Prêmio United Earth Amazônia une música e iniciativas de preservação ambiental

Matéria de Gazeta da Semana

Premiação criada por descendentes da família Nobel vai prestigiar inciativas brasileiras que incentivam a preservação ambiental do planeta, através das artes e música.

No próximo dia 27 de fevereiro acontece a premiação Earth Amazonia, uma iniciativa criada por grandes executivos da indústria fonográfica, para reconhecer ações que unem arte e a música na preservação da floresta.

Sérgio Lopes, Claudio Condé, Alberto Traiger e Maria Creuza Meza, são grandes nomes do mercado fonográfico que estão por trás do lançamento da premiação criada por Claes Nobel, descendente da família Nobel (a mesma que criou o reconhecido prêmio internacional).

Lopes contou ao gazetadasemana.com.br, que foi procurado por Claes Nobel para ouvir a respeito do United Earth – uma organização inspirada nos mesmos princípios da Fundação Nobel, e que “visa unir as pessoas e nações da Terra pensando num futuro coletivo e sustentável, que promovesse o bem-estar da humanidade”.

“A intenção do Claes era criar uma conexão com os mais jovens por meio da música para que o planeta fosse preservado. Ele percebeu que o mundo estava mudando e queria acompanhar a mudança. Pensou então em criar um prêmio no qual a música fosse o principal canal para difundir suas ideias e valores de proteger o planeta”, disse o executivo.

O cantor brasileiro Roberto Carlos será o primeiro premiado ao United Earth Amazonia. De acordo com a organização, sua música ‘Amazonia’, escrita em parceria com Erasmo Carlos, se tornou “uma contribuição significativa para conscientizar sobre a importância de preservar nosso planeta!”.

 

foto: divulgação

Leia na origem

TIKTOK CONFIRMA QUE TEM UM BOTÃO SECRETO PARA TURBINAR VÍDEOS E TORNÁ-LOS VIRAIS

Matéria de Forbes

Funcionários confirmaram através de documentos e comunicações internas, que o TikTok tem uma funcionalidade para selecionar “secretamente” vídeos e potencializar sua distribuição.

Na última semana, a Forbes publicou uma denúncia sobre a existência de um tipo de “botão secreto” no qual funcionários da ByteDance teriam acesso para turbinar as visualizações de qualquer vídeo, ao ponto que ele se torne viral no TikTok.

Conforme relatado pelo site americano, seis funcionários e ex-funcionários da TikTok e de sua controladora, ByteDance, mostraram documentos e comunicações internas à Forbes, revelando que, além de permitir que o algoritmo decida o que se torna viral, é possível selecionar “secretamente” vídeos específicos e potencializar sua distribuição, usando uma prática conhecida internamente como Booster ou “aquecimento, em português”.

Para muitos talvez a descoberta não seja uma surpresa. Entretanto, a denúncia da Forbes deixa claro que os vídeos que aparecem na timeline “For You” estão lá por indicação do algoritmo, e também por indicação do próprio time do TikTok.

“Pensamos nas mídias sociais como sendo democratizantes e dando a todos a mesma oportunidade de alcançar um público”, disse Evelyn Douek, professora e pesquisadora da Stanford Law School. Mas isso nem sempre é verdade, ela alertou. “Até certo ponto, as mesmas velhas estruturas de poder também estão se replicando nas mídias sociais, onde a plataforma pode decidir vencedores e perdedores até certo ponto, e parcerias comerciais e de outros tipos tiram vantagem”.

Pela primeira vez o TikTok falou sobre o assunto e explicou como o botão “booster” é usado. O porta-voz do TikTok, Jamie Favazza, escreveu: “Promovemos alguns vídeos para ajudar a diversificar a experiência de conteúdo e apresentar celebridades e criadores emergentes à comunidade TikTok. Apenas algumas pessoas, com sede nos Estados Unidos, têm a capacidade de aprovar conteúdo para promoção nos Estados Unidos, e esse conteúdo representa aproximadamente 0,002% dos vídeos nos feeds do For You.”

Leia na origem

Justin Bieber vende direitos de seu catálogo musical por R$1 bilhão

Matéria de O Globo

Fundador da Hipgnosis diz que aquisição do catálogo de Justin Bieber é uma das maiores da história, entre artistas abaixo de 70 anos.

O cantor Justin Bieber é o mais recente artista a vender os direitos autorais de seu catálogo musical para o fundo de investimentos Hipgnosis. Conforme O Globo, a venda incluiu a parte que o artista tinha nas composições e másters em suas músicas.

A Universal Music e sua editora Universal Music Publishing vão continuar fazendo a gestão do catálogo de gravações e edição do artista, porém todos os royalties serão repassados à Hipgnosis (via Music Business Worldwide).

Apesar do valor da negociação não ter sido revelado pelas partes, estima-se que o valor da transação tenha chegado a 200 milhões de dólares (ou R$1,03 bilhão), como noticiado pelo Wall Street Journal, em dezembro de 2022.

“Com apenas 28 anos de idade, ele é um dos poucos artistas que definiram a era do streaming que revitalizou toda a indústria da música, levando consigo um público fiel e mundial em uma jornada de fenômeno adolescente a artista culturalmente importante. Esta aquisição está entre os maiores negócios já feitos para um artista com menos de 70 anos, tal é o poder deste catálogo incrível que tem quase 82 milhões de ouvintes mensais e mais de 30 bilhões de streams apenas no Spotify”, disse Merck Mercuriadis, fundador e diretor executivo da Hipgnosis Song .

 

 

Leia na origem

SPOTIFY ANUNCIA QUE VAI DIMINUIR EM 6% SUA FORÇA DE TRABALHO

Matéria de G1

Assim como Alphabet e Microsoft, o Spotify disse que vai demitir 600 funcionários pelo mundo. Ações da empresa caíram mais de 50% no último ano.

O Spotify anunciou nesta segunda-feira que vai demitir 6% de sua força de trabalho, ou cerca de 600 funcionários. A empresa espera que despesas relacionadas às demissões incorram de 25 a 45 milhões de euros.

De acordo com o G1, além das demissões, o vice-presidente de conteúdo e publicidade, Dawn Ostroff, revelou que está deixando a empresa como parte da reorganização.

Desta forma, o Spotify segue como mais uma Big Tech que está sendo impactada pela alta taxa de juros para conter a inflação dos Estados Unidos. Mesmo sendo a empresa com maior participação de mercado entre as plataformas de streaming, o Spotify já estava reduzindo suas contratações. Além disso, as ações da empresa acumularam queda de mais de 50% em 2022.

No início de janeiro, empresas do setor tecnológico como Alphabet e Microsoft também anunciaram a demissão de milhares de colaboradores pelo mundo. Especialistas estimam que 200 mil pessoas foram demitidas pelas Big Techs nos últimos três meses.

Foto: Christian Hartmann/Reuters

Leia na origem

HEINEKEN E BLUE NOTE SE UNEM PARA CRIAR EXPERIÊNCIAS MEMORÁVEIS

Matéria de propmark

Colaboração entre as duas marcas vai gerar ações e conexões exclusivas para clientes.

A Heineken e o Blue Note anunciaram que agora são parceiros de negócios. Na última semana, as duas marcas revelaram que se uniram para criar experiências exclusivas e conteúdos para seus clientes.

De acordo com o Propmark.com, as duas empresas não contaram detalhes sobre como será a parceria. Entretanto, Luiz Calainho, o sócio do Blue Note São Paulo disse ao portal que o foco da parceria é conectar clientes com as duas marcas através de ações que ficarão em suas memórias:

“O nosso planejamento é oferecer diferentes ações colaborativas aos nossos clientes, para que eles tenham oportunidade de experimentar e estarem conectados às duas marcas em momentos memoráveis”, disse o empresário ao portal.

O diretor de experiências de marca e patrocínios do Grupo Heineken no Brasil, Guilherme Bailão também comentou a novidade:

“Vamos levar o DNA Heineken e desenvolver importantes projetos em conjunto com uma das mais relevantes casas de espetáculos do mundo”.

 

Foto: divulgação

Leia na origem

CORINTHIAS BUSCA NA JUSTIÇA DIREITOS DO HINO “CAMPEÃO DOS CAMPEÕES”

Matéria de UOLEsporte @UOL

Corinthias abriu processo contra editoras para evitar problemas futuros com direitos autorais de seu hino.

O time de futebol Corinthians está buscando na justiça o direito de seu hino “Campeão dos Campeões”, para evitar “surpresas” futuras.

Conforme noticiado pelo Uol nesta quinta-feira, a preocupação do time começou quando a diretoria recebeu uma notificação da editora Musiclave em 2011, por conta da execução do hino em uma propaganda da TV Bandeirantes. No caso, esta editora alegou ser representante dos herdeiros do autor.

Na época, a notificação não gerou um processo, mas foi o que fez o time saber da existência de um contrato realizado em 1969, entre o autor do hino Lauro D’Avila e a Editora Musical Corisco, bem como a representação pela Musiclave.

Como forma preventiva, o Corinthians decidiu abrir um processo em 2022 contra as duas editoras, para acabar com o “entrave e oficializar o hino como propriedade do clube, sem qualquer condição ou necessidade de pagamento pela utilização, já que anteriormente nunca houve cobrança pelo uso do hino”, informou o portal.

“De 1955, quando foi institucionalizado como hino do clube, até 1985, quando o autor da obra faleceu, nenhum pedido de autorização ou restrição foi imposto ao Corinthians pelo criador do hino. O mesmo ocorreu depois de sua morte, pois o Corinthians continuou a usar a obra de forma livre, sem sequer saber da existência da editora”, descreveu um trecho do processo obtido pelo portal.

Com o processo em andamento, o Corinthians visa garantir um acordo, e disse que não vai impedir que as editoras cobrem direitos autorais de quem gravar o hino.

 

Foto: guetty images

Leia na origem

BANCO DO BRASIL ANUNCIA PARCERIA COM MINISTÉRIO DA CULTURA PARA INVESTIR R$150 MILHÕES EM EDITAIS

Matéria de Estado de Minas

Banco do Brasil realiza parceria com Ministério da Cultura para incentivar projetos que visam enaltecer origens e ancestralidade brasileira.

Nesta segunda-feira (16/01) O Banco do Brasil anunciou que vai investir R$150 milhões em projetos que serão contemplados via editais oferecidos pelo Ministério da Cultura.

Conforme noticiado pelo Estado de Minas, a notícia do incentivo veio durante a posse de Tarciana Medeiros como a nova presidente do Banco do Brasil, e teve a participação da Ministra da Cultura Margareth Menezes.

O primeiro edital já foi anunciado, e será o do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) edição 2023 – 2025, coordenado pelo próprio banco. Serão selecionados projetos para compor a programação do CCBB em Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP).

Propostas que visam exaltar as origens e ancestralidade brasileira, trazendo narrativas regionais e o pensamento descolonizador serão as mais valorizadas. Além disso, serão reconhecidas ideias que trabalham o tema da inclusão e acessibilidade, ou ainda planejam caminhos para compreender a construção contemporânea de identidades.

“Nosso país é conhecido e reconhecido por sua riqueza cultural. Mas nossa cultura não é só bela, diversa e rica, é também um setor econômico pujante, responsável por mais de 3% do PIB brasileiro. E como tal, precisa de ações concretas que impulsionem o seu desenvolvimento”, disse Margareth Menezes.

Foto: @ricardostuckert via Twitter

 

Leia na origem

COMO NÃO CAIR NO GOLPE DO VINIL POLIDO

Matéria de splash_uol @UOL

Lojas e sebos têm usado ferramentas automotivas para remover riscos e dar brilho em discos de vinil. Entretanto, prática acaba estragando o vinil. Saiba como não cair no golpe.

Na última semana, um colunista da Uol alertou colecionadores  sobre a prática de polimento entre vendedores de discos de vinil.

Conforme relatado pelo Colunista Leonardo Rodrigues, aqueles que gostam de comprar vinil precisam ficar espertos, pois muitos vendedores ou donos de lojas e sebos usam uma espécie de acabamento, com ferramentas de polir semelhantes às que são usadas no meio automotivo. O resultado? O vinil fica com brilho e todos os riscos são removidos, mas a prática acaba trazendo uma série de problemas.

“Ao tocá-lo, parece que estamos ouvindo um ovo sendo frito em fogo alto sobre uma frigideira engordurada. Chiados e estalos ressoam em altos decibéis”, descreveu o colunista.

Entre os malefícios causados pela prática, é a interferência captada pela agulha do toca-discos, pois as partículas do vinil acabam sendo fixadas para dentro dos sulcos do disco, e ficarão presas ali para sempre, gerando grandes ruídos. Além disso, parte da informação sonora registrada fisicamente no LP se perde. Ou seja, o polimento remove alguns detalhes musicais, especialmente em  altas frequências, como um solo de solo de guitarra, e até mesmo um vocal agudo.

E o que fazer para não cair no golpe? Fique atento a algumas dicas abaixo:

  • No ato da compra, coloque o disco diretamente contra luz (de preferência branca).
  • Não viu arranhão ou marca? Veja se a superfície apresenta aspecto esbranquiçado, sem brilho, beirando o fosco.
  • Teste todos os lados do disco antes de levá-lo.
  • Certifique-se que exista política de troca ou reembolso.
  • Vai comprar pela internet e não é possível cumprir os itens de 1 a 3? Foque no 4.

 

Leia na origem

APÓS RECUPERAR MASTERS, DE LA SOUL VOLTA ÀS PLATAFORMAS DE STREAMING

Matéria de Billboard

Entenda porque o grupo americano De La Soul ficou tanto tempo longe das plataformas de streaming, e o processo de recuperação de suas masters.

O De La Soul anunciou que estará de volta às principais plataformas de streaming. O trio americano de Hip-Hop estava há anos longe das plataformas de áudio, por não ter acordos sobre os samples usados em suas músicas.

A Billboard conversou com dois dos integrantes, Posdnuos e Dave, sobre o processo para recuperação do controle de suas masters. Tudo se iniciou quando a Reservoir Media comprou os direitos musicais da antiga gravadora do grupo, e os ajudou no clearance para recuperação das masters. Eles destacaram a importância de ter profissionais para auxiliá-los na missão:

“Se não tivéssemos a ajuda da Reservoir, que pegou o projeto e está colaborando conosco para fazer esse lançamento, não sei a quem recorreríamos. Daria ainda mais trabalho. Portanto, você precisa de colaboradores, precisa de ajuda. Definitivamente, não foi apenas: ‘Recuperamos nossas masters!’, disse Posdnuos.

Além da ajuda da gravadora, outro fator que tornou a volta De La Soul aos streamings foi a colaboração dos detentores de direitos dos samples, compositores e editoras:

“O que é ótimo é que muitos desses proprietários, compositores e editores eram fãs do De La Soul, e haviam entendido o que estava acontecendo. Eles ficaram felizes em ver que estava em nossas mãos agora, e quando fomos tentar esclarecer as coisas, todos ficaram disponíveis para resolver”, contou Posdnuos. “Foi uma grande jornada ver que as pessoas estavam dispostas a ajudar”, complementou.

Com as masters em mãos, a partir de março seus seis álbuns estarão nos principais streamings. A campanha de divulgação começa amanhã (13 de janeiro) com o single “The Magic Number” disponibilizado nas plataformas digitais, e o lançamento de um site para venda do single em vinil e fita cassete.

Foto:  Robert Adam Mayer 

Leia na origem

YOUTUBE ANUNCIA QUE VAI MONETIZAR VÍDEOS DO SHORTS A PARTIR DE FEVEREIRO

Matéria de G1

Criadores de conteúdo vão ganhar mais uma forma de faturar através de vídeos curtos no YouTube.

Se você o Youtube para divulgar seu trabalho, fique ligado em algumas mudanças anunciadas para este ano.

A primeira novidade é que o YouTube anunciou que vai passar a monetizar os vídeos do Shorts, a partir do dia 1º de fevereiro.

Conforme noticiado pelo G1, criadores de conteúdo que fizerem parte do Programa de Parcerias da plataforma poderão receber uma fatia da receita que o YouTube ganha com anúncios nesse formato. Então, é importante saber que para fazer parte do programa é necessário que os youtubers aceitem o acordo sobre os novos termos de monetização até o dia 10 de julho de 2023.

Outra novidade é que agora, os youtubers também poderão escolher de que forma eles querem ser remunerados pelo seu conteúdo.

Vale notar que somente o “Shorts” gerou 30 bilhões de visualizações por dia em 2022, com 1,5 bilhão dos usuários conectados mensalmente.

Leia na origem

©2023 MCT - Música, Copyright e Tecnologia.

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?