Streaming para músicos: os dados que realmente importam!

Next Big Sound e Spotify fo Artists são algumas ferramentas valiosas que os serviços de streaming criaram para fornecer aos artistas dados sobre suas músicas. Com tanta informação disponível, agora é a vez dos artistas entenderem o que precisam fazer para usar o streaming como aliado para alavancar sua carreira. Neste post, veja algumas dicas de como aproveitar melhor os dados disponibilizados nas plataformas de streaming.

Cada vez mais veremos os serviços de streaming como Spotify, Pandora e Apple Music disponibilizando novidades voltadas para que os próprios artistas possam acompanhar e analisar os desempenhos de suas músicas.

Os dados oferecidos pelas plataformas de streaming são preciosos e inestimáveis. Com as informações fornecidas, o artista pode criar uma estratégia para um melhor direcionamento de sua carreira, sabendo, por exemplo, quem é seu público, onde ele está e como investir efetivamente na promoção de sua campanha de marketing.

O portal Music Think Tank trouxe algumas dicas que podem ajudar os artistas que buscam maximizar sua carreira através do streaming e a analisar dados de maneira mais apropriada.

1 – “Concentre-se em métricas acionáveis”

Assim como nas plataformas de mídia social, muita gente acha que precisa do máximo de curtidas possíveis, seguidores ou visualizações. Todavia, é preciso saber que nem sempre “bombar” nas redes sociais é sinônimo de sucesso! Todos esses números não passam de “métricas de vaidade”. Principalmente, para um artista que ainda não possui grande retorno financeiro no streaming. É preciso focar na qualidade e não na quantidade.

O artista deve estar atento aos dados que realmente afetam seu crescimento na carreira musical. Estar atendo ao envolvimento de seus seguidores, quais informações demográficas estão mais engajadas e quais faixas estão sendo compartilhadas e salvas em playlists.

Por exemplo, no Spotify for Artists, é possível ver estatísticas detalhadas das 200 principais músicas e filtrar por período para averiguar se determinados esforços promocionais ou até apresentações ao vivo se correlacionaram com a atividade do Spotify.

2- “Como obter acesso aos seus dados de streaming?”

Spotify fo Artists: Para ter acesso às métricas do Spotify, é necessário ser um artista confirmado. Após a confirmação, basta fazer login na plataforma.

Apple Music for Artists: O Apple Music for Artists permite que os músicos vejam suas estatísticas na Apple Music e no iTunes. A plataforma ainda está em versão beta até o momento não está aberta a todos os artistas.

Pandora AMP/Next Big Sound: a plataforma disponibiliza estatística e insights sobre toda a presença on-line de um artista, incluindo Facebook, Twitter, Bandcamp, Songkick e muito mais. É preciso ser um usuário verificado para acessar os dados.

3 – “O que fazer com os dados depois que você os tiver?”

Após a análise de dados precisos, chega a hora da tomada de decisões como:

– Para onde rotear sua próxima turnê (com base nas localizações dos principais ouvintes);

– Quais músicas incluir no seu setlist (com base nos dados de música e localização);

– Quais públicos-alvo segmentar para anúncios de mídia social (com base nos dados demográficos do ouvinte);

– Qual single colocar mais esforço promocional (com base nos dados de músicas e playlists)

– Quais faixas serão lançadas nas estações de rádio locais (com base nas informações demográficas dos ouvintes);

Vale lembrar que todas essas informações são válidas, mas é necessário que o artista se empenhe. buscando sempre conhecimentos para analisar todos os dados e partir para ações concretas que melhorem sua carreira musical.

Leia na origem

Envie sua música diretamente para as Playlists do Spotify

Matéria de

Quer saber como colocar sua música em uma playlist do Spotify? Aprenda de forma prática e garanta seu lugar “Release Radar” do seu seguidor.

Muitos artistas ainda não sabem que podem ter uma posição na em uma lista de reprodução do Spotify. O processo é muito simples, e para fazer, basta ter acesso de um desktop.

Ao enviar sua música pelo Spotify for Artists, você tem a garantia de colocação nas listas de reprodução do “Release Radar” do seu seguidor, que podem ser encontradas na seção Pesquisar.

Como funciona?

– Cadastre-se ou faça o login no Spotify for Artists. Todas as suas músicas não lançadas estarão localizadas nas seções “Página inicial” ou “Perfil” do painel do artista.

– Na seção “Início”, clique em “Primeiros passos”, ao lado da faixa que você deseja enviar.

– Você também pode clicar com o botão direito do mouse em músicas não lançadas na seção “Perfil” e clicar em “Enviar uma música”.

– Preencha o formulário de envio da lista de reprodução e forneça o máximo de informações possível sobre a faixa.

Algumas observações!

– Você só pode enviar se já tiver música na plataforma e sua conta do Spotify for Artists estiver configurada.

– Apenas faixas inéditas podem ser consideradas.

– Depois que sua versão for publicada, ela não estará mais qualificada para o envio da playlist.

– As inscrições estão limitadas a uma música por vez, por isso, se estiver escolhendo um álbum ou um EP, selecione sua melhor faixa.

– Você não poderá enviar outra faixa até que seu envio atual seja liberado.

– Seu envio deve ocorrer pelo menos 7 dias antes da data de lançamento.

– Quanto mais tempo você puder dar ao Spotify, melhor.

– Forneça o máximo de metadados possível sobre sua música. Os metadados corretos ajudarão os curadores do Spotify a descobrir sua música e a colocá-lo nas listas de reprodução mais relevantes.

Leia na origem

Guerra de serviços de streaming esquenta no Brasil

Matéria de Estadão

Na semana passada, o setor de streaming de músicas ficou agitado no Brasil com o retorno do Tidal em parceria com a empresa de telefonia Vivo e o lançamento do YouTube Music. Mesmo com boa perspectiva, problemas econômicos e a pirataria são alguns dos desafios que esses serviços enfrentarão para provar sua sustentabilidade como negócio.

O mercado dos serviços de streaming está cada vez competitivo. Na semana passada, duas plataformas lançaram novidades no Brasil. Primeiro foi o Tidal e sua parceria com a empresa de telefonia Vivo, e em seguida o Google veio com o YouTube Music.  Enquanto isso, quem chamou a atenção lá fora, foi a aquisição do Pandora pela Sirius XM.

O Tidal chegou ao Brasil em 2015, porém não obteve sucesso. Agora, tudo indica que o serviço voltou com força pela parceria com a operadora de telefonia Vivo. “Não somos uma grande empresa de tecnologia. Precisamos de parceiros fortes”, afirmou Lior Tibor, diretor de operações do Tidal. Assim como o Tidal, a Deezer também possui uma parceria com uma operadora de telefonia, a TIM.

Lançado na semana passada, o YouTube Music, chegou com um catálogo das gravadoras e  acervo de vídeos de música já existentes na plataforma. Com versão gratuita e assinatura de R$17, o objetivo da plataforma é oferecer uma experiência completa: “Temos o cover, a coreografia, a versão ao vivo, o vídeo com as letras”, afirmou Sandra Jimenez, chefe de música do YouTube para a América Latina.

Mesmo com tanta agitação e otimismo, a sustentabilidade dos serviços de streaming ainda é questionada.  Segundo o portal Estadão, o líder Spotify, que possui 83 milhões de assinantes, opera com prejuízos de €394 milhões no segundo trimestre. A concorrência segue pelo mesmo caminho.

No Brasil, os serviços de streaming terão grandes desafios. De acordo com a análise do portal, ainda enfrentamos problemas econômicos e de infraestrutura de conexão com a internet. Além disso, muita gente não possui acesso ao cartão de credito, diferentemente dos Estados Unidos e Europa.

A preferência de conteúdos locais, como sertanejo, funk e gospel, dificulta a curadoria. A pirataria também é um grande desafio enfrentado pelos serviços de streaming.

Leia na origem

Spotify lança iniciativa Global Cultures com novas playlists selecionadas de todo o mundo

O Spotify lançou duas oportunidades que prometem quebrar as fronteiras do mundo e estimular a troca de culturas através da música. Conheça a iniciativa “Global Cultures” e a playlist “Global X”.

Após anunciar novidades voltadas para artistas independentes, o Spotify revelou duas novidades que pretendem colocar as melhores músicas do mundo inteiro ao alcance de suas mãos.

Com a iniciativa Global Cultures – Culturas Globais – o serviço de streaming lançará várias playlists com as melhores músicas de comunidades de todo o mundo.

O objetivo é expor as pessoas aos diferentes sons de diversas culturas no mundo. Está confirmado que o Spotify criará playlists árabes, africanas, indianas (Desi) e latinas, que são as quatro primeiras comunidades mais populosas.

Além da Global Cultures, o Spotify lançou a Global X, uma playlist formada por uma mistura entre estrelas internacionais em todo o mundo.

“As pessoas estão se tornando cada vez mais orgulhosas de suas origens, e acho que a música pode ser uma das melhores maneiras de ajudá-las a expressar isso”, explicou o chefe da Global Cultures, Rocio Guerro.

Guerrero disse que a Global X é o “som de uma nova era” graças ao streaming de música. Ele credita o “Despacito Remix” como um exemplo de um crossover que pode ser uma mistura de gêneros e idiomas.

Leia na origem

Spotify volta atrás e encerra verificação de endereço para plano família

Matéria de Estadão

O Spotify voltou atrás e encerrou verificação de endereço para aqueles que possuem o plano família. O serviço de streaming estava fazendo a verificação dos usuários a fim de evitar que amigos dividissem o plano

De acordo com o portal Estadão, Spotify parou de enviar e-mails para os usuários que assinam o plano família após receber muitas críticas sobre sua postura. Os usuários alegaram que nem todas as famílias moram juntas na mesma casa.

No e-mail, o Spotify solicitava a localização GPS para verificação e quem não confirmasse o endereço da residência poderia perder o acesso ao plano.

O plano família do Spotify está disponível para até seis pessoas que moram no mesmo endereço.

Segundo o site americano Fortune, a tentativa que durou apenas um dia teve a real finalidade de aumentar a receita média por usuário do serviço, que caiu 12% no último trimestre em comparação com o mesmo período do ano passado.

Leia na origem

Até mesmo bandas de rock, como Led Zeppelin, querem ter seu próprio serviço de streaming

Matéria de N10 Entretenimento

Um streaming de músicas da banda Led Zeppelin será lançado para comemorar o 50º aniversário da banda Led Zeppelin.

De acordo com o canal The Verge, ainda neste ano será lançado o serviço de streaming da banda Led Zeppelin.

Chamado de “The Led Zeppelin Experience“, o serviço de streaming  terá músicas inéditas, pré-gravadas e experimentais que nunca foram lançadas em discos oficiais, além de shows gravados ao vivo ao longo da carreira da banda. O seu lançamento está previsto para a data em que o Led Zeppelin comemora seu 50º aniversário.

Ainda não foram divulgadas maiores informações sobre o modelo de negócios da plataforma. Resta saber se os fãs vão adotar a ideia, já que é possível encontrar grande parte da discografia da banda em vários serviços de streaming.

Leia na origem

REGULADORES DA UE DECIDEM ATÉ 26/10 SOBRE A OFERTA DE US$2,3BI DA SONY PELA EMI

Com oposição do Impala, a Sony anunciou que receberá em breve uma posição da Comissão Europeia sobre a proposta de aquisição da EMI.

A Comissão Europeia tem 25 dias para decidir se deve liberar a aquisição da EMI Music Publishing pela Sony. Se a venda ocorrer, a Sony passará a deter indiretamente cerca de 90% do capital da editora – com os 10% restantes pertencentes à Jackson Estate. Com o acordo, a EMI Music Publishing chegará a valer US$4,75 bilhões.

A proposta de aquisição da EMI tem gerado preocupações sobre seu impacto no mercado. A Sony já é proprietária da maior editora de música do mundo, a Sony/ATV, que controla mais de 2,3 milhões de direitos autorais. Enquanto isso, a EMI Music Publishing possui e administra mais de dois milhões de músicas.

Helen Smith, Presidente da diretoria do Conselho IMPALA, afirmou que a transação prejudicaria a concorrência e os consumidores em um mercado que já está excessivamente concentrado. Segundo Smith, a aquisição enfrentará forte oposição, principalmente da concorrência.

“O poder da Sony será uma preocupação especialmente nos países europeus, onde a UE já concluiu em 2012, que a Sony controlaria muito o repertório”, afirmou Smith.

De acordo com as declarações de Smith no portal Music Business Worldwide, a Comissão Europeia deve estar atenta com a concorrência e preços elevados, além das ações da Sony para aumentar a participação de mercado de distribuição digital.

“A única solução é bloquear o acordo agora”, declarou Smith explicando que a não autorização do acordo evitaria danos não só para os consumidores, mas para escritores, serviços de streaming, editores independentes, sociedades de gestão coletiva e empresas discográficas.

“Isso também vai contra os principais objetivos europeus em termos de diversidade cultural e de PMEs, além de reduzir a estratégia de mercado único digital da UE”, afirmou a Presidente.

Leia na origem

Spotify, Deezer e outras pedem ação mais forte da UE contra rivais dos EUA

Matéria de BR

Os serviços de streaming Spotify e Deezer se juntaram a empresas e órgãos industriais para pedir à união Europeia, medidas mais duras e conter possíveis práticas desleais de plataformas online como Google, Apple e Amazon.

Preocupada com a transparência e justiça na economia digital, a União Europeia deve decidir sobre uma proposta de lei de plataforma para empresa (P2B, na sigla em inglês). Entre os apoiadores da proposta estão os serviços de streaming Spotify e Deezer.

A União Europeia vem introduzindo regras mais rígidas para empresas como o Google, Apple e Amazon, visando maior proteção de dados e privacidade dos usuários.

Segundo a Reuters, a lei P2B exigiria de lojas de aplicativos, mecanismos de busca, ecommerces e sites de reservas de hotéis, maior transparência no que se refere as classificações de resultados de pesquisa e a possibilidade do usuário excluir alguns serviços. Além disso, empresas teriam o direito de se agruparem e processarem plataformas online.

Em carta conjunta, empresas e órgãos do setor disseram que a proposta do P2B não é abrangente o suficiente, pois as práticas comerciais são injustas e incluem grandes plataformas que favorecem seus próprios serviços. Entretanto para o grupo de lobby tecnológico CCIA, que representa Google, Amazon e eBay, “não há evidências de um problema sistêmico para justificar mais regulamentações”.

O assunto ainda deve ser muito discutido. Após a decisão dos governos da União Europeia, a lei deve ser negociada com a Comissão e então passa para o Parlamento Europeu, que terá a decisão final.

Leia na origem

YouTube lança rival para Spotify no Brasil

Nessa terça (25/09) o Google entra na disputa dos serviços de streaming de vídeo e música no Brasil, lançando o YouTube Music e o YouTube Premium.

O YouTube lançou duas novidades no Brasil para disputar com grandes nomes do streaming de vídeo e música, o Youtube Music e o YouTube Premium.

Para concorrer com os serviços de streaming de música como Spotify, Apple Music e Deezer, o YouTube Music chega ao Brasil com versão gratuita e assinatura mensal de 17 reais, disponível para celulares Android e iOS.

Além do aplicativo para celulares, uma versão específica para PCs, via navegadores, está disponível. Há ainda um plano família, no qual  é possível dividir uma assinatura em até seis contas, por R$26 ao mês.

No YouTube Music, o usuário pode assistir ao vídeo com a letra da música, versão ao vivo e até covers de fãs do mundo todo. Além do aplicativo para celulares, há uma versão específica para PCs.

De acordo com o portal Época Negócios, não será possível ouvir as músicas em segundo plano: “Será preciso deixar o aparelho com a tela ligada e dentro do app para o som continuar tocando. É um dos pontos fracos do serviço”, afirmou o portal.

No plano gratuito o acesso é limitado. Os usuários não podem baixar músicas para ouvir off-line e nem interromper os anúncios.

Vale lembrar que o YouTube Music foi lançado para substituir o Google Play Música, o atual streaming do Google no País. Haverá uma migração dos usuários para a nova plataforma.

O YouTube Premium também é um novo serviço do Google que chegou ao país hoje (25/09) para concorrer com a Netflix e Amazon – que em breve chegará ao país.

No YouTube Premium, além de ter acesso aos conteúdos originais do YouTube, o usuário pode baixar vídeos para assistir off-line e remover anúncios do site. Tudo isso por uma assinatura de R$21 por mês que também dá acesso ao YouTube Music. No plano família o valor é de R$36 ao mês.

Leia na origem

Holding Sirius XM compra Pandora Radio e se torna maior empresa de entretenimento de áudio do mundo

Matéria de ISTOÉ DINHEIRO

A Sirius XM anunciou a aquisição da Pandora Radio por US$ 3,5 bilhões. Com a fusão será criado o maior conglomerado de áudio do mundo.

A Sirius XM, holding de rádios via satélite, anunciou a compra de todas as ações da Pandora Radio, empresa de rádios online e serviço de streaming de música e podcasts, por US$3,5 bilhões.

Segundo o portal Isto É Dinheiro, a Pandora ainda estará aberta para outros compradores que oferecerem um valor por ação maior que o acordado com a Sirius. É claro que, após o anúncio, as ações da Pandora subiram 8,6%. Entretanto as ações da Sirius XM sofreram queda de 2,3%. “Segundo executivos da empresa, as duas marcas continuarão a existir, porém, com administração conjunta”, afirmou o portal.

Vale lembrar que a Pandora tem sofrido problemas financeiros por conta da concorrência entre os serviços de streaming. Com a aquisição, a Sirius XM pretende entrar na internet, pois atualmente só presta serviços de assinatura para rádios via satélite em carros. Será um ganha-ganha: a Sirius terá acesso a base de clientes da Pandora, que terá em contrapartida, recursos para expandir e até modificar seu modelo de negócios. Unidas, o número de usuários passa de 100 milhões de usuários por mês.

Leia na origem

©2018 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?