Kobalt explains its Laura Marling Spotify ‘pre-save’ campaign

Earlier this week, we reported on Kobalt’s campaign to get fans of Laura Marling to “pre-save” her next album ‘Semper Femina’ to their Spotify collections.

Nesta matéria a EMI apresenta uma forma diferente de engajar fãs através de uma tecnologia própria que permite saber se o artista possui novos lançamentos através do e-mail, como o caso da artista Laura Marling e o pré lançamento de seu novo álbum.

“Pessoas são obcecadas pelas estatísticas públicas: quantos seguidores você tem no YouTube ou o que curte no Facebook, mas um e-mail é a conexão mais direta que você pode ter com um fã. Quando o álbum de Laura sair, podemos enviar para as pessoas um e-mail dizendo ‘clique aqui para jogá-lo no Spotify’ e enviar direto para elas adicioná-las na lista de reprodução.” Isso garante um impacto maior a longo prazo.

“Há sempre uma tendência de as pessoas ficarem animadas por uma nova tecnologia” disse David Emery, VP de estratégia de marketing global em KMR (empresa fornecedora equipamentos audiovisuais) . “Eu sou muito mais animado com a nova tecnologia que pode mudar o que estamos fazendo ou promover uma mudança real.” Confira a matéria na integra clicando em “Leia na Origem”.

 

 

Leia na origem

Em 2017, Instagram vai superar Twitter em número de anunciantes | .com – Negócios, economia, tecnologia e carreira

Matéria de Exame

Pela primeira vez, Instagram atrairá mais marcas anunciantes que o Twitter

Um estudo da empresa de pesquisa Emarketer, prevê que em 2017, o Instagram deve ultrapassar, pela primeira vez, o Twitter em número de anunciantes. A pesquisa levou em conta as marcas americanas que usam redes sociais para anunciar.

“Conforme o estudo, em 2017, 85,8% das marcas americanas anunciarão no Facebook, que sempre dominou o topo do ranking como a rede social preferida dos anunciantes; 74,2% no Instagram; e 66,2% no Twitter – este vendo um crescimento de apenas 0,1% em relação a 2016 e uma estagnação desde 2014.”

“O Instagram, por outro lado, dará um salto impressionante: de 52,2% das marcas em 2016 para 74,2% em 2017.””Apenas entre fevereiro e setembro de 2016, a rede social viu seu número de anunciantes saltar de 200 mil para 500 mil.”

Leia na origem

Bob Dylan envia discurso para ser lido em banquete do Nobel

Matéria de

“O cantor americano Bob Dylan, ganhador do Nobel de Literatura deste ano, enviou um discurso de agradecimento para ser lido junto com os dos outros premiados no banquete posterior à entrega de prêmios, que acontece nesta sexta-feira em Estocolmo, informou nesta segunda-feira a Fundação Nobel.” “O músico tinha comunicado há três semanas que não compareceria à cerimônia, nem à conferência […]

“O cantor americano Bob Dylan, ganhador do Nobel de Literatura deste ano, enviou um discurso de agradecimento para ser lido junto com os dos outros premiados no banquete posterior à entrega de prêmios, que acontece nesta sexta-feira em Estocolmo, informou nesta segunda-feira a Fundação Nobel.”

“O músico tinha comunicado há três semanas que não compareceria à cerimônia, nem à conferência de aceitação, realizada três dias antes, alegando “compromissos prévios””.

“Além disso, a Fundação Nobel informou que a cantora americana Patti Smith interpretará um tema de Dylan, “A Hard Rain’s A-Gonna Fall”, na festa de entrega dos prêmios.”

“Embora não seja necessário que o agraciado compareça pessoalmente a Estocolmo – como ocorreu por exemplo nos últimos anos com os britânicos Doris Lessing e Harold Pinter -, ele deve pronunciar uma conferência para poder receber o prêmio e as 8 milhões de coroas suecas (cerca de US$ 900 mil).”

 

Leia na origem

The Streaming Music Price Wars Have Started

The Streaming Music Price Wars Have Started
Matéria de hypebot

Something many believed to be an inevitable occurrence, it seems the first of the streaming music price wars has broken out. Precipitated by Amazon’s joining of the market, other streaming industry major players like Spotify and Google have dropped their prices in response. _______________________ Guest Post by Bobby Owsinski on…

Há um mês atrás postamos uma notícia sobre uma possível guerra de preços entre as empresas de streaming no mundo, era só o começo quando a Amazon passou a oferecer preços mais baixos. Veja o link http://wp.me/p7S5pC-1nl. Hoje trazemos a notícia que esta guerra já está iniciada.

Em reação à Amazon, agora o Google e Spotify estão oferecendo melhores tarifas aos usuários de streaming. A proposta do Google é estender o período de teste gratuito para 4 meses, uma nova assinatura está no valor de US $6,66 no primeiro ano. O Spotify reintroduziu a sua oferta de apenas US $0,99 para os primeiros 3 meses de acesso premium. Este negócio era anteriormente oferecido durante o verão e resultou aproximadamente em 2 milhões de novos assinantes por mês.

Vale lembrar que o maior problema é manter esses novos usuários pagos. Vamos acompanhar o resultado dessas estratégias de guerrilha.

Leia na origem

Context Awareness: The Music Industry’s Next Frontier

Matéria de

Veja aqui uma excelente proposta de como criar novos fluxos de receita e novos modelos de negócios para a indústria da música em geral. A próxima grande fronteira em streaming de música vai ter que reinventar a distribuição de música, criando novos paradigmas para a criação e o consumo. “Música digital não tem que existir como um arquivo estático em […]

Veja aqui uma excelente proposta de como criar novos fluxos de receita e novos modelos de negócios para a indústria da música em geral. A próxima grande fronteira em streaming de música vai ter que reinventar a distribuição de música, criando novos paradigmas para a criação e o consumo.

“Música digital não tem que existir como um arquivo estático em um serviço de streaming, deve interagir com os seus ouvintes e o meio ambiente em que ele está inserido.”

 

Leia na origem

Russia Considers a Chinese Approach to Digital Content

Matéria de Billboard

Russia may be slowly implementing rules similar to China over digital content in the country.

Rumores recentes no Linkedin dizem que a Rússia tem colaborado com a China a fim de obter um novo sistema de filtragem de internet que funcionaria como um grande Firewall. Objetivo do sistema seria reforçar o controle do governo na Internet, para a segurança de seus usuários.

Sabe-se que a China tem oferecido equipamentos para a Rússia. Além disso, em seu histórico, a China tem removido milhões de músicas da web e vem contando com serviços de streaming para policiar seus catálogos de conteúdo para o trabalho que seria executado em conflito com regras mantidas pelo Ministério da cultura. Recentemente, o país introduziu um conjunto de regras de segurança cibernéticas. Não se sabe se a Rússia pretende ir para o mesmo caminho ou se irá adotar regras semelhantes ao redor do conteúdo digital. As indicações iniciais parecem apontar no sentido de segurança de web, sendo o seu foco central.

 

Leia na origem

Why Was Maria Pallante Fired? US Copyright Office Chiefs Weigh In

Matéria de

A demissão de Maria Pallante do U.S Copyright Office ainda está causando grande repercussão para o mercado de Direito Autoral. Nem todos concordam com a demissão e há aqueles que creem ter sido uma decisão forçada. Agora foi a vez de dois ex-chefes do U.S Copyright Office criticarem a demissão em uma carta escrita para as cadeiras da casa e comitês do […]

A demissão de Maria Pallante do U.S Copyright Office ainda está causando grande repercussão para o mercado de Direito Autoral. Nem todos concordam com a demissão e há aqueles que creem ter sido uma decisão forçada. Agora foi a vez de dois ex-chefes do U.S Copyright Office criticarem a demissão em uma carta escrita para as cadeiras da casa e comitês do Judiciário do Senado dos EUA.

Ralph Oman e Marybeth Peters State acusam Carla Hayden (Chefe da Biblioteca do Congresso – em inglês: Library of Congress) de deliberadamente remover Pallante da sua posição. Omã e Peters consideram a ação desrespeitosa e digna de grande preocupação.

Veja carta completa clicando em “leia na Origem”.

 

Leia na origem

Global Royalties for Creators Reach Record High of €8.6 Billion

Matéria de

“A Confederação Internacional das sociedades de autores e compositores (CISAC) lançou seu relatório “2016 Global Collections” fornecendo insights sobre a remuneração dos criadores no ano 2015. Esta publicação exclusiva agrega dados financeiros de 239 sociedades, membros da organização, que representam mais 4 milhões de criadores de música, obras audiovisuais, teatro, literatura e artes visuais em 123 países. Pela primeira vez, […]

“A Confederação Internacional das sociedades de autores e compositores (CISAC) lançou seu relatório “2016 Global Collections” fornecendo insights sobre a remuneração dos criadores no ano 2015. Esta publicação exclusiva agrega dados financeiros de 239 sociedades, membros da organização, que representam mais 4 milhões de criadores de música, obras audiovisuais, teatro, literatura e artes visuais em 123 países. Pela primeira vez, o relatório também consolida figuras de editoras de música no negócio da música digital em mercados-chave.”

“O relatório mostra que o totais royalties têm crescido pelo terceiro ano consecutivo a € 8,6 bilhões, 8,9% a partir de 2014 e quebrando a marca de € 8 bilhões pela primeira vez. Coleções de música foram responsáveis por quase 90% deste valor (€ 7,5 bilhões) e aumentaram 8,5% ano a ano. Outros repertórios também experimentaram forte crescimento com royalties audiovisuais 15,1% e royalties para artes visuais, aumento de 27,4%.”

A principais tendências apontam que “por região, a Europa continua a liderar o mundo em coleções de realeza com 58,4% do total (€ 5 bilhões), experimentando um crescimento ano-a-ano de 3,6%. Pelo repertório, música representa a grande maioria das coleções (86,8% do total). Audiovisual (+15.1%) e artes visuais (+27.4%). Além disso, coleções de serviços digitais saltaram 21,4%, mas conta apenas 7,2% do totais royalties recolhidos em todo o mundo.”

Clique em “Leia na origem” para ver o relatório completo inserido na notícia!

Leia na origem

O gosto na era do algoritmo

Matéria de

O sistema de recomendação de música para usuários de música e vídeos “se baseia em um algoritmo cuja evolução e usos aplicados ao consumo cultural são infinitos. […] O algoritmo constrói assim um universo cultural adequado e complacente com o gosto do consumidor, que pode avançar até chegar sempre a lugares reconhecíveis. Mas o que aconteceria se a vida nos […]

O sistema de recomendação de música para usuários de música e vídeos “se baseia em um algoritmo cuja evolução e usos aplicados ao consumo cultural são infinitos. […] O algoritmo constrói assim um universo cultural adequado e complacente com o gosto do consumidor, que pode avançar até chegar sempre a lugares reconhecíveis. Mas o que aconteceria se a vida nos desse sempre o que gostamos e nos rodeasse apenas das pessoas que nos fazem sentir bem?”

“O algoritmo, sustentam seus críticos, nos torna chatos, previsíveis, e empobrece nossa curiosidade cultural”. Leia a matéria completa, que nos mostra uma reflexão de como os sistemas de algoritmos podem influenciar nossas vidas nos tempos de Spotify e Netflix.

 

Leia na origem

©2019 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?