Os números da turnê que marcou a volta de Sandy e Junior

Matéria de VEJA.com

Com 500.00 ingressos vendidos e um faturamento até agora de 35 milhões de reais, a turnê “Nossa história”, que marca o retorno da dupla Sandy & Junior” entra na reta final como a maior turnê da história do país.

A turnê do retorno da dupla Sandy & Junior já está chegando ao fim, e sem dúvidas, ficará marcada com uma das mais lucrativas da história do país. A Veja publicou uma matéria sobre o sucesso do retorno da dupla e, principalmente, os números da turnê.

De acordo com a Veja, desde março deste ano, quando foram anunciadas as datas para os shows, foram 35 milhões de reais de faturamento e mais de 500.000 ingressos vendidos.

Quando a turnê passou pelo Allianz Park, em São Paulo, foram quatro shows com lotação esgotada, sendo que a casa possui capacitação de 45.000 espectadores. O recorde do estádio é de Paul McCartney. Para o portal, nenhum artista nacional conseguiu tantas vendas com tamanha rapidez e escala.

O sucesso da turnê impactou os streamings nas plataformas de música. Segundo o portal, após o anúncio da volta da dupla, os plays na plataforma de streaming da Deezer aumentaram dez vezes.

Para o portal, um sentimento de “nostalgia represada” é o maior fator para que a dupla tenha voltado com tudo. Antes do anúncio do fim da dupla em 2007,  o disco em inglês lançado nos Estados unidos, vendeu apenas 650 cópias. Além disso, estima-se que os últimos cinco álbuns tenham vendido cinco vezes menos que os anteriores.  Segundo portal, é na crise econômica que as pessoas procuram um “porto seguro”, lembranças de um tempo em que as coisas eram melhores, tempo em que as canções de Sandy & Junior eram um maior sucesso.

Outro motivo para o sucesso da volta de Sandy & Júnior é que outros artistas da nova geração, como Anavitória e Melim (trio de irmãos), são muito influenciados pelas “letras românticas”  e fazem o mesmo “pop açucarado” que a dupla: “Eu era apaixonada pela Sandy”, disse Ana Caetano, da dupla Anavitória.

Após passarem por Nova York e Lisboa, a turnê “Nossa história” está prevista para se encerrar no Rio, em 9 de novembro, no Parque Olímpico, mesmo local onde aconteceu o Rock in Rio.

Foto: Divulgação

Leia na origem

Dia do Podcast: Consumo de podcast no Brasil cresce 67%

Matéria de tiltuol @UOL

Uma pesquisa feita pela Deezer revelou o crescimento do consumo de podcast no Brasil. Atualmente, 25% dos brasileiros consome mais de uma hora do formato. Veja detalhes da pesquisa.

No Brasil, nesta segunda-feira (21), é comemorado o Dia do Podcast. Para celebrar a data, o portal de tecnologia da Uol, Tilt, publicou uma pesquisa sobre o consumo de podcasts no país.

A pesquisa elaborada pela Deezer revelou que o consumo de podcasts no país cresceu 67%, em 2019. Além disso, 25% dos ouvintes no país, consome mais de uma hora de podcasts diariamente.

Houve aumento também no tempo de escuta na plataforma da Deezer. O índice em 2018, apresentava alta de 130%. De janeiro a setembro deste ano, este índice aumentou para mais 40% .

Segundo o portal, para mensurar todos os dados, foram avaliadas todas as plataformas de streaming de podcasts como Spotify, Apple e Gooogle.

O serviço de streaming notou ainda que a audiência de podcasts na plataforma aumentou em 117% nos últimos 12 meses.

“Existe uma gama imensa de criatividade e conteúdo feitos por produtores que vêm se profissionalizando, além de grandes veículos de comunicação estreando podcasts de peso em 2019”, disse Gabriel Lupi, chefe de conteúdo da Deezer Brasil.

De acordo com o portal, a tecnologia, como a popularização dos smartphones e o surgimento do 4G, contribuíram para o aumento no consumo de podcasts no país. Novas ferramentas e gadgets como o Echo, da Amazon, e o Nest Mini, do Google, estão criando bases para melhorar a experiência de consumo desse formato.

Vale lembrar que no início do mês rolou uma live super bacana com Pedro Bontorim da ClavMusic em nosso grupo do Facebook, ele nos explicou tudo sobre o mercado e as oportunidades dos Podcast. Confira AQUI!

Imagem: Getty Images/iStockphoto

 

O Episódio 12 do FF Podcast está no ar e o tema é: “E o vídeo na era do streaming?”. Com participação de Guilherme Figueiredo, Diretor de Marketing e Digital da gravadora Som Livre, e o diretor e editor de vídeos Pedro Magalhães. OUÇA AQUI!

Leia na origem

PESQUISA MOSTRA GOSTO MUSICAL DE CADA REGIÃO DO BRASIL

Matéria de ADNEWS

Uma pesquisa revelou que o Sertanejo, MPB e Gospel são os gêneros musicais mais ouvidos pela população brasileira. Além disso, constatou-se que nossa população prefere ouvir mais músicas nacionais do que estrangeiras.

Nesta semana, o projeto Hello Monitor Brasil divulgou o resultado de sua pesquisa sobre o gosto musical da população de cada região no Brasil. No país, o consumo de música brasileira é maior do que as de línguas estrangeiras. Sem grandes novidades, o sertanejo é o gênero preferido dos brasileiros.

De acordo com os dados da pesquisa no portal Adnews, o sertanejo é o gênero mais ouvido no país em 2019. A cada dez pessoas, seis possuem gosto musical pelo gênero. Além do sertanejo,  a MPB (46%) e o gospel (43%) seguem como os gêneros mais ouvidos pela população.

Quando cada região é analisada, algumas diferenças são notadas. No Centro-Oeste, 87% dos ouvintes ouvem sertanejo, sendo que destes 60% são mulheres. Já no Norte, o Gospel Domina (52%), metade dos ouvintes são do sexo feminino. Enquanto isso, a MPB reina no Nordeste com 68% dos ouvintes preferindo o gênero, sendo 46% mulheres.

Outro dado interessante revelado na pesquisa é que a música pop costuma ser mais ouvida por pessoas de até 34 anos e depois volta a ser relevante para pessoas com 45 anos ou mais. Entretanto, pessoas com baixa escolaridade e que ouvem música pelo celular através dos serviços de streaming de música, o consumo do gênero é menor (o portal não revelou a porcentagem exata).

A música eletrônica mostrou ser mais popular entre homens, com formação profissional superior através de aplicativos como Spotify.

Foram entrevistadas 1230 entrevistas pessoas em 75 municípios das cinco regiões no país. os resultados possuem uma margem de erro de 3% para mais ou menos.

 

Leia na origem

NA SEMANA DA MPB, MILTON NASCIMENTO RECEBE PRÊMIO UBC 2019

Na semana da MPB, Milton Nascimento recebe Prêmio UBC 2019

A Música Popular Brasileira está em festa! Não apenas pelo seu dia, comemorado nesta quinta-feira (17), mas também pela homenagem a Milton Nascimento durante a entrega do Prêmio UBC 2019.

A cerimônia aconteceu nesta terça-feira (15), e contou com homenagens de vários artistas consagrados da música brasileira como Maria Rita, Elba Ramalho, Chico César e João Bosco, cantando suas melhores versões das canções de Milton.

“Milton não é só daqui, ele é de outros planos, é de mil planos. Cantar qualquer coisa na frente dele me deixa nervoso e emocionado”, disse Chico César.

De acordo com a UBC, são mais de 400 obras de Milton Nascimento registradas na entidade. “Todas as músicas que componho são para Elis Regina cantar!”, diz uma referência do compositor que se tornou amplamente popular em sites de citações na internet.

Além de Milton, Glória Braga, superintendente executiva do Ecad, recebeu o Troféu Fernando Brant por sua trajetória e contribuição da gestão coletiva de direitos autorais no Brasil.

Foto: Gabriela Azevedo/Redes Sociais

Leia na origem

Power Players Latin 2019: Billboard revela os principais players do mercado latino

Veja quem foi destaque na lista anual da Billboard que elege os principais executivos do mercado latino de 2019. Brasileira responsável por vinda do Youtube Music ao país é nomeada.

A Bilboard revelou a “Power Players Latin 2019”, uma lista com os principais nomes que se destacaram no mercado latino americano em 2019, e que hoje são responsáveis por trazer ao mercado artistas como Rosalía, Maluma, Daddy Yankee, J Balvin e Anitta.

Para definir o ranking dos executivos latinos, a equipe de editores e repórteres da Billboard avaliaram uma série de fatores, como o desempenho de seus artistas nas turnês, charts, redes sociais e streaming. Também foram avaliados dados disponíveis pela Nielsen Music, entre outros.

Executivo do Ano:

O veterano Henry Cárdenas, 63, foi eleito o “Executivo do Ano”. Como fundador/CEO da Cárdenas Marketing Network (CMN), o executivo é conhecido por ser o principal promotor de música latina independente nos Estados Unidos. Ele está por trás de artistas como Marc Anthony, Chayanne, Daddy Yankee, Maluma e Bad Bunny.

Cárdenas, contou ao portal que o Domínio da Live Nation fez com que ele percebesse uma nova demanda por artistas emergentes: “Então, em todo lugar que eu olhava, havia a Live Nation respirando pelo meu pescoço. E isso me motivou a me levantar e ver o que estava acontecendo.” disse ele.

Com as novas descobertas, a CMN cresceu mais de 200% no ano passado, representando 12 artistas entre eles Sech, Manuel Turizo e Becky G. Além da música,  a empresa diversificou seus negócios para eventos esportivos e marketing experimental.

A empresa revelou ao portal que entre 1 de julho de 2018 e 30 de junho de 2019, seu faturamento chegou a US$102,5 milhões. Foram 1.046.652 de ingressos vendidos, em 161 shows. No ano passado, o cantor Marc Anthony assinou um contrato de turnê internacional de US$160 milhões com a CMN (em conjunto com a empresa de gestão Magnus Media), considerado como o mais lucrativo para um artista latino de todos os tempos.

“Multsetor”

Nesta categoria a Bilboard destacou o trabalho de Nelson Albareda, CEO da Loud and Live e o Senior vp entertainment, Edgar Martínez.

Albareda, 43 anos, foi responsável por supervisionar as turnês do cantor brasileiro Roberto Carlos e do dominicano Juan Luis Guerra, entre outros. Martínez, 41 anos, elaborou novas estratégias para Guerra e Carlos, apresentando os artistas para novos mercados e gerando crescimento exponencial na receita de performance. O resultado garantiu que Roberto Carlos chegasse a uma receita bruta de US$3,8 milhões em sua jornada de 2019. Todos os seus artistas bateram recorde de vendas de bilheteria.

Publishers

Entre os eleitos desta categoria, está Alexandra Lioutikoff, presidente da Universal Music Publishing Group – América Latina e EUA Latina.

Lioutikoff notou o crescimento da UMPG e os acordos da editora com J Balvin, Anitta, Sebastian Yatra, Rosalía e outros. Além da colaboração com a Rich Music, Lioutikoff é a maior responsável pela parceria com Konrad Dantas, fundador da KondZilla, que conta com 52 milhões de assinantes em seu canal no YouTube.

A executiva também falou sobre a Woman in Music:  “uma organização sem fins lucrativos global que visa aumentar e capacitar mulheres de todas as esferas da vida que trabalham na música. A organização, iniciada por nossa presidente global, Jody Gerson e Alicia Keys, promove a igualdade, a inclusão e a oportunidade para criadoras e profissionais do setor.”, explicou a executiva.

Streaming

Na categoria Streaming, a brasileira Sandra Jimenez – Diretora de parcerias musicais do Youtube na América Latina – foi destaque por lançar o YouTube Music e o YouTube Premium em 16 países da América Latina no ano passado. Atualmente, o YouTube vem trabalhando para incentivar novos artistas como Jão e Vitão no Brasil, Rauw Alejandro em Porto Rico e  Pedrina na Colômbia, através de iniciativas como Foundry e NextUp.

Para conferir na íntegra a “Power Players Latin 2019” CLIQUE AQUI

 

Foto por: Mary Beth Koeth/ Da esquerda: os executivos de música D’Cunha, Sandra Jimenez, do YouTube, e Mia Nygren, do Spotify. .

 

Leia na origem

PESQUISA DIZ QUE 49% DAS PESSOAS NÃO OUVEM UM ÁLBUM NA INTEGRA

Matéria de @MusicWeek

No Reino Unido, o Dia Nacional do Álbum é neste sábado, mas consumidores estão cada vez mais deixando de ouvir, principalmente os mais jovens, que preferem ouvir suas músicas favoritas em playlists. Confira outros dados revelados pela pesquisa realizada pela Deezer.

Neste sábado (12) é comemorado no Reino Unido o Dia Nacional do Álbum. A Deezer realizou uma pesquisa para descobrir como andam os hábitos de consumo dos fãs de música com aos àlbuns.

De acordo com a pesquisa, cada vez mais as pessoas estão deixando de ouvir a álbuns. 49% dos entrevistados afirmaram que não ouviram um álbum por completo nos últimos 3 a 5 anos.  Além disso, 42% dos entrevistados disseram que preferem adicionar suas músicas favoritas em playlists no modo aleatório. Destes, 55% tinham faixa etária de até 25 anos.

A pesquisa também revelou que 15% dos fãs de música, com menos de 25 anos, nunca ouviram um álbum por completo! Entretanto, um quarto deles disseram que estão mais propensos a ouvir a discografia de seus artistas favoritos.

Com relação ao tempo de audição de um álbum, a média no Reino Unido agora é de 17 minutos por dia. Se tornando inferior à média diária mundial, de 26 minutos.

A maioria dos entrevistados (53%) afirmou preferir ouvir um álbum em casa, 32% durante uma viagem de carro e 14% enquanto fazem caminhada.

Quase três quartos dos ouvintes (74%) confirmaram que a probabilidade de ouvir um álbum na íntegra é maior após assistir a uma apresentação ao vivo de um artista. Outros 32% disseram que costumam ouvir antes de um show. A exemplo disto, a Deezer detectou que houve um aumento de 30% nos streamings do Backstreet Boys, após a boy band ter participado do The SSE Hydro Glasgow.

“Os álbuns podem ser uma grande parte da sensação de estar mais perto do seu artista favorito. Você pode entender a história deles e apreciar verdadeiramente a paixão e a habilidade que foram necessárias para fazer o álbum. Mas pode ser fácil adotar outros hábitos quando você está com pouco tempo. Queremos apoiar o álbum incentivando ouvintes de todas as idades a levar um pouco de tempo para realmente apreciar a música.”, disse Nigel Harding, vice-presidente de marketing global de artistas da Deezer.

A pesquisa foi realizada com 2000 entrevistados no Reino Unido. O tema deste ano para o  National Album Day é “Don’t Skip’ (não pule de faixa) e para comemorar a data, a Deezer terá uma página dedicada em seu aplicativo.

Leia na origem

150BPM: O PRIMEIRO PRODUTO CRIADO POR ANITTA EM PARCERIA COM A SKOL BEATS

Matéria de Geek Publicitário

150BPM é o primeiro lançamento de Anitta como Chefe de criatividade e inovação da Skol Beats. Saiba mais.

A cantora Anitta anunciou em seu Instagram o resultado do o 150 BPM, seu produto criado em colaboração com a Skol Beats.

De acordo com o Geek Publicitário, ainda não foram divulgadas maiores informações sobre o 150 BPM, apenas foi anunciado que a bebida possui um teor alcóolico de 13,9%, maior que as tradicionais da mesma categoria.

Vale lembrar que o nome 150BPM faz referência a velocidade de batidas conhecida no Funk. Segundo Lauro jardim, do Globo, a embalagem é de apenas 100ml e por isso a própria cantora vem chamando a bebida de “shot”.

“Eu queria dizer que aqui em casa já tem lançamento “Skol Beats” no meu lar. […] Logo, logo no mercado vocês terão este novo shot “Beats”, que deixa você muito… Fes… Festejante.”, disse Anitta em um vídeo nas redes sociais.

Ainda de acordo com o portal, o público associou a embalagem com a de uma droga chamada “poppers”,  para pacientes cardíacos, mas que acabou ficando popular entre adolescentes nos EUA e Europa.

Em um release divulgado pela Ambev, a Skol Beats 150BPM deve chegar às lojas até o fim e outubro. Como Chefe de criatividade e inovação da Skol Beats, Anitta deve criar pelo menos um novo produto ao ano.

O Episódio 10 do FF Podcast está imperdível. Com participação de Clarisse Falcão e o psicanalista Paulo Próspero, falamos sobre saúde mental na música, um assunto considerado um grande tabu no Music Business. OUÇA AQUI!

Leia na origem

FESTIVAIS DOBRAM O FATURAMENTO APOSTANDO EM ARTISTAS NACIONAIS

Matéria de Folha de S.Paulo

Como festivais como Meca, Rock the Mountain e Queremos! estão tendo sucesso graças ao line-up formado apenas com artistas nacionais.

A Folha de São Paulo publicou uma matéria sobre como os festivais de música como o Meca, Rock the Mountain e Queremos! estão crescendo cada vez mais apostando em artistas nacionais.

O portal explicou que ao contrário do que acontecia no início dos anos 2010, onde os principais line-ups dos festivais no Brasil eram formados por artistas indie internacionais, hoje o que chama o público são os novos artistas brasileiros.

Meca: Segundo o diretor de novos negócios do Meca, Piti Vieira, no início o festival estava focado na cena internacional, mas há três anos, a edição em Inhotim, museu de arte contemporânea em Brumadinho (MG), fez muito sucesso com um line up liderado por Caetano Veloso e outros artistas brasileiros.

O festival teve sua primeira edição em 2010, na cidade de Atlântida (RS). Nos últimos anos, seu faturamento cresceu em 30% graças ao novo formato, há pretensão de levar o conceito para o exterior como os Estados Unidos e Europa.

Rock the Mountain: Festival que acontece em Itaipava, no Rio de Janeiro, desde 2013 vinha apostando em atrações internacionais. Entretanto, o aumento do dólar inviabilizou o evento em 2016/2017. No ano passado, uma nova produtora entrou para o time, e agora intenção é criar mais festivais até 2020.

“Com novo enfoque em artistas nacionais, o Rock the Mountain reuniu 7.000 pessoas em 2018. Neste ano, já ultrapassou o número de vendas do ano passado, e a expectativa é chegar a 12.000 ingressos vendidos até dezembro, quando acontece a próxima edição. No 4º lote, a entrada custa R$192 para os dois dias”, afirmou a folha.

Queremos!: A plataforma que realiza show de vários gêneros, confiou nos pedidos de seus usuários para montar o line-up de sua primeira edição em 2018. O festival apenas de artistas nacionais contou com um público de 5.500 pessoas e, em 2019, 8.000.

Felipe Continentino, diretor-executivo do Queremos! disse que além da curadoria, deve-se investir em infraestrutura adequada: “Havia restrição do público, que associava festival a perrengue, a um serviço não necessariamente bom. Nosso desafio é conseguir crescer a bilheteria sem perder uma boa entrega”, disse.

Vale lembrar que Pedro Seiler, um dos fundadores do Queremos participou do FF Podcast no Episódio “#8: Pop vs Indie”, e explicou mais sobre a plataforma e o processo de escolha das atrações para o festival. Confira AQUI!   

Foto: Mc Thaa, no Festival Meca Inhotim 2019/ Fernanda Tiné/ Divulgação

Leia na origem

Vem aí o Spotify for Podcasters Summit

O Spotify está promovendo um evento com palestras e workshops sobre podcasts. Saiba como participar.

Na sexta-feira (4) rolou uma live especial para os membros do grupo do Música, Copyright e Tecnologia no Facebook. Pedro Bontorim, da Clav Music, falou sobre o mercado de podcasts e como este novo formato de conteúdo pode gerar grandes oportunidades.

Durante a live ficamos sabendo sobre um evento super bacana que o Spotify está promovendo, o Spotify for Podcasters Summit. Evento gratuito entre os dias 1 e 2 de novembro com palestras e workshops na Cinemateca Brasileira, em São Paulo.

Os interessados em participar devem confirmar presença no evento no Facebook. Maiores informações ainda serão divulgadas!

Leia na origem

“FUTURE 25”: Rolling Stone elege os líderes mais inovadores no mercado da música

Matéria de Rolling Stone

A Rolling Stone criou uma lista para apontar os líderes mais inovadores e criativos do mercado de música americana. Destacamos Jon Platt, CEO da Sony/Atv, pela sua determinação em buscar que os rappers sejam respeitados e remunerados de forma justa.

A Rolling Stone Americana publicou na edição de Outubro a “Future 25”, uma lista apontando os principais nomes que estão inovando e liderando o mercado americano de música.

Segundo a revista, a ideia é que a “Future 25” aponte os nomes mais criativos e que de fato estão criando algo novo para o mercado. Para isto, a cada ano, a lista terá fundadores de startups, negócios de sucesso e artistas empreendedores.

Nosso destaque vai para Jon platt, CEO da Sony/Atv. Para a Rolling Stone, o diretor que Jay-Z uma vez chamou de “Obama da indústria da música” está “refazendo a ideia de como sua indústria pode se parecer”.

Jon Platt, é conhecido no mercado da música por produzir uma dos maiores hits de Jay-Z, “Empire State of Mind”, além de ser um dos principais nomes que colocaram o hip-hop no nível de sucesso em que está hoje.

Além de ver o potencial de Jay-Z no início de carreira, sempre insistiu que os MC’s fossem tratados (e pagos) como qualquer outro compositor. “Não sou o primeiro editor de música a contratar um artista de rap, mas provavelmente sou um dos primeiros a garantir que sejam respeitados como compositores”, diz ele.

Antes de se tornar presidente e CEO da Sony/ATV, Platt foi um dos primeiros DJs da cidade de Denver, gerenciou produtores e trabalhou na EMI.

Na Sony/ATV, maior editora de música do mundo, Platt implantou uma mudança na cultura corporativa, onde todos os funcionários, e não apenas os de alto escalão, teriam participação nos lucros pela aquisição da EMI Music Publishing por US$2,3 bilhões.

Platt implantou um novo sistema tecnológico para acelerar os pagamentos de royalties aos compositores da Sony/ATV e permitir que eles retirassem dinheiro com ganhos futuros.

Agora, Platt tem objetivos que vão além de sucessos e receitas. “Estou bem sendo o primeiro afro-americano a administrar um negócio global de música, desde que não seja o único”, diz ele. “O que eu quero é que o interior da empresa pareça com a música que representamos.”

Vale a pena conferir a lista completa da “Future 25”. E pra você? Quais são os nomes nacionais que atualmente está inovando no mercado? Deixe sua aposta nos comentários do nosso post no Instagram!

 

Crédito: Ilustração de Sean McCabe para a Rolling Stone.

Leia na origem

©2019 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?