Phil Collins vende discografia completa por R$1,6 bilhão

Matéria de Tangerina

Presidente da Concord Music disse que quer levar música de Phil Collins para as novas gerações..

Phil Collins é o artista mais recente a vender sua discografia completa para a empresa americana Concord Music, por U$300 milhões (mais de R$ 1,6 bilhão, na cotação atual).

Conforme noticiou o tangerina.uol.com.br, o acordo incluiu todos os direitos de edição e gravação da discografia de Phil Collins e sua banda Genesis. Entretanto, os lançamentos feitos ao lado de Peter Gabriel, que integrou a banda entre 1967 e 1975, não foram inclusos.

Bob Valentine, presidente da Concord Music, disse ao The Wall Street Journal que pretende levar a música de Phil Collins e banda às novas gerações, então podemos esperar algumas novidades por aí:

“No mundo em que vivemos hoje com Facebook, Instagram, TikTok, todas essas coisas que impulsionam o consumo de músicas antigas, definitivamente há maneiras de nós, como gravadora, trazermos algumas dessas canções de volta à vida.”

Vale notar que em 2020, o hit In The Air Toning, de Phil Collins voltou a aparecer nas paradas musicais dos Estados Unidos, após um vídeo mostrando dois irmãos reagirem ao som da faixa viralizar no YouTube e chegar a 10 milhões de visualizações.

 

Foto: Guetty Images

Leia na origem

Entenda porque marcas estão criando seus próprios hits virais no TikTok

Matéria de Marketing Dive

McDonald’s, Pizza Hut e Trident estão entre as marcas que adotaram a estratégia para viralizar e conquistar fãs no TikTok.

Marketing Musical. Grandes empresas estão criando suas próprias músicas para viralizar no TikTok. Este foi o assunto abordado recentemente pelo marketingdive.com.

De acordo com o site especializado em marketing, empresas como o McDonald’s, Pizza Hut e Trident estão entre as que já estão adotando a estratégia de usar suas próprias músicas para conquistar os usuários que usam o TikTok, um público formado por pessoas mais jovens e que já não ligam tanto para as tradicionais propagadas veiculadas na TV.

Para a Annie Leal, chefe de conteúdo da empresa de mídia digital My Code, assim como os criadores podem alcançar rapidamente um grande público, com as marcas as oportunidades também se ampliam:

“A grande oportunidade para as marcas é se apoiar no que a plataforma já está oferecendo e fazendo com os criadores. Com o TikTok muito disso é baseado em música. Você tem músicas que dominam toda a plataforma em questão de dias”, explicou a executiva.

Oportunidades x desafios em apostar em um hit viral

De olho nessas oportunidades, o McDonald’s foi o primeiro a criar o hit viral “Static”, em parceria com o tiktoker TisaKorean, inspirado no refrigerante Sprite.  Em seguida, o Pizza Hut chamou Jon Moss, um criador com 6,9 milhões de seguidores na plataforma, para criar uma música tema para sua pizza. E a mais recente, o Trident e a estrela pop Chlöe Bailey lançaram uma música que usa o som de chiclete como parte da batida.

Mas nem tudo é garantia de sucesso. Afinal, o conceito de branding musical ainda é algo novo e não há receita de bolo. Só para se ter uma ideia, a parceria entre McDonald’s e Tisakorean rendeu de 6 milhões de visualizações, mas rendeu apenas 39 vídeos replicados por usuários no TikTok. Em contrapartida, a colaboração do Trident com Chloë Bailey gerou 3,4 milhões de visualizações e foi usada em mais de 100 vídeos. Como em todos os empreendimentos musicais, não há ciência para fazer um sucesso – com marca ou não.

A fim de tornar os investimentos neste formato mais certeiros, Leal explicou que o importante para é deixar que se mantenha a originalidade do influencer. Muitas vezes, as marcas ficam empolgadas com um projeto e impõem o que o criador deve fazer. O ideal é que as marcas definam suas expectativas em torno do conteúdo e letras com antecedência, e depois deixem os criadores dar vida à ideia, e esperar que os usuários recriem conteúdos usando o som que foi criado:

“O sucesso máximo seria criar algo que parecesse tão orgânico para a plataforma que os usuários comuns quisessem recriar esse vídeo ou usar o som para algo pessoal”, disse Leal.

Leia na origem

Netflix anuncia lançamento de seu próprio estúdio de games

Matéria de O Globo

Netflix já lançou mais de 30 jogos, mas espera ampliar seu catálogo para 50 até o fim de 2022.

Tecnologia. A Netflix anunciou que está lançando o seu primeiro estúdio para criação de games baseados em seus filmes e séries.

Com base em Helsinque, na Finlândia, o novo estúdio será comandando por Marko Lastikka, nome conhecido no mercado por estar por trás de grandes jogos como o FarmVille 3.

Conforme explicou O Globo, a ideia do serviço de streaming é ser menos dependente de criadores terceiros e expandir suas ofertas de jogos. Atualmente, a Netflix possui investimentos em quatro estúdios, e já lançou mais de 30 jogos. A meta é ampliar este catálogo para 50 até o fim de 2022.

– Este é mais um passo em nossa visão de construir um estúdio de jogos de nível mundial que trará uma variedade de jogos originais deliciosos e profundamente envolventes – sem anúncios e sem compras no aplicativo – para nossas centenas de milhões de membros em todo o mundo – disse Amir Rahimi, vice-presidente de estúdios de jogos da Netflix.

Rahimi, complementou que os trabalhos no estúdio ainda não começaram, mas vem muita novidade por aí:

“Ainda é cedo e temos muito mais trabalho a fazer para oferecer uma ótima experiência de jogos na Netflix” – disse Rahimi. – “Esses quatro estúdios, cada um com diferentes pontos fortes e áreas de foco, desenvolverão jogos que atenderão aos diversos gostos de nossos membros”, concluiu.

 

Foto: Jogo da série  Stranger Things, da Netflix – divulgação

Leia na origem

Twitch anuncia redução de 20% sobre a remuneração de seus principais influenciadores

Matéria de TecMasters

Entenda como fica a remuneração para streamers maiores no Twitch.

O Twitch anunciou que vai fazer uma atualização sobre o percentual de remuneração para seus maiores criadores de conteúdo, reduzindo 20% o valor de suas comissões.

Conforme explicou o Tecmasters, atualmente a plataforma adota um formato de remuneração no qual os streamers de maior audiência (os chamados streamers premium) recebem 70-30, onde 70% do faturamento com inscrições ficam com o streamer, e 30% fica com o Twitch. Com a mudança que será implementada a partir de Julho de 2023, quando esses “streamers premium” atingirem uma receita de US$100 mil, passarão a receber igual ao modelo oferecido aos criadores de conteúdo menores, 50-50.

Para a plataforma, a mudança deve padronizar um formato de pagamento entre todos os streamings, já que o esquema 70-30 não era universal, e beneficiava apenas os streamers de maior fama.

A medida, claro, não foi bem recebida pelos influenciadores maiores da plataforma. Um deles foi Eric Pointcrow. O streamer de games criticou a decisão em seu perfil no Twitter, alegando que o Twitch estaria prejudicando seus criadores, ao invés de investir em melhorar seus recursos:

“O fato de que a solução da Twitch para seus problemas monetários é cortar a remuneração dos criadores ao invés de facilitar uma plataforma melhor para que mais espectadores visitem o site é preocupante. Nos dê as ferramentas e a informação que precisamos para que possamos criar conteúdos com mais engajamento, não limite nossos ganhos.”

Foto – O Dj Marshmallo – divulgação

Leia na origem

Creator Music: Vitrine Digital possibilita venda de músicas licenciadas para vídeos no YouTube

Matéria de Billboard

Youtube lança “vitrine digital” para simplificar o processo de licenciamento de músicas para criadores, e permitir nova fonte de renda para detentores de direitos musicais.

Na última terça-feira, 20, o YouTube anunciou uma novidade para que criadores de conteúdo possam licenciar músicas em seus vídeos de uma forma mais prática, e sem perder monetização.

De acordo com a Billboard, o Creator Music é uma espécie de loja virtual que permite aos criadores de conteúdo licenciar músicas em vídeos de duas formas bem simples: Na primeira opção o criador compra a licença de uma determinada música, e assim não terá mais de repassar a monetização inteira ao detentor dos direitos da música. Na segunda opção, o criador de conteúdo e o detentor de direitos dividem a monetização do vídeo.

Foto: divulgação

Para construir um bom catálogo na loja virtual, o Youtube fez uma série de parcerias com gravadoras e os editoras para que elas definam o preço das licenças músicas, que inicialmente variam de US$4,99 ou até mesmo de forma gratuita, dependendo da estratégia.

Por enquanto, o Creator Music ainda está na versão beta nos EUA, mas a ideia é que até 2023, o novo recurso seja disponibilizado internacionalmente.

Em um comunicado, Tracy Maddux, diretora comercial da Downtown Music, uma das editoras parceiras do Youtube fez uma boa colocação sobre o novo projeto: “O Creator Music foi uma oportunidade de “ajudar nossos compositores e artistas a encontrar novos e significativos fluxos de receita para seus trabalhos, além de possibilitar que todos os criadores do YouTube licenciem legalmente e descubram músicas originais para uso em grande escala”.

 

Foto – divulgação

Leia na origem

WARNER MUSIC BRASIL ELEGE Leila Oliveira COMO NOVA PRESIDENTE

Foto: divulgação

Momento histórico! Pela primeira vez uma mulher assume o cargo de presidente em uma gravadora no Brasil.

Nesta tarde de quinta-feira (22) recebemos a notícia que Leila Oliveira será a nova presidente da Warner Music Brasil, se tornando a primeira mulher a assumir o cargo de liderança em uma grande gravadora no país.

Conforme noticiado pelo BIZ para o Portalpopline.com.br, Leila entrou para a Warner Music Brasil em 2013,  e desde 2021 era responsável por supervisionar funções de A&R, marketing e desenvolvimento de negócios.

A partir do dia 28 de outubro Leila assumirá como nova presidente da gravadora, cargo que até o momento pertence a Sérgio Affonso. O executivo deixa a empresa após 15 anos para lançar seu próprio selo independente.

“É uma honra incrível ser convidada para suceder Sérgio como presidente da Warner Music Brasil. Trabalhei para ele por quase uma década e aprendi muito sobre como apoiar artistas e permanecer ágil em nossa indústria em constante mudança. Tenho grandes ambições de expandir ainda mais nossa empresa e tornar o Brasil uma fonte de talento global para a Warner Music”, disse Leila Oliveira ao portal.

 

foto: divulgação

Leia na origem

RIAA 2022: Receita de música cresce 9% e chega a US$7,7 bilhões nos EUA

Matéria de RIAA

RIAA: As assinaturas de streaming atingiram 90 milhões pela primeira vez, enquanto as vendas de vinil continuam crescendo.

[RIAA 2022] Nesta quarta-feira, a Associação Americana da Indústria de Gravação (RIAA, sigla em inglês) publicou seu relatório anual contendo novos dados sobre o mercado da música nos EUA.

No relatório, a associação indicou que as receitas de música gravada no país cresceram 9% no primeiro semestre de 2022, e chegaram a US$7,7 bilhões.

Esse crescimento foi, mais uma vez estimulado pelo streaming, que ainda responde por 84% de todas as receitas de música, equivalendo a US$6,5 bilhões. Um aumento de 10% em comparação aos US$5,9 bilhões em 2021.

Continuando a tendência dos últimos anos, as assinaturas de serviços de streaming impulsionaram os aumentos nas receitas, representando 78% de todas as receitas de música. O número de assinantes de serviços pagos chegou a uma média de 90 milhões nos EUA, oito milhões a mais que o mesmo período em 2021.

Ainda falando sobre receitas no streaming, os serviços que são suportados por anúncios viram suas receitas aumentarem 16%, para US$871 milhões; enquanto as receitas de rádio digital e distribuições SoundExchange (de fonogramas) caíram ligeiramente (3%) para US$566 milhões.

VENDAS FÍSICAS

As vendas físicas estão em recuperação graças ao aumento de consumo de discos de vinil, que agora representam 73% destas receitas. Nos EUA as vendas de vinil cresceram 22% e chegaram a US$570 milhões. Enquanto isso, as vendas de CDs caíram apenas 2%, gerando US$200 milhões em pleno 2022.  No geral, as receitas de formatos físicos tiveram um aumento de 13,3% em relação ao mesmo período do ano passado, respondendo por US$781 milhões e 10% da receita geral.

DOWNLOADS

As receitas com downloads digitais caíram 19,1%, e ficaram na margem de US$256 milhões, ou 3% da receita geral de música gravada.

 

 

Leia na origem

Roberto Carlos entra na Justiça novamente para impedir paródia em campanha eleitoral de Tiririca

Matéria de Política

Roberto Carlos entrou na Justiça para buscar a remoção do vídeo da nova campanha eleitoral de Tiririca com uma paródia não autorizada de sua música.

O cantor Roberto Carlos entrou na Justiça para buscar a remoção do vídeo da nova campanha eleitoral do deputado Tiririca com uma paródia de sua música. Pela quarta vez o humorista fez uma paródia da música “O Portão”. O cantor vem buscado a remoção do vídeo na Justiça, mas sem sucesso.

Conforme o Correio Braziliense, no pedido de remoção ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), a defesa do cantor alegou que a versão da campanha “induz os eleitores e o público em geral a erro, causando uma associação indevida entre Tiririca e Roberto Carlos, gerando danos à reputação do músico”. A defesa também pediu R$50 mil em indenização por danos morais.

O caso está nas mãos do ministro Ricardo Lewandowski, tramitando em segredo. Entretanto, antes de analisar o processo, o juiz Guilherme Dezem rejeitou o pedido de liminar do cantor para a remoção imediata do vídeo:

“De gosto duvidoso ou não, não se pode esquecer de que se trata de propaganda destinada à eleição de cargo junto ao Poder Executivo, de modo que, em confronto com o direito à honra e imagem individuais do autor, o direito coletivo e democrático ao voto e às ferramentas que permitam seu adequado exercício merece, em sede liminar, maior proteção”, escreveu.

Vale notar que desde 2014, Roberto Carlos tem buscado impedir o uso de suas músicas como paródia nas campanhas eleitorais de Tiririca, mas em 2020, o STJ acabou favorecendo o humorista. Na época, o advogado e um dos especialistas em Direitos Autorais do curso Música, Copyright e Tecnologia, Guilherme Coutinho, explicou ao Tenho Mais Discos Que Amigos, que a decisão do STJ era válida: “O Superior Tribunal de Justiça teria apenas cumprido o que diz a lei, já que as paródias estão dentro das exceções dos direitos autorais no Brasil”.

 

Foto: divulgação

Leia na origem

SONY MUSIC QUER TRANSFORMAR MÚSICAS DE SEU CATÁLOGO EM NFT

Matéria de Money Times

Gravadora de Harry Styles e Adele entrou com novo pedido de registro de marca para mídias em NFTs

Seguindo tendência mundial sobre novos hábitos de consumo dos fãs de música, a Sony Music entrou com um pedido de registro de marcas recente, para que o logo Columbia Records possa ser usado em mídias com base em NFTs (tokens não-fungíveis).

Conforme o moneytimes.com.br, a informação foi anunciada pelo advogado de registro de marcas, Mike Kondoudis, através de seu perfil no Twitter.

No pedido, é possível identificar que a Sony Music pretende usar NFTs como uma espécie de “portal de token” para autenticar fãs por registros em áudio e vídeo que possam ser baixados e por performances ao vivo de artistas da gravadora como Adele e Harry Styles.

Vale notar que esta não é a primeira vez em que a gravadora decide trabalhar com NFTs. Em março, a empresa fez parceria com a Universal Music e o Snowcrash para lançar coleções NFT de Bob Dylan e Miles Davis.

 

Foto: o cantor Harry Styles, da Sony Music – Twitter

Leia na origem

CPI do Sertanejo não conseguiu impedir contratação milionária de artistas por Prefeitura

Matéria de Folha de S.Paulo

Prefeitura de uma cidade de apenas 9 mil habitantes gastou quase R$1 milhão para contratar artistas sertanejos em evento, mesmo com pedido de suspensão de contratos pelo Ministério Público.

[CPI DO SERTANEJO] Após o avaliar que a cidade de Itauçu, em Goiás, de apenas 9 mil habitantes, não teria uma situação financeira compatível para a realização de sua tradicional Festa do Peão, o Ministério Público determinou a suspensão dos contratos entre a Prefeitura e artistas como João Neto e Frederico, Zezé Di Camargo e Naiara Azevedo.

De acordo coma Folha de São Paulo, para a Prefeitura de Itauçu teria gastado R$1,8 milhão para a realização do evento, sendo R$ 875 mil deles apenas na contratação de shows dos sertanejos.

Mesmo com o pedido de suspensão dos contratos emitido pelo MP, o Prefeito de Itauçu, Clayton Melo, do União Brasil, seguiu com o evento através de uma liminar para a realização da festa, e ainda usou as redes sociais da prefeitura para afirmar que o evento iria acontecer:

“Estou passando para reafirmar nosso compromisso que hoje às 20h estaremos fazendo a abertura da 30ª Festa do Peão. Tem uma decisão correndo aí, mas nós já buscamos nossos meios cabíveis junto ao Tribunal e não temos dúvidas que a festa vai acontecer”, disse ele.

Desde que Anitta citou sobre os shows sertanejos bancados por prefeituras, em resposta a uma crítica de Zé Neto, da dupla com Cristiano, o Ministério Público tem investigado cidades para avaliar os gastos com artistas em eventos. Tal movimento foi chamado de “CPI do Sertanejo”.

Foto: Zezé Di Camargo, Naiara Azevedo, Matheus & Kauan estão entre as atrações da festa em Itauçu, Goiás — Foto: Montagem/g1 e Reprodução/Redes sociais

Leia na origem

©2022 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?