PARLAMENTO EUROPEU VOTARÁ LEI QUE DEVE DAR MAIS FORÇA AOS CRIADORES

É nesta semana que a Nova Diretiva de Direitos Autorais da União Europeia pode ser aprovada. “É a legislação mais importante para autores e compositores dos últimos 20 anos”, afirmou a Cesac.

Nesta semana a Nova Diretiva de Direitos Autorais da União Europeia pode ser aprovada pelo plenário do Parlamento Europeu. A normativa é de extrema importância para autores e compositores, uma vez que determinará novas regras envolvendo leis de copyright e remuneração aos criadores.

Entre as propostas da diretiva está a determinação que sites e ferramentas de busca possam identificar conteúdos que infrinjam as leis de copyright. Além disso, as transferências de pagamentos aos autores de canções executadas em plataformas de streaming devem ser aumentadas. Ferramentas como YouTube serão obrigadas a remunerar os autores das obras que publicadas por seus usuários.

A nova lei está gerando grande discussão pelo mundo e sofrendo ataques. Para alguns a normativa é considerada uma “censura à internet livre” por determinar que o Facebook e o Google repassem aos criadores dos links parte dos ganhos com anúncios. Há ainda o Artigo 13, no qual exige a criação de algoritmos para detectar conteúdos sem licença.

A Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores (Cisac) se pronunciou apoiando a aprovação da nova lei. Para a entidade as notícias negativas são patrocinadas por lobbies da indústria on-line, que financiam milhares de dólares para impedir a alteração das leis atuais.

“É a legislação mais importante para autores e compositores dos últimos 20 anos”, afirmou a entidade.

Uma petição que já possui mais de 30 mil assinaturas foi criada para pressionar por uma distribuição mais justa dos ganhos na internet.

Leia na origem

Spotify prepara-se para apostar no vídeo. Concorrência ao Netflix?

Matéria de Leak

Contratação do novo diretor de conteúdo indica que o Spotify possui interesse em desenvolver novos produtos e serviços envolvendo vídeo.

A contratação de Dawn Ostroff pode trazer grandes novidades envolvendo vídeo para o serviço de streaming Spotify.

Ostroff é o novo Diretor de Conteúdos do serviço e será responsável por assuntos relacionados a parcerias envolvendo conteúdos de música, áudio e vídeo. Agora Daniel Ek co-fundador do Spotify assumirá a posição de diretor executivo, cargo que estava vazio desde a saída de Stefan Blom, em janeiro.

O novo diretor será extremamente importante para o serviço de streaming que só tem a ganhar com sua experiência no campo de vídeo. Não foram os revelados os motivos de sua admissão, porém segundo o site “Leak”, como o serviço de steaming deseja oferecer serviços e produtos diversificados e já desenvolveu ações envolvendo vídeos é possível que Spotify traga novidades para quem sabe ser mais um concorrente da Netflix.

Leia na origem

“AirBnb” para músicos pode transformar a indústria

No Reino Unido a Encore é conhecida como o ‘AirBnb dos músicos’. A rede facilita a forma de encontrar e reservar músicos para festas e eventos.

A Encore é uma startup fundada no Reino Unido que criou uma rede online para agendar shows. Na plataforma é possível reservar músicos para shows, festas, casamentos e eventos corporativos com muita facilidade.

O fundador James McAulay criou a rede enquanto estudava ciência da computação na Universidade de Cambridge e conseguiu que uma aceleradora viabilizasse o projeto. McAulay levantou um pouco mais de £1 milhão e agora tem o apoio dos principais investidores de Londres e Cambridge.

O cadastro na plataforma é gratuito e o pagamento das reservas dos músicos é seguro pelo “Encore Pay”. Segundo o site da Forbes Brasil, a empresa oferece serviços como marketing, pagamento de clientes, depósitos e suporte, em caso de problemas dos músicos, em troca de uma comissão pelas reservas.

São mais de 25 mil artistas cadastrados nessa comunidade que já permitiu encontros inusitados como a participação de um trompetista na abertura de um dos maiores torneios de eSports do mundo, no estádio de Wembley. Duplas de cordas também tiveram a oportunidade de se apresentar em estações de metrô de Londres para celebrar o  lançamento da temporada de “Game of Thrones”.

As reservas mais procuradas são para casamentos e eventos privados. “Eles adoram as combinações que fazemos com base em eventos únicos, gostos musicais e orçamento, e a segurança que oferecemos é extremamente importante quando as pessoas fazem reservas para um dos dias mais importantes de suas vidas”, afirmou McAulay.

A empresa já conseguiu pagar um total de £1 milhão para os músicos da rede e pretende continuar focando em desenvolver algoritmos que combinam clientes e músicos com base em seus gostos.

“A Encore é frequentemente descrita pelas pessoas como o ‘AirBnb dos músicos’, disse McAulay. Ele explicou que com relação à música ao vivo é preciso aumentar o número de agendamentos de shows: “Criar milhões de momentos e memórias musicais em todo o mundo seria emocionante.”

Leia na origem

Instagram adiciona músicas ao Stories e anuncia 400 milhões de usuários diários.

Matéria de Billboard

Após acordos de licenciamento, o Instagram vai ficar ainda mais interessante com o novo recurso de adicionar músicas no Stories.

Nesta quinta-feira (28 de junho) o Instagram anunciou um novo recurso que permitirá que os usuários adicionem músicas no Stories. Por enquanto a novidade só está disponível para alguns países.

De acordo com o Instagram, para acessar o recurso basta ir à biblioteca que estará disponível e escolher uma música, os usuários podem identificar a seção exata da faixa que desejam reproduzir em seu Stories, avançando ou retrocedendo. Além disso, em dispositivos iOS, será possível escolher a música antes de gravar.

O novo recurso é o resultado de acordos de licenciamento de músicas realizados no ano passado entre o Facebook e as gravadoras. No início deste mês, a rede social também lançou novos recursos envolvendo música.

O Instagram também afirmou que atualmente cerca de 400 milhões de usuários usam o recurso Stores diariamente, o que representa mais do que o dobro de usuário do rival Snapchat.

Leia na origem

Instagram muda e permite vídeos de até uma hora

Matéria de EXAME

Vem aí novo aplicativo do Instagram para competir com o YouTube.

O Instagram anunciou o lançamento de uma novidade, o “IGTV”, será um aplicativo que suportará vídeos de até uma hora de duração.

O novo aplicativo será como o YouTube porém apenas com vídeos verticais e estará inicialmente disponível em dispositivos móveis, com versões para Android e iPhone.

Segundo o portal da revista EXAME, o IGTV terá recomendações de conteúdos para os usuários e os vídeos publicados não poderão ser monetizados pelos criadores.

Além de anunciar a novidade, o Instagram também informou que atualmente possui um bilhão de usuários ativos mensalmente no mundo todo.

Leia na origem

SBT lança seu streaming de música

Com parceria do Superplayer e Wavy, SBT lança sua nova plataforma de streaming, o SBT Hits.

Agora é a vez do SBT ter sua própria plataforma de streaming. Com o valor mensal de R$8,90 o SBT Hits terá como conteúdo playlists de novelas, atrações da emissora e seleções musicais elaboradas pelos apresentadores e artistas do elenco.

“O SBT sempre teve a música como um forte pilar, por conta de atrações clássicas como Show de Calouros, Qual é a Música e, atualmente, Boteco do Ratinho. Isso fez com que a gente estudasse a ideia de ter uma plataforma que representasse essa conexão musical da emissora, mas, até então, não tínhamos encontrado um formato viável para conseguir estruturá-la”, contou ao portal Meio & Mensagem Fernando Pensado, gerente de interatividade e novos negócios da emissora.

O projeto do streaming foi criado através de parcerias com o Superplayer e Wavy, do Grupo Movile.

Fernando declarou que o público-alvo do SBT Hits é formado por espectadores e fãs do canal e por isso, a divulgação contará com as maiores estrelas da emissora: Celso Portiolli, Larissa Manoela, Patrícia Abravanel e Maísa Silva.

Estamos no Instagram!

@mct.mus

Leia na origem

Sua Música cresce 135% em faturamento em 2017 e planeja expansão e novas ações para 2018

A plataforma “Sua Música” se tornou a maior distribuidora de músicas regionais e de artistas independentes brasileiros. Em 2018 os planos são bem ambiciosos.

No Brasil, o “Sua Música”, é a maior plataforma de distribuição gratuita de músicas regionais e independentes e está ganhando cada vez mais espaço. Os números são impressionantes. Em 2017, a empresa cresceu 135% e nesse ano a meta é aumentar em 50% o seu faturamento.

O objetivo da plataforma é disponibilizar a conexão entre fãs e músicos. “Funciona como um canal online para distribuir material promocional e lançar artistas por todo o Brasil”, explicou o portal “Marcas e Mercados”.

Atualmente a plataforma conta com quase 1 milhão de usuários únicos por dia e 12 mil artistas cadastrados. Nas Redes Sociais o número é ainda maior. No Facebook e no Instagram, são mais de 4 milhões de fãs e seguidores. No Youtube, o canal da plataforma possui 315 mil inscritos.

O clipe do artista sergipano Devinho Novaes, que foi gravado em São Paulo e distribuído pelo Sua Música, chegou a marca de 10 milhões de views em apenas um mês e ficou entre os sete vídeos em alta do YouTube.

Segundo o CEO do “Sua Música”, Rodrigo Amar, ainda em 2018 a empresa deve investir em ações que aproximam os fãs de seus ídolos: “Queremos fazer com que o fã esteja pertinho da sua referência musical. Estamos bolando algumas ações como levar um super fã para conhecer o camarim, a casa ou assistir de perto a um show do seu ídolo” conta o CEO.

Marcas e agências de publicidade já estão vendo o potencial da plataforma e realizaram ações para se aproximar do público jovem na região do Nordeste. Uma delas é a produção de um clipe para a Panasonic, com a participação de Leo Santana e influenciadores como Lorena Improta e Carlinhos Maia.

Outro destaque foi a criação da websérie “Do Jeito que o Povo Gosta” em parceria com a Schin no Carnaval de Salvador 2018 que teve participações de influenciadores como Gominho e G-Kay.

 

Leia na origem

Sites para download de vídeos do YouTube saem do ar após pressão de gravadoras

Fazer downloads de vídeos no Youtube ficou um pouco mais difícil para quem usa certos tipos programas. Após pressão das gravadoras, sites para downloads de vídeo do Youtube saíram do ar.

Segundo o site “Olha Digital”, as gravadoras nos Estados Unidos pressionaram legalmente a remoção do site Pickvideo.net, o mais utilizado pelos usuários para piratear músicas.

Após a denúncia outros sites saíram do ar. O motivo poderia ser um receio de ocorrer a mesma ação sofrida pelo o YouTube-MP3 que foi removido no ano passado após uma grande represália da indústria musical. O site recebeu uma ação judicial movida pela RIAA, pelo IFPI e pelo BPI.

Vale lembrar que sites de download e conversão não são necessariamente ilegais. A fundação Electronic Frontier Foundation (EFF) defende que algumas páginas não infringem a lei: “existe um volume enorme de vídeos online licenciados para download gratuito e modificação, ou que contém faixas de áudio que não estão sujeitas a copyright”, explicou a EFF.

A EFF acusa a RIAA, associação de gravadoras norte-americanas, de abusar da lei de copyright para pedir a remoção de páginas desse tipo.

Leia na origem

Por que o novo serviço de música do YouTube enfrentará dificuldades

O Meio & Mensagem publicou uma análise sobre o novo serviço de streaming de música do Youtube. “Acreditamos que o novo serviço enfrentará uma batalha”, afirmou o site.

O novo serviço de streaming do Youtube, o Youtube Music, terá muitos desafios para se estabelecer. Além da concorrência formada por empresas como Spotify, Apple Music e Amazon Music, o maior desafio será atrair mais de um bilhão de pessoas que acessam o serviço e já estão acostumadas a usá-lo de forma gratuita.

Fazer a transição de usuários de um modelo gratuito para um modelo pago é algo muito difícil. O Youtube já passou pela experiência com o Youtube Red, seu serviço de subscrição de transmissão de vídeo. Apesar do grande investimento e marketing, o serviço representa apenas 7% da receita do Youtube.

Segundo o site, para conquistar os usuários é necessária uma abordagem em diferentes segmentos com diferentes necessidades que ofereça propostas de valor únicas.  No caso do YouTube Music, os benefícios pela assinatura do serviço estão na visualização de conteúdo sem anúncios nos vídeos e a possibilidade de assistir e ouvir conteúdos off-line.

Convencer os usuários a pagarem por um serviço que elas já estão acostumadas a usar de forma gratuita é complicado, pois não se trata de uma questão apenas econômica e sim psicológica. Antes de migrarem para o plano pago o usuário é influenciado por muitas variáveis psicológicas como encontrar um serviço adequado às suas necessidades; avaliar o risco; as formas de pagamento e se vale a pena cancelar suas opções atuais para se inscrever no YouTube Music.

Se outras plataformas como o Facebook, Snapchat, Instagram e WhatsApp começassem a cobrar pelos seus serviços também passariam por muitas dificuldades.

Outro fator que poderia fazer o YouTube Music ser bem-sucedido seria tornar seu serviço gratuito menos acessível, porém a estratégia poderia sair pela culatra e acabar reduzindo a quantidade de usuários que migrariam para serviços concorrentes.

Leia na origem

“Se não impressionar o jovem nos primeiros 5 segundos, você já era”, diz diretor do Deezer

Em entrevista para a Época Negócios o Diretor Comercial do Deezer Golan Shaked, comentou sobre o mercado musical, o streaming e como atrair a nova geração que está acostumada com o Tinder e Youtube.

“Se você não impressionar os jovens nos primeiros cinco segundos da música, você já era” afirmou o diretor da Deezer Golan Shaked. Os usuários mais novos têm um interesse bastante curto e por isso os artistas estão criando música que impressiona no começo.

Shaked contou que cada vez mais artistas do gênero reggaeton estão adotando esse estilo de compor. “Eles estão em contínua criação. Lançam, em intervalos curtos, músicas que duram muito pouco nas paradas de sucesso. Antes, uma música ou álbum podia durar meses no topo. Hoje, músicas saem de moda após semanas, se tanto”, explicou.

O diretor da Deezer também falou sobre a insatisfação dos artistas com relação a remuneração dos serviços de streaming. Ele contou que mesmo não arrecadando como no auge dos CDs a indústria está num bom caminho e agora com a abertura de capital do Spotify é possível ver algumas informações importantes como o valor de 72% que a indústria paga para gravadoras e artistas.

Há ainda outras vantagens como a possibilidade de um artista ser descoberto por fãs de outros países: “Antes, um artista brasileiro precisava gastar dinheiro para chegar ao mercado e ficava satisfeito de estar entre Rio e São Paulo. Agora, ele pode gravar sua música em um porão e ser descoberto por fãs na Turquia”.

“É cedo para tirar conclusões sobre o futuro do streaming. Ele precisa de escala. Acho que estamos na direção certa”, acrescentou Shaked.

Leia na origem

©2018 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?