próprio crachá baseado no “P”, que está em uso desde 2014.

O processo afirma que as semelhanças entre as logotipos são impressionantes, óbvias e ilegais. “Assim como o PayPal, a logotipo Pandora é um P maiúsculo em estilo de bloco, sans serif, sem contador, na mesma gama de cores azul profundo”.

A reivindicação inclui exemplos de screenshots dos usuários no Twitter, que observaram elementos similares nos logotipos. Há pessoas que chegaram a abrir o app por engano.

O PayPal também alega que as empresas competem no mercado móbil e por isso as logotipos devem se diferenciar. A empresa também pede um julgamento de júri para impedir que o Pandora volte a usar a logo no futuro, além de pedir danos e taxas legais.

Leia na origem

Pandora Looking to Sell Ticketfly: Report

Matéria de Billboard

Rumores dizem que o Pandora está procurando um comprador para seu serviços de venda de ingressos on-line, o Ticketfly.

A venda do Ticketfly significaria para o Pandora um “plano de backup” caso as tentativas de encontrar um comprador para toda a empresa, não funcionem.

Na semana passada, a Pandora informou que a receita de seu serviço de bilheteria foi de US$ 27,8 milhões no primeiro trimestre, um aumento de 25% em relação ao ano anterior. Com a venda, o Pandora poderia também se concentrar em melhorar o desempenho de seu serviço de streaming on-demand, que acaba de ser lançado.

A empresa de Oakland comprou a Ticketfly por US $ 450 milhões em outubro de 2015 na esperança de poder vender ingressos para seus usuários, mantendo uma porcentagem dessas vendas.

Leia na origem

With New Investment and a Potential Sale Ahead, What’s Next for Pandora?

Matéria de Billboard

Com notícia de venda e investimento de 150 milhões de dólares da KKR no Pandora, a Billboard analisa o impacto desses acontecimentos para a indústria da música.

Nesta semana a indústria da música ficou surpresa com as novas notícias sobre o Pandora. Além de arrecadar US$ 150 milhões em capital de investimento da KKR Private Equity, foi anunciado que a empresa será vendida.

A Billboard publicou uma análise sobre tais acontecimentos, avaliando como isso impactará a empresa e a indústria da música.

Leia na origem

KKR INVESTS $150M IN PANDORA – AS STREAMING COMPANY POSTS $132M Q1 LOSS

A gigante KKR investiu US$ 150 milhões no Pandora. Movimento foi estratégico.

O investimento trará mudanças no conselho da empresa. Richard Sarnoff, Diretor de Mídia e Comunicação da KKR Private Equity, fará parte do Conselho de Administração do Pandora.

A notícia vem após a revelação das receitas do serviço de streaming. No primeiro trimestre de 2017, o Pandora registrou receita de US$ 316M (+ 6,3% YoY), com uma perda líquida trimestral de US$ 132,3 milhões.

Leia na origem

©2021 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?