‘Passaporte da vacina’ não poderá ser exigido em projetos financiados pela Lei Rouanet

Matéria de Metrópoles

O Secretário Especial de Cultura, Mário Frias, vetou a exigência de passaporte sanitário em projetos financiados pela Lei Rouanet. Comprovante de imunização não poderá ser cobrado durante a produção e execução de filmes e peças teatrais.

Nesta segunda-feira (8/11) o secretário de Cultura, Mário Frias, vetou a exigência do comprovante de imunização contra a Covid-19 em projetos financiados pela Lei Rouanet.

Conforme o Metrópolis.com, o veto de Frias na prática, quer dizer que o comprovante chamado de “passaporte da vacina” não poderá ser exigido durante a produção de um filme ou peças teatrais.

“Fica vedado pelo proponente a exigência de passaporte sanitário para a execução ou participação de evento cultural a ser realizado, sob pena de reprovação do projeto cultural e multa”, informou o trecho da determinação publicada no Diário Oficial da União (DOU).

Para Frias, a medida vai garantir que os direitos básicos da civilização sejam protegidos: “A proibição do famigerado passaporte de vacinação, nos projetos da Lei Rouanet, visa garantir que medidas autoritárias e discriminatórias não sejam financiadas com dinheiro público federal e violem os direitos mais básicos da nossa civilização”, escreveu o secretário no Twitter.

A decisão também destaca que os projetos financiados pela Lei Rouanet terão de ser adequados para o digital, para garantir que não haja uma “discriminação entre vacinados e não vacinados”.

“Os projetos culturais que comprovarem a adoção dos protocolos de medidas de segurança, para prevenir a Covid-19, tais como, aferição de temperatura, exame de testagem para Covid e uso de materiais de higiene, terão prioridade na análise de homologação de admissibilidade”, frisou a portaria.

Vale notar que o “passaporte da vacina” tem apoio da comunidade médico-científica, uma vez que quem não está imunizado deve ter restrições de circulação para não por em risco a saúde de outras pessoas, e evitar novos casos e possíveis mortes.

Foto: reprodução

Leia na origem

CANTORA FARÁ APRESENTAÇÃO AO VIVO NOS EUA PARA PESSOAS QUE JÁ FORAM VACINADAS

Matéria de Rolling Stone

A cantora country vencedora do Grammy 2021, Brandi Carlile, anunciou que fará um sorteio para fãs que já foram vacinados possam assistir ao seu show presencialmente nos EUA.

Na última semana a cantora country americana Brandi Carlile anunciou que vai se apresentar ao vivo para pessoas que já foram vacinadas.

De acordo com a Rolling Stone, para conferir o show da cantora, haverá um sorteio no qual os fãs deverão enviar para um e-mail provas da imunização e nota da compra dos ingressos. O anúncio dos vencedores será feito nesta quinta-feira, 25 de março.

Os fãs deverão ficar atentos sobre a data em que foram vacinados, pois algumas vacinas só passam a ter eficácia a partir de duas semanas após a aplicação. Por exemplo, pode participar do evento quem recebeu antes do dia 14 de março, as duas doses da Pfizer ou Moderna, ou ainda a dose única da Johnson & Johnson.

Mesmo com a imunização do público, Brandi afirma em um vídeo no Instagram que  o evento será transmitido ao vivo e continuará seguindo todas as medidas de segurança contra a Covid-19: Uso de máscaras, marcação para distanciamento e lotação máxima de 25% da capacidade total.

 

 

Foto: Brandi Carlile. (Crédtios: Kevin Winter/Getty Images)

Leia na origem

Festival Coachella é cancelado pela terceira vez

Matéria de Billboard

Com atrasos nas aplicações de vacinas, festivais começam a cancelar datas novamente. Festival Coachella, que estava marcado para abril deste ano foi cancelado pela terceira vez.

Na manhã (01), o Festival Coachella Valley Music And Arts, que estava marcado para Abril deste ano foi cancelado devido a pandemia do coronavírus.

O anúncio veio após o oficial de saúde pública, Dr. Cameron Kaiser,  ter assinado uma ordem de saúde pública no Condado de Riverside, cancelando eventos em espaços abertos.

Infelizmente, esta é a terceira vez que o festival, considerado uns dos mais importantes do mundo precisou cancelar suas datas programadas, devido a atual crise sanitária mundial provocada pelo Covid-19.

Segundo a Billboad, em março passado, o Coachella havia confirmado em seu line-up nomes como Travis Scott, Frank Ocean e Rage Against the Machine. Entretanto, não se sabe se o line-up terá uma nova programação, já que há rumores de que o festival pode acontecer ainda este ano, porém só em outubro.

Na semana passada, o Glastonbury, na Inglaterra, também anunciou o cancelamento para  Junho de 2021. A previsão é de que outros festivais como o Ultra Music Festival, em Miami, e o Rock in Rio, devem anunciar novas datas, principalmente pelo atraso das aplicações de doses de vacinas no mundo todo.

 

 

Rich Fury/Getty Images for Coachella

Leia na origem

JEUNESSE ARENA RETORNA COM SHOW DE NANDO REIS

Matéria de Portal Radar

Considerado como um dos maiores espaços para eventos do Brasil, Jeunesse Arena recebeu Nando Reis, seguindo todos os protocolos estabelecidos para contenção do coronavírus.

O último sábado foi marcado pelo retorno de uma dos maiores espaços para eventos e shows no Brasil: A Jeunesse Arena, no Rio de Janeiro.

Seguindo todos os protocolos (aferição de temperatura na entrada, exigência de máscaras e de distanciamento entre o público) para contenção da pandemia provocada pelo novo coronavírus, o retorno foi marcado pelo show de Nando Reis.

Assim, como aconteceu no ‘Quadradinho’, o evento foi todo adaptado para receber metade de sua capacidade, 2.500 pessoas. Houve marcação de distanciamento nas arquibancadas e camarotes com barreiras de capacidade para até oito pessoas.  O evento contou ainda com pequenos lounges para casais e famílias de até quatro membros.

Por enquanto, o Rio de Janeiro permanece sob alta em casos de Covid-19, mas segue sem atualização quanto a liberação de eventos em público. De acordo com o Radar, a Jeunesse Arena vai receber ainda em dezembro os shows de Thiaguinho (dia 12) e Capital Inicial (19).

 

Foto: reprodução

Leia na origem

Seguindo normas da OMS, Festival Quadradinho mostra que retorno de shows é possível

Matéria de tabuol @UOL

Festival ‘Quadradinho’ acontece até o fim de novembro seguindo normas da OMS para eventos presenciais no Rio de Janeiro.

De 6 a 27 de novembro acontece no Núcleo de Ativação Urbana, Rio de Janeiro, o festival ‘Quadradinho’. Evento quer mostrar que é possível voltar a curtir shows, desde que todos os protocolos de segurança sejam seguidos.

No primeiro dia do festival, o line-up contou com apresentações de Rebecca, Karol Conka, Tati Quebra-Barraco, Pocah e Lexa, além da participação de Dj’s.

Uma estrutura formada por 188 cercadinhos foi montada para atender os protocolos de segurança estabelecidos de acordo com a fase 6B, do plano de retomada de atividades econômicas do Rio de Janeiro. Os cercadinhos, ou quadradinhos, são divididos em três formatos: 4m² – 6m² e 8m², o último com capacidade de até 8 pessoas.

“Brincando com o termo do funk, o festival se chama Quadradinho. Enxergamos que muitas pessoas querem voltar a assistir aos shows mas entendemos, como plataforma, precisávamos fazer com que tudo fosse o mais seguro para esse retorno. Por isso montamos o formato de uma arena toda preparada pra distanciamento social”, explicou Flavio Saturnino um dos idealizadores do projeto ao portal Metrópoles.

Segundo relato do Uol, a saída dos quadradinhos só é permitida para idas ao banheiro, que é higienizado por diversas vezes ao longo da noite. Além disso, o consumo de bebidas e comidas é realizado através de um menu acessado por QR Code, colado nas mesas. Tudo é  servido por garçons devidamente protegidos por máscaras.

Os valores dos ingressos variam entre R$200 e R$600 e já estão disponíveis para venda na plataforma Sympla.

A compra dos ingressos só pode ser realizada por meio de um aplicativo próprio do festival. Assim como no cinema, o público pode escolher em que quadradinho deseja ver o show. O público geral será de 750 pessoas, menos de ⅓ da capacidade total do espaço que tem 4.500 m². A entrada claro, só é permitida com uso de máscaras e higienização de mãos com álcool em gel e medição de temperatura.

Imagem: Ana Wander Bastos/Divulgação

Leia na origem

Com fase verde iminente, São Paulo anuncia novas regras para liberação de shows, teatros e cinema.

Matéria de VEJA

A Prefeitura de São Paulo publicou novos protocolos para liberação de eventos culturais. Assim que o município seguir para a fase verde, serão liberados cinemas, bibliotecas, teatros e apresentações em casas de show com até 2.000 pessoas! Veja como ficam as novas regras.

Na última sexta-feira a Prefeitura de São Paulo publicou no Diário Oficial da Cidade, novos protocolos para a liberação de reabertura de espaços culturais no município.

De acordo com a Veja, assim que o governo alterar a classificação da fase amarela para a fase verde no município (previsto para outubro), serão liberados eventos com lotação de até 600 pessoas em teatros, apresentações em casas de shows, museus, galerias, bibliotecas, conversões, seminários, workshops, palestras e feiras de gastronomia.

Eventos acima de 600 pessoas e até 2.000 deverão ter uma licença especial autorizada pela Secretaria Municipal de Licenciamento. Aglomerações acima de 2.000 pessoas continuam proibidas na fase verde.

Shows com público em pé também poderão voltar mediante, claro, de uma série de regras como uso de máscaras, disponibilidade de álcool em gel, medição de temperatura, distanciamento de 1,5 metro entre as pessoas com marcações no chão, além de espaçamento de dois metros para a circulação.

No caso de eventos com mesas e cadeiras, os assentos deverão manter o mesmo distanciamento ou serem intercalados, deixando dois lugares livres entre os espectadores. Apenas poderão ficar próximos, grupos de até seis pessoas que comprarem ingressos juntos.

Para quem estava com saudades de ir ao cinema, a notícia é de que a reabertura já está prevista. Além de terem que seguir as regras de higiene exigidas nos protocolos, as salas terão ocupação de 60%. Sendo que limitadas até 200 pessoas nos primeiros 28 dias, e após, o limite sobe para  500 pessoas.

O portal informa ainda que todo o “processo de validação dos protocolos para a retomada do setor cultural foi realizado em conjunto por diversas secretarias da Prefeitura, recebidos pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SMDET), com orientação e auxílio da Secretaria Municipal de Cultura (SMC), validação de protocolos sanitários da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) por meio da COVISA e oficialização do processo de validação pela Secretaria da Casa Civil”.

Foto: O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB)/Divulgação

Leia na origem

Câmara aprova projeto para repassar R$3 Bi ao setor cultural durante a crise do coronavírus

Matéria de G1

O dinheiro será repassado ao setor cultural através de medidas como o pagamento emergencial de três parcelas de RS600 aos profissionais informais, atividades artísticas e culturais que possam ser transmitidas pela internet e ainda linhas de crédito.

Nesta terça-feira (26) a Câmara dos Deputados aprovou um projeto de lei para beneficiar o setor cultural perante a crise do coronavírus.

O projeto deve repassar R$3 bilhões ao setor através de medidas como o pagamento emergencial de três parcelas de RS600 aos profissionais informais, atividades artísticas e culturais que possam ser transmitidas pela internet e ainda linhas de crédito (Via G1).

Aprovado pela Câmara, o texto deverá ser aprovado pelo Senado. O dinheiro do projeto será repassado aos estados, Distrito federal e municípios, que deverão implementar várias políticas como:

– O pagamento de três parcelas de R$ 600 aos trabalhadores do setor ( artistas, produtores, técnicos, curadores, oficineiros e professores de escolas de arte);

-destinação de subsídios mensais (no valor mínimo de R$3 mil e máximo de R$ 10 mil) para manutenção de espaços artísticos e culturais e de micro e pequenas empresas culturais que tiveram as suas atividades interrompidas em razão das medidas de distanciamento social;

– realização de atividades artísticas e culturais que possam ser transmitidas pela internet ou por redes sociais.

Como parte do projeto, bancos federais podem disponibilizar linhas de crédito e condições de renegociação de débitos para trabalhadores do setor cultural ou a micro e pequenas empresas que visam fomentar atividades e aquisição de equipamentos.

A deputada e relatora do projeto Jandira Feghali (PCdoB-RJ), propôs que a lei fosse batizada de “Lei Aldir Blanc”, em homenagem ao compositor, que morreu vítima do novo coronavírus.

“Esta lei foi apelidada por todo o Brasil de Lei de Emergência Cultural. Muitos artistas faleceram neste período da pandemia como Dona Neném da Portela, Rubem Fonseca, Flávio Migliaccio, Moraes Moreira, mas um deles deve dar nome a esta lei pela obra que deixa ao Brasil e por ter sido vitimado pela covid-19, e tenho certeza honrará muito a todas e todos nós. Por isto, quero propor ao Parlamento e à sociedade que chamemos esta lei de Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc”, disse Jandira.

 

#DicaMCT: FastForward Podcast: As Novas Fronteiras Para Games e Música. OUÇA AQUI!

Leia na origem

Zezé di Camargo e Luciano confirmam Covid-19 após live

Matéria de Metrópoles

A dupla sertaneja Zezé di Camargo e Luciano confirmou positivo para Covid-19. Contaminação aconteceu durante ensaio para live.

Neste domingo recebemos a notícia de que Zezé di Camargo e Luciano estão com Covid-19. A confirmação aconteceu após a Live da dupla.

Segundo o portal Metropolis.com, a dupla teria se contaminado durante os ensaios para a live. Fontes afirmaram que o gerente do estúdio estava contaminado e não avisou os músicos.

A imprudência deixou o baixista e diretor da banda internado, em estado grave na UTI do hospital Metropolitano de São Paulo.

Zezé di Camargo está dando total assistencial ao músico, que possui 65 anos e ainda está se recuperando de um tratamento de câncer.

 

Foto: Reprodução

 

#DicaMCT: FastForward Podcast: As Novas Fronteiras Para Games e Música. OUÇA AQUI!

Leia na origem

Moda dos cinemas drive-in no Brasil está voltando com pandemia

Matéria de Exame

Com a pandemia do coronavírus se estendendo, novas formas de entretenimento estão começando a ganhar espaço e outras tendências voltando, é o caso dos cinemas drive-in.

A moda do drive-in – onde o público vê filmes em um espaço aberto, porém dentro de seus carros – está voltando. A alternativa evita a proximidade e contato entre pessoas desconhecidas.

Segundo a Exame, até agora, dois cinemas neste formato já estão em andamento para inauguração. Um deles é o Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, que estará aberto ao público em maio, na Barra da Tijuca.

Com curadoria de Ricardo Cota, da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio, o espaço terá lanchonete com vendas online e terá capacidade para 150 carros. Será permitido apenas 2 pessoas por veículo.

Só falta a liberação de licença para o Allianz Parque, estádio do Palmeiras em São Paulo, passe a oferecer o seu projeto de cinema drive-in. O “Arena Sessions”, terá filmes, shows e até palestras. O serviço de alimentos e bebidas, serão entregues pela janela do carro, evitando contato entre funcionários e espectadores.

Foto: Facebook/Reprodução

#DicaMCT: Nesta quinta-feira (14/05) às 19h, participaremos da live no @musicaemredeoficial. Vamos falar sobre um tema bem comentando por aqui: os ‘Impactos e perspectivas do mercado da música em 2020’. Fique ligado em nosso INSTAGRAM!

Leia na origem

Fãs podem fazer doações para artistas com novo recurso do Spotify

O Spotify lançou um novo recurso que permite a artistas receberem doações de fãs na plataforma, com direito a um bônus nas doações para o COVID-19 Music Relief.

O Spotify anunciou nesta quarta-feira (22) um novo recurso que permite a fãs doarem dinheiro para os artistas na plataforma.

Com o ‘Artist Fundraising Pick’ (Angariação de Fundos para Artistas, em livre tradução) artistas poderão fixar um destaque em seu perfil para receber doações para eles mesmos, ou ainda destinar recursos para instituições apoiadas pelo Spotify COVID-19 Music Relief.

De acordo com o Music Business Worldwide, o novo recurso só foi possível graças a parceria do Spotify com o PayPal e o Cash App, empresa que ainda dará um bônus para os artistas que fizerem doações ao Music Relief:

“Os usuários do [app] Spotify for Artists que enviarem seu nome de usuário junto com a tag ‘$cashtag’ como sua Escolha de Angariação de Fundos para Artistas – e que já tenham recebido pelo menos uma contribuição de qualquer valor através do Spotify – receberão um extra de US$100 em sua conta do Cash App, até um total coletivo de US$1 milhão contribuído”, anunciou a plataforma.

O Spotify postou hoje em seu blog que esta é uma iniciativa que pode sofrer alterações, já que foi lançada emergencialmente como uma maneira de ajudar os artistas neste momento de pandemia. Não foi informado se o serviço de streaming pretende estender o período de disponibilidade do recurso para após a quarentena:

“Dada a urgência e o impacto da crise do COVID-19, estamos trabalhando o mais rápido possível para desenvolver esse novo produto e divulgá-lo ao maior número possível de artistas. No entanto, nunca criamos um recurso de captação de recursos como esse antes. Consideramos essa uma primeira versão que evoluirá à medida que aprendermos a torná-la o mais útil possível para a comunidade musical”.

Leia na origem

©2023 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?