Universal Music conquista primeiro lugar na lista das Empresas mais Inovadoras do Mundo

Matéria de Fast Company

Em lista das empresas mais inovadoras da música, Universal Music conquista a primeira posição, saiba porque a gravadora ficou na frente de empresas como Live Nation, Nielsen e Kobalt.

O portal Fast Company publicou uma lista das empresas mais inovadoras no mundo. Na lista, a Universal Music aparece em primeiro lugar no setor da música. Não é a toa.

Em 2018, os maiores hits foram da Universal Music que contou com artistas como Drake e seu álbum Scorpion, como o melhor álbum do ano na Apple Music; Ariana Grande ganhou destaque como artista feminina no Spotify, e Taylor Swift com Reputation, em primeiro lugar dos melhores de fim de ano da Billboard.

Em meio à transformação digital da indústria da música, a Universal está se reinventando. Em seu recente contrato com Taylor Swift, a gravadora prometeu repassar aos artistas sua participação de 4% no Spotify.

A Universal também assinou um novo acordo com a produtora Lionsgate para criar conteúdo de TV construído em torno de seus artistas.

“Eu não vejo a gente competindo com as plataformas, e elas não nos vêem competindo com elas, em parte porque estamos completamente, estrategicamente, emocionalmente e financeiramente unidos”, afirmou Lucian Grainge, presidente e CEO da Universal Music.

De acordo com o Fast Company, no último trimestre, o grupo foi avaliado em mais de US$33 bilhões, com um crescimento de 14% ano a ano.

 

Fast Company 2019: Lista das Empresas mais Inovadoras do Mundo – Música

1 Universal Music Group – Por abraçar a ruptura e dominar os gráficos

2 Sofar Sounds – Por persuadir marcas a comprarem desempenhos

3 Live Nation Entertainment – Por colocar os fãs em primeiro lugar, facilitando a compra de ingressos, upgrades e concessões

4 Kobalt Music – Por aumentar o acesso dos artistas aos lucros

5 Sonos – Por ir além do barulho, com o alto-falante conectado ao melhor som

6 Soundtrack Your Brand – Por matar música de fundo ruim

7 Creat Music Group – Por ajudar artistas como Future, Migos e Post Malone a acompanhar seus ganhos de streaming diariamente.

8 Reverb.com – Por harmonizar a venda de instrumentos

9 Landr Audio – Por masterizar álbuns, vídeos e podcasts com o AI

10 Nielsen – Por dizer aos serviços de streaming o que os ouvintes gostam

Fotos: Fast Company/ Jason Richardson / Alamy Foto Stock (Swift); Príncipe Williams / Wireimage / Getty Images (Drake); Foto de Cheshire Snapper / Alamy (Mendez); Marta Perez / EFE / Alamy Live News (Sr. Eazi); Matt Crossick / imagens do PA / foto conservada em estoque de Alamy (Malone); Foto de Lev Radin / Alamy (o fim de semana); NBC / Getty Images (Musgraves); Kevin Winters / Getty Images para iHeartRadio (Grande)]

Leia na origem

SOUNDCLOUD É AGORA UMA DISTRIBUIDORA: PLATAFORMA LANÇA FERRAMENTA PARA CRIADORES ENVIAREM MUSICA PARA SPOTIFY, APPLE MUSIC ETC.

Nova atualização do SoundCloud permite a criadores lançarem suas músicas em outras plataformas como Spotify e Instagram.

A nova atualização do Soundcloud permitirá que criadores possam publicar suas músicas para outros serviços como Amazon Music, Apple Music, Instagram e Spotify direto pela plataforma.

De acordo com o Music Business Worldwide, para ter acesso a atualização basta ser assinante dos planos de assinatura do Soundcloud (SoundCloud Pro e Pro Unlimited). Além disso, será preciso atender alguns requisitos como ter 18 anos de idade, ser dono de todos os direitos sobre suas músicas e ter pelo menos 1000 reproduções no último mês pelo SoundCloud.

O Soundcloud afirmou que nenhuma porcentagem adicional das receitas obtidas pelas reproduções serão cobradas e que repassará todos os valores aos artistas.

“Os criadores agora podem gastar menos tempo e dinheiro pulando entre diferentes ferramentas e mais tempo fazendo música, conectando-se com os fãs e aumentando suas carreiras primeiro no SoundCloud.”

Vale lembrar que o concorrente, Spotify, também tem realizado movimentos para se tornar uma distribuidora multi-plataforma. A empresa de Daniel Ek adquiriu uma participação minoritária da Distrokid, serviço independente de distribuição de música digital, em outubro do ano passado, antes de lançar uma ferramenta beta que possibilitou aos usuários enviarem faixas para outros serviços através do painel do Spotify For Artists.

Leia na origem

GANHADORA DE RuPaul’s Drag Race All Stars 4 PEDE MAIS APOIO E CITA PABLLO VITTAR COMO SUCESSO NA MÚSICA

Matéria de POPline

Ao falar para a Billboard sobre como é ser uma cantora drag queen na indústria fonográfica, uma das ganhadoras do programa americano, RuPaul’s Drag Race All Stars 4, citou Pabllo Vittar como inspiração: “É assim que eu quero que as pessoas olhem para mim aqui na América”, disse Monét X Change.

Na semana passada, ao final da quarta temporada do programa americano RuPaul’s Drag Race All Stars, a Billboard entrevistou uma das ganhadoras, que citou Vittar como exemplo de drag queen de sucesso na indústria da música .

“Você tem performers como Pabllo Vittar no Brasil – ele é reconhecido como artista e um lindo músico. É assim que eu quero que as pessoas olhem para mim aqui na América. Eu acho que eu tenho o talento para isso. Me leve para o Grammys, garota!”, disse Monét X Change, drag queen ganhadora do programa.

Segundo o portal Popline, Monét X Change também falou sobre como é ser uma cantora drag queen na indústria fonográfica e seu desejo de que mais drag queens sejam levadas a sério.

“Eu acho que as pessoas têm que parar de olhar pra gente apenas como performers. Apenas olhe pra gente como artistas. Você gosta da música? Se a resposta for sim, então nos apoie!”.

Monét X Change lançou o seu primeiro EP visual, “Unapologetically”, disponível no YouTube.

Vale lembrar que na semana passada, uma rádio do interior na Bahia foi acusada de boicotar Vittar. Os ouvintes pediam as músicas da cantora pelo grupo de Whatsapp da rádio, entretanto, eram bloqueados pelos locutores. Um dos locutores chegou a enviar áudios ofensivos via DM no Instagram para um fã da cantora .

Leia na origem

AUTORIDADES EUROPEIAS CHEGAM A UM ACORDO SOBRE O ARTIGO 13

A Nova Diretiva de Direitos Autorais na Europa ganhou mais um passo para sua aprovação. Os negociadores chegaram a um acordo sobre o texto final do controverso “Artigo 13”.

Depois de muito debate e de outras alterações sobre o Artigo 13, das Novas Diretiva de Direitos Autorais Europeia, as autoridades em Estrasburgo, na França, chegaram a um acordo na noite de quarta-feira (13), e agora poderão prosseguir para as fases finais do processo legislativo.

O Artigo 13 era um grande impasse para a aprovação das novas regras. Ele define que empresas, como o Youtube, que hospedam conteúdo gerado pelo usuário  sejam responsabilizadas pelas violações de direitos autorais em suas plataformas.

“Precisamos ver o texto final, mas essa legislação será a primeira vez em qualquer lugar do mundo que há confirmação absoluta de que os serviços de upload de usuário estão cobertos por direitos autorais e precisam de uma licença. Em linha com a declaração de negócios digitais da feira WIN adotada há mais de três anos, a IMPALA também apoia as disposições da diretiva sobre transparência e remuneração para autores e artistas.”, disse Helen Smith, Presidente Executiva da IMPALA em um comunicado.

O texto também incluiu regras especiais para start-ups e certos operadores não comerciais. Assim, os cidadãos estarão mais protegidos, uma vez que as exceções existentes continuarão a ser aplicáveis ​​e as plataformas não poderão decidir reduzir o material arbitrariamente.

Um dos objetivos originais da legislação é reequilibrar o mundo on-line e garantir que criadores possam opinar sobre como seus trabalhos são usados na internet. Cabe agora aos estados membros e ao parlamento europeu dar o seu selo final de aprovação. As mudanças realizadas serão publicadas em breve.

Leia na origem

MARCA DE ROUPAS, YOUTUBE, NETFLIX: KONDZILLA QUER MUITO MAIS

Matéria de HuffPost Brasil

O portal Huffpost Brasil publicou uma entrevista com o KondZilla, dono do 3º maior canal de música do mundo no YouTube. O produtor e empresário Konrad Dantas, falou sobre sua carreira e nova fase como diretor criativo da Orloff.

A história de Konrad Dantas (30 anos) é uma das mais inspiradoras na música. Foi com muita vontade de fazer seu próprio trabalho e uma câmera na mão que hoje seu canal no Youtube, KondZilla, é o maior do Brasil e o do 3º maior canal de música do mundo.

Além de seu canal no Youtube, Kond fundou uma holding de comunicação, englobando a marca KondZilla Filmes e a KondZilla Wear, uma marca de roupas que espelha a cultura periférica. Há dois anos o produtor também possui um portal de comportamento.

“A música foi um meio mais rápido para conseguir viver com um pouco mais de conforto. Mas esse momento chegou. E como eu vou devolver isso para o universo? Como devolver isso para o público que apoiou nosso trabalho? A gente tem que entregar outro tipo de mensagem também. Minha missão de vida é contribuir para a transformação das pessoas. Ajudando elas a se transformar. Ser o meio para que elas se transformem.”, falou KondZilla à Huffpost Brasil em entrevista, sobre seu portal.

KondZilla chamou a atenção da Netflix e está prestes a lançar uma série sobre funk e periferia. A Orloff também quis Kond em seu time e anunciou que o produtor e empresário será seu diretor criativo.

“Ser diretor de cena é uma das minhas atividades. Ser empresário é uma das minhas atividades. Escrever roteiro é outra das minhas atividades. Acho que a atividade que consegue sintetizar isso tudo é ser diretor de criação”, disse KondZilla sobre o novo papel como diretor criativo.

 

Foto: instagram/@kond

Leia na origem

MC Kevinho ganha R$17 milhões em contrato com gravadora

Matéria de Folha de S.Paulo

Com contrato milionário, Kevinho e Anitta desbancam o hit “Jenifer”.

Na sexta feira passada, Anitta e Mc Kevinho lançaram o clipe para a música “Terremoto”. O clipe já conseguiu desbancar o hit “Jenifer” de Gabriel Diniz, alcançando a marca de 27 milhões de visualizações no Youtube.

Kevinho tem chamado a atenção da indústria da música, tanto que assinou um contrato milionário com a gravadora Warner Music.

Segundo a coluna de Marina Caruso, do O Globo, o contrato teve o maior adiantamento da história da música brasileira: R$17 milhões.

“Terremoto”, teve como inspiração o clipe de “I’m still in love”, sucesso dos anos 2000 de Sean Paul e Sasha.

Leia na origem

Apenas 17% das 100 músicas mais ouvidas foram feitas por mulheres em 2018

Matéria de Rolling Stone

Uma pesquisa revelou que ainda há grande desigualdade na indústria fonográfica. Nos EUA, 1 a cada 16 músicas foram compostas por mulheres em 2018.

O portal da revista Rolling Stone divulgou uma pesquisa realizada pela USC (University of Southern California) sobre o envolvimento e presença de homens e mulheres na indústria fonográfica. Mais uma vez os resultados demonstraram que ainda há grande desigualdade no meio.

A contagem revelou que na lista das músicas mais tocadas da Billboard, a “Hot 100”, apenas 1 a cada 16 músicas foram compostas por mulheres em 2018, algo em torno de 17% de toda a lista.

A pesquisa também descobriu que entre os anos 2012 e 2018, entre os compositores, as mulheres somaram um total de 12,3%, e entre produtores apenas 2,1%. Foram avaliados todos os top 100 de cada ano, resultando em 700 músicas. Além disso, dos indicados ao Grammy entre 2013 a 2019, homens representam 89,6%.

Durante a pesquisa, foram entrevistadas 75 compositoras e produtoras e descobriu-se que  43% delas se sentiram menosprezadas por suas habilidades e 39% afirmaram ter sofrido com estereótipos e sexualização.

“Ser uma mulher é, por si só, uma barreira que impede a navegação” afirmou Stacy Smith, uma das autoras do estudo e fundadora do instituto responsável. Stone EUA.

Stacy revelou que pretende expandir sua pesquisa abordando empresárias e assessoras de imprensa para entender melhor como proporcionar igualdade no meio.

Leia na origem

NO BRASIL, ARTISTAS RECEBEM QUASE R$1 BILHÃO EM DIREITOS AUTORAIS

Matéria de AMAZONAS ATUAL

Foram divulgados os valores de distribuição de direitos autorais no Brasil. Em 2018, R$971 milhões foram distribuídos para autores, artistas e associações. A cantora e compositora Marília Mendonça liderou a lista dos compositores de maior rendimento, principalmente nas plataformas de streaming de música.

O portal Amazonas Atual publicou uma notícia revelando os últimos números da distribuição de direitos autorais na música. Cinema e Streaming são os segmentos de maior crescimento no país.

De acordo com o portal, R$971 milhões foram distribuídos em direitos autorais para autores, artistas e associações.

Houve uma aumento de 25% da quantidade de beneficiados, ou seja, em 2018 foram 326 mil compositores, intérpretes, músicos, editoras e gravadoras remunerados. Além disso, 66% do valor total foi repassado ao repertório nacional, o que, segundo o portal, contribuiu para o fortalecimento da indústria musical brasileira.

Após acordos com grupos como a Abraplex, representante das redes UCI, Cinépolis e Cinesystem, o Cinema foi o segmento líder na distribuição de direitos autorais, um crescimento de 400%.

Os acordos entre o Ecad e associações de música com as plataformas de streaming, como a Netflix e o Youtube, fizeram com que a distribuição de direitos aumentasse em 72% no segmento.

Com relação aos direitos conexos foram repassados 23,6% do montante e 76,4% foram repassados aos titulares de direitos de autor.

Vale destacar a cantora e compositora Marília Mendonça (“Infiel”), que lidera a lista dos compositores de maior rendimento, principalmente nas plataformas de streaming de música.

Leia na origem

Glória Braga comunica saída da Superintendência do Ecad

A decisão foi tomada pela executiva em conjunto com as associações de música.

O Ecad anunciou a saída de sua Superintendente Executiva, Glória Braga. Segundo a organização, a decisão foi tomada pela executiva em conjunto com as associações de música.

Até o final de 2019 haverá um processo de transição para a escolha de um novo gestor da entidade e definição de novos desafios.

“Administrar o Ecad foi o maior desafio da minha vida profissional. Agradeço a confiança das associações de música, autores e artistas. Me sinto extremamente gratificada pelos resultados alcançados e com um sentimento de missão cumprida.”, afirmou Glória Braga.

 

Foto: Ecad

Leia na origem

©2019 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?