O Google passou a responsabilidade para a Lyricfind, após ser acusado de copiar as letras de músicas da plataforma Genius.

Domingo passado (16), o Wall Street Journal publicou uma artigo sugerindo que o Google vem copiando há dois anos as letras de músicas da plataforma Genius.

De acordo com o artigo, a Genius conseguiu descobrir que seu conteúdo estava sendo reproduzido no Google, através de seu sistema que insere uma espécie de marca d’água nas letras de músicas. Quando convertida para o código Morse, as palavras “Red Handed” são reveladas.

“Nos últimos dois anos, mostramos evidências irrefutáveis ​​de que estão exibindo letras copiadas da Genius”, afirmou Ben Gross, diretor de estratégia da Genius ao jornal americano.

Em resposta à denúncia, o Google negou todas as afirmações em seu blog, passando a responsabilidade para o LyricFind, empresa em que é parceira de seu recurso que possibilita a visualização de letras de músicas.

“As letras que você vê nas caixas de informações da pesquisa vêm diretamente dos provedores de conteúdo das letras, e são atualizadas automaticamente à medida que recebemos novas letras e correções regularmente”, informou a publicação. “Pedimos ao nosso parceiro de letras para investigar o problema para garantir que ele esteja seguindo as práticas recomendadas do setor em sua abordagem”.

No blog do Google, a LyricFind explicou como é o processo de publicação de letras de música no Google Search. As letras usadas são tiradas de várias fontes antes de serem editadas, corrigidas e depois publicadas. Sua equipe pode ter “inconscientemente” usado a Genius como uma fonte original. A LyricFind se ofereceu para remover todas as letras identificadas e informou que não consultará mais a plataforma como fonte.

“Deve ser reiterado que o próprio Genius não detém os direitos das letras – os editores de música e os compositores fazem isso”, informou a LyricFind.

Segundo o Music Business Worldwide, atualmente a Genius possui uma rede de 2 milhões de colaboradores, editores e músicos. Em março do ano passado, a plataforma fechou uma rodada de financiamento no valor de US$15 milhões. Além de ter a Apple Music como seu player de música oficial, possui o recurso “Behind The Lyrics” no Spotify, que mostra curiosidades enquanto uma música é reproduzida.

Tags:

Leia na origem

©2022 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?