Matéria de Billboard

“A América Latina está superando o crescimento de todas as outras regiões do mundo”, contou Mia Nygren, chefe de negócios do Spotify na América Latina, ao portal da Billboard internacional. Na entrevista, ela falou sobre alguns de seus desafios: precificar assinaturas de streaming em economias com alta inflação, e ter que encontrar maneiras para que a população “sem banco” da região – aqueles sem contas bancárias – se inscrevam sem um cartão de crédito.

Mia Nygren, 45 anos, chefe de negócios do Spotify na América Latina, foi entrevistada pelo portal da Billboard internacional.

“Sou responsável pelos usuários ativos mensais que temos na região da América Latina e com a rapidez com que crescemos”, falou Nygren sobre sua missão no Spotify.

Essa não é uma tarefa fácil, uma vez que 21% dos 180 milhões de usuários globais do Spotify são latino-americanos, um número que não inclui usuários ou usuários latinos dos EUA na Espanha.

Nygren possui vários desafios, entre eles descobrir como precificar assinaturas de streaming em economias com alta inflação. Ela também precisa encontrar maneiras para que a população “sem banco” da região – aqueles sem contas bancárias – se inscrevam sem um cartão de crédito.

“A América Latina está superando o crescimento de todas as outras regiões do mundo”, afirmou a sueca que viveu na Espanha e no Brasil e hoje possui um leve sotaque, embora gramaticalmente perfeito, espanhol e fluente português.

Nygren fundou a Mobile Hits, uma empresa que vendia conteúdo musical para telefones celulares. Depois de um período na Universal Music, conseguiu um emprego em 2011, como chefe de desenvolvimento de negócios do Spotify, na Europa, e fez a transição para a América Latina em 2013.

Casada com um espanhol e mãe de dois, assumiu seu papel atual em 2015 e se mudou para Miami em 2016, onde o número de funcionários em seu escritório passou de cinco para quase 30.

“Eu vim com uma enorme autoconfiança, mas não esperava que crescesse tão rápido e a adoção fosse tão rápida”, contou Nygren, acrescentando que as equipes no México, São Paulo, Rio de Janeiro e Buenos Aires também aumentaram: de sessenta para oitenta e cinco, incluindo oito editores de listas de reprodução em toda a região.

Na entrevista Nygren falou sobre como conseguiu sucesso no crescimento de margens. Para ela, muitos fatores como o aumento do consumo de smartphones e a “inclusão financeira” contribuíram para o crescimento: “Há mais pessoas na região que podem acessar e pagar pelo Spotify porque desenvolvemos muitas opções de pagamento, [embora] a América Latina seja bastante sem cobertura bancária. Temos diferentes opções de pagamento, como cartões de crédito, débito e dinheiro através de vales ou cartões de presente”.

“É muito importante para o Spotify democratizar o acesso à música e, através de uma ampla oferta de métodos de pagamento, permitir o acesso a uma quantidade maior de pessoas”, afirmou a sueca.

Outro assunto importante mencionado na entrevista foi o diferencial do mercado latino-americano:

“O usuário latino-americano é altamente engajado e a região é tremendamente diversificada [em termos de música]. O som e o talento sempre foram incríveis. Isso não é novidade. O que é novo é uma plataforma como a nossa permite que a região fique completamente sem fronteiras em seu consumo”, afirmou Nygren.

Tags:

Leia na origem

©2018 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?